sábado, fevereiro 14, 2009

Jogo de mentiras

O sistema partidário português está transformado num jogo de mentiras, mais do que as ideologias os militantes partidários agrupam-se como se fossem tribos, o objectivo é mais o exercício do poder do que o seu uso em função do país. O poder tanto pode ser os cargos no governo ou nas autarquias como lugares nos parlamentos, tanto pode ser ministro de um governo burguês como o acesso a estatuto de elite, o militante de base do PS admira tanto o secretário de Estado como o militante da célula do do PCP olha para o membro do comité central, ambos olham o seu “superior” com a mesma veneração com que o paroquiano beija o anel do bispo.

As diferenças ideológicas são meras ilusões, argumentos para justificar diferenças tribais, entre o militante do PSD e o do PS poucas diferenças existem, o PS governará mais à direita se isso lhe garantir votos, Manuela Ferreira Leite promete à esquerda se perder o espaço à direita. Sócrates ajuda o banqueiro num dia, é cavaquista no dia seguintes, se for preciso até tem o seu momento bloquista fazendo suas as propostas de Francisco Loução.

Paulo Portas diz que é de direita mas sonha com a possibilidade de voltar ao poder se Sócrates não alcançar a maioria absoluta, o CDS não passa de uma seita que deposita no seu líder a esperança de os levar ao poder. O PSD é um partido que consegue unir gente que vai da extrema-direita até Pacheco Pereira, que anda há mais de vinte anos a tentar convencer o país que é de esquerda, sem ideologia fizeram-se social-democratas, pediram uma ideologia emprestada para se apresentarem aos eleitores.

O PCP tem, um programa que só serve para animar as hostes no congresso ou para fonte de catequização nas páginas escondidas do Avante, em público é o maior defensor da democracia plupartidária, postura que tem melhor mercado do que afirmar que gostaria de ver Jerónimo de Sousa como presidente vitalício de um sistema político onde o único partido admitido seria o PCP. Para ir a eleições sem assumir o seu próprio programa político disfarça alguns dos seus militantes ou simpatizantes de verdes ou de independentes e forma uma falsa coligação que se esgota no dia das eleições e da qual resulta ainda a vantagem de contar com dois grupos parlamentares no parlamento.,

O Bloco de Esquerda é um dos melhores exemplos de como a apetência pelas cadeiras poder anula as maiores diferenças. Desavindos desde que Estaline mandou dar uma machada em Trotsky, estalinistas e trotsquistas uniram-se em Portugal. Aqueles que sempre fizeram questão de se afirmarem herdeiros do partido comunista esconderam envergonhadamente a estrela e o martelo e esconderam-se atrás de uma estrela disforme que até já deixou de ser exclusivamente vermelha. Dantes. Dantes odiavam o PCP por ter deixado de defender Estaline desde o congresso do PCUS em que Krutschev denunciou os crimes estalinistas, agora são arautos da esquerda moderna, dantes era adoradores de Enver Hodja, agora namoram Manuel Alegre na esperança de o poder exibir como prova da sua abertura.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Faquir na Rua Augusta, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[P.Baudon/European Space Agency/Centre National d’Etudes Spatiales/Arianespace]

«The European Space Agency provided a picture that shows the Ariane-5 rocket blasting off with two communication satellites Thursday from Kourou, French Guiana. » [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Ângelo Correia

Ângelo Correia ainda não percebeu que por mais desastrosos que sejam os resultados do PSD nas sondagens Manuela Ferreira Leite será a candidata do PSD nas próximas legislativas. Não só Passos Coelho foi incapaz de manter viva a sua candidatura como o aparelho do PSD não acredita em alternativas e depende das escolhas de Manuela Ferreira Leite para as autárquicas. Os ataques de Ângelo Correia só ajudam a consolidar a liderança de Manuela Ferreira Leite.

AJUDE A AMI

Aqui fica o apelo para que todos os blogues passem esta mensagem.

MORREU UMA JOVEM COM BSE

É difícil acusar o Estado de responsabilidades na morte de uma jovem com BSE como equaciona a família da jovem que morreu com esta doença, o caso do plasma contaminado com SIDA no tempo de Leonor Beleza é uma prova disso. Mas terá tido o governo responsabilidades na propagação da doença?

António Campos defendeu isso durante muito tempo e eu partilho dessa opinião. Logo que foi lançado um alarme na Europa realizou-se uma reunião para adoptar medidas imediatas, a reunião realizou-se no IQA e estava em causa a apreensão de carnes e outros produtos que poderiam estar contaminados pela doença.

Participei nessa reunião e posso testemunhar de que a mensagem que foi dada foi a de que a coisa não era para levar a sério, apenas estava em causa fazer algo para acabar com o alarme público.

O governo poderá ter tido responsabilidades directas nas duas mortes registadas em Portugal, mas teve um comportamento negligente. O primeiro-ministro era Cavaco Silva.

A SAÍDA DE PINA MOURA DA MEDIA CAPITAL

Quando Pina Moura foi nomeado presidente da Media Capital não faltaram as vozes que acusaram o PS de assaltar a TVI. Agora que saiu fez-se silêncio, nem uma única voz se ouviu a fazer um balanço da passagem do ex-ministro do PS por aquele grupo de comunicação social, nenhuns dos que lançaram críticas e insinuações teve a coragem ou a dignidade de dizer uma palavra.

A verdade é que a TVI não mudou a linha editorial, a única acusação que lhe pode ser feita é a de que é um dos órgãos de comunicação social mais agressivos para Sócrates, bastando lembrar o seu comportamento no caso Freeport. E o que dizer do jornal da noite de ultra direita dirigido por Manuela Moura Guedes à sexta-feira?

AVS DE LISBOA

Melro-preto juvenil [Turdus merula]

VÃO MAS É DE CARRINHO

«No último fim de semana, com parte da Baixa fechada ao trânsito por causa da repavimentação da Rua da Prata - e como tardou -, um taxista comentava, escarninho: "Vêm aí as eleições, já começam as obras". Pode ser que o taxista tenha razão e que a equipa de António Costa, ao fim de um ano e meio a governar Lisboa, tenha só agora arrancado para a acção por motivos que se devem também ao calendário eleitoral. Mas, seja qual for o motivo, é de celebrar que finalmente haja uma empreitada para tapar buracos - e como os lisboetas, mais os saltos dos sapatos, pneus e jantes agradecem - , que se iniciem as obras para certificar o fim do despejo directo dos esgotos no Tejo (um escândalo q ue envergonha toda a gente) e, jóia da coroa no que respeita aos moradores e amantes da Baixa, entre os quais me incluo, um plano para acabar com o trânsito de atravessamento na zona.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

O MOMENTO DA VERDADE

«Por vezes ainda consigo ficar surpreendido com o que me surge do mundo da política. Na semana em que Manuela Ferreira Leite anunciou que ia fazer-se ao caminho com uma série de acções político-mediáticas intituladas "Fórum da Verdade", Marcelo Rebelo de Sousa fez a mais demolidora apreciação do desempenho da líder do PSD que podia ter feito.

Várias conclusões se podem tentar tirar deste episódio: 1) Ferreira Leite e a sua equipa (especialmente visada pelo político-comentador) não falam com quem continua a fazer a chuva e o bom tempo ao domingo e, por isso, ele nem imaginava que o Fórum da Verdade ia ocorrer; 2) Marcelo sabia da iniciativa e antecipou-se a ela, "sangrando" a líder do PSD quando a esta menos convinha; 3) soubesse ou não, Marcelo não tem dúvidas que Ferreira Leite não tem a mais remota possibilidade de ganhar as eleições, existem probabilidades fortes de ser afastada antes disso e acha que quanto mais cedo for substituída melhor; 4) seja como for, Rebelo de Sousa desistiu de ser líder do PSD numa aflição e para estas eleições, preferindo ter razão e resguardar-se para 2010.

Sobre cada uma destas hipóteses poderíamos escrever em detalhe. Mas basta, simplesmente, concluir o que todas têm em comum: a evidente falta de sintonia entre a figura mais brilhante e mediática do PSD e a figura que tem como dever (e que aceitou, aliás, sem prazer nem ambição) levar o partido até às eleições.

Não devia ser assim. A cumplicidade que, apesar de tudo, Marques Mendes tinha com o "professor" ajudou-o sobremaneira. Imagine-se quão útil seria para o PSD que - confrontado com trágicas sondagens da passada semana - Marcelo tivesse anunciado em primeira mão o Fórum da Verdade, falasse de um momento de viragem e com isso focasse pela positiva a opinião pública na líder do PSD e na sua equipa.

As coisas são o que são, dirão uns. É aqui a roda, é aqui que temos de bailar, disse outro. E, se me é permitido, eu digo o seguinte e de novo de forma resumida: 1) Manuela Ferreira Leite não tem a mais pálida hipótese de ganhar as eleições; 2) no PSD ninguém tem a menor dúvida disso; 3) a base social de apoio do PSD não quer que o PSD ganhe (embora deseje que o PS perca a maioria absoluta), pois sabe que, se ganhasse, com os partidos à sua esquerda a obterem entre 55% e 60%, e com a crise que vamos viver, nada o PSD conseguiria fazer em matéria de reformas essenciais; 4) o PSD tem de assobiar para o lado, fazer de conta que há eleições legislativas, e de se concentrar nas autárquicas para ver se algum voto de protesto e o prestígio local de muitos presidentes de câmara safa o partido; 5) Cavaco não quer outra coisa, vai ajudar autarcas e tentar que Sócrates ganhe sem maioria absoluta, para assim potenciar a sua reeleição.

É evidente que tudo isto pode vir a revelar-se diferente. Se o sistema da investigação criminal der cabo de Sócrates, acusando-o de crimes prováveis ou não, a realidade pode alterar-se de um dia para o outro.

Claro que, além disso, Sócrates pode cometer erros sérios. Será o caso se persistir em "chatear" a Igreja Católica (e a base masculina, mais envelhecida e rural e suburbana do PS) com a "modernice" do casamento entre homossexuais. Os que concordam, como é o meu caso aliás, não será por isso que votarão no PS. E perder votos à direita e na província na convicção de que nos meios urbanos assim recuperará eleitorado do Bloco de Esquerda é um erro que lhe poderá custar a maioria absoluta.

Seja como for, ainda é viável que Manuela Ferreira Leite desista. Ou, o que seria mais sensato e me parece mais provável, que abdique de se candidatar a primeiro-ministro, delegando essa função em alguém mais jovem, mais dinâmico, menos desgastado, mais capaz de passar mensagens de optimismo e de esperança.

Se isso acontecer, se a escolha for bem feita e se a opinião pública tiver uma daquelas reacções que fazem o sucesso dos programas televisivos, aderindo à novidade de forma instantânea, Sócrates pode ficar em maus lençóis. Não nego que sempre achei que Rebelo de Sousa era a personalidade do PSD em melhores condições para protagonizar em três ou quatro meses, essa viragem. Como Cavaco Silva conseguiu em 1985, vindo do nada para de Maio para Outubro ganhar as eleições legislativas. O programa televisivo do passado domingo queimou claramente essa possibilidade e não vejo ninguém em idênticas condições. Mas pode acontecer.

Em todo o caso, o mais provável é que a inércia mantenha Ferreira Leite na corrida eleitoral. Assim sendo, à direita Paulo Portas continuará (como esta semana bem demonstrou) a protagonizar a oposição. E desta vez não sofrerá com o fenómeno do voto útil, visto que a total improbabilidade de vitória do PSD (e o desejo de que não ocorra...) evitará essa habitual tendência. Sobretudo se o CDS se entregar nos braços do PSD para acordos autárquicos - sacrificando o que não tem, autarquias, para conseguir o que deseja, poder no aparelho de Estado.

O que não significa que o Fórum da Verdade não seja importante. Para o bem e para o mal esse será o momento da verdade para Manuela Ferreira Leite. Como nas touradas, depois da sorte de muleta, o momento em que é preciso ter o rigor, a coragem e a arte para matar o touro. E com uma só estocada.» [Público assinantes]

Parecer:

Por José Miguel Júdice.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

O REGIME E O PSD

«Nem a crise, nem o escândalo ajudaram o PSD e Manuela Ferreira Leite. Das quatro sondagens que se fizeram depois do "caso Freeport", uma única dá o PS a descer significativamente. Noutra, a do Expresso, o PSD desce mais do que o PS. E, em matéria de impopularidade, Manuela Ferreira Leite continua a ganhar a Francisco Louçã, a Paulo Portas (quem diria?) e mesmo ao pobre Jerónimo de Sousa. Para não falar da comparação com Sócrates, que tem um saldo positivo de 20,6 por cento contra um enorme saldo negativo dela: 10,5 por cento. Tirando Santana Lopes nos seus piores momentos, nunca ninguém se mostrou tão incapaz de convencer o próprio eleitorado do PSD. A meses de começar o chamado "ciclo eleitoral", não se vê como as coisas possam mudar. Sobretudo, porque Manuela Ferreira Leite visivelmente não percebe a natureza do seu papel.

Domingo, Marcelo Rebelo de Sousa explicou na televisão que o partido já está muito perto do "ponto de não retorno", ou seja, do ponto em que deixará de "concorrer para ganhar" e passará "a concorrer com o PP, o PC e o Bloco de Esquerda para tirar a maioria ao PS e perder por pouco". Esta hipótese não parece perturbar Ferreira Leite, para quem a maioria absoluta não garante a infalibilidade ("como é o caso do PS", exulta ela) e que, ainda por cima, conta com a absolvição da História (com maiúscula), um argumento típico do desespero e da derrota. Mas Marcelo, que não confunde a política com um seminário académico, não se engana. A degradação do PSD anda perto do irremediável.

Ese Ferreira Leite não for substituída, uma operação agora provavelmente inútil, o problema do PSD acabará por se tornar um problema de regime, porque é difícil imaginar o regime sem uma alternativa de direita. Os votos que o PS perde e que, em princípio, deviam ir para PSD vão para o Bloco e o PC; e, embora crescendo, o PP não cresce o suficiente para compensar as perdas de Ferreira Leite. O que se compreende. Num tempo de pobreza, instabilidade e perigo, o radicalismo de Louçã atrai e os comunistas beneficiam de uma antiga tradição operária e plebeia. Mas qualquer pessoa sensata com certeza prefere um Governo de força, que não é de esperar do PSD ou do PP ou, infelizmente, da aliança dos dois. Fica Sócrates: gasto e talvez sem força para reeleger uma segunda maioria absoluta. O país pagará caro a fantasia Ferreira Leite e o endémico caos do PSD. Os regimes começam a cair pelos partidos. O dr. Cavaco que se lembre disso.» [Público assinantes]

Parecer:

Por Vasco Pulido Valente.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

FERREIRA LEITE NÃO CONSEGUE DESEMPENHAR A FUNÇÃO

«O antigo dirigente do PSD Ângelo Correia afirmou esta sexta-feira que, se dependesse dele, a actual presidente dos ‘laranja’ “saía já amanhã”, considerando que Manuela Ferreira Leite tem de avaliar se tem condições para se manter no cargo. » [Correio da Manhã]

Parecer:

A que função se referirá Ângelo Correia?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao velho amigo da Carlyle, actual dona do Freeport.»

CINCO MIL MULHERES ESTRANGEIRAS TRAFICADAS EM PORTUGAL

«As crianças romenas e as mulheres nigerianas são as principais vítimas de tráfico humano detectadas recentemente em Portugal. As primeiras são transaccionadas para a prática da mendicidade ou furtos. As segundas, são vendidas sobretudo para a prostituição. Isto quando se estima que cerca de cinco mil mulheres que circulam pelo País sejam vítimas de tráfico.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Toda a gente as vê.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Questione-se o ministro das Administração Interna sobre o que tem sido feito.»

FAMÍLIA DE JOVEM MORTA COM BSE PODERÁ PROCESSAR O ESTADO

«A família da jovem que morreu quinta-feira com a variante da Creutzfeldt-Jakob vai aguardar os resultados da autópsia para decidir se avança ou não com uma queixa contra o Estado português, disse a mãe da menina.

"Até conhecermos os resultados da autópsia não vamos processar ninguém, nem pedir qualquer indemnização, nem ao Estado nem a ninguém", afirmou hoje Manuela Pereira, a mãe da jovem que faleceu, ao que tudo indica, com a vadiante da doença de Creutzfeldt-Jakob.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Acho que fazem bem.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Apoie-se.»

FRENPROF ORGANIZA CORDÃO HUMANO

«As semanas passam “sem uma perspectiva de resolução dos problemas da Educação” e cada dia que passa “é um dia que se perde para atingir a necessária tranquilidade nas escolas”, assegura a Federação Nacional dos Professores (Fenprof). Por isso, os docentes dizem que há motivos para manter todos os protestos agendados e acrescentar outro: um cordão humano que terá lugar, em Lisboa, dia 7 de Março.» [Público]

Parecer:

Sempre é mais fácil do que organizar manifestações.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Mário Nogueira se já está com dificuldades em mobilizar os professores.»

ALUNOS VÃO TER MÍNI DE 12 HORAS ANUAIS DE EDUCAÇÃO SEXUAL

«Doze horas é a carga horária mínima anual para os temas de educação sexual serem tratados na escola. Esta é uma das propostas previstas no projecto entregue ontem no Parlamento pelo PS, que prevê ainda a inclusão obrigatória da educação sexual nas escolas e um dia para assinalar o tema.» [Público]

Parecer:

Vão aprender grande coisa...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se à ministra o que lhes vai ensinar em 12 horas, isso no pressuposto de que nem alunos, nem professores vão faltar.»

PINA MOURA SAI DA TVI

«Joaquim Pina Moura anunciou ontem a renúncia ao cargo de presidente não-executivo do grupo da TVI, Media Capital, onde estava desde 2007, alegando o desenvolvimento de novos projectos da "energética" Iberdrola Portugal, na qual lidera o conselho de administração. Com Pina Moura, que foi ministro da Economia e das Finanças durante o Governo de Guterres e esteve desde sempre ligado ao Parlamento e à direcção do Partido Socialista, até ter entrado para a Media Capital, sai também um outro ex-dirigente do mesmo partido: José Lemos era um dos responsáveis pela gestão do património do PS até ter entrado para vogal não-executivo do grupo da TVI, igualmente em 2007.

Há cerca de dois anos, a entrada dos dois dirigentes socialistas para a gestão do canal televisivo de Queluz de Baixo foi feita a convite do grupo espanhol Prisa, que assumiu o controlo da empresa que até então pertencia ao empresário Pais do Amaral. Na altura, foi criticada por vários comentadores políticos, por ser entendida como uma ingerência de responsáveis ligados ao "aparelho" socialista num órgão de comunicação social.» [Público assinantes]

Parecer:

O que será feito dos que acusaram o PS de assalto à TVI?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Procurem-se.»

VENCEDOR DO WORLD PRESS PHOTO 2008: ANTHONY SUAU

KASSANDRA

ANIMAL ANTI-CRUELTY LEAGUE

sexta-feira, fevereiro 13, 2009

Falsas soluções

Numa época de crise é grande a tentação para medidas que aos olhos da população poderão ajudar a resolver todos os seus problemas, é por isso que um pouco por todo o lado se fala de proteccionismo. Eu próprio expliquei aqui que a solução dos nossos problemas passa mais pelos investimentos públicos dos nossos parceiros comerciais do que dos investimentos decididos pelo Governo. Em limite poderia defender-se que os apoios fossem dirigidos para as empresas que geram procura interna.

A defesa do proteccionismo é própria dos “chicos espertos”, é uma solução oportunista que seria eficaz se os outros países não reagissem. Se pudéssemos condicionar a nossa procura a produtos nacionais e os nossos parceiros comerciais não reagissem resolveríamos uma boa parte dos problemas. Só que o proteccionismo gera proteccionismo e as consequências podem ser devastadoras. O proteccionismo costuma ser uma mezinha apreciada pela direita mais à direita e pela esquerda mais à esquerda, para todos é uma forma de nacionalismo, para a direita com o argumento de que primeiro estão os nossos, para a esquerda porque há que defender os postos de trabalho.

À esquerda o tempo favorece as falsas soluções que assentam no pressuposto de que dividindo a riqueza deixará de haver problemas, não há pobre que não sonhe com essa solução e a extrema-esquerda usa estes tempos de fome para acenar com a sua receita preferida. É fazer as contas, pega-se na fortuna do Belmiro, do Teixeira Duarte e do Amorim, junta-se tudo e divide-se por todos. Só que ninguém explica que uma boa parte dessa fortuna é capital das empresas e que no dia seguinte seriam muitos o empregados destes capitalistas que engrossariam as filas dos desempregados.

Sócrates também decidiu que poderia ter o seu momento bloquista e descobriu que a solução para descer os impostos dos que estão entre os ricos e os pobres está em tirar aos mais ricos. É evidente que os mais ricos ou vão enriquecer menos pois já têm quanto baste e evitam trabalhar para o fisco ou, como costumam fazer outros ricos, deixam de declarar o que ganham.

Estas falsas soluções, feitas à medida da ignorância colectiva lembram-me a República Popular da China no tempo do grande salto em frente promovido por Mao. Alguém se lembrou que os pardais comiam muito trigo o que significava que se matassem muitos pardais aumentaria a produção de cereais, estávamos em 1958 e era lançada a campanha das quatro pestes. Decidiram então largar escolas e trabalho e irem aos milhares para o campo bater latas e tachos até matarem os pássaros que eram apanhados por cansaço. A campanha teve um grande sucesso, só que no ano seguinte muitos chineses morreram à fome, sem pássaros os insectos multiplicaram-se e destruíram as colheitas. Aliás, aconteceu mais ou menos o mesmo quando decidiram derreter tudo, incluindo as alfaias agrícolas, para transformar a China num grande produtor de aço, ficaram com toneladas e toneladas de ferro de má qualidade e a produção agrícola caiu a pique por falta de alfaias.

Costuma ser este o resultado das medidas evidentes, tão evidentes que a maioria da população as compreende e apoia.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Ninhos de andorinha, Alcoutim

IMAGEM DO DIA

[Fiorenzo Maffi/Reuters]

«A woman walked through the snow-covered village of Bedretto, Switzerland, Thursday after a heavy snowfall. » [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

José Sócrates

Depois de anos a defender rigor e mercado José Sócrates começa a ter frequentes recaídas políticas, a que poderemos designar por momentos bloquistas. É uma tentativa de reduzir espaço ao BE e de fazer a vontade a Manuela Alegre, mas corre um sério risco de ver a sua credibilidade perdida graças à falta de credibilidade das suas novas ideias.

Para os bloquistas é lógico que os ricos não possam deduzir as despesas com saúde e ensino no IRS e para os bloquistas ricos são quase todos os que não são pobres. Só que se todos os que recorrem à saúde privada se dirigissem aos hospitais públicos o SNS bloquearia, além disso aumentaria o número de baixas e mesmo a taxa de mortalidade pois muitos dos que recorrem à medicina privada fazem-no por não poder esperar no SNS.

Alguém devia explicar a José Sócrates que quando alguém recorre à medicina privada está a permitir ao Estado a poupança de muitos milhões que não é obrigado a gastar com estes doentes. Além disso estes cidadãos contribuem com os seus impostos para um SNS de que não beneficiam. Isto é, pagam a dobrar e com a medida idiota que Sócrates propõe vão passar a triplicar como se recorrer à medicina privada merecesse uma penalização.

O COMBATE À CRISE EXIGE CLAREZA NA POLÍTICA ECONÓMICA

O pior erro que Sócrates pode cometer num ambiente de grave crise económica é salpicar as medidas destinadas a combatê-la com medidas populistas a pensar nas eleições ou, mais grave ainda, usar as medidas de combate à crise como medidas eleitoralistas.

AVES DE LISBOA

Rabirruivo-preto [Phoenicurus ochruros]

MINISTRA ADMITE ALTERAR A LEI DO ABORTO

«Movimentos que defendem o "não" ao aborto elogiam as declarações de Ana Jorge, que ontem admitiu poder alterar a lei e confessou ser necessário melhorar a articulação entre os hospitais e os centros e saúde para evitar a reincidência no aborto. Esta questão também preocupa os movimentos que apelam para que a reincidência seja mesmo impedida por lei. "Em dois anos, houve mulheres que abortaram mais de uma vez e isso devia ser proibido legalmente", defende Margarida Neto, psiquiatra e membro da desactivada Plataforma Não Obrigada.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Cheira-me a um piscar de olho à direita conservadora e à Igreja.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

ISALTINO VAI MESMO A JULGAMENTO

«O Tribunal da Relação de Lisboa rejeitou esta terça-feira um recurso interposto pelo autarca Isaltino de Morais, mantendo assim a decisão (pronúncia) de levar a julgamento o presidente da Câmara Municipal de Oeiras.

Segundo fonte do tribunal, o recurso de Isaltino Morais prende-se com questões relacionadas com a pronúncia do jornalista e também arguido Fernando Trigo que, no entender do autarca, "tinha influência nos factos" pelos quais foi pronunciado (levado a julgamento).» [Jornal de Notícias]

Parecer:

Se for inocente terá a oportunidade de o provar em julgamento ainda que em Portugal haja quem goste de condenar antes dos julgamentos e de preferência com jornalistas rascas a fazer de juízes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelo julgamento.»

AUMENTA A LICENÇA DA PARTERNALIDADE

«O Governo aprovou o aumento da licença parental para seis meses, subsidiando com 83 % do salário bruto, mas que atingirá 100 % se a licença for de cinco meses partilhada por pai e mãe.

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o titular das pastas do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, frisou que o novo regime de protecção social na parentalidade "cumpre o estabelecido no acordo tripartido em sede de concertação social.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

É mesmo isso que mais preocupa os trabalhadores neste momento.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Sócrates que mais surpresas tem guardadas.»

SALDANHA SANCHES PROPÕE O FIM DO VOLUNTGARIADO NOS BOMBEIROS

«O fiscalista Saldanha Sanches sugeriu hoje a profissionalização dos bombeiros e o fim do regime de voluntariado. Segundo o especialista em finanças, o regime de voluntariado é, neste caso, oneroso para os contribuintes e dispensável.

Em declarações ao Rádio Clube esta manhã, no espaço rubrica diário "Uma ideia para o país", Saldanha Sanches criticou o facto dos bombeiros voluntários serem pagos e de muitos encararem a actividade como um segundo emprego, o que significa um peso para os contribuintes a evitar.» [Público]

Parecer:

Seria melhor que Saldanha Sanches falasse do que se diz que sabe pois de bombeiros e combate a incêndios é evidente que não percebe nada.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao fiscalista que fale de impostos.»

GENRO DE AZNAR NA MIRA DE GARZÓN

«No las tienen todas consigo. Fuentes solventes consultadas por este diario aseguran que en el entorno del ex presidente del Gobierno José María Aznar existe un temor creciente a que el sumario abierto por el juez Baltasar Garzón tenga como objetivo sentar en el banquillo de los acusados a alguna figura destacada del aznarismo, incluso creen que la instrucción del magistrado tiene un objetivo muy concreto con nombre y apellido: Alejandro Agag, yerno de Aznar.

La sospecha nace de las vinculaciones de éste último con varios de los implicados en la supuesta trama de corrupción, dos de ellos detenidos y a disposición judicial, el principal imputado, Francisco Correa, y el ex socio de Agag, Jacobo Gordon, y un tercero muy relacionado con estas empresas pese a no estar imputado por el juez, el ex consejero Alberto López Viejo. Como ayer publicaba este diario, la relación de Agag con los tres ha sido muy intensa.»
[El Confidencial]

Parecer:

Recorde-se que este Alejandro Agag foi o tal assessor do BPN.

OS DONOS DOS TRABALHADORES

A Federação Nacional dos Sindicatos da Função Pública ficou ofendida porque a Comissão dos Trabalhadores das Alfândegas terem usado uma minuta sua para contrariar as medidas decorrentes do novo estatuto dos funcionários públicos e emitiu um dos comunicados mais idiotas da sua história que, pelo menos, tem o mérito de evidencia a pobreza mental destes sindicalistas profissionais pagos com os impostos dos contribuintes e eleitos pelas estruturas do PCP.

Parece que “chegou ao conhecimento desta Federação que outras “organizações sindicais ditas representativas dos trabalhadores” da DGAIEC, tomando-o como seu, apelam à subscrição da minuta do referido requerimento.

Não estando em causa que o requerimento deva ser preenchido e remetido ao Sr. Provedor de Justiça …., não podemos deixar de condenar a apropriação da autoria do mesmo por essas organizações (que em certos casos têm assinado de cruz tudo o que o governo propõe”.

Não sei como lhes chegou ao conhecimento algo que parece ser público (terão uma rede de bufos), mas sei que estes senhores são cobardes pois não têm a coragem de dizer que a organização em causa é uma comissão de trabalhadores mais reprsentativa porqu eleita por todos os trabalhadores por voto secreto e formada de forma representativa, do qu qualquer estrutura sindical da CGTP. Em mais de vintes anos de funcionários público já votei várias vezes pra comissões de trabalhadores, mas nunca conheci nenhum delegado sindical da FNSFP nem dei por qualquer eleição destes senhores pagos pelo Estado.

Mas porque estará a CGTP tão preocupada com direitos de autor se o que a preocupa são os trabalhadores? Será que estão à espera que a Função Pública venha a assistir a despedimentos o que criaria um mercado para a cobrança do dízimo e de dois anos de quotas aos trabalhadores não sindicalizados, como fazem com trabalhadores pagos miseravelmente e que são alvo de despedimentos colectivos?

É caso para parafrasear o saudoso Almirante Pinheiro de Azevedo e dizer a estes sindicalistas profissionais “vão à bardamerda!”.

G-MODELS - GENA PRATSEVICH

RETTET DEN REGENWALD