sábado, junho 06, 2009

Eu voto Europa

Se o meu voto traduzisse uma opção em função dos projectos ou da qualidade dos candidatos optaria pelo voto branco, isto porque residindo a dez metros da mesa de voto não se justificaria a abstenção. Mas a Europa está acima da má qualidade dos nossos políticos e nenhum deputado ficará por eleger, se não for eu a escolher serão outros e numa eleição onde o voto mais militante tem mais peso relativo são precisamente os que são contra a União Europeia os beneficiados.

Voto na Europa porque num século assistimos a duas guerras devastadoras, a genocídios, a campos de concentração (ainda recentemente isso sucedeu na ex-Jugoslávia), a guerras civis fratricida.

Voto na Europa porque durante décadas muitos povos europeus viveram sob ditaduras tenebrosas, incluindo o nosso, milhões de europeus sofreram com ditadores como Franco, Estaline, Salazar, Brejnev, Hitler, Ceausescu e muitos outros, ditadores que se aproveitaram dos medos e de uma história de divisões europeias para se manterem no poder.

Voto na Europa porque durante décadas promoveu o progresso, a estabilidade e a democracia contra ditaduras proto-comunistas que nos queriam impingir um paraíso como aquele a que assistimos na aldeia russa onde vive a menina de Barcelos, contra ditaduras fascistas e outras formas de despotismo.

Voto na Europa porque apesar de tudo é nesse espaço onde se aplicam as melhores políticas ambientais, é mesmo graças às regras europeias que o País ainda não se tornou num desastre ambiental.

Voto na Europa porque o fim dessa Europa é um retrocesso histórico para os povos europeus, abrindo a porta a todos os candidatos a ditadores que insistem em persistir nos países europeus e que nos últimos tempos têm-se aproveitado das crises para ganharem força.

Não votar seria votar naqueles que são contra uma Europa de democracia e desenvolvimento que eu defendo, não admira que muitos se tenham esforçado em promover a abstenção, alguns dos que certamente vão votar até me mandaram mails tentando convencer-me a não votar ou a abster-me.

O meu voto vai para o projecto Europeu, contra os saudosos de Hitler, de Enver Hodja, ou de Kim Jong-il.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Arrábida

IMAGEM DO DIA

[Joel Saget/Agence France-Presse]

«A jeep drove by Saint-Laurent-sur-Mer Beach in Normandy, France, Thursday. Officials are preparing for D-Day celebrations to mark Saturday’s 65th anniversary of the June 6, 1944, allied landings in France, then occupied by Nazi Germany. U.S. President Barack Obama will lead services where more than 9,000 U.S. troops fought and died.» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Francisco Louçã

O líder do BE está a perder a graça e a iniciativa, o seu desempenho na campanha eleitoral das europeias e a generalidade das sondagens têm um único ponto em comum, o BE mantém-se atrás do PCP depois de meses de sondagens apontando para o contrário.

O líder do BE arrastou-se sem graça deixando o protagonismo a um dos irmãos Portas permitindo ao PCP a recuperação do terreno perdido e a demonstração de que o Bloco não passa de um partido alimentado por jornalistas amigos. Ainda por cima é fortemente penalizado pelos betinhos da classe média que a esta hora já estão em férias, bem longe das mesas de voto.

Depois do divórcio não anunciado com Manuel Alegre Louçã vê Jerónimo de Sousa passar-lhe a perna.

FERREIRA LEITE DIZ QUE TEM TENDÊNCIA PARA ESCOLHER BEM

Pois, foi ela que escolheu um tal Mestre Armindo para director-geral dos Impostos quase levando o país à falência com esta brilhante escolha. Foi ela que também fez a brilhante escolha de António Preto para líder distrital de Lisboa do PSD. Enfim, é esta a tendência para as boas escolhas de Manuela Ferreira Leite.

AVES DE LISBOA

Juvenil de Verdilhão-comum [Carduelis chloris]
Local: Estádio Universitário

FLORES DE LISBOA

Flor do Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

A MISSÃO DE MOURA GUEDES

«Ora se há algo que se pode dizer da prestação de pivot de MMG é que ela curto-circuita com inteira eficácia (ainda que, presume-se involuntária) essa laboriosa ilusão jornalística. Ao assumir de modo tão extremado "a direcção" da narrativa e portanto o carácter narrativo do que faz, MMG presta, paradoxalmente, um bom serviço ao jornalismo. O de lhe (nos) dar um pretexto para pensar - para se (nos) pensar(mos). Demasiado complicado? Não oportuno? Sim, é complicado.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

TÍTULO 11

«Fui anteontem à Figueira da Foz por uma auto-estrada deserta. Literalmente deserta: um camião ou outro, umas dezenas de automóveis, mais nada. A auto-estrada, claro, vai mudando de nome. Começa por se chamar A8, depois muda para A14 e acaba, salvo o erro, em A17. De qualquer maneira, começa quase à minha porta, em Lisboa, e só pára em Aveiro. É quase paralela à velha A1 do prof. Cavaco e parece que nasceu da exuberante cabeça do eng. Guterres (quem senão ele?) e que este Governo construiu o pouco que faltava. A ideia de uma auto-estrada, por assim dizer, suplementar, ou concorrente - uma ideia de gente rica ou de gente pródiga -, não deve ser comum. Na Figueira, essa extravagância vem sempre à conversa (à frente de estranhos) entre o desdém pelos poderes que misteriosamente a conceberam e o habitual desconsolo com disparates de Lisboa e da Pátria.

A Figueira, apesar de um debate público entre Paulo Rangel e Vital Moreira, não está muito interessada no ruído a que por aí se chama "eleições" para a "Europa". Segundo percebi no restaurante da D. Celeste, uma PSD e "santanista" ferrenha, as pessoas só se importam com as locais, que terão em princípio cinco listas de grupos que historicamente não se estimam. Quanto às gerais de Outubro, a D. Celeste abana a cabeça com alguma tristeza e uma enorme dúvida (que se compreende) sobre a dr.ª Ferreira Leite. Comendo as primeiras sardinhas do ano, achei a Figueira típica do país: melancólica, desiludida e sem esperança. Que lhe pode trazer um novo regime: uma terceira auto-estrada?

Entretanto, impenetrável à realidade do mundo, a campanha continua. Augusto Santos Silva, Ana Gomes, Jorge Lacão e, evidentemente, Vital Moreira não desistiram de explorar a noção absurda de que o PSD é, por causa de meia dúzia de "figuras gradas", responsável pela fraude do BPN. Ninguém protesta e Sócrates não os manda calar, com certeza em nome do aprimoramento cívico dos portugueses. Do lado do PSD, Manuela Ferreira Leite apareceu finalmente na "rua" (espero que sem um nojo excessivo), enquanto Menezes descobriu agora que Rangel era uma "lufada de ar fresco" e Pedro Passos Coelho, na sua qualidade de "próximo Presidente", resolveu aliviar o espírito de um despropósito sem desculpa. O que apetece é de facto aproveitar a auto-estrada deserta (A8, A14 e A17) e ir comer as sardinhas da D. Celeste. » [Público assinantes]

Parecer:

Por Vasco Pulido Valente.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

A DONA MONIZ NÃO CONHECIA AS SUAS OBRIGAÇÕES DE DEPUTADA

«A jornalista sublinhou ainda que "não fazia a mínima ideia" que precisava de entregar uma declaração de rendimentos no Tribunal Constitucional para formalizar a cessação.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Se elea não conhece o código deontológico dos jornalistas...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Perdoais-lhes senhor.»

ALFÂNDEGAS APREENDEM DROGA

«Segundo um comunicado do ministério das Finanças, trata-se da maior apreensão de sempre no porto de Lisboa.

O contentor, que transportava 759,65 quilos de cocaína, destinava-se a uma empresa sediada em Lisboa, mas o manifesto de carga suscitou suspeitas.

Ao detectar as substâncias ilícitas, a Alfândega comunicou a situação à Polícia Judiciária (PJ), cuja investigação culminou na detenção de um empresário português, com 43 anos, residente na zona de Sintra, que ficou preso preventivamente.

Nas diversas buscas, foram ainda aprendidas duas armas de fogo, viaturas e telemóveis, entre outros artigos.» [Diário de Notícias]

Parecer:

E o Governo insiste estupidamente em considerar que as Alfândegas não exercem funções de soberania transformando os seus funcionários em contratados a prazo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao ministro das Finanças se sabe o que é uma alfândega.»

MAIS UMA DOS NOSSOS MAGISTRADOS

«O Tribunal de Idanha-a-Nova pôs em liberdade um alegado violador preso pela PJ sem que tenha sido sujeito a primeiro interrogatório.

O homem foi detido na terça-feira pela Polícia Judiciária (PJ), mas o tribunal deixou passar "por minutos" o prazo de 48 horas de detenção em que poderia interrogá-lo e aplicar medidas de coacção, referiu a mesma fonte, ligada à investigação.» [Jornal de Notícias]

Parecer:

E depois a culpa é da lei...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Apurem-se responsabilidades.»

QUEM PARTE E REPARTE E NÃO FICA COM A MELHOR PARTE...

«Numa altura em que o desemprego atinge números históricos, o governo aposta em profissões aparentemente com futuro dentro do seu próprio governo. Uma das maneiras de fugir às filas dos centros de emprego é passar por um qualquer gabinete ministerial, de preferência como assessor ou chefe de gabinete.

Emprego é coisa que não falta para quem passa pelo Ministério da Economia. Por isso, quando se perguntam onde estão os dois antigos chefes de gabinete do ministro Manuel Pinho, Pedro Matias e João Neves, a resposta é dada na administração do Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas, ambos nomeados pelo próprio ministro.

O mesmo ministro cujos assessores João Conceição e José Pedro Santos trocaram o gabinete no ministério, pelos gabinetes da Ren, empresa pública, e pelo Turismo de Portugal, o instituto público a funcionar da dependência de Manuel Pinho e que é presidido por Luís Patrão, o velho amigo e antigo chefe de gabinete de José Sócrates.

Mário Lino diz «jamais», mas tutela um instituto onde três dos membros do conselho directivo passaram pelo seu ministério. É o caso do presidente António Crisóstomo Teixeira, um homem que tem andado sempre no comboio do poder. Foi deputado, secretário de Estado das obras públicas, presidente da CP, assessor de Mário Lino desde 2005 e agora presidente do IMTT, o tal instituto em que dois dos vogais foram assessores de Ana Paula Vitorino, secretária de Estado dos transportes.

Repetem-se os casos em organismos e empresas públicas ligadas ao ministro do TGV, mas quem desembarcou a alta velocidade na Santa Casa da Misericórdia foi José Pedro Pinto, o ex-assessor do ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, que já tinha trabalho para o aparelho socialista.

Numa altura em que o desemprego atinge níveis históricos em Portugal, ex-assessor e ex-chefe de gabinete parecem ser profissões de futuro neste país.» [Portugal Diário]

Parecer:

Este país é uma vergonha...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento a José Sócrates para o caso de ele não saber.»

IGESPAR CHUMBA PROJECTO DO TERREIRO DO PAÇO

«O Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar) deu um parecer negativo ao estudo prévio para o Terreiro do Paço, em Lisboa, elaborado pelo arquitecto Bruno Soares, revelou hoje ao PÚBLICO o director do Igespar, Elísio Summavielle.

As objecções do Conselho Consultivo do Igespar, comunicadas terça-feira à Sociedade Frente Tejo, responsável pela obra, baseiam-se em “aspectos formais, sobretudo de impacto visual, a arrumação da placa central, o enquadramento da estátua”, explicou Summavielle e não às propostas de Bruno Soares para “a organização do trânsito e a topografia”. » [Público]

Parecer:

António Costa vai somando chumbos, desde o Tribunal de Constas ao IGESPAR.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento ao edil.»

PETER VELTER

ORANGE BLUE

sexta-feira, junho 05, 2009

Obrigado senhor Procurador

O senhor Procurador-Geral achou que esgotadas as notícias do acidente aéreo e ultrapassadas as ondas de choque provocadas pelas declarações de Oliveira e Costa o país iria ficar condenado a aturar a campanha das europeias, a maior seca política desde que há eleições em Portugal. Com o processo do Furacão em banho-maria, o caso BPN fechado a sete chaves no cofre do segredo de justiça porque há coisas que não se devem saber e sem mais nenhum dvd para divertir os portugueses com o caso Freeport o Ministério Público brindou-nos com a acusação do caso das casas da Câmara Municipal de Lisboa, um caso menor para entreter o povinho durante dois dias é quanto basta.

Lá ficámos a saber que Santana Lopes não era acusado de nada, a gestora das cunhas para casas da câmara era a vereadora Helena Lopes da Costa que agora vai ficar embrulhada num processo judicial. Se Santana Lopes foi ilibado e não vai a julgamento o mesmo não se pode dizer de Sampaio e João Soares, também não vão a julgamento mas os procuradores que investigaram o processo lá concluíram que muito provavelmente seriam acusados se os crimes não tivessem prescrito. Isto é, ainda o processo não chegou ao adro e já temos uma acusada, um inocente e dois condenados, isto tudo sem qualquer julgamento ou exercício do mais elementar direito de defesa.

Coincidência ou não – yo creo en brujas, pero que las hay, las hay – mais uma vez um período eleitoral faz folga para discutir uma obra-prima judicial, só que errou no alvo, a matéria é autárquica mas as eleições europeias é que pagaram. Provavelmente alguém se lembrou que a seguir às europeias começariam as autárquicas e achou que desta forma não haveria acusações de envolvimento da justiça num processo eleitoral, divulgando as conclusões do processo uns dias antes daria menos nas vistas.

Ao que parece foram distribuídas umas casas a uns menos pobres quando alguns mais pobres ficaram sem casa, parece que a cunha funcionou. Afinal nem terá sucedido bandalhice de que se falou há uns meses atrás, quando Santana foi acusado.

Não sei porquê este processo recorda-me um famoso subsídio de residência de que beneficiam os magistrados judiciais e do Ministério Público (incluindo os do Tribunal de Contas). Acreditem ou não todos os magistrados recebem subsídio de residência, se tiverem nascido e morado desde sempre à porta do Palácio de Palmela (sede da PGR) passam a receber subsídio de residência a partir do momento em que integrem o Ministério Público. Por mais absurdo que pareça se estiver em causa um casal e ambos trabalharem no palácio têm direito a dois subsídios de renda. Se fizerem como muitos beneficiários do rendimento mínimo e procriarem dois jovens procuradores terão direito a quatro subsídios de renda mesmo que morem na mesma casa.

Todos estes subsídios juntos custam aos contribuintes (a maioria dos quais ganham infinitamente menos do que um procurador) 30 milhões de euros e, acreditem ou não, este subsídio tem o mesmo estatuto fiscal do rendimento mínimo, vai limpinho para os bolsos dos senhores magistrados. Isto porque uns juízes simpáticos assim o entenderam. Tudo isto sem ter que meter nenhuma cunha à vereadora da Câmara Municipal de Lisboa.

Bolas, e só a Helena Lopes da Costa é que é acusada?

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Antigo Tribunal da Boa-Hora, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Elizabeth Dalziel/Associated Press]

«Plainclothes police officers shielded themselves as they worked near Tiananmen Square in Beijing Thursday, the 20th anniversary of the Tiananmen Square incident. Exhibits and activities were held in remembrance of those who were killed in the government crackdown.» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Pinto Monteiro

Ainda há poucos dizia-se por aí que não estava na intenção dos investigadores do caso BPN ouvir Dias Loureiro nos próximos tempos, a prioridade era investigar os actos de gestão de Oliveira e Costa. Agora sabe-se que a Procuradoria-Geral vai estender o tapete vermelho para que Dias Loureiro seja ouvido o mais rapidamente possível.

Eu quero acreditar que o senhor Procurador-Geral vai dar o mesmo tratamento a todos os portugueses em situações idênticas à do conhecido político, senão fico a pensar que temos duas justiças, a dos rios, amigos do Presidente e afins e a dos pobres.

MAIS UMA DOS JUSTICEIROS DA NAÇÃO

Os procuradores que estão a investigar o caso das casas da Câmara Municipal de Lisboa decidiram enlamear o nome de antigos presidentes da edilidade, manchando o seu nome ao insinuar que também poderão ter cometido crimes mas que estes teriam prescrito. Desta forma insinuam que Sampaio e João Soares poderão ser criminosos mas não vão a tribunal porque escaparam graças à prescrição dos seus crimes.

Se os senhores procuradores não podiam acusar porque razão os referem desta forma manhosa? Porque se sentem justiceiros e já que não os conseguiram levar a tribunal fizeram justiça pelas suas próprias mãos sujando-lhes o nome. Nem Sampaio, nem Soares foram ouvidos, nem sequer poderão vir a sê-lo, foram condenados na praça pública sem qualquer direito a defesa.

Deus nos livre deste Ministério Público de justiceiros de pacotilha.

A ESMOLA É GRANDE E O POBRE NEM DESCONFIA?

É esta a pergunta que gostaria de fazer aos que confiaram o seu dinheiro ao BPP a troco de taxas de juro mais elevadas do que as da concorrência, como se aquele banco estivesse na posse de uma poção mágica. Há em Portugal gente que anda sempre em busca de melhores remunerações para o dinheiro sem se questionarem sobre o porquê dessa vantagem, já aconteceu com a Dona Branca como pode suceder com qualquer banco.

Muitos dos clientes do BPP nem leram os contratos que assinaram, bastou-lhes o engodo de taxas elevadas e a explicação do funcionário de balcão. Agora querem que sejam os contribuintes, muitos deles sem dinheiro para aplicações financeiras, a suportarem os seus prejuízos.

Da próxima façam como os outros, sejam menos gulosos e mais cuidadosos porque ao contrário do que julgam no mercado financeiro não há nem milagres nem poções mágicas, ou se ganha pouco ou se arrisca.

AVES DE LISBOA

Alvéola-branca [Motacilla alba yarrellii]
Local: Cidade Universitária

FLORES DE LISBOA

Flor silvestre na Quinta das Conchas

ONDE ESTÁ A ÉTICA?

«Era notícia a possibilidade de vir a ser confiscada a Miguel Cadilhe, a indemnização paga pelo BPN, supostamente no valor de €10 milhões.

As beatas da moralidade logo aplaudiram de pé, com a inveja a escorrer-lhes pelos cantos da boca, num arfar de ódios a tudo e a todos quantos sucedem na vida e, por sua iniciativa e capacidade, conseguem o que eles mesmo não alcançaram.

E, avançando argumentos éticos, fizeram-se cálculos laboriosos para provar que se €10 milhões tinham sido o resultado de 6 meses de trabalho isso representaria um salário de mais de €55 mil por dia. Até me admirou como é que estas almas não fizeram o cálculo com base em dias úteis porque assim chegariam a números mais interessantes nas suas envinagradas perspectivas.» [Diário Económico]

Parecer:

Por João Duque.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

TEMPO DE SONDAGENS

«A três dias das eleições para o Parlamento Europeu, o PS mantém-se na liderança das intenções de voto. De acordo com uma sondagem CM/Aximage, o cabeça-de-lista do PS, Vital Moreira, reúne 36,2 por cento das intenções de voto contra 30,9 por cento do candidato do PSD, Paulo Rangel. Isto significa a eleição de nove deputados pelos socialistas e de oito pelos sociais-democratas.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Os dados mais significativos desta sondagem é o facto de o PSD não conseguir descolar do PS e o PCP recuperar em relação ao Bloco de Esquerda. Nestas eleições o voto militante tem um grande peso beneficiando os partidos da extrema-esquerda, as abstenções penalizam os partidos cujo eleitorado se situa na classe média.

Com estes resultados o PS não vê comprometidos os seus objectivos para as legislativas o que significa que as manobras manhosas de magistrados, donos e directores de alguns órgãos de comunicação social falharam.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelo resultado das eleições legislativas.»

A JUSTIÇA ESTÁ DE PARABÉNS

«O antigo autarca de Lisboa, Pedro Santana Lopes, foi ilibado do caso relacionado com a atribuição ilícita de casas da Câmara de Lisboa a lisboetas que não reuniam as condições de carência habitacional e económica enquanto a antiga vereadora Helena Lopes da Costa foi acusada de 22 crimes de abuso de poder.

A Procuradoria-Geral da República (PGR) através da sua Unidade de Investigação Especial constituiu arguidos quatro pessoas, acusados de abuso de poder, na atribuição indevida de casas camarárias a munícipes. » [Correio da Manhã]

Parecer:

Pela primeira vez foi célere, só se lamenta que neste país o Ministério Público primeiro lança as acusações na comunicação social e só depois é que vai apurar a verdade, quando vai.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mandem-se os parabéns a Pinto Monteiro.»

OUTRA SONDAGEM

«A pesquisa prevê também que a Coligação Democrática Unitária (CDU) e o Bloco de Esquerda (BE) elejam dois eurodeputados cada e o Centro Democrático e Social (CDS) um.

Em termos percentuais, o PS deverá obter 34% dos votos, o PSD 32%, a CDU 11%, o BE 9% e o CDS 4%. A confirnarem-se estas previsões, a CDU recupera terreno em relação ao BE, mantendo-se como o primeiro partido à esquerda do PS, e o CDS sobre ligeiramente em relação à anterior sondagem para DN/JN/RTP/Antena 1.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Esta dá melhores resultados e coloca o PCP claramente à frente do BE, lá se vai o sonho de Louçã de ser o líder do proletariado.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelos resultados eleitorais.»

E MAIS UMA SONDAGEM, DESTA VEZ UM BARÓMETRO

«A tendência de subida do PSD desde que começou a campanha para as eleições europeias confirma-se. Pela primeira vez, a lista encabeçada por Paulo Rangel aparece à frente do PS numa sondagem, ainda que o empate técnico entre os dois partidos se mantenha: o barómetro da Marktest para a TSF e Diário Económico dá 32,5% para o PSD e 29,4 para a lista liderada por Vital Moreira.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Nesta acredita quem quiser.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelos resultados eleitorais.»

PINTO MONTEIRO ESTENDE TAPETE VERMELHO A DIAS LOUREIRO

«Dias Loureiro vai ter a oportunidade contar ao Ministério Público a sua versão sobre o chamado negócio de Porto Rico, ainda durante este mês. O ex-conselheiro de Estado pediu ao procurador-geral da República para ser ouvido, no âmbito do inquérito a que o Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP) tem em curso, e Pinto Monteiro fez-lhe a vontade três dias depois de ter recebido o pedido. Uma decisão que já foi considerada como excepcional. Segundo referiu ao DN fonte do Ministério Público, já que o procurador poderia ter remetido a carta aos magistrados que têm o processo e serem eles a decidir. » [Diário de Notícias]

Parecer:

Às vezes este Procurador-Geral consegue ser muito simpático.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Pinto Monteiro se dá igual tratamento a todos os cidadãos ou se neste país há cidadãos de primeira e cidadãos de segunda.»

FLORIS VAN BREUGEL

H2O AUDIO