sábado, novembro 07, 2009

A lição de Economia de Cavaco Silva

Depois de ter ouvido Cavaco usar os seus vastos conhecimento e experiência em economia para valorizar a sua candidatura a Presidente da República estava ansioso por ouvir uma das suas lições, finalmente tive essa oportunidade, Cavaco aproveitou a inauguração de uma fábrica da Portucel.

Perante uma audiência de gestores e convidados que puseram a sua melhor cara de atenção e admiração, Cavaco falou à audiência privilegiada e, através das televisões, ao país e deu a sua primeira lição de economia, como se de uma prova doutoramento se tratasse. E disse aquilo que até o dono da pequena mercearia da esquina, ainda que a este ninguém desse ouvidos, que o país deveria apostar nas empresas exportadoras. Ora aí está, Cavaco apontou a solução para o país e como portugueses idiotas e ignorantes deveremos ficar-lhe grato, o que seria de nós se o país não tivesse um Presidente tão sabedor nesta difícil arte da economia!

O que eu mais aprecio em Cavaco Silva é a sua capacidade para encenar aquela postura presidencial, um misto dês estátua grega e de um cartaz do Restaurador Olex, para dizer banalidades que com o respeito pela instituição da República todos devemos ouvir com a maior atenção e ir abanando a cabeça como se fossem meninos que pela primeira vez tivessem entendido a tabuada dos nove.

E como se não bastasse Cavaco ainda acrescentou que há muito que o anda a dizer, isto é, não só diz uma banalidade como insinua que os governos e os agentes económicos dêem ser uns idiotas que não lhe tê dado ouvidos. Aliás, Cavaco Silva tem este tique (seria bom se só tivesse este) de sempre que diz algo acrescentar que há muito tempo que o diz. Talvez seja tempo de se produzir o livro das citações banais do grande líder Cavaco, assim os portugueses não teriam de fazer a figura triste de evidenciarem ignorância quando o poderiam evitar se tivessem ouvido com a devida atenção o que Cavaco já disse ao longo dos muitos anos que este país o anda a aturar.

Agora teremos de esperar a segunda lição de economia dada por Cavaco Silva para percebermos como se consegue apostar mais nas empresas exportadoras, ao ritmo a que ele cumpre as suas promessa eleitorais está-se mesmo a ver que um dia o Presidente da República vai dizer-nos que se queremos saber um pouco mais de economia os portugueses terão de votar outra vez nele.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

"Reencontro" na Festa do Avante (2008)

IMAGEM DO DIA

[]Arko Datta / REUTERS

«Los camareros del bar '21 Fahrenheit' sirven en este bar congelado, presente en Mumbai, India. El recinto es el primero de este tipo en este país y podrá acoger por el momento a 40 personas. Su selecta clientela podrá acceder al bar la próxima semana.» [20 Minutos]

JUMENTO DO DIA

Vital Moreira

Talvez animado pelas sondagens o euro-deputado Vital Moreira veio defender que se as oposições insistirem numa coligação negativa no parlamento, que resulte num boicote sistemático às políticas governamentais, José Sócrates deve forçar eleições antecipadas.

Feitas tão cedo estas declarações só servem para dar razão aos que antes de qualquer prova já acusam Sócrates de chantagem. Resta saber qual a solução que Vital Moreira propõe se no caso de se realizarem eleições antecipadas o PS não votar a ter uma maioria absoluta.

COMBATER A CORRUPÇÃO

Independentemente do que os investigadores venham a apurar e, mais tarde, seja provado em tribunal, o que mais me impressiona é como o "empresário" Manuel Godinho surge anos depois de ter feito uma mega trafulhice como se nada tivesse sucedido. Alguém que se envolveu numa operação com vista a obter muitos milhões em reembolsos de iva deveria ter sido banido dos negócios com o Estado ou empresas do Estado. A crer nos resultados da fugas ao segredo de justiça promovida por agentes da justiça tão criminosos como o Manuel Godinho, não só o "empresário" prosperou como circulava com algum à vontade em alguns corredores do poder e da finança.

É por isso que o gesto do ministro das Obras Públicas de mandar investigar os negócios das empresas que tutela não só deve ser considerado importante como deveria ser prática regular de todas as entidades públicas. Aliás, toda e qualquer empresa pertencente a algum empresário que se tenha envolvido em fraudes deveria ser banido de qualquer negócio com o Estado e as empresas públicas. Esta deveria ser uma regra de ouro de todos os governos porque a corrupção não se combate só com leis e muito Menos com um Ministério Público incapaz de dar provas da sua competência.

AVES DE LISBOA

Pato-Mandarim [Aix galericulata]
Local: Quinta das Conchas

FLORES DE LISBOA

No Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian

DISCO COM "BRINDE" ORIGINAL

«Menos de um mês depois de terem chocado meio mundo com o vídeo de ‘Pussy’, em que incluíram cenas de sexo explícito, os alemães Rammstein (que no domingo tocam no Pavilhão Atlântico, em Lisboa) voltam a causar polémica. O motivo é uma edição especial do novo álbum, ‘Liebe ist Für Alle Da’, que será acompanhada por seis dildos, um par de algemas e ainda uma embalagem de lubrificante.

Esta box set, porém, não chegará ao mercado nacional, já que a FNAC (a única grande superfície de produtos culturais) não se manifestou interessada, disse ao CM o seu director de Comunicação, Viriato Filipe. » [Correio da Manhã]

CHEFE DE SERVIÇOS DE FINANÇAS SUSPENSO POR JUIZ

«O juiz de Instrução Criminal da Comarca do Baixo Vouga determinou hoje a suspensão do exercício de funções como funcionário público do arguido Mário Manuel Sousa Pinho, chefe de Repartição de Finanças, no âmbito do processo Face Oculta.

Entre as medidas de coacção aplicadas consta ainda a proibição do arguido de realizar deslocações ao estrangeiro sem autorização prévia da autoridade judicial e contactar, directa ou indirectamente, com os outros arguidos do processo e com um terceiro elemento devidamente identificado, segundo um comunicado lido pelo presidente da Comarca do Baixo Vouga, desembargador Paulo Brandão.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Um sinal preocupante.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao director-geral dos Impostos o que já fez no domínio do combate à corrupção.»

MINISTRO MANDA EMPRESAS PÚBLICAS INVESTIGAR A CORRUPÇÃO

«As empresas tuteladas pelo ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, que directa ou indirectamente estão referenciadas no caso "Face Oculta", têm de constituir comissões de fiscalização e códigos de conduta e, num mês, têm de avaliar o "eventual envolvimento de funcionários ou titulares de altos cargos públicos" no âmbito da Face Oculta.Estas obrigações foram hoje transmitidas pelo recém-empossado ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, António Mendonça, às empresas tuteladas, que "directa ou indirectamente" estejam envolvidas, numa reunião que decorreu hoje.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Um gesto positivo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

FAZENDA AMEAÇA ARMAR-SE EM MINISTRO DA EDUCAÇÃO

«Discursando no Parlamento, durante o segundo dia de debate do Programa do Governo, Luís Fazenda considerou que as palavras do primeiro-ministro, José Sócrates, de que “não pode haver ajustes de contas”, é uma “forma mesquinha de ver o debate político” e de não reconhecimento de “centralidade do Parlamento”.

“Estamos aqui a dizer que o Parlamento, sem negar qualquer possibilidade de intervenção da esfera própria do executivo, a reserva de administração, o papel negocial com os sindicatos, tudo isso será obviamente respeitado, pode assumir capacidade legislativa em relação ao sector da Educação e em relação à querela que o Governo manteve intransigentemente com os professores”, afirmou. » [Público]

Parecer:

Nada mauy para quem está no parlamento porque os eleitores o rejeitaram para vereador da CML de onde o BE foi banido.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

MARCELO EXCITA-SE COM A FACE OCULTA

«“Para o Governo, o desgaste de um processo como este é maior do que no caso Freeport”, antecipa Marcelo. Ao contrário do caso que envolve o primeiro-ministro, a investigação Face Oculta “não é um processo pessoal”, o que impossibilita que haja “vitimização” do PS. “Este é um processo concreto e não é bom para um Governo em funções, porque cai em cima de sectores por si tutelados”, entende o ex-líder do PSD.

Marcelo defende também que Armando Vara fez bem em afastar-se da vice-presidência do BCP face ao seu envolvimento no caso e considera que José Penedos deve também pedir a suspensão das suas funções à frente da REN como forma de “preservar a confiança das pessoas nas instituições”.» [Público]

Parecer:

Começa a ser evidente qual será a estratégia de Marcelo se chegar a líder do PSD.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ofereça-se uma almofada confortável a Marcelo, para que possa continuar a sonhar descansado.»

METRAPOLE

DAMPKRING AMSTERDAM COFFEE

sexta-feira, novembro 06, 2009

A banalização da Presidência da República

Os resultados da sondagens ontem divulgadas que colocam a imagem de Cavaco a níveis típicos de dirigentes partidários significa que com o actual Presidente ocorreu um fenómeno novo, pela primeira vez a imagem do Presidente da República corresponde à do seu titular e não a que resulta da dignidade alcançada pela instituição Presidente da República. A partir de agora o Cavaco Silva é o Cavaco que todos conhecemos e não o Cavaco Presidente da República que desempenha o cargo com o rigor e independência a que os portugueses se habituaram.

Um Presidente que se deixa enredar em artimanhas de assessores anónimos, que durante meses se deixou substituir por assessores de qualidade e formação duvidosa não merece a confiança que os portugueses se habituaram a depositar na figura do Presidente da República. Cavaco esqueceu-se de que quem os portugueses gostavam era do Cavaco Presidente da República, poderia ser o Silva ou outro qualquer que tivessem elegido, não era o Cavaco despido da dignidade do cargo e a fazer política aconselhado por gente como o seu ex-assessor para a imprensa.

Ao contrário do que sucede com um primeiro-ministro, cuja credibilidade depende dele próprio, o Presidente da República beneficia da dignidade da instituição que os portugueses respeitam como o último reduto da democracia. A partir do momento em que os portugueses tiveram a percepção de que Cavaco poderá ter esquecido o seu papel para assumir um outro no domínio da luta política, perdeu a protecção de que beneficiava e passou a valer por si próprio.

Resta saber se Cavaco tem condições para retomar o cargo nos termos que os portugueses que nele votaram estavam à espera ou se esta banalização é tão irreversível quanto a imagem idiota com que ficou quando decidiu não dar tolerância de ponto na Terça-feira de Carnaval.

Quando era primeiro-ministro Cavaco sempre desejou ser Presidente da República, agora que chegou a ser Presidente ficou evidente que tem saudades do poder do primeiro-ministro e, pior do que isso, parece não ter resistido à tentação de acumular os dois cargos ainda que assumindo o de primeiro-ministro recorrendo a uma terceira pessoa, ainda por cima uma política de credibilidade e competência duvidosa.

Agora Cavaco Silva não só não é primeiro-ministro como tem de aturar aquele que tanto desejou ver pelas costas, e como se isto não bastasse é um Presidente que muitos portugueses deixaram de o ver enquanto tal, mesmo depois de vários discursos e encenações, como as comemorações paralelas montadas no Palácio de Belém.

Quem torto nasce tarde ou nunca se endireita e o Cavaco Silva que vemos hoje é bem mais genuíno do que aquele que andava a passear no roteiro da exclusão, é o Cavaco ambicioso por poder e calculista de sempre. Só que agora não tem os fundos comunitários à sua disposição nem pode inaugurar obras ou aumentar pensões antes das eleições, o mais que pode fazer é discursos lamechas em que muitos já não acreditam.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Relógio da "Brasileira do Chiado"

IMAGEM DO DIA

[Jeff J. Mitchell/Getty Images]

«The coffin of Corp. Thomas Mason was carried into Trinity Parish Church in Cowdenbeath, Scotland, Thursday. He was struck by an improvised explosive device in Kandahar province, Afghanistan, on Sept. 15.» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Pacheco Pereira

Pacheco Pereira aproveitou a sua primeira intervenção no parlamento para baixar o nível do debate aproveitando o processo Face Oculta para fazer oposição. De quem gosta tanto de se armar em político sério foi uma desilusão. Só se compreende e perdoa parcialmente o gesto de Pacheco Pereira por o conselheiro de Manuela Ferreira Leite ainda não ter conseguido porque razão Manuela Ferreira Leite perdeu as eleições, ela que pouco mais disse do que o que o pensador do PSD lhe mandou dizer.

MAIS UM PASSO DO GRANDE LÍDER

Líder comunista que se preze promove o culto da personalidade.

AVES DE LISBOA

Estrelinha-de-cabeça-listada [Regulus ignicapilla]
Local: Estádio Universitário

FLORES DE LISBOA

No Jardim Botânico

TRÓS-PÓS-PÓS...BUM

«A União Europeia acaba de divulgar um novo documento de trabalho, o European Economic Forecasts - Autumn 2009. Desse relatório destaco três indicadores previsionais: o da taxa de crescimento do PIB, o do défice público anual e o do total da dívida pública emitida (‘outstanding'). De acordo com a previsão, Portugal, em comparação com a média dos países quer da Europa quer da zona do euro, irá crescer menos em 2010 e 2011, vai apresentar défices públicos mais acentuados e vai acabar com um saldo de dívida pública directa em piores condições.

Mas a sensação que tenho é que nestes relatórios há a assumpção de que os investidores irão financiar estes enormes défices públicos sem fazerem contas, porque são insensíveis ao risco. Temo que nos modelos de previsão o capital não seja escasso, nem o prémio de risco variável. Isto é, assumem que, num mundo global em que os países disputam diferentes oportunidades de investimento e dão diferentes garantias de pagamento, todos mantêm a sua confiança eterna nos mesmos governos europeus. Enganam-se bem. As expectativas alteram-se rapidamente e eu só temo que estejamos a preparar uma enorme explosão. Se assim for, vendam pelo menos uns bilhetes a uns senhores estrangeiros para assistirem à enorme explosão de Portugal.» [Diário Económico]

Parecer:

Por João Duque.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

SOMOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

«Realizado por 17 funcionários da Câmara Municipal de Portimão, que levaram três meses e meio de ensaio para conjugarem as vozes, o vídeo com o hino já se tornou um fenómeno no Youtube.
Segundo Adriano Pereira, o autor da letra, o objectivo é desmistificar uma ideia generalizada: “que os funcionários públicos não trabalham”. “Um dia destes, quando fomos tomar o café, às 10 horas, naqueles cinco minutos que temos, surgiu esta ideia. Decidi então abordar a questão das classificações dos funcionários, a burocracia que é pedir qualquer material para um serviço ou até o uso generalizado do email”, explicou, ao JN, aquele que é o quarto funcionário a surgir no vídeo. »
[Jornal de Notícias]

O QUERERÁ TEIXEIRA DOS SANTOS DIZER COM "MULTIBANCO"

«O Governo garantiu hoje que tudo fará para que não venha a ser cobrada uma taxa pela utilização do cartão de multibanco, referindo-se ao levantamento de dinheiro nos terminais ATM.

A afirmação foi hoje feita pelo ministro das Finanças no debate do Programa do Governo, na Assembleia da República, mas acabou por lançar a confusão entre quem ouvia Teixeira dos Santos, que não foi claro sobre qual a utilização do cartão multibanco a que se referia: se ao pagamento por compras efectuadas, de que se tem falado nos últimos dias, se ao levantamento nos ATM.» [Público]

Parecer:

Primeiro aprovam-se as taxas e agora vai-se combater a sua aplicação?

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Diga-se a Teixeira dos Santos que de um ministro das Finanças espera-se mais rigor na linguagem.»

PACHECO PEREIRA NO SEU PIOR

«Pacheco Pereira lançou o processo 'Face Oculta' no debate parlamentar e exigiu ao Governo explicações sobre as relações entre os gabinetes ministeriais e os interesses económicos. Sócrates não gostou e avisou o deputado social-democrata de que a Assembleia da República "não é a Quadratura do Círculo".

'Quando se verifica a existência de uma rede tentacular em empresas públicas, que são em última instância responsabilidade dos primeiros responsáveis políticos, ministros e secretários de Estado (...) existe responsabilidade política nos governantes que fizeram as escolhas para a gestão dessas empresas', afirmou Pacheco Pereira, exigindo que o Governo esclareça 'as relações entre os gabinetes ministeriais e os grupos económicos numa fase da governação em que há pouca transparência sobre essa matéria'.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Será que é este o verdadeiro Pacheco Pereira.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Pacheco Pereira que tome uma Alka-Seltzer para o ajudar a superar a digestão difícil da pesada derrota eleitoral do PD.»

JOSÉ PENEDOS NÃO QUER SAIR

«Depois de Armando Vara, um dos arguidos no processo, ter anunciado a suspensão do seu mandato, o Governo dá sinais de incómodo quanto à presença de José Penedos na liderança da REN. O ministro da Economia diz que o Executivo está à espera de mais informação "para tomar uma decisão adequada". Mas o gestor continua a resistir às pressões.

De momento, todas as hipóteses continuam em aberto quanto ao futuro de José Penedos na liderança da REN - Redes Energéticas Nacionais. Mas não será por muito tempo. É que o Executivo começa a dar sinais públicos de incómodo sobre a sua permanência na empresa.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Culpado ou inocente José Penedos não tem alternativa à saída da REN, a sua presença só o prejudica a si próprio e a quem o designou.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se um empurrão.»

target="_blank"KARA

FLEGGAARD: WHAT WOMAen REALLY WANT

MICROSOFT