sábado, março 21, 2009

Tachos da "oposição"

O espectáculo que está a ser proporcionado pelo episódio da escolha do novo Provedor de Justiça tornou evidente o abuso dos partidos do poder na partilha de cargos que proporcionam mordomias públicas. O espectáculo é tão degradante que o próprio Provedor, que ainda está em funções, se esqueceu da independência do cargo e veio a público criticar o PS. Manuel Ferreira Leite perdeu o controlo e defendeu que a escolha deveria ser feita pela oposição, assumindo que por oposição a líder do PSD entende o PSD.

Compreende-se a reacção de Manuela Ferreira Leite, ainda não está refeita da nomeação do presidente da Caixa Geral de Depósitos já que o seu nome foi um dos três propostos a José Sócrates, tendo sido preterido pelo primeiro-ministro. Também não está disposta a perder a oportunidade de forçar a nomeação de um dos seus, estando na oposição tem pouco para oferecer aos seus apoiantes e um cargo que dá mais mordomias do que trabalho é um bem precioso em tempo de vacas magras.

O argumento de que deve ser a oposição faz algum sentido, mas nesse caso faz igualmente sentido que não seja o PSD a sugerir o nome já que o cargo não só está a ser desempenhado por um ex-ministro do PSD, como já foi desempenhado por outros nomes desse partido. Aliás, se esta regra devesse valer e a nomeação do provedor cabe ao PSD faz sentido questionar Manuela Ferreira Leite se defende que o Provedor deve pedir a demissão no caso de mudar o partido que está no poder. Recorde-se que Nascimento Rodrigues foi nomeado quando Guterres era primeiro-ministro, tendo-se mantido no cargo durante os governos de Durão Barroso e Santana Lopes.

De qualquer das formas, o argumento de que o cargo deve ser desempenhado por alguém da oposição é mero oportunismo circunstancial de Manuela Ferreira Leite, ou então está esquecida de que Menéres Pimentel (provedor entre 1992 e 2000) foi designado quando Cavaco Silva. Meneres Pimental não poderia ter sido mais do PSD, foi fundador, deputado, líder parlamentar, presidente da Comissão Política Nacional e membro de dois governos.

Talvez seja tempo de a escolha do Provedor de Justiça fugir a esta lógica oportunista que conduz ao desprestígio do cargo nomeando alguém segunda a lógica dos boys. Um cargo como este merece alguém escolhido a pensar na representação dos cidadãos e não deve resultar de uma partilha de mordomias entre boys de primeira dos dois partidos que habitualmente governa.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Praça do Campo Pequeno, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Themba Hadebe/Associated Press]

«A woman balancing a container on her head walked past a poster of Pope Benedict in Luanda, Angola, Friday. Tens of thousands of Angolans lined the pontiff’s motorcade route to welcome him. More than 60% of the Angolan population is Christian. He urged Angolans to continue on the path of reconciliation after nearly three decades of civil war.» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Responsáveis da Antena 1

É bem possível que a ideia do anúncio da Antena 1 tenha partido exclusivamente da empresa de publicidade, mas os responsáveis daquela rádio têm a obrigação de saber o que é ou não legítimo para uma estação de rádio e este anúncio era inaceitável.

Todavia, o cidadão comum não partilha de alguma indignação que por aí vai, não foram poucas as manifestações organizadas mais com a intenção de prejudicar a vida dos cidadãos do que para passar uma mensagem. O mesmo sucede, por exemplo, com as greves de uma hora nos transportes públicos, solução que a CGTP gosta muito de promover quando quer aumentar o descontentamento da população.

AVES DE LISBOA

Toutinegra-de-barrete-preto [Sylvia atricapilla]

O PAPA E O PRESERVATIVO

«Cada vez que o Papa se pronuncia sobre a contracepção, e nomeadamente contra o uso do preservativo, o mundo, em especial o Ocidente, entra em convulsões. Desta vez, foi numa viagem a África e desde a França à última ONG ou à última consciência humanitária ninguém se esqueceu de protestar. O Papa é um irresponsável e um criminoso. O Papa é uma espécie de encarnação do Mal. Há aqui com certeza um equívoco. Suponho que ninguém estava à espera que em África, sobretudo em África, Ratzinger não dissesse uma palavra sobre o assunto e, dizendo, dissesse qualquer coisa diferente da doutrina ortodoxa da Igreja. Muito pelo contrário, do ponto de vista dele, era ali, numa situação extrema e manifestamente ambígua, que devia reafirmar o que julga ser a verdade.

Para quem combate (ou simplesmente conhece) a epidemia de sida em África, a posição do Papa não tem desculpa. Recomendar a abstinência e a fidelidade (e ainda por cima, a título profiláctico) nunca serviu de nada em parte alguma. E em África muitas populações resistem ao preservativo não apenas por ignorância mas porque ele nega ou ameaça a sua cultura e a própria organização da sociedade. A palavra do Papa vem dar força a essa resistência (que, de resto, não beneficia o catolicismo) e provoca directamente milhares, se não milhões, de mortes. A fúria universal contra Bento XVI não custa a compreender. Só que o Papa não se guia nem age por uma lógica "prática" e científica. Aceita, presumo, as vantagens do preservativo. Só que não o pode aprovar sem trair a Igreja.

Os valores de Bento XVI não são os valores de um governo, de uma ONG ou de um indivíduo que tenta limitar o imenso desastre da sida em África. São valores de outra ordem. São valores de uma ordem religiosa, que cada vez menos se percebem ou respeitam no Ocidente. Não vale por isso a pena discutir a moral sexual da Igreja (e do Papa). Vale a pena garantir que ela não invade a esfera da liberdade civil. Ora Ratzinger não andou por África a pedir que se proibisse o preservativo. Pediu aos católicos que prescindissem dele, em nome de uma perfeição que os católicos escolheram procurar. A influência dele é, neste capítulo, deletéria? Inegavelmente. Convém que ela não alastre em África (e na Europa)? Sem a menor dúvida. Mas sem esquecer que o Papa está no seu direito e no seu papel. » [Público assinantes]

Parecer:

Por Vasco Pulido Valente.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A TRIPOLARIZAÇÃO

«Há muitos, muitos anos, era eu (quase...) uma criança, algum PPD queixava-se das "infiltrações de Direita" no partido. Era a época em que o partido andava à deriva, alguns consideravam que a sua matriz ideológica era socialista e que o posicionamento político tinha de ser no centro-esquerda. Escrevi bastante sobre isso e tive intensas polémicas sobre o tema.
Esta espécie de flashback surgiu-me ao ler uma crónica de Ferreira Fernandes (um dos comentadores que - como diz o Guia Michelin - "valem a viagem") em que Strecht Ribeiro falava das "infiltrações de Direita" no PS. Preocupação - reconhece-se - mais legítima do que a de há 30 anos, desde logo porque o PSD de então - esquizofrenicamente - queria ser de esquerda, mas garantindo todos os votos de direita...

Seja como for, o tema merece reflexão, ainda que se desconte a época de caça aos votos que já abriu. Admito que me vá repetir, pois nos últimos anos várias vezes tenho dito o que se resume facilmente e que vem agora a propósito de novo: como antecipei pouco tempo depois das eleições de 2005, 1) os partidos à esquerda do PS podem obter 20% a 25% dos votos; 2) o PSD e o CDS não devem conseguir alcançar mais de 35% a 40%; 3) o PS pode aspirar, portanto, a algo entre 45% e 35%.

A primeira conclusão a retirar é a mais importante para Portugal e para o futuro do sistema político: depois de 30 anos de bipolarização (e, com algum orgulho, recordo que fui, a partir de 1977/8, quem esteve mais activo na teorização e na defesa desse modelo para o desenvolvimento político português), estamos provavelmente a entrar numa fase de tripolarização, em que três blocos políticos se guerreiam, é difícil entre eles realizar alianças e coligações e a instabilidade e a ingovernabilidade se acentuarão.

A segunda conclusão é que o sonho de Mário Soares, nos idos de 75/6, se está a realizar: o PS está a tornar-se no "partido natural de Governo". O tempo da bipolarização (devido à incapacidade que o PS e o PCP tiveram em colaborar, contra o que sempre defendi dever nesses tempos ocorrer) foi dominado pelo PSD, em coligação ou solitário (de 1979 a 2005, esteve sempre no Governo, com excepção dos anos do consulado guterrista, que foi, aliás, o primeiro ensaio, prematuro, de tripolarização) e o novo tempo vai ser dominado pelo PS... se certas condições se reunirem.

A terceira conclusão é que a tripolarização altera as fronteiras do combate político. Realmente, na bipolarização, as batalhas importantes fazem-se pela conquista do "centro", entre dois exércitos, sendo o resto meras escaramuças; foi, aliás, essa a principal razão para que sistemicamente eu defendesse esse modelo organizacional do espaço político. Na tripolarização, pelo contrário, o partido central, e por isso o partido natural de Governo, tem de batalhar à esquerda e à direita, como aconteceu ao conde duque de Olivares que, para não dividir tropas entre Portugal e a Catalunha, optou por esta última, ninguém podendo saber se teria podido ganhar dos dois lados.

A quarta conclusão é que a conformação do sistema político para os próximos anos ainda depende do PS e, por enquanto, só depende deste partido, podendo vir a depender de Cavaco Silva. O que também se resume com facilidade: 1) o PS pode optar entre ser o partido liderante de esquerda e fazer o combate só à direita; 2) pode optar por ser o tal partido natural de Governo; 3) ou pode optar por tudo e ficar sem nada.

A primeira opção dará boa imprensa, mas maus resultados, a curto prazo (fuga de votos do centro) e a médio prazo (o BE, o PCP e as rosetas deste mundo passarão a valer tanto como o PS, pois a esquerda consistentemente não vale mais de 40% a 45%). É fazer as contas, como diria Guterres.

A segunda opção dará má imprensa e pode levar ao esvaziamento do PS, se perder as eleições legislativas deste ano; mas provavelmente (e devido a Sócrates), assegurará a vitória e até pode chegar à maioria absoluta se os medos da ingovernabilidade e da presidencialização cavaquista levarem franjas de esquerda e de direita, por razões opostas, a votar no cavalo vencedor, criando uma self fullfiling prophecy.

A terceira opção será a aposta na indefinição e na confusão. César, dizia-se, era o homem de todas as mulheres e a mulher de todos os homens. Fosse ou não, o PS se quiser ser tudo e o seu contrário perderá votos dos dois lados e, o que não é menos grave, a própria alma.

Em minha opinião - e por enquanto -, ainda acho que a presidencialização do regime deve ser evitada. Por isso me resignei à tese da tripolarização. Mas não nos equivoquemos, o sucesso deste modelo instável depende de coligações: no estado em que está o país, no estado em que estão os partidos, o PS, por si só, nunca ganharia eleições sozinho, e muito menos em maioria absoluta.

Há muitos anos, escrevi que o PS tinha uma coligação com António Guterres, manifestamente, e como bem recordou Ferreira Fernandes, um "infiltrado de direita". Há mais de um ano, defendi que o PS deveria fazer uma coligação com Manuel Alegre, tese que agora ganhou foros de cidade ao ser proposta por António Costa. E alguém tem dúvidas de que Sócrates está politicamente à direita e estrategicamente muito à frente do PS? Pois não é óbvio que o país há quatro anos que tem um Governo de coligação entre o PS e Sócrates?

Sem Sócrates, o PS perderia as eleições clamorosamente. Sem Alegre, pode não as ganhar com resultado tão relevante quanto o modelo da tripolarização exige. Por isso é que o futuro do PS e o conteúdo da evolução provável do sistema político exige que os dois homens se entendam e que as tropas socialistas, que pouco ou nada têm a ver com isso, aguardem em ordem unida as instruções seguintes. É chato para barões e sargentos. Mas é assim.» [Público assinantes]

Parecer:

Por José Miguel Júdice.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

É PERIGOSO ANDAR DENTRO NAS CIDADES

«O relatório anual de sinistralidade rodoviária que é hoje apresentado indica que a maioria dos acidentes rodoviários registados no ano passado ocorreu dentro das localidades, tendo o número de mortos aumentado 7,3 por cento (mais 25 vítimas mortais) face a 2007 nestes acidentes.

Segundo o documento, 71 por cento dos acidentes e 62 por cento dos feridos graves ocorreram dentro das localidades em 2008, enquanto o número de vítimas mortais foi superior fora das localidades (53 por cento).» [Diário de Notícias]

Parecer:

É uma consequência do oportunismo das autarquias que se especializaram na caça à multa de estacionamento.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Questione-se a CML sobre quantas multas de estacionamento e de desrespeito das passadeiras aplicou durante o corrente ano.»

QUEM QUER CASAR COM UMA "VIÚVA MÁRTIR" DE GAZA?

«O movimento islamita Hamas está a oferecer cerca de dois mil euros aos homens que casarem com mulheres que perderam o marido na última ofensiva militar na Faixa de Gaza.

De acordo com o Hamas, a medida visa melhorar as condições de vida e garantir o futuro das chamadas "viúvas de mártires", mas a proposta tem suscitado polémica.» [Jornal de Notícias]

MONIZ DEFENDE A ESPOSA

«O director-geral da TVI, José Eduardo Moniz, reagiu ontem com duras críticas a um comunicado divulgado pela Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC). A autoridade dos media portugueses informou estar a analisar "várias queixas" sobre "a alegada violação de princípios éticos ou legais" por parte do Jornal Nacional, transmitido às sextas-feiras pela estação televisiva de Queluz de Baixo, que nesses dias tem um registo diferente e é apresentado por Manuela Moura Guedes.

Moniz prometeu mesmo travar "um combate sem quartel" se os membros do conselho regulador da ERC, presidido por Azeredo Lopes, "alguma vez aceitassem ser cúmplices do amordaçamento da comunicação social ou servos do poder". Moniz diz recusar-se a acreditar que os responsáveis da ERC assumam esse papel, mas afirma que se tal acontecer "seria gravíssimo". » [Público assinantes]

Parecer:

A verdade é que se o jornal da Manuela Moura Guedes fosse feito por um líder da extrema-direita não seria muito diferente. Raramente vejos notícias numa estação pública porque gosto de espírito crítico, mas Manuela Moura Guedes ultrapassa todos os limites e só ligo a TVI à sexta-feira por engano.

Quanto aos bons princípios de Moniz vale a pena recordar que quando tomou conta da TVI concorreu com a SIC e a RTP recorrendo a doses cavalares de filmes pornográficos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelo fim da paciência dos donos da TVI, mais tarde ou mais cedo vão fartar-se da família Moniz.»

JAIM SILVA QUER MATAR O NEMÁTODO DO PINHEIRO COM SILÊNCIO

«Os protocolos que foram assinados em Dezembro com as associações florestais para a marcação e eliminação de pinheiros-bravos, no âmbito do programa de acção de luta contra o nemátodo, inclui uma cláusula de sigilo sobre os dados. O assunto foi revelado pelo PSD, que considera que a exigência é "inaceitável." O Ministério da Agricultura diz que esta é "uma norma habitual em processos de contratação em que estejam em causa questões sanitárias".» [Público assinantes]

Parecer:

Desconhecia que o bicharoco se dá melhor com barulho.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Jaime Silva como chegou a tão brilhante conclusão e recorde-se o PSD, que agora protesta, que no tempo de Cavaco Silva a doença das vacas loucas foi tratada com a mesma receita.»

RONALDO PREFERE AS ESPANHOLAS

«Es uno de los mejores futbolistas del mundo y también uno de los más deseados entre la mujeres.

Su carrera deportiva la compagina con su faceta de modelo y con sus continuas conquistas que protagonizan semana a semana las portadas de los tabloides británicos. Sin embargo, aunque son muchas las féminas que han pasado por sus brazos, según los medios de comunicación, Cristiano Ronaldo tiene muy claro cuáles son sus preferidas: las españolas y las brasileñas.» [20 Minutos]

RECEITAS FISCAIS ESTÃO EM QUEDA

«O boletim de execução de Fevereiro mostra que entraram menos 560 milhões de euros nos cofres públicos em receitas fiscais do subsector Estado, face a igual período do ano anterior, num período em que as receitas de IVA desceram quase 300 milhões de euros.

Este ritmo de queda é bastante superior ao previsto no Orçamento do Estado para 2009, que prevê uma descida de 0,4 por cento no conjunto do ano para a receita de IVA.

A DGO diz que o abrandamento da actividade económica justifica este recuo de 10,2 por cento na receita do IVA, factor que também se reflectiu na descida da receita do Imposto sobre os Produtos Petrolíferos (ISP).

Este último imposto viu a sua receita recuar 15,7 por cento.

As receitas do Imposto sobre o Tabaco voltaram a descer (21,5 por cento), penalizadas pela actividade económica mas também pelo efeito de base registado em Janeiro de 2008, segundo a DGO.

O IRS, o segundo imposto que mais pesa nas receitas fiscais (só atrás do IVA) viu a sua receita estagnar, mas o IRC rendeu menos 139 milhões de euros (queda de 57,5 por cento).

Esta descida elevada do IRC não representa a tendência para o conjunto do ano porque está enviesada pela falta da autoliquidação e dos pagamentos por conta, lembra a DGO, mas está afectada pelo aumento da despesa com reembolsos, derramas e transferências para as regiões autónomas.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

É um aviso ao Governo que se convenceu de que o sucesso se devia à magia do ministro das Finanças e anda a maltratar os funcionários da Administração Tributária.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Alerte-se Sócrates para os riscos que corre.»

ERUPÇÃO SUBMARINA PERTO DE TONGA [Link]

LORA PALMER

SAMSUNG

sexta-feira, março 20, 2009

Manuela: vícios privados, virtudes públicas

Com as dificuldades no acesso ao crédito o mínimo que se exige ao Estado, administração central e local, é que reduza ao mínimo os prazos de pagamento aos seus fornecedores, pondo fim a práticas abusivas que apenas servem para políticos sem escrúpulos mostrarem obra à conta do endividamento público, favorecendo a corrupção e marginalizando empresas que não estão dispostas a aguardar meses e anos por pagamentos.

Quando Manuela Ferreira Leite exige o pagamento das dívidas do Estado tem razão, da mesma forma que o Governo faz bem ao prometer o seu pagamento. Se no passado era fácil as empresas recorrerem ao crédito bancário para compensarem estas dívidas, actualmente isso é difícil e quando possível tem custos elevados. Nestas circunstâncias as empresas são obrigadas a financiar as dívidas com os seus próprios capitais, não podendo financiar novos negócios e relançar a sua actividade. Nestas circunstâncias o abuso das dívidas do Estado é um crime contra a economia.

A decisão da Assembleia Municipal de Lisboa de impedir a Câmara de recorrer ao crédito para pagar aos seus fornecedores é uma decisão criminosa, que retrata bem a mentalidade dos políticos de baixo nível que pululam no nosso país. A maioria PSD da Assembleia Municipal, uma maioria fantoche face ao que sucedeu na autarquia, está mais preocupada com o seu futuro político, com o seu taxo municipal, do que com as empresas e os lisboetas, poucos lhes importa que muitas dessas empresas possam estar em dificuldades ou que alguns dos seus empregados tenham que enfrentar o desemprego, o que importa é impedir a qualquer custo que a autarquia funcione e cumpra com as suas obrigações.

É muito mais fácil à autarquia recorrer ao crédito em condições de juro favoráveis do que aos fornecedores que aguardam o pagamento das dívidas, muitos destes poderão não ter acesso ao crédito e se o conseguirem vão suportar taxas de juro bem muito superiores às negociadas com a autarquia. Mas isso não importa a deputados que estão na Assembleia Municipal ao serviço do seu candidato às próximas eleições autárquicas.

Temos aqui um bom exemplo da política de verdade e honestidade de que Manuela Ferreira Leite tanto fala, em público a líder do PSD apresenta-se como a defensora dos bons princípios, em privado não hesita em mandar os seus militantes aprovar decisões que configuram crimes contra a economia, ainda por cima quando se sabe que muitas das dívidas que seriam pagas resultam dos excessos dos seus próprios autarcas.

O que se passou na autarquia de Lisboa é um episódio entre muitos que mostram que uma boa parte da nossa classe política está mais preocupada com o seu cargo e os benefícios que este proporciona do que com a causa pública.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Panteão Nacional, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Matangi Tonga Online/Reuters]

«An underwater volcano erupted in Hunga Ha’apai, Tonga, Wednesday, sending steam and ash thousands of feet into the sky above the southern Pacific Ocean. » [20 Minutos]

JUMENTO DO DIA

Nascimento Rodrigues

É um comportamento típico dos boys, quando não é o seu partido que está no poder e se aproxima o fim das mordomias saem do anonimato, enchem-se de coragem e desatam a criticar o Governo. Apenas se lamenta que ao adoptar este comportamento tão típico da política portuguesa Nascimento Rodrigues tenha retirado dignidade ao cargo de Provedor de Justiça.

É pena que Nascimento Rodrigues tenha sido tão apagado ao longo de todo o mandato e tenha tido este arremesso de coragem quando já ninguém lhe presta atenção.

O NERVOSISMO DE JOSÉ MANUEL FERNANDES

Os editoriais do jornal Público já não são editoriais, são momentos de raiva de José Manuel Fernandes que acha que se pode substituir aos líderes dos partidos da oposição, incluindo a sua preferida, talvez por achar que são incapazes. O seu editorial dedicado à moratória do crédito à habitação é um bom exemplo desta postura degradante para o jornalismo.

«Aliviar o pagamento das prestações em ano eleitoral, mas permitindo que reapareçam mais tarde, mais altas e com juros, é tomar por parvo quem está aflito

Quando ontem o primeiro-ministro acabou de fazer a sua intervenção de abertura do debate quinzenal na Assembleia da República alguém tinha de lhe colocar, de imediato, uma questão: como pretende o Governo concretizar o corte para metade das prestações mensais de crédito à habitação dos agregados onde um dos membros está desempregado? Trará tal medida algum custo futuro para os beneficiários de hoje?»

O que José Manuel Fernandes afirma não é inteiramente correcto, é verdade que serão pagos juros, mas esquece-se que são quase simbólicos, para além de serem parcialmente suportados pelo Estado.

Na opinião de José Manuel Fernandes o Governo não deve Governar, apesar de ser um Governo legítimo e de ter que enfrentar uma crise. Belo conceito de democracia o deste voluntarioso ideólogo que a direita foi buscar em tempos à extrema-esquerda.

AVES DE LISBOA

Pato-real [Anas platyrhynchos]

NADA MAU PARA UM FRANCISCANO

«O padre Vítor Melícias, ex-alto comissário para Timor-Leste e ex-presidente do Montepio Geral, declarou ao Tribunal Constitucional, como membro do Conselho Económico e Social (CES), um rendimento anual de pensões de 104 301 euros. Em 14 meses, o sacerdote, que prestou um voto de obediência à Ordem dos Franciscanos, tem uma pensão mensal de 7450 euros. O valor desta aposentação resulta, segundo disse ao CM Vítor Melícias, da "remuneração acima da média" auferida em vários cargos. » [Correio da Manhã]

Parecer:

Bolas, quanto não ganharia se não fosse franciscano. Neste país nem os franciscanos se escapam à busca desenfreada da riqueza.

Recorde-se que Melícias é um frade da Ordem dos Frades Menores, conhecidos por franciscanos, que realizam votos de pobreza, castidade e obediência. Quanto a pobreza estamos esclarecidos, resta saber agora como vão as coisas quanto a castidade e obediência.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao padre Melícias se tem tratado dos calos.»

NASCIMENTO RODRIGUES TEVE UM ARREMESSO DE CORAGEM

«Nascimento Rodrigues, cujo mandato como Provedor de Justiça terminou em Julho de 2008, mas que continua a desempenhar o cargo pelo facto de o PS e o PSD não chegarem a acordo quanto ao seu sucessor, não poupa críticas ao partido do Governo, afirmando estar a ser “vítima de uma comédia à portuguesa”.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Uma intervenção lamentável vinda de quem durante uma boa parte da vida viveui à custa de mordomias públicas conseguidas à custa do PSD.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

MANUELA DIZ QUE VAI SER PRIMEIRA-MINISTRA

«Ferreira Leite foi hoje recebida no Parlamento Europeu pelo presidente Hans-Gert Poettering, que, ao receber a líder social-democrata, e impressionado com a atenção mediática em seu torno, comentou com um sorriso que se trataria decerto da próxima primeira-ministra de Portugal.

" saída da reunião, questionada sobre se pensava que o "prognóstico" de Poettering se iria concretizar já nas eleições legislativas deste ano, a presidente do PSD respondeu: "Não penso, acho que seguramente se vai realizar".» [Diário de Notícias]

Parecer:

Será que alguma estação de televisão vai reeditar o programa "cadeira do poder"?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se.»

PCP AJUDA SÓCRATES NO CASO FREEPORT

«O antigo presidente da Câmara de Alcochete, Miguel Boieiro, diz que o primeiro chumbo do projecto do Freeport e a aprovação no mandato autárquico seguinte foi «politicamente estratégico». Declarações de Miguel Boieiro, à saída da Polícia Judiciária (PJ) de Setúbal, onde foi ouvido esta quinta-feira.

Miguel Boieiro considera que o chumbo visou «quebrar o poder da força que estava na altura na autarquia, a CDU». «De repente, toda a gente ficou espantada porque foi chumbado. A minha opinião é que não foi razões de natureza técnica, mas por razões de natureza ambiental», disse aos jornalistas. » [Portugal Diário]

Parecer:

Com este argumento o ex-autarca iliba Sócrates.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento a Jerónimo de Sousa.»

O PSD QUER ESTRANGULAR FINANCEIRAMENTE A CML

«O PSD forçou a Câmara de Lisboa a adiar a venda de palácios para equilibrar as finanças. Apenas um dos seis palácios que a maioria socialista que governa a autarquia queria levar a hasta pública - para privados reconverterem em hotéis de charme - deverá, afinal, ir à praça. Quanto aos restantes imóveis que são propriedade do município, a sua alienação ficará dependente dos resultados da venda do primeiro palácio, o Braancamp, em Santa Catarina.» [Público]

Parecer:

É uma estratégia pouco inteligente, parte do pressuposto errado de que os lisboetas são parvos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Santana Lopes se é ele que está a ditar esta estratégia manhosa.»

SOLDADOS ISRAELITAS TINHAM AUTORIZAÇÃO PARA ATIRAR A MULHERES E CRIANÇAS

«Durante la operación Plomo Fundido en diciembre y enero pasados, cuando el ejército israelí invadió la franja de Gaza y en la que murieron 1.400 palestinos, los soldados tenían órdenes permisivas de disparar contra todo mundo, incluyendo mujeres y niños palestinos, según varios militares.

Sus testimonios han sido publicados por varios medios israelíes y han levantado una gran polémica. El ejército ha abierto una investigación penal.

Varios soldados han asegurado durante la ofensiva militar contra Gaza, del 27 de diciembre al 18 de enero pasados, tenían órdenes "permisivas" y que dispararon contra mujeres y niños palestinos desarmados y dañaron de manera gratuita propiedad privada. » [20 Minutos]

NOVO RECORD DA EURIBOR

«El euríbor, tipo al que se conceden la mayoría de las hipotecas en España, ha roto este jueves la barrera del 1,9% en su tasa diaria por primera vez en su historia al situarse al 1,877%. De esta forma, sitúa el nivel mensual en el 1,946%, que también se encuentra en niveles mínimos históricos.

Este nuevo descenso vuelve a demostrar la tendencia a la baja del indicador y permitirá a los ciudadanos que revisen su hipoteca con la tasa de marzo seguirán notando una nueva rebaja en las cuotas que pagan.» [20 Minutos]

SEIS ANOS DE GUERRA NO IRAQUE [imagens]

LESZEK

ORANGE