sábado, fevereiro 02, 2008

Procura-se o António Nunes

A última vez que foi visto estava tranquilamente a fumar uma cigarrilha no salão do Casino Estoril, uma local e a uma hora em que seria pouco provável que por ali passasse umas das brigada ranger da ASAE, mais preocupadas com a Ginginha do Rossio ou com a Feira do Relógio locais mais perigosos para a saúde dos clientes e dos empregados.

Não sabemos como o António anda vestido nem os locais por onde poderá andar mas como se sabe do seu gosto por filmes de comandos é provável que ande vestido de rambo. Sabe-se também que o António tinha por ambição aparecer mais vezes na comunicação social do que a Lili Caneças pelo que se considera possível que ande a rondar alguma estação de televisão.

Os familiares, amigos, admiradores e simpatizantes estão preocupados com o repentino e estranho desaparecimento, ele que nos fazia companhia diária nas aberturas do telejornal, era mesmo um estímulo para o zapping, se não estava na um ligávamos para a três e se também não estivesse no canal de Balsemão era certo e sabido que o encontraríamos.

Depois de termos perdido o lince da Serra da Malcata e enquanto ainda não foi reintroduzido o lince ibérico na serra do Algarve, seria uma perda irreparável se também perdêssemos António Nunes, um verdadeiro lince das mercearias.

Se alguém se cruzar com o inspector-geral da ASAE que lhe diga que volte, que ocupe o seu lugar na comunicação social, que sem ele podemos ser envenenado pelo CO2 dos cigarros se ainda tivermos morrido devido a algum germe fatal. O pior já passou, a remodelação fez e Manuel Pinho manteve-se a boiar, Sócrates até já falou bem dele e não foi para o demitir depois como sucedeu a Correia de Campos.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Reguengos

IMAGEM DO DIA

[J. NAEGELEN / REUTERS]

«Cyclistes sur la troisième étape du Tour du Qatar, le 29 janvier 2008.» [20 Minutes]

PS: Assim, de repente, ainda pensei que era uma imagem da Volta ao distrito de Setúbal.

JUMENTO DO DIA

Medo da monarquia

Como será que o ministro da Defesa explica a participação da banda do Exército na cerimónia evocativa da morte do rei D. Carlos em Lisboa, quando no mesmo dia Cavaco inaugurava uma estátua do rei m Cascais? Será que cabe a Severiano Teixeira a defesa o regime monárquico, tendo temido que os músicos virassem os seus instrumentos musicais contra a república?

SERÁ VINGANÇA DE BELMIRO DE AZEVEDO?

Se o novo aeroporto ficasse ali para os lados de Setúbal o jornal de Belmiro de Azevedo teria aproveitado o caso do diploma, produzido dezena de editoriais contra o governo e divulgdo esta notícia? Por mais que me garantem a independência dos nossos jornais e jornalistas tenho muitas dúvidas.

O REFORMISMO DE SÓCRATES E A REMODELAÇÃO GOVERNAMENTAL

A reforma da Administração Pública lançada por Teixeira dos Santos falhou ou está a falhar, as medidas não reduziram nem os funcionários nem a despesa e com a proximidade das eleições torna-se evidente que a reforma está a ficar em banho-maria. Mas Teixeira dos Santos ficou.

A reforma na agricultura não passou de uma reestruturação de um ministério que quase deixou de funcionar, com secretários de Estado de competência duvidosa, o ministro quase foi declarado persona non grata em toda a agricultura portuguesa, com excepção da Coudelaria de Alter e da Companhia das Lezírias. Mas Jaime Silva não foi remodelado.

A reforma da educação não passou de um pacote destinado a poupar com professores, não se notam melhorias nas escolas e muito menos nos resultados. Mas a ministra ficou.

A única reforma com resultados e com bons resultados no plano financeiro foi a que Correia de Campos lançou. Mas depois de criticado por Cavaco e pelo Litério da Anadia o ministro foi remodelado.

Sócrates garante que o seu ímpeto reformador prossegue, mas é evidente que o ímpeto eleitoral já é bem mais forte do que o reformador.

SEIS MESES DE ANTÓNIO COSTA À FRENTE DA CML

A tarefa de António Costa à frente da CML está longe de ter sido fácil, assumiu uma câmara falida, com um aparelho administrativo minado pela ineficácia e corrupção, uma cidade entregue ao abandono e num estado calamitoso em consequência da má gestão dos serviços camarários. Como se a tarefa fosse fácil António Costa não conseguiu a maioria absoluta sendo obrigado a governar num contexto complexo já que enfrenta um PSD interessado em desgovernar e vários grupos de independentes em busca de protagonismo político, para não referir uma Assembleia Municipal onde o PSD conta com uma maioria absoluta.

Muito se pode criticar na actuação de António Costa, neste ou naquele ponto poderia ter feito melhor, mas o balanço global da sua actuação à frente da autarquia é positivo. Se as eleições autárquicas fossem hoje não teria qualquer dúvida em apoiar e votar em António Costa, ainda que esse apoio fosse crítico e o voto não fosse incondicional.

SOL DE POUCA DURA

«As dificuldades de implementação das reformas na saúde já evidenciadas, os erros cometidos na coordenação no tempo e no espaço de medidas racionalizadoras e de meios alternativos que garantam tanto o acesso como a qualidade das prestações de saúde às populações, não podem permitir que se instale a ideia de que tudo está bem assim e se nada se tentar alterar até se podem poupar muitas maçadas (e a queda de mais um ministro).

Mas do mesmo modo haverá que compreender que as reformas necessárias no sector da saúde não podem ficar prisioneiras de uma preocupação exclusiva de contenção da despesa pública. Até porque, por vezes, para poupar no futuro graças a um sistema mais racional e que proporcione melhores cuidados de saúde, pode ser necessário investir na reforma agora, mesmo que esse investimento exija transitoriamente um aumento de despesa.» [Diário de Notícias]

Parecer:

António Vitorino "explica" a remodelação governamental.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

HERÓI OU VÍTIMA PROPICIATÓRIA

«Os processos reformistas são sempre muito complexos e habitados por contradições cuja ponderação deve ser feita prudentemente. Num primeiro momento, a força das opiniões e dos interesses instalados, os hábitos e as rotinas, o receio do desconhecido e a incomodidade da mudança agregam-se numa formidável coligação que pode ser espúria, mas que não deixa de ser eficiente.

Por isso, nos processos reformistas, a questão central é a passagem do ponto de não-retorno, ou do "rubicão", momento a partir do qual já não há outra alternativa que não seja seguir em frente. Se esse ponto for ultrapassado, começa a desagregar-se a coligação de resistências. Esta mutação é sempre gradual e também não isenta de sobressaltos, mas autoconsolida-se se as reformas começarem a produzir efeitos.

A própria passagem do "rubicão" não é, ela própria, isenta de turbulências. Gosto, por isso, de a comparar à passagem da barreira do som. E não isenta de riscos: ou porque ilusoriamente se julga que esse é o ponto de chegada e não um novo ponto de partida, ou porque se tenta ainda cautelosamente navegar em termos que permitem admitir o regresso (como se a vista do sucesso fosse um momento de descompressão, pois a adrenalina gerada pelas dificuldades era, afinal, o verdadeiro sustentáculo) e com isso se começa a andar à roda, ou porque se procura seguir um caminho que surja como alternativo e menos dificil, na esperança de que por aí também se alcance a terra prometida. Ou até mesmo porque se pensa que "agora é a descer", quando isso, afinal, é pura ilusão de óptica.

Os processos reformistas são desgastantes e exigem uma estamina muito elevada dos que os lideram. A personalização das questões, a utilização (fácil) de falhas que são muitas vezes o resultado da resistência à mudança ou os estertores da agonia das soluções em perda, a barragem dos media, tudo isso são factores que liquidam mais do que um reformador e que podem fazer recuar as reformas. Como se o ímpeto reformista fosse uma espécie de acne juvenil, uma ilusão ou uma teimosia que passam com o tempo.

Lembrei-me disto tudo a propósito da saída do Governo do ministro Correia de Campos. Que há dias afirmei publicamente ser provavelmente essencial (como teria sido a saída da ministra da Educação, mas isso são outras histórias), não para acabar com as reformas, mas para que possam ser concretizadas.

Correia de Campos é sem dúvida o mais competente político português em matéria de saúde pública. É um homem frontal e corajoso, que vai à luta, que dá a cara e enfrenta os adversários tentando desmontar os seus argumentos. É-me pessoalmente muito simpático, por isso; e admiro a sua verticalidade e inteligência. E até admiro a sua teimosia e a capacidade que tem de cometer erros, que é timbre de pessoas com o seu carácter.

Mas as coisas são o que são. Por um conjunto variado de questões (a maior das quais, sem dúvida, é a força dos interesses que enfrentou) tinha-se tornado parte do problema e não da solução. A crispação pessoalizada nele da sociedade civil, a hostilidade dos media, as críticas públicas de relevantes socialistas estavam a tornar inaudível a sua mensagem e seguramente que a base de apoio do PS (e as eleições autárquicas estão a chegar...) iria cada dia estar mais agressiva.

O resultado seriam crescentes pressões para que arrepiasse caminho, para que tentasse conciliar o inconciliável, para meter o rossio na betesga, para chegar à terra prometida sem dores, para que alguma coisa mudasse e tudo ficasse na mesma. E se ele não cedesse acabaria afastado sem glória em nome do (inevitável) pragmatismo.Fez bem em sair, com o seu prestígio intacto. Não por não ter cometido erros, mas por ter tido razão. Ficar seria inútil ou prejudicial.

Agora o importante é a resposta a algumas perguntas: já foi passado o "rubicão" das reformas? A nova ministra vai continuar a estafeta com a mesma estratégia e com a mesma determinação? Haverá vontade política para não ceder? Não existirá a tentação de recuar para as águas calmas da inércia e para a estagnação dos portos de abrigo? Não haverá a ilusão de que se podem fazer reformas sem desagradar, sem ferir interesses instalados?

A resposta a estas questões é decisiva para o Sistema Nacional de Saúde. Se este não for reformado e viabilizado, o que virá a seguir - que não tenhamos ilusões - é pura e simplesmente o fim do SNS. E é decisiva para Portugal, pelo sinal que dará durante estes dois cruciais anos: recuar aqui será o fim de Sócrates, pois ele já passou o "rubicão" há algum tempo, só podendo sobreviver se continuar em frente.

A resposta a estas questões irá permitir saber se Correia de Campos foi um combatente que se sacrificou pela sua causa ou mais uma vítima propiciatória no altar do arcaísmo português.
Imagine-se o que desejo. Admita-se aquilo em que acredito. Pondere-se aquilo que temo. E cá estarei um dia para concluir.»
[Público assinantes]

Parecer:

O elogio de José Miguel Júdice a Correia de Campos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

QUEM TEM ESTÔMAGO

«O sr. ministro da Saúde pediu a demissão ou foi demitido pelo sr. primeiro-ministro. Numa variante, pediu a demissão; noutra variante, foi demitido; e ainda noutra variante seria demitido até se, por acaso, não pedisse a demissão. Houve, por assim dizer, uma troca telepática entre o sr. ministro da Saúde e o sr. primeiro ministro, que permitiu ao sr. primeiro-ministro correr com o sr. ministro da Saúde, sem, de facto e no fundo, correr com ele. Este fenómeno paranormal não ocorreu porque o sr. primeiro-ministro estava em risco de perder a sua reputação de reformador "intransigente" e "determinado", ou porque o dr. Cavaco e o dr. Alegre exigiam que o ministro saísse, ou porque o bom e sempre sensato povo português se manifestava contra ele, ou porque a saúde vale votos. Não, senhor. Ocorreu, porque existe no universo uma força que intervém, quando o interesse pessoal de Sócrates começa por qualquer razão a periclitar.

A essa força corresponde, de resto, uma força igualmente intensa com origem autêntica e directa no coração de Sócrates: Sócrates "compreende o sentimento psicológico das pessoas" (como coisa distinta do sentimento apsicológico das pessoas). Os pais, por exemplo, são "de uma aldeia, de Alijó", e ele aprendeu, presumivelmente desde pequenino, a compreender o "sentimento psicológico" das "pessoas de Alijó". Com esta compreensão, não podia, como é óbvio, deixar de pôr na rua o ministro da Saúde, quando o próprio ministro da Saúde, o Presidente da República e Manuel Alegre, sem qualquer antepassado em Alijó, chegaram, ninguém sabe como, à mesma conclusão.

Claro que a política de saúde não vai mudar, com a nova ministra, a dra. Jorge, só por coincidência amiga de Alegre. Sócrates, como ele muito bem lembrou, não volta atrás, nem cede a pressões. Se não fechar nenhuma urgência daqui em diante é porque muito livre e espontaneamente não quer fechar nenhuma urgência. Não cedeu e não voltou atrás. Sobretudo não mudou de política. Não fecha urgências: mais nada. Não fecha agora com tanta firmeza como dantes fechava. Com esta atitude irá com certeza "reforçar a confiança" dos portugueses no Serviço Nacional de Saúde. Como a reforçava fazendo exactamente o contrário. Excepto se, depois de 2009 e de uma segunda maioria, resolver o contrário do contrário.

Quem tem estômago para isto?» [Público assinantes]

Parecer:

Vasco Pulido Valente diz que não tem estômago para a forma como Sócrates demitiu Correia de Campos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»

A CIGARRILHA DO SENHOR DA ASAE É UM SÍMBOLO DO INCUMPRIMENTO DA LEI

«A reacção surge como resultado da percepção de que as excepções previstas na lei - que apesar de ter como regra a proibição de fumar em espaços fechados, permite a possibilidade de criar espaços para fumadores em restaurantes e similares e a criação de salas de fumo na generalidade dos locais - foram sendo, devido ao "fenómeno inesperado" (como lhe chama Luís Rebelo, da Confederação da Prevenção do Tabagismo na entrevista ao lado) da cigarrilha do inspector--geral no réveillon do Casino Estoril, interpretadas de modo progressivamente menos rigoroso ao longo destes trinta e um dias. Nos quais, acusa Francisco Figueiredo, do Sindicato de Hotelaria do Norte, "houve um incumprimento concertado da legislação nos casinos e salas de bingo", que Luís Rebelo considera ter tido "um efeito de arrastamento" para o sector da diversão nocturna.» [Diário de Notícias]

Parecer:

É evidente que o vaidoso inspector-geral da ASAE devia ter sido demitido no dia 2 de Janeiro, mas em vez disso Sócrates optou pelo elogio público do faltoso.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ofereça-se uma caixa de cigarrilhas e um jantar no show do Casino Estoril ao senhor da ASAE.»

SANTANA QUERIA A BANDA MILITAR NA HOMENAGEM A D. CARLOS

«Pedro Santana Lopes ligou ontem a dois ministros do Governo de José Sócrates para os questionar sobre a proibição decretada pelo Ministério da Defesa ao Exército nas cerimónias de homenagem ao Rei D. Carlos e ao príncipe real D. Luís Filipe. Ao DN, o líder parlamentar do PSD garante que "o partido não tem nada a opor à participação da banda do Exército na cerimónia".O presidente da bancada telefonou durante a tarde de ontem ao ministros dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, e ao fim da tarde ao ministro da Defesa Nacional, Nuno Severiano Teixeira. Este último emitiu um despacho a 17 de Janeiro onde alertava que a instituição militar não devia participar em iniciativas de cariz político, sublinhando que não se opunha à participação das Forças Armadas em eventos históricos, científicos ou culturais.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Este Santana anda muito monárquico e talvez tenha razão, com tanto bobo é estranho que não haja corte.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Santana porque não foi lá ele tocar gaita.»

ALBERTO JOÃO JÁ ELOGIA GOVERNO

«O presidente do Governo Regional da Madeira, Alberto João Jardim, disse ontem ter registado um "sentimento de boa vontade" por parte do Governo da República para "ultrapassar obstáculos" no relacionamento entre a região e o executivo. "Não vou insistir em críticas quando fiquei com a impressão que há um sentimento de boa vontade. Eu saio daqui hoje convicto que há um sentimento de boa vontade em ultrapassar obstáculos que tem havido e tenho que ser honesto e dizê-lo", afirmou Alberto João Jardim.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Era tudo uma questão de preço.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Pedro Silva Pereira quanto teve de "pagar" para conseguir tanta simpatia do Alberto.»

O PÚBLICO CONTRA-ATACA

«José Sócrates assinou numerosos projectos de edifícios na Guarda, ao longo da década de 80, cuja autoria os donos das obras garantem não ser dele. Nalguns casos, esses documentos eram manuscritos com a letra de Fernando Caldeira, um colega de curso do actual primeiro-ministro que era funcionário do município e que, por isso, não podia assumir a autoria de projectos na área do concelho.» [Público assinantes]

Parecer:

Depois do diploma, as assinaturas em projectos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao jornalista do Público se alguma das casas veio abaixo.»

ESCUTEIROS DIZEM QUE NÃO SÃO DA PARVÓNIA

«O Corpo Nacional de Escuteiros está indignado com a nova campanha publicitária da MediaMarkt. Segundo a agência Lusa, poderão avançar mesmo para um processo judicial, mas neste momento uma petição on-line já garantiu quase seis mil assinaturas.» [Portugal Diário]

Parecer:

Têm razão, o spot publicitário é idiota, aliás, para a Media markt somos todos parvónios.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se a crítica.»

CAVACO NÃO TEVE NADA A VER COM A DEMISSÃO DE CORREIA DE CAMPOS

«O Presidente da República, Cavaco Silva, rejeitou esta sexta-feira qualquer responsabilidade na demissão do ex-ministro da Saúde, depois de na sua mensagem de Ano Novo ter feito críticas a este sector, noticia a Lusa. » [Portugal Diário]

Parecer:

Pois não.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Cavaco se também não teve nada a ver com a escolha do presidente da CGD.»

A ANEDOTA DE LAURENTINO

«Um mês depois da entrada em vigor do diploma que clarifica a taxa de IVA a aplicar aos ginásios, a Secretaria de Estado do Desporto revela que vai ser realizada uma investigação a estes espaços para garantir que não há cartelização no sector, uma vez que a descida do IVA não provocou uma baixa generalizada no preço das mensalidades.

"O Governo tomou a decisão de baixar a taxa do IVA de 21 para 5 por cento com o intuito de ver baixar o preço pago pelo consumidor e não de ver aumentar os lucros dos ginásios", sublinhou o secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, no final de uma reunião realizada hoje com a associação de ginásios AGAP.» [Público]

Parecer:

O secretário de Estado da Juventude considera que a descida do IVA visou os ginásios e esquece que a competência para investigar situações de cartelização é da Autoridade para a Concorrência e não da sua secretaria de Estado.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao secretário de Estado que não diga asneiras.»

BRITÂNICO MORREU POR TER BEBIDO ÁGUA DEMAIS

«Um homem morreu na Grã-Bretanha após beber grande quantidade de água, apontou o inquérito de um legista, em York, no norte do país.

Shaun McNamara, de 35 anos, foi encontrado caído no chão do banheiro de sua casa em setembro do ano passado. » [BBC Brasil]

MODELO GUARDA-COSTAS RUSSA MORREU AO TENTAR DEFENDER O SEU PORSHE

«Anna Loginova, la guardaespaldas más famosa y seductora de Rusia, ha muerto en Moscú mientras intentaba defender su Porsche Cayenne de un ladrón, según informaron varios medios de comunicación.

Loginova, antigua modelo y directora de una compañía privada de seguridad, intentó luchar contra un ladrón que intentaba robar su coche. La 'modelo guardaespaldas' se agarró a la puerta del coche y murió después de ser arrastrada a lo largo de una calle a alta velocidad mientras el coche se daba a la fuga.» [20 Minutos]

MULHERES GASTAM MAIS ENERGIA A SEDUZIR

«A la hora de conquistar, las mujeres gastan más energía que los hombres. Así se desprende de un estudio realizado por biólogos colombianos y divulgado este jueves por la Universidad Javeriana de Bogotá.

El estudio, realizado a personas de 17 países, midió las kilocalorías que pierden mujeres y hombres de entre 17 y 47 años durante actividades relacionadas con el cortejo amoroso, tales como acicalarse, hacer una invitación, establecer contacto visual y conversar. » [20 Minutos]

MICROSOFT QUER COMPRAR A YAHOO!

«Microsoft ha lanzado una oferta de 30.000 millones de euros para adquirir Yahoo, lo que supone que la compañía de Gates está dispuesto a ofrecer hasta 20,8 euros por acción.

Esta cifra es un 62% superior a la última cotización registrada ayer por Yahoo en el Nasdaq, según un comunicado oficial de Microsoft difundido por la agencia PRNewswire. Los accionistas de Yahoo podrán cobrar en líquido o en acciones.» [El Pais]

ATAQUE AÉREO DA CIA MATA N.º 3 DA AL QAEDA

«Un ataque aéreo de la CIA mató a Abu Laith al Libi, considerado como el “número tres” de Al Qaeda y uno de los más importantes lugartenientes de Osama Bin Laden. Según informa la cadena CNN, oficiales de los servicios de inteligencia norteamericanos han confirmado que el lanzamiento de misiles desde un avión estadounidense, dentro de una operación de la CIA, fue la causa de la muerte de Al-Libi, uno de los terroristas “más buscados” por EE UU.» [El Pais]

PREÇOS QUE PASSARAM POR PORTUGAL FORAM COMPRADOS A 5.000 DÓLARES

«"Muero aquí cada día, mental y físicamente. Eso nos pasa a todos. Hemos sido olvidados, encerrados en el medio del océano durante años". Eso dice Shaker Aamer, residente de larga duración en el Reino Unido, preso en Guantánamo desde febrero de 2002. Según la ONG de abogados británicos Reprieve, que representa a 33 presos de Guantánamo, Aamer fue secuestrado en Pakistán y vendido a las fuerzas de Estados Unidos por 5.000 dólares (3.380 euros), antes de volar, el 13 de febrero de 2002, desde Incirlik (Turquía) a la isla de Cuba vía Portugal en un avión de la CIA.» [El Pais]

EUA (VIRGÍNIA): O USO DE ARMAS PODERÁ VIR A SER ENSINADO NAS ESCOLAS

«El estado de Virginia (EE UU) estudiará la semana próxima un proyecto de ley para que los escolares de secundaria, de entre 13 y 16 años, aprendan a cazar y usar armas de forma segura.

"Daremos un curso de caza segura durante las clases de educación física", explicó el jueves el senador Billy Wayne Bailey, principal promotor de la ley. "Todas las armas estarían inhabilitadas para que no haya posibilidad de que se disparen", añadió. » [20 Minutos]

RINOCERONTE FÊMEA SOBREVIVE A TIROS E AO CORTE DO CHIFRE [BBC]

CAVALHEIRO DIAS PARA CHEFE DE GABINETE DO MINISTRO DA CULTURA

Passados mais de dois anos desde que Sócrates chegou ao governo fez-se justiça em relações a dois dos mais altos responsáveis do fisco durante o último governo do PS, António Nunes dos Reis foi para controlador financeiro do ministério da Educação e Cavalheiro Dias (ex director-geral da DGITA) é o chefe de gabinete do novo ministro da Cultura. Fez-se justiça ainda que se lamente que duas das pessoas mais competentes da Administração Tributária sejam aproveitadas noutros ministérios, enquano o fisco tenha sido entregue ao que de mais incompetente há no PSD.

FISCO VAI FAZER DE BIG BROTHER ANTI-CORRUPÇÃO

«A administração fiscal vai passar a comunicar ao Ministério Público (MP) casos em que haja discrepância entre o rendimento declarado e o aumento de património do contribuinte. Tratando-se de um funcionário público ou alguém que ocupe um cargo numa entidade sob tutela pública, as Finanças terão também de avisar a respectiva tutela. » [Diário de Notícias]

Parecer:

A medida é positiva ainda que assente no pressuposto de que os corruptos são idiotas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao ministro que aproveite a nova lei para identificar o professor da DGCI a quem o Millennium paga mais de 25.000 euros por ano, se é que o ilustre professor os declarou no IRS.»

O JUMENTO NO TECHNORATI

  1. Vital Moreira "Causa Nossa", fez dele o post em que se criticou a vaga de cinismo a que se assistiu após a demissão de Correia de Campos.
  2. O "Papa Açordas" também pergunta "cadê o Sr. Nunes". Além disso também acha que os ministros de Sócrates são perfeitos.
  3. O "Ponto por Ponto" fez dele o comentário a propósito da demissão de Correia de Campos.
  4. O "Der Terrorist" sugere a leitura do post sobre a segurança à portuguesa.

SMITHSONIAN NATIONAL MUSEUM OF NATURAL HISTORY - NATURE'S BEST POTOGRAPHY [Link]

CAR CUT-AWAYS [Link]

SEO CHARLIE

JANUSZ TARAS

ARKA GLODY

EMIL JIANU

STAMOULIS THEODORIKAS

YAHOO 1994-2008

PUBLICIDADE ENGANOSA

ANTIGO DISPOSITIVO ANTI-MASTURBAÇÃO À VENDA NO E-BAY [Link]

O ESPANHOL QUE GOSTAVA DE SER CHINÊS

HEGA SHAVING BALM

Advertising Agency: Volt Advertising Agency, Stockholm, Sweden
Creative Director: Måns Jacobsson Hosk
Art Directors: Joakim Söderqvist, Erik Olsson
Copywriter: Jens ThelferPhotographer: Vostro
Other additional credits: Sofia Stampe, Henrik Stampe, Louise Wallgren

NIGHT OF THE AdEATERS

Advertising Agency: Impact BBDO, Kuwait
Art Director: Pankaj Bangde
Copywriter: Lokesh Achaiah
Creative Director: Viraj Ponkshe

ESTADO DA FLORIDA

[2][3]

Advertising Agency: Jotabequ, San Jose, Costa Rica
Creative Director: Diego Vasquez
Art Director: Irene Jimenez
Designers: Irene Jimenez, Rosa Ramos, Santiago Cardone
Copywriter: Reinaldo Reales
Photographers: Rosa Ramos, Paul Aragón