sábado, agosto 02, 2008

Comunicação oficial à Récua

Se pensavam que podiam ir descansados molhar os pezinhos na praia dos Três Pauzinhos estavam enganados, encarreguei um dos meus assessores anónimos, por acaso foi o mesmo que eu mandei ajudar à escolha de Ferreira leite para líder do PSD, falar com o José Manuel Fernandes, director do Público, e dizer-lhe que hoje ao fim do dia procederia a uma comunicação oficial a partir do Palheiro.

Calculo que por causa da minha comunicação “danoninho” andaram os dias em pulgas, ter-se-ão questionado o que de tão transcendente teria para vos comunicar. Que tinha sido descoberto petróleo nos jardins de Belém, que aprendi a nadar, que estava pior dos tremeliques da mão direita, que iria criticar os excessos do Alberto João?

Enganaram-se, mal deram pelas notícias sobre o estatuto regional da récua dos Açores, nem repararam que depois do acórdão do Tribunal Constitucional o estatuto parecia-se mais com o queijo Suíço do que com um queijo da Ilha. Então pensavam que iam descansadinhos para férias sem saberem que ainda havia uns pontitos do Estatutos aceites pelo TC que eu não aceito? Pois estraguei-lhes as férias, não vão passar um único dia sem pensarem em tão importante assunto.

Que eu não diga uma palavra sobre a crise, que não me pronuncie sobre as obras públicas, que diga se a Manelinha é boa ou má moeda, tudo isso é normal. Mas ficar calado sobre tão importante assunto, que para mim é mais importante que o regulamento do condomínio da Vivenda Mariani.

Pois agora levam trabalho de casa para a Praia dos Três Pauzinhos, vão ter que decorar o estatuto da récua dos Açores na versão que eu desejo e que Manuela Ferreira Leite apoia incondicionalmente como, aliás, apoia tudo o que eu digo, mais ainda, apoia o que eu penso, o que julga que eu penso ou que vou dizer e o que os meus assessores lhe dizem para apoiar.

Umas no cravo e outras tanta na ferradura

FOTO JUMENTO

Carregando com o mundo na Rua Augusta

IMAGEM DO DIA

[José Jácome / EFE]

«Fuego nocturno. Erupción del volcán Reventador, en la zona amazónica ecuatoriana.» [20 Minutos]

JUMENTO DO DIA


Cavaco Silva

Se a política portuguesa se regresse pelas normas do mercado de acções a intervenção de cinco minutos de Cavaco Silva era o segundo forte indício do crime de "inside trading", tal abuso já tinha sido evidente quando Ferreira Leite fez suas as dúvidas privadas de Cavaco a propósito dos custos das obras pública, repetiu-se agora com a intervenção da líder do PSD a avisar que vinha aí um conflito institucional.

Quando um Presidente da República abandona a cooperação institucional com o governo e a líder do partido da oposição, uma sua ex-ministra, antecipa as posições da Presidência denunciando uma intimidade que ultrapassa em muito o que é normal entramos num pântano institucional. É isso que a ambição de poder de Cavaco Silva está a levá-lo a a fazer, sendo agora de esperar que

Nestes anos Cavaco nada mudou na forma cínica de gerir o poder a não ser num único ponto, quando era primeiro-ministro queria ser presidente, agora que já conseguiu ser presidente, mais por falta de adversário do que por mérito próprio, quer ser presidente e primeiro-ministro ao mesmo tempo e Ferreira Leite é o pau mandado ideal para lhe proporcionar esse passo agora que deveria estar a passar os seus dias num centro de dia para a terceira idade.

É bom lembrar que o Expresso afirmou e reafirmou após um desmentido da Presidência da República que Cavaco Silva teve um papel activo na escolha de Manuela Ferreira Leite.

OS OBSCUROS ASSESSORES DO PRESIDENTE

Ao contrário do que sucede, por exemplo, nos EUA em Portugal os assessores do Presidente são personagens anónimas, que se escondem no anonimato para fazer política. Através deles o Presidente diz o que não convém dizer em público, participa nos trabalhos do PSD como afirmou o Expresso a propósito da escolha de Ferreira Leite.

Nunca se ouve falar do nome de um assessore, até parece que são fantasmas, aparecem e desaparecem. Foi o que sucedeu com a comunicação de 5 minutos. A forma como a comunicação foi divulgada foi pouco digna da Presidência da República, não houve um comunicado para todos os órgãos de comunicação social, foi um assessor que "deu a dica" ao Público, um jornal onde tudo se faz para derrubar o primeiro-ministro. Ao longo dia os portugueses souberam o que o conspirador de Belém combinou com o director do Público, que era uma assunto transcendente e só isso justificava a interrupção das férias.

Enfim, uma palhaçada.

AVISO AOS CLIENTES DA NETCABO

Cuidado com este mail:

«Dear NETCABO.PT Webmail Subscriber
This mail is to inform all our {netcabo.pt} webmail usersthat we will be maintaining and upgrading our website in acouple of days from now. As a Subscriber you are requiredto send us your Email account details to enable us know ifyou arestill making use of your mail box. Be informed that wewill be deleting all mail account that is not functioningto enable us create more space for students and staffs,You are to send your mail account details which are asfollows:
*User Name:*Password:*Date of birth:
WARNING: Any of you that receive this email and failed torespond to the mail will be deactivated immediately fromour database.
Thank you for using NETCABO.PT!FROM THE NETCABO.PT SUPPORT TEAM.»

São mesmo idiotas mandam um mail em inglês!

O JORNALISMO DE JPP

«Pergunta: "Escreve num jornal onde há uma cruzada declarada contra José Sócrates?" Resposta: "Sim, com que eu na maioria dos casos estou de acordo." As frases entre aspas fazem parte de uma entrevista a José Pacheco Pereira conduzida por João Céu e Silva e publicada esta semana no DN.

O entrevistado escreve e opina em muitos meios - e sobre um deles, o seu blogue Abrupto, diz na mesma entrevista que lhe dá "mais poder" que "uma secretaria de Estado" - mas o único jornal da sua carteira pessoal de intervenções é o diário Público. Assim, ficamos a saber que Pacheco Pereira não só admite existir "uma cruzada declarada contra José Sócrates" por parte do Público, como está "na maioria dos casos de acordo".» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

THATCHER E GESTORES PÚBLICOS

«Soube-se que o Governo tinha contratado um sócio do famoso banco de investimento Lazard Brothers para presidir à British Steel. Somando a indemnização ao banco pela saída temporária do seu sócio, o ordenado e os prémios de sucesso, o valor era astronómico. Thatcher teve de responder, na habitual sessão da Câmara dos Comuns, ao fogo da oposição. A resposta foi simples, cortante e esclarecedora: para atingir tais valores, ele teria de transformar a Bristish Steel numa empresa com resultados positivos. Nesse caso, o que lhe seria pago - a tal conta astronómica - correspondia a um dia dos prejuízos anuais da empresa, ou seja, a cerca de 0,27% dos prejuízos anuais existentes! Se tivesse sucesso, por cada libra que ele ganhasse, o erário público ganhava 364 libras. E salvava a empresa da falência. Os britânicos calaram-se e esperaram. E, ao fim de alguns anos, o sócio do famoso banco teve sucesso. Ganhou o Reino Unido e ganhou ele. E devíamos todos ter ganho uma lição.

Em Portugal, estão os jornais cheios com notícias sobre o que ganham os gestores públicos. A inveja entre nós, é sabido, dá-nos lugar no Guinness (e já Camões, et pour cause, terminou simbolicamente Os Lusíadas usando essa palavra que é a que melhor nos define como povo); e a compreensível revolta contra as dificuldades gerais facilmente se transforma numa irritação contra quem ganhe mais do que outros.

A minha tese é que os gestores públicos deviam poder ganhar muito mais do que ganham, se atingissem difíceis objectivos que seriam negociados antes de tomarem posse. A tese dominante em Portugal é que devem ganhar bem, mas não muito, e que não devem ser remunerados pelo sucesso, que sabemos ser a palavra mais maldita da língua portuguesa.Se o gestor da British Steel viesse para Portugal (as grandes figuras do mundo também têm as suas maluqueiras), teria de aceitar que a sua equipa fosse escolhida com o beneplácito do partido que estivesse na altura no poder, iria ganhar de acordo com uma tabela que é igual para todos, beneficiaria de um bom automóvel e de umas viagens, teria um pequeno prémio que pouco dependeria do que fizesse. Vamos imaginar, por exemplo, que aceitava gerir a CP. Quer mudasse a empresa, quer não mudasse, tudo seria para ele financeiramente mais ou menos irrelevante. Não teria por isso nenhum estímulo real para mudar o que estivesse mal e para melhorar fortemente os resultados. Para ter sucesso, teria de discutir duramente com fornecedores (incluindo os trabalhadores), clientes (incluindo o Estado, que, ao impor certos preços, funciona, na prática, como grande comprador), alterar práticas e atitudes. Seria, claro, estigmatizado pelos media, incomodado pelos partidos, boicotado pelos quadros (que não podem ser substituídos), os seus colegas de administração tudo fariam para lhe tirar o lugar, os ministros demorariam meses a tomar decisões que eram urgentes, acabaria seguramente por desistir ou - o que é pior - por se acomodar.

Lembro-me de um médico que dirigia um importante serviço num dos maiores hospitais portugueses. Estávamos na primeira metade dos anos 90. Com muito esforço e capacidade negocial, conseguiu obter dos fornecedores reduções de cerca de 250.000 contos no custo do que tinha de encomendar para o serviço. Ninguém, evidentemente, lhe agradeceu. Pelo contrário, só deve ter tido problemas com isso. E o resultado foi que... no ano seguinte o orçamento do seu serviço foi reduzido em 250.000 contos! Para aprender. E para perceber que não deveria voltar a ousar o que fizera.

E quem não se lembra do que teve de ouvir o anterior director-geral dos Impostos, apesar ou por causa do seu sucesso, da inviabilidade de lhe pagar à altura do seu valor, da inveja de que foi vitima?

Uma grande parte dos problemas portugueses nasce neste tipo de mentalidade. A generalidade dos opinion makers, dos burocratas que a si mesmo se chamam - e não estão a gozar connosco - "políticos", dos jornalistas travestidos em comentadores nas suas intervenções e nos títulos das suas peças, não tem dúvidas. Se querem ser populares, devem embarcar na luta contra o sucesso, o êxito, a exigência, o rigor, o prémio. Devem comparar o que ganha o contínuo com o que ganha o presidente da administração e rasgar vestes e arrancar cabelos com horror. No fundo, no fundo, a mentalidade dominante em Portugal acha que pouco ou nada distingue o que faz um e o que faz o outro e que, por isso - como se dizia que acontecia na China maoísta -, todos deviam ganhar o mesmo em cada empresa.

Os gestores públicos em Portugal ganham em regra pouco. Mesmo as empresas que funcionam bem, como a CGD, remuneram claramente abaixo dos valores de mercado. Ora essas empresas estão num mercado competitivo e o que ganham os seus dirigentes deve ser comparado com os concorrentes e não com o que ganha cada um dos portugueses ou cada um dos empregados das mencionadas empresas.

Não tenhamos ilusões. Se em Portugal fosse culturalmente possível fazer o que Thatcher fez no caso da British Steel, se o director de serviço do hospital e a sua equipa tivessem - para formação, por exemplo - metade do que pouparam, se o director-geral dos Impostos fosse remunerado por objectivos, Portugal tinha mudado.

Se o Estado tiver coragem, deve avançar nessa direcção. Infelizmente, não o vai fazer. É a vida, como terá dito António Guterres.» [Público assinantes]

Parecer:

Por José Miguel Júdice.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A TAXA EURIBOR VOLTOU A SUBIR

«As taxas Euribor a seis meses - as mais utilizadas nos créditos à habitação mais antigos em Portugal - fecharam o mês de Junho nos 5,156%, fixando a média do mês nos 5,148%. Uma subida face à média de 5,088% de Junho e uma progressão vincada face aos 4,326% de Fevereiro. O que significa que, nos contratos com base em revisões semestrais, as prestações vão voltar a subir. » [Diário de Notícias]

Parecer:

A culpa é do Sócrates.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se ao Avô Boca Doce, ao tipo da Fenprof e a Carvalho da Silva de que a culpa é das políticas neo-liberais do Sócrates.»

PCP QUER USAR PROFESSORES

«Os professores ameaçam voltar a sair à rua, com uma manifestação, designadamente, na altura das próximas eleições legislativas, em 2009, revelou ontem Mário Nogueira, secretário-geral da Fenprof (Federação Nacional dos Professores). "Se for preciso, para limpar algumas das medidas mais negativas, pôr mais cem mil professores na rua, faremos isso", adverte o dirigente sindical, considerando que os docentes têm sido alvo de "uma desvalorização como nunca aconteceu". » [Diário de Notícias]

Parecer:

Nunca o descaramento do PCP foi tão longe.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se aos professores se acham que Manuela Ferreira Leite vai alterar o que quer que seja.»

O PRIMEIRO DE JANEIRO VAI SER JORNAL GRATUITO

«O jornal O Primeiro de Janeiro, que completa este ano 140 anos de existência, deverá passar a gratuito. Uma notícia que surge na sequência do anúncio ontem feito à redacção do jornal pela directora Nassalete Miranda. Os cerca de 30 jornalistas do título detido pelo empresário Eduardo Costa foram informados de que este será suspenso durante Agosto para uma reformulação gráfica e de imagem e que tentará regressar em Setembro. Decisão que, sabe o DN, não afectará os serviços comerciais, a administração e os quadros do Norte Desportivo, publicado conjuntamente com O Primeiro de Janeiro.» [Diário de Notícias]

Parecer:

É a morte anunciada de mais um jornal.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

FERREIRA LEITE JÁ FALA EM NOME DE CAVACO SILVA

«Para Ferreira Leite, a lei não vem pôr em causa a "cooperação estratégica" entre o Governo e o Presidente da República. "Até porque isto é um diploma que saiu da Assembleia", justificou, notando que é aí que o problema será resolvido. Adiantou, por isso, que vai "falar com o presidente do grupo parlamentar [do PSD], para que sejam alertados os deputados sobre os pontos que estão em dúvida, naquele diploma".» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Quem é Ferreira Leite para assegurar que a comunicação "danoninho" não põe em causa a cooperação entre Presidência e Governo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Cavaco Silva se foi ele que combinou com Ferreira Leite que a líder do PSD iria tranquilizar o país.»

FENPROF DÁ NEGA AO GOVERNO

«A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) fez ontem uma avaliação "muito negativa" da actuação do Governo no último ano lectivo, atribuindo um "não satisfaz" ao executivo pelas "políticas devastadoras contra a escola pública". O sindicato não esconde que pretende utilizar as eleições legislativas de 2009 para "pressionar" o Governo e obrigá-lo a "revogar" algumas medidas adoptadas nos últimos anos, admitindo realizar nova manifestação de professores em pleno período eleitoral. » [Público assinantes]

Parecer:

Não admira, tanto quanto se sabe no nosso sistema de ensino é a nega, os únicos com positiva, na opinião da Fenprof, são os professores.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Sócrates que matricule o Governo numa escola privada, com professores como o líder do PSD, que conhece melhor o caminho da sede do PCP do que o da escola onde supostamente está colocado, poucas hipóteses terá de passar, o insucesso escolar é a norma.»

LEMBRAM-SE DE TAVARES MOREIRA?

«O Tribunal de pequena instância de Lisboa veio ontem dar razão ao Banco de Portugal (BdP), mantendo as coimas e as inibições de actividade aplicadas em 2003 aos ex-administradores do Central Banco de Investimentos (CBI) Tavares Moreira e José Lemos, assim como ao corretor Nuno Contreras de Oliveira. Tavares Moreira vai contestar a sentença no Tribunal da Relação.» [Público assinantes]

Parecer:

Foi ministro das Finanças de Cavaco Silva.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se um comentário a Cavaco Silva.»

O JUMENTO NOS OUTROS BLOGUES

  1. O "Terra dos Espantos" também se espantou com a prosa fecal de Pedro Namora.
  2. O "Entrelinhas" passou a constar na lista de links d'O Jumento.
  3. O "Ser e estra na vida" gostou da escolha de António Capucho para Jumento do Dia.
  4. O "Juiz de Meia-Tigela" escolheu O Jumento para um dos seus favoritos. Obrigado.
  5. O "PS Lumiar" gostou do comentário a propósito da questão da exclusividade dos médicos.
  6. O "PS Lumiar" pergunta se há mesmo crise.
  7. O Jumento faz parte dos hábitos do "Alvarinho de Friestas".
  8. O "Notícias d'Aldeia" sugere o post dedicado ao modelo económico da pobreza.
  9. "A Minha Matilde & C.ª" gostou do vídeo da Greenpeace.
  10. Ainda a solidariedade d'"O país a nú".

SAROCHINSKAYA SONIA (MODELO)

SEIKO

sexta-feira, agosto 01, 2008

Outra vez na Praia dos Três Pauzinhos


A não ser que este post seja censurado pelo Blogger a pedido dos meus vizinhos da Soeiro Pereira Gomes por julgarem que é uma indirecta ao facto de lá para os lados dos Três Pauzinhos já terem tido a maioria absoluta e agora ficam a ver os velhotes a irem tratar das cataratas a Cuba, à hora a que for publicado estarei a chegar às praias de Vila Real aquela.

É tempo de descansar a alma e matar saudades da espinheta de atum, dos figos, dos legumes com o sabor de antigamente e de um imenso portfólio de sabores e cheiros cuja memória não me larga ao longo do ano.

São duas semanas em que O Jumento manter-se-á em pleno apesar de poderem ocorrer algumas perturbações, em consequência da agenda da criançada, amigos e vizinhança.

Umas no cravo e outras tanta na ferradura -

FOTO JUMENTO

Praia dos Três Pauzinhos, Algarve

IMAGEM DO DIA

«I "fannulloni" scendono in piazza sotto le due torri di Bologna. I dipendenti statali dell'Inps hanno dato vita a una coreografica manifestazione di protesta contro il ministro Brunetta e le misure adottate dal governo Berlusconi nei loro confronti, che hanno modificato il contratto di lavoro. Agli insulti e all'accusa di essere "fannulloni" lanciata dal presidente del Consiglio hanno risposto mostrando il posteriore» [La Repubblica]

JUMENTO DO DIA

António Capucho

Questionado sobre o mais que duvidoso processo da urbanização da Guia António Capucho, Presidente da CM de Cascais e recém eleito presidente da Assembleia-Geral do PSD, disse que nada tinha a dizer, o assunto estava delegado no seu vice-presidente. É uma opinião brilhante, o presidente nada tem que ver com o que se passa em Cascais, a não ser que seja um pelouro seu, isto é, Capucho não se vê a si próprio como presidente da câmara mas sim como um mero vereador.

Só que o processo é muito duvidoso, através de um esquema simples uma empresa imobiliária, que por coincidência pertence à família de um ex-ministro do PSD de Cavaco Silva e apoiante de Ferreira Leite, transformou terrenos em valor em terrenos caríssimos pois situam-se numa das melhores localizações de todo o país. Com uma "vírgula" no PDM a empresa ganhou uma fortuna e Capucho não tem que explicar o que o município ganhou com isso.

Ainda Ferreira Leite não chegou a Belém e Capucho já está a antecipar-lhes os passos, através do seu vice-presidente decidiu fazer caridade e escolheu a família d3 um velho companheiro de partido.

NO AVANTE

Será que se Sarkozy trouxer a Carla à Soeiro Pereira Gomes Jerónimo de Sousa esquece Estaline e se apaixona pela Bruni:

«Carla não foi à Irlanda. Claramente um erro estratégico deixar a sua maior arma diplomática (no sentido figurado e literal) em casa. Mas como a comitiva do Presidente não dorme em serviço lá houve um assessor que respondeu ao povo irlandês: «Se os irlandeses querem a Carla têm que votar como deve ser no Tratado de Lisboa»» [Avante]

O que mais me diverte no actual PCP é a sua paixão pela China, a mesma China que em tempos odiou, que fez frente ao PCUS e ainda chegou a andar aos tiros na fronteira com a ex-URSS, para não referir o conflito armado que manteve com o Vietname na disputa pelo Cambodja. O facto é que a Chiva dividiu o mundo comunista e a história veio a mostrar que, afinal, o PCP estava do lado errado, a URSS sucumbiu e a China sobreviveu. Solução? Esquecer o que se disse o passado e com o mesmo empenho com que se defendia a URSS da China defende-se agora a China, o maior sapo que os comunistas portugueses já tiveram que engolir.

Gostei de ler um artigo que poderia ter por título "com a verdade me enganas", lá caracteriza-se bem a realidade chinesa na esperança de a verdade parecer mentira:

«Decerto porque os Jogos Olímpicos de Pequim estão à vista, e para que saibamos que terra vão pisar os nossos atletas e que tipo de gente os vai receber, anda a televisão a fornecer-nos acerca da China mais informação do que era costume. Não é que não soubéssemos já o fundamental, ainda que quase sempre através de algumas brumas provavelmente aparentadas com o «smog» de Pequim de que agora se tem falado muito: sabíamos que aquilo não é um país nada democrático embora nas últimas décadas milhões de chineses tenham sido arrancados às fomes milenárias que quase eram uma atracção para o turismo ocidental e desenvolvido; sabíamos que a mais ou menos recente penetração na China do empreendedorismo democrático não conseguiu afastar do poder o Partido Comunista Chinês; até viemos a saber recentemente que a China fornece armas para uma região do mundo onde guerras locais fazem grandes desgraças, género de fornecimento que nenhum país ocidental pratica, como bem se sabe. Ora, há-de ter sido precisamente no quadro da informação reforçada acerca da China que a RTP2 transmitiu há dias, em duas doses de cerca de uma hora cada, uma reportagem pedagogicamente intitulada «As Novas Desordens na China».» [Avante]

Se não fosse este artigo sobre a China, algo que é obrigatório para que os serviços de imprensa da embaixada da RPC proceda aos recortes de imprensa e comunique a Pequim que os velho defensores da URSS são agora um modelos de subserviência com o PCC, da próxima vez que o avô Boca Doce for convidado para visitar a China até poderá ter direito a uma um escalação superior na hierarquia local ou mesmo a um lugar melhor colocado para ver a abertura dos jogos olímpicos.

De qualquer das formas foi um progresso, desta vez não se defenderam os assassinos do costume.

O OPORTUNISMO DA GALP

A explicação da Galp para os altos preços praticados na Madeira denuncia o seu oportunismo nos preços, a petrolífera informou o governo regional que não pode baixar os preços porque há stocks adquiridos a preços altos. Isto é, quando os preços do crude subiam na bolsa a Galp aumentava imediatamente os preços, reflectindo os preços a que iria comprar a matéria primas, isso significa que para subir a Galp considera os preços na bolsa, mas para descer a empresa considera os preços a que desceu os produtos.

Se isto não é um roubo então o que será um roubo?

EM MEDELLIN NÃO HÁ SÓ DROGA

«Moda en Colombia. Una modelo con un diseño de Carmen Belisa
en la feria Colombiamoda de Medellín.» - Albeiro Opera / Reuters - 20 Minutos

Ora aqui está um bom motivo para um artigo do Avante sobre a Colômbia, ao menos interrompiam o seu ciclo enjoativo de defesa dos nargo-guerilheiros das FARC. Adorava ver o José Casanova a escrever o editorial sobe o assunto ou o Bernardino Soares a fazer uma importante intervenção nos Passos Perdidos sobre a dimensão estética do pensamento do pequeno psicopata que desgoverna a Coreia do Norte.

O PCP FICOU INCOMODADO COM A PRISÃO DA NARCO-GUERRILHEIRA EM ESPANHA

Curiosamenet omite que a menina representava as FARC em Espanha:

«Expressa a sua solidariedade a esta activista espanhola dos movimentos pela paz e de solidariedade com os povos, membro da OSPAAAL (Organização de Solidariedade com os povos da Ásia, África e América Latina), Organização Não Governamental espanhola cujo objecto social é a busca da paz, da solidariedade e da solução negociada de conflitos com base nos princípios do direito internacional humanitário.» [PCP]

E critica a lei anti-terrorismo, esquecendo os atentados que a Espanha sofre vem dizer que esta lei serve para restringir as liberdades dos que lutam contra o imperialismo que inclui gente como a Al-Qaeda que é tratada como "resistência" noutras posições:

«Chama a atenção que a detenção de Remédios Garcia foi efectuada à luz de legislação dita “anti-terrorista” que em nome de um suposto combate ao terrorismo, visa a restrição das liberdades dos cidadãos e a criminalização das pessoas e organizações que não se rendem à ordem mundial do imperialismo.»

Não deixa de ser curioso que o PCP se dê ao trabalho de emitir um comunicado porque uma amiga colombiana foi detida e fica em silêncio total com a prisão do velho amigo Karadzic.

A FENPROF E AS ELEIÇÕES DE 2009

Se alguém tinha dúvidas de que o papel da Fenprof é usar os professores com vista às eleições legislativas, tudo fazendo para ganhar votos para o PCP, deixou de as ter ao saber que a Fenprof ameaça com uma manifestação de professores por ocasião dessas eleições.

OPTIMISMO, FALTA DELE, CONFIANÇA E TAMBÉM IGNORÂNCIA

«Ora escolher entre o desastre e medidas impopulares é muito mais difícil do que ir fazendo apenas o possível, sobretudo quando o vento não sopra de feição. E ele está adverso, são raros, muito raros, os que acreditam que as coisas possam melhorar apenas por ir fazendo o possível. Por muito injusto que isso pareça para quem acha que já tinha servido ao eleitorado doses suficientes de óleo de fígado de bacalhau, é muito importante que, numa altura em que os portugueses mostram um elevadíssimo nível de pessimismo - e o pessimismo nem sempre é realismo, é também meio caminho andado para que muitos desistam ou deixem de acreditar em dias melhores -, se enfrente a realidade em vez de a iludir.» [Público assinantes]

Parecer:

Por José Manuel Fernandes.

PS: este artigo deu-me vontade de rir, desde que o novo aeroporto ficou longe demais para que se construísse uma manga privativa para o empreendimento do patrão Belmiro em Tróia, José Manuel Fernandes não fez outra coisa do que lançar uma imensa campanha contra Sócrates, passando por temas como o diploma ou os desenhos, acompanhada por dezenas de editoriais.

Agora vem, sem se referir a Sócrates , a encorajá-lo a tomar medidas difíceis, para quê? Para no dia seguinte escrever mais um editorial apoiando Manuela Ferreira Leite, como tem feito desde que a caridosa senhora foi eleita líder do PSD.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a José Manuel Fernandes se conhece o significado da palavra cinismo.»

AS FALTAS DOIS DEPUTADOS

«Os 230 deputados da Assembleia da República deram mais de 1500 faltas nas 109 reuniões plenárias da terceira sessão legislativa, das quais só 10 foram injustificadas. Manuel Alegre, PS, e Carlos Gonçalves, PSD, são os recordistas, com 39 faltas.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

À falta de melhor neste período de sequeiro noticioso os jornalistas descobrem estas coisas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao jornalista porque não vai de férias.»

O BASTONÁRIO DOS MÉDICOS TAMBÉM É AUDITOR DOS HOSPITAIS?

«O bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, considera que as condições de trabalho no hospital São Francisco Xavier, em Lisboa, são «caóticas» e «inaceitáveis». Em declarações à TSF após uma visita àquela unidade de saúde, Pedro Nunes considera mesmo que o tratamento dos doentes neste hospital, que serve uma população de um milhão de pessoas, pode estar em causa.

«Havia um excesso de pessoas em salas, algumas delas sem ar condicionado, condições de trabalho inarráveis com doentes amontoados, os enfermeiros e médicos tinham dificuldade de chegar aos doentes», refere à TSF. » [Portugal Diário]

Parecer:

O bastonários que há poucos dias disse alguns disparates para se opor à exclusividade dos médicos do SNS vem agora distrair as atenções mostrando-se preocupado com os doentes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao bastonário se não acha que se está a meter onde não é chamado.»

JARDIM GONÇALVES DEFENDE O BOM NOME CONTRA JOE BERARDO

«Jorge Jardim Gonçalves, ex-presidente e fundador do Banco Comercial Português, avançou com uma queixa-crime contra Joe Berardo, por ofensas ao seu bom nome, exigindo ao actual líder da Comissão de Remunerações e Previdência do banco uma retratação pública e uma compensação de 500 mil euros, o que considera ser um “gesto simbólico”.» [Público]

Parecer:

O problema é saber quanto vale o "bom nome" de Jardim Gonçalves que, como se sabe, já não é ão bom como há uns tempos e não foi por culpa do Joe Berardo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver quanto vale o bom nome do opus banqueiro.»

ONU RECOMENDA VESTUÁRIO INFORMAL PARA POUPAR ENERGIA

«A ONU recomendou ontem à noite aos funcionários e corpo diplomático que deixem nos armários a roupa tradicional e optem por uma indumentária informal que se adapte melhor ao novo plano de poupança energético a implementar na sede da organização. É a iniciativa "Cool UN", apresentada ontem e que arranca na sexta-feira, para reduzir o uso do ar condicionado, reduzir as emissões e poupar dinheiro.» [Público]

SAUDITA PRESO PORQUE TINHA DUAS ESPOSAS A MAIS

«La policía religiosa saudí o "Mutawa", ha detenido a uno de sus miembros tras descubrir, por causalidad, que está casado con seis mujeres al mismo tiempo, tres de ellas no saudíes, informa hoy el diario Al Watan en su página web.

Arabia Saudí, como numerosos países islámicos, reconoce la poligamia, ya que el Islam permite al hombre de tener hasta un máximo con cuatro mujeres a la vez.» [El Periodico de Aragón]

O JUMENTO NOS OUTROS BLOGUES

  1. O "Alma Perdida" dá destque ao post "modelo económico da pobreza".
  2. A "Alma do Convento" e a "Câmara Corporativa" também "vomitaram" ao lerem o post do Pedro Namora, o militante do PCP que foi vítima de assédio sexual na Casa Pia.
  3. O "Pravda Ilhéu" gostou de ouvir a "Pedra Filosofal".
  4. O "Carlos Alberto" também estranhou o silêncio dos professores de matemática.
  5. Obrigado aos que se manifestam contra a censura: "Voz em fuga" e "PS de Guifões".

A ESTAÇÃO ESPACIAL INTERNACIONAL PASSANDO EM FRENTE DA LUA

BORBOLETA ATLAS

ANTON MARTYNOV

"ESTÁS A SER FILMADO!"

CONTROL