sábado, dezembro 05, 2009

Segredos, mentiras e justiça

Esta combinação entre politização da justiça, políticos em desespero e magistrados incompetentes transformou a justiça na palhaçada nacional, já ninguém confia nos tribunais, nos seus sacerdotes de toga, nos polícias, nos sindicalistas e para-sindicalistas das magistraturas e em tordos os intervenientes deste circo. Basta olhar os processos mais mediáticos de fora e concluímos que a farsa justiceira está cheia de incoerências.

Começamos a ter a sensação de que acima do porteiro todos os dirigentes partidários conhecem o conteúdo das escutas, sabem que se houvesse algo de criminoso seria investigado como sucedeu com o caso Freeport. Mas como também sabem que não havendo nada para saber ninguém está interessado na divulgação, todos exigem a sua divulgação já que assim sempre promovem a suspeição. Alguém pôs a circular um documento e eis que alguém vem logo dizer que são falsas as supostas transcrições das escutas a Sócrates. Mas não é o MP que faz o desmentido, é a TVI, uma televisão que parece ter um gabinete dentro do MP quem vem dar as explicações. Até parece que os magistrados do processo delegaram competências nos jornalistas da TVI.

Mas no que se refere às supostas escutas em que se ficou a saber que Vara tinha recebido dez mil euros já ninguém veio depois a desmentir que tudo era falso, nem antes nem depois de os arguidos terem tido acesso ao processo, ainda houve um jornal que tentou atirar-nos poeira para os olhos dizendo que o MP podia ter provas em segredo, mas a mentira teve perna curta. A verdade é que tudo leva a crer que Vara foi mantido como arguido não para sua defesa, como dizem os princípios da justiça, mas sim para que os magistrados defendam a sua honra e se possam defender das consequências da aplicação da lei da responsabilidade civil. Agora vão ter que criar uma estrangeirinha para se livrarem de pagar uma indemnização a Armando Vara.

E o que dizer da suspeitas de realização abusiva de escutas a um primeiro-ministro? Quando alguém se lembrou de dizer que os magistrados poderiam responder em processo disciplinar por tal abuso foi o que se viu, organizou-se uma procissão de magistrados, sindicalistas, políticos amigos, penalistas, catedráticos e fiscalistas para defender a bondade da actuação do voyeur de toga. Que as escutas não eram a Sócrates e que quem falasse com Vara sujeitava-se a ser escutado, o voyeur de toga não tinha culpa.

Mas, tanto quanto sei as redes telefónicas não são como as de antigamente em que para fazer a escuta era necessário ligar um gravador a um fio. As actuais redes telefónicas são digitais e tudo é gerido com recurso a software. Então porque ninguém se lembrou de fazer a pergunta mais elementar: é possível programar as escutas a um telefone excluindo alguns números dessa escuta? Se tal for possível a partir do momento em que o magistrado se apercebeu de que o primeiro-ministro estava a ser escutado deveria solicitar a exclusão do número usado pelo primeiro-ministro. Se o podia fazer e não o fez a desculpa da inevitabilidade cai por terra, o magistrado fez as escutas intencional e abusivamente e deveria ser sujeito a um processo disciplinar cuja conclusão inevitável seria a demissão.

Mas se as escutas eram evitáveis e foram um trabalho sujo o que se pode concluir é que anda por aí muita gente a prescindir dos mais elementares princípios da democracia. Nesta democracia quem parte e reparte e não fica com a melhor parte ou é estúpido ou não tem arte. E anda por aí muita gente a viver à custa da democracia.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

À espera da hora do render da guarda a Belém, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[Philipp Guelland-AFP/Getty Images]

«Ring-tailed lemurs nibble dried fruits out of a Santa Claus boot at the animal park Hagenbeck in Hamburg, Germany. Zookeepers gave the nine lemurs boots full of fruits as a pre-Christmas surprise. » [The Washington Post]

JUMENTO DO DIA

Procurador da Comarca do Baixo Vouga

Se as escutas que fez abusivamente a José Sócrates indicia um crime então teremos de concluir que quase todos os portugueses que conversam com um amigo são suspeitos de cometerem crimes, é uma questão de serem escutados por um procurador com imaginação criativa, para não dizer por um procurador que os queira incriminar a qualquer custo.

VERDAEIRAS OU FALSAS

Desde há uns tempos que Portugal assiste a sucessivas manobras de contra-informação envolvendo altas personalidades, como se viu no caso das falsas escutas a Belém:

Agora dizem que as transcrições são falsas:

«O documento colocado a circular na Internet com a suposta transcrição de três conversas telefónicas entre Armando Vara e José Sócrates é falso. A notícia foi avançada pelo «Público» e confirmada pelo tvi24.pt junto de fontes judiciais.

Os três excertos de conversas, alegadamente interceptados no âmbito do processo «Face Oculta», surgem em duas páginas digitalizadas em papel com o timbre da «Comarca do Baixo Vouga, Serviços do Ministério Público».

De acordo com informações recolhidas pelo tvi24.pt, as escutas telefónicas não são transcritas em papel do Ministério Público, mas em papel da Polícia Judiciária.

Por outro lado, o facto de as folhas não estarem numeradas e de não se fazer alusão ao alvo escutado, bem como de os diálogos surgirem muito «arrumados», como se de um guião se tratasse, reforçam a tese da sua falsidade. » [Portugal Diário]

Veremos se são mesmo falsas ou se alguém ficou atrapalhado. O curioso é que até ao momento não vi um desmentido da Procuradoria-Geral da República.

O SORTEIO DO MUNDIAL DE FUTEBOL

O Brasil B vai jogar contra o Brasil A.

À NOSSA GUARDA

«Mas esperem: ainda não acabou. Há uma mulher morta dentro de uma ambulância, uma criança ferida junto à mãe morta pelo pai, isto tudo à porta de um posto da GNR, e que se passa a seguir? Passa-se que os agentes da GNR tiram a caçadeira ao assassino e levam-no para dentro do posto, sem sequer o algemarem, sem sequer o revistarem. Dentro do posto o homem saca de outra arma e dispara. Um guarda morre, outro é ferido. Dizem-me isto as notícias, dizem-me até que o sindicato dos profissionais da GNR se queixou perante isto de "falta de meios". Falta de - eu li isto? - "coletes à prova de bala".

O sindicato não disse "tem de haver um apuramento de responsabilidades, uma pessoa não pode ser morta à porta de um posto da GNR depois de ter feito queixa do homem que a matou". O sindicato não disse "a polícia serve para proteger as pessoas e para cumprir a lei, isto nunca podia ter acontecido." O sindicato não disse "queremos saber como foi possível que aquele homem entrasse armado no posto e matasse o nosso colega". O sindicato não disse nada disto e o ministro da Administração Interna, que tutela a GNR e os bombeiros, também não. Se disseram não ouvi, não li, não sei. Como não sei de anúncio de relatório público sobre o que sucedeu, ou de garantia de que os filhos desta mulher vão ser indemnizados pelo Estado à guarda de quem estava quando foi assassinada.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Fernanda Câncio.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

FERNANDO LIMA REAPARECEU

«Referenciado no caso das escutas a Belém como a fonte da notícia que muita tinta fez correr nos jornais, Fernando Lima escolheu a cerimónia de inauguração da Árvore de Natal em Belém para fazer a primeira aparição pública desde que foi afastado do cargo de assessor para a Comunicação Social de Cavaco Silva. » [Correio da Manhã]

Parecer:

É pena que não tenha aparecido disfarçado de rena.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Cavaco que faça de Pai Natal.»

FALTA DE IMAGINAÇÃO...

«Manuela Ferreira Leite comemorou ontem 69 anos com uma festa na sede do PSD. Os funcionários ofereceram-lhe uma echarpe de seda, um bolo e cantaram-lhe os parabéns.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Digamos que aos 69 anos a líder do PSD merecia uma prenda com mais imaginação.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ofereça-se uma prenda criativa a Manuela Ferreira Leite, algo com que ela possa brincar.»

O PSD QUER MESMO ACOMPANHAR A CORRUPÇÃO

«Lima de Carvalho, arguido no caso da Universidade Independente (UNI), revelou hoje em tribunal que o dinheiro da UNI serviu para financiar uma campanha política do PSD, a eleição de Rogério Alves para bastonário dos advogados e pagar viagens de deputados.

Amadeu Lima de Carvalho, accionista maioritário da SIDES (empresa detentora da extinta UNI), falava no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), na instrução do caso UNI, em que é acusado de 46 crimes, incluindo branqueamento de capitais, burla qualificada, corrupção e fraude fiscal.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Já tem por onde começar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se o empenho pessoal de Manuela Ferreira Leite.»

MILITARES CORREM NA ESTRADA SEM COLETES REFLECTORES

«O condutor seguia na direcção Tancos - Praia do Ribatejo e a coluna militar vinha no sentido contrário. O acidente deu-se quando o condutor se apercebeu da presença de um primeiro soldado, do qual se desviou para a faixa da esquerda, mas quando fez a viatura voltar à faixa da direita acabou por atropelar a coluna que vinha na sua direcção.

O condutor afirma que a escuridão que se fazia sentir e o facto de os militares não trazerem coletes reflectores, foram as causas que o impediram de evitar o acidente. "quando me apercebi já estava em cima dos soldados", afirmou à SIC, negando estar cansado e afirmando "que a culpa é dos soldados que estavam na estrada sem sinalização alguma". "Eles não traziam sinalização e vestiam um camuflado escuro", disse.» [Diário de Notícias]

Parecer:

A tropa parece ter um desprezo olímpico pela segurança dos soldados que estão nos treinos. É inaceitável que uma coluna de soldados marche numa estrada sem usarem coletes reflectores e sem que a sua presença seja assinalada aos automibistas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «apurem-se responsabilidades.»

O OUTRO LADO DAS FARC

«É o lado das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) que a guerrilha gostava de nunca ver revelado. Festas e bebedeiras, viagens pagas a prostitutas, oferta de operações plásticas, recruta de crianças e execuções sumárias. É a realidade que os militares descobriram nos 42 computadores e mais de uma centena de dispositivos de armazenamento de dados apreendidos nas operações desde 2005 e que agora foi divulgada pela revista colombiana Semana.

"Uma debilidade não invalida toda uma vida de luta, mas mancha-a", escreveram os membros do Secretariado das FARC a Jhon 40, depois de criticarem os seus gastos. Num documento, as autoridades descobriram que terá pago 122 milhões de pesos entre 2006 e 2007 em bilhetes de avião para levar prostitutas desde Antioquia até aos acampamentos em várias áreas de La Macarena. » [Diário de Notícias]

Parecer:

Outra coisa não era de esperar destes traficantes de cocaína, só é pena que quanto estiveram na Festa do Avante não tenham trazido as suas prostitutas pagas com o dinheiro da cocaína e do negócio dos raptos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Jerónimo de sousa se já foi convidado para "ira às putas" à selva colombiana.»

PELA BOCA MORRE O PEIXE

«O ex-bastonário da Ordem dos Advogados Rogério Alves disse hoje, sexta-feira, ser "absolutamente falso" a declaração de Lima de Carvalho, arguido no caso da Universidade Independente, de que dinheiro da instituição serviu para financiar a sua eleição, entre outros fins.

"É uma mentira grosseira, é completamente falso", declarou à agência Lusa Rogério Alves, reagindo às declarações de Amadeu Lima de Carvalho, accionista maioritário da SIDES (empresa detentora da extinta UNI), no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), na instrução do caso UNI.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Seria interessante se Rogério Alves se abstraísse do envolvimento do seu nome e procedesse à análise destas suspeitas seguindo os mesmos critérios que usou ao comentar as escutas a José Sócrates.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se a Rogério Alves que faça o exercício.»

E OS SINDICALISTAS DA TOCA TAMBÉM FICARAM ATRAPALHADOS

«O presidente da Associação Sindical dos Juízes Portugueses esclareceu esta sexta-feira, para evitar «quaisquer especulações», que as duas campanhas em que encabeçou listas à ASJP «nunca tiveram financiamento de qualquer instituição».

O esclarecimento de António Martins à agência Lusa surge após Amadeu Lima de Carvalho, arguido no processo da Universidade Independente (UNI), ter afirmado em tribunal que dinheiros da UNI foram utilizados para financiar viagens de deputados, a eleição de um bastonário dos advogados, uma campanha política do PSD em Santarém e uma campanha da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP), através da mulher do então vice-reitor Rui Verde, a juíza Isabel Magalhães.

«Não vindo referida na notícia qual a campanha, ou seja, em que ano é que se situará o financiamento referido pelo arguido, nem qual a lista que terá sido financiada, considero abusiva qualquer interpretação que se venha a fazer pretendendo ligar tal financiamento à actual Direcção da ASJP ou a qualquer direcção do passado», sublinhou António Martins.» [Portugal Diário]

Parecer:

A verdade é que seguindo os critérios das togas do Baixo Vouga os sindicalistas da toca já deviam ter sido constituídos por corrupção passiva. É uma questão de dizer agora o que os sindicalistas da toga e outros espertalhões cá da praça disseram a propósito das escutas a Sócrates.

Depois do que andaram a dizer das escutas a Sócrates merece um sorriso ouvir o senhor António Martins ameaçar que qualquer interpretação é abusiva. Pois é caro magistrado, só que aqui não há interpretações, há um facto, alguém testemunhou. Diria a mesma coisa se a acusação tivesse sido dirigida a Sócrates?

O que o senhor magistrado deveria dizer nestas condições é que os senhores da toga não estão acima da justiça nem devem haver suspeições e exigir ao Procurador-Geral a abertura de um processo e uma investigação rigorosa. Os sindicatos ou para-sindicatos não servem para ajudar os seus a escaparem da justiça nem para condicionar as interpretações de afirmações cristalinas.

Pois é, pela boca morre o peixe.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento a Pinto Monteiro e à conhecida superprocuradora para abram os respectivos processos.»

MAIS UMA TROPELIA DO SÓCRATES?

«Miguel Sousa Tavares, actual comentador do Jornal Nacional da TVI, vai deixar a estação de Queluz, confirmou ao PÚBLICO o director de informação Júlio Magalhães.» [Público]

Parecer:

Quase aposto.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Sócrates se pressionou Balsemão para contratar Sousa Tavares.»

BORIS SOLOVIEV

MAMÃE, O QUE SIGNIFICA SER VIRGEM?

LE MONDE MAGAZINE

sexta-feira, dezembro 04, 2009

A sucata da Nação

Em Portugal há cada vez mais dois países, o das empresas, dos trabalhadores, dos que procuram emprego, dos que estudam e ensinam, dos que com as suas ambições e anseios fazem-no andar, e há um outro cheio de gente que nasceu de cu para o ar, em regra procuraram profissões tranquilas, beneficiaram das vantagens de pertencerem às elites e asseguraram um lugar numa qualquer confraria.

Há um país onde se enfrentam problemas, onde os gestores se contorcem para reduzir custos, procuram mercados para escoar os seus produtos assegurando emprego estável aos seus trabalhadores, onde os professores procuram optimizar os recursos dando o seu melhor, onde os funcionários públicos se esforçam por modernizar o Estado apesar dos mau tratos que lhes são infligidos por tudo quanto é gato pingado que chega ao governo.

Num país há problemas e tentam resolver-se, no outro inventam-se problemas para juntar aos que já existem e dificultar a sua resolução. Nesse país da treta surgem comentadores angariados para defender interesses não declarados, há maus cidadãos que se esquecem de entregar declarações de IRS ou transformam casas de habitação em salões de yoga à margem da lei e e aproveitando-se das suas insuficiências para depois virem armar-se em paladino da cidadania e do combate à corrupção, há consultores que lançam farpas aos governantes para que estes os comprem com tachos governamentais, há jurisconsultos que se põem em bicos de pés junto às câmaras das televisões na esperança de virem a ganhar mais uns clientes para os seus longos e doutos pareceres.

Enquanto num país o IRS, o IRC, o IMI e o IMT nos levam o sangue no outro ganham-se pequenas fortunas a dizerem-se baboseiras televisivas declaradas como trabalho intelectual e tributadas a 50%, fazem-se pareceres da treta que se sabem virem a terem bom acolhimento no fisco porque os famosos jurisconsultos têm o poder das televisões para destruir os que no Estado lhes façam frente.

Mas, pior do que tudo, o que condiciona os debates, o que anima os assessores de Belém, o que estimula a líder do PSD, o que excita os jornalistas é o país das elites da treta, dos que há décadas que vivem à custa do país e que nos impõem uma agenda política condicionada pelos seus próprios interesses.

O problema do país não é saber se a procuradora Maria José tem vista para o campo ou para o rio, se Marcelo deve ou não fazer pareceres prejudicando o negócio de Saldanha Sanches ou se o cadeira do presidente do colectivo num tribunal deve ser de couro ou de pau. O grande problema do país reside no subdesenvolvimento, na incapacidade de dar a todos os seus cidadãos a igualdade de oportunidade, de proporcionar aos jovens uma perspectiva animadora para o futuro, de proporcionar uma vida digna aos seus idosos. É verdade que alguns dos problemas que servem de tema para debate estão na origem deste problema, mas muitos dos que dizem combater males como a corrupção fazem mais parte dessa realidade do que da sua solução, vivem de um imenso esquema corrupto que permite que as nossas elites da treta vivam à grande e à francesa à custa dos mais pobres.

Quando o país se entretém a mexer na sucata é pena que não se perceba que muitos dos que têm aparecido são igualmente a sucata deste país, só é que uma sucata fina, que não conseguimos reciclar e que decide uma boa parte do futuro deste país.

Umas no cravo e outras tantas na ferradura

FOTO JUMENTO

Fragata D. Fernando II e Glória

IMAGEM DO DIA

[Dan Kitwood/Getty Images]

«INDOOR SKI PARK: People visited Ski Dubai, a large indoor snow park, in the United Arab Emirates Thursday» [The Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Manuela Ferreira Leite

Quando um partido da direita aprova uma proposta da extrema-direita para condenar quem tem dinheiro algo está mal. Ao contrário de Pinto Balsemão que diz que o PSD está a suicidar-se lentamente acho que com Manuela Ferreira Leite na liderança tem um cancro galopante.

PORTUGAL VALE A PENA

«Eu conheço um país que tem uma das mais baixas taxas de mortalidade de recém-nascidos do mundo, melhor que a média da União Europeia.

Eu conheço um país onde tem sede uma empresa que é líder mundial de tecnologia de transformadores.

Mas onde outra é líder mundial na produção de feltros para chapéus. Eu conheço um país que tem uma empresa que inventa jogos para telemóveis e os vende para mais de meia centena de mercados.

E que tem também outra empresa que concebeu um sistema através do qual você pode escolher, pelo seu telemóvel, a sala de cinema onde quer ir, o filme que quer ver e a cadeira onde se quer sentar.

Eu conheço um país que inventou um sistema biométrico de pagamentos nas bombas de gasolina e uma bilha de gás muito leve que já ganhou vários prémios internacionais.E que tem um dos melhores sistemas de Multibanco a nível mundial, onde se fazem operações que não é possível fazer na Alemanha, Inglaterra ou Estados Unidos. Que fez mesmo uma revolução no sistema financeiro e tem as melhores agências bancárias da Europa (três bancos nos cinco primeiros).

Eu conheço um país que está avançadíssimo na investigação da produção de energia através das ondas do mar. E que tem uma empresa que analisa o ADN de plantas e animais e envia os resultados para os clientes de toda a Europa por via informática.

Eu conheço um país que tem um conjunto de empresas que desenvolveram sistemas de gestão inovadores de clientes e de stocks, dirigidos a pequenas e médias empresas.

Eu conheço um país que conta com várias empresas a trabalhar para a NASA ou para outros clientes internacionais com o mesmo grau de exigência. Ou que desenvolveu um sistema muito cómodo de passar nas portagens das auto-estradas. Ou que vai lançar um medicamento anti-epiléptico no mercado mundial. Ou que é líder mundial na produção de rolhas de cortiça. Ou que produz um vinho que "bateu" em duas provas vários dos melhores vinhos espanhóis.

E que conta já com um núcleo de várias empresas a trabalhar para a Agência Espacial Europeia. Ou que inventou e desenvolveu o melhor sistema mundial de pagamentos de cartões pré-pagos para telemóveis. E que está a construir ou já construiu um conjunto de projectos hoteleiros de excelente qualidade um pouco por todo o mundo.

O leitor, possivelmente, não reconhece neste País aquele em que vive - Portugal.

Mas é verdade. Tudo o que leu acima foi feito por empresas fundadas por portugueses, desenvolvidas por portugueses, dirigidas por portugueses, com sede em Portugal, que funcionam com técnicos e trabalhadores portugueses. Chamam-se, por ordem, Efacec, Fepsa, Ydreams, Mobycomp, GALP, SIBS, BPI, BCP, Totta, BES, CGD, Stab Vida, Altitude Software, Primavera Software, Critical Software, Out Systems, WeDo, Brisa, Bial, Grupo Amorim, Quinta do Monte d'Oiro, Activespace Technologies, Deimos Engenharia, Lusospace, Skysoft, Space Services. E, obviamente, Portugal Telecom Inovação. Mas também dos grupos Pestana, Vila Galé, Porto Bay, BES Turismo e AmorimTurismo.

E depois há ainda grandes empresas multinacionais instaladas no País, mas dirigidas por portugueses, trabalhando com técnicos portugueses, que há anos e anos obtêm grande sucesso junto das casas mãe, como a Siemens Portugal, Bosch, Vulcano, Alcatel, BP Portugal, McDonalds (que desenvolveu em Portugal um sistema em tempo real que permite saber quantas refeições e de que tipo são vendidas em cada estabelecimento da cadeia norte-americana).

É este o País em que também vivemos.

É este o País de sucesso que convive com o País estatisticamente sempre na cauda da Europa, sempre com péssimos índices na educação, e com problemas na saúde, no ambiente, etc.

Mas nós só falamos do País que está mal. Daquele que não acompanhou o progresso. Do que se atrasou em relação à média europeia.

Está na altura de olharmos para o que de muito bom temos feito. De nos orgulharmos disso. De mostrarmos ao mundo os nossos sucessos - e não invariavelmente o que não corre bem, acompanhado por uma fotografia de uma velhinha vestida de preto, puxando pela arreata um burro que, por sua vez, puxa uma carroça cheia de palha. E ao mostrarmos ao mundo os nossos sucessos, não só futebolísticos, colocamo-nos também na situação de levar muitos outros portugueses a tentarem replicar o que de bom se tem feito.

Porque, na verdade, se os maus exemplos são imitados, porque não hão-de os bons serem também seguidos?» [Revista Exportar via SIAP 2009]

Parecer:

Por Nicolau Santos.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

VOU FAZER O ÓNUS DA PROVA

«Porto-Chelsea, na semana passada. No banco, sem jogar, ficou Hulk. Ele é a surpresa que o Porto foi comprar a um obscuro clube japonês e que maravilhou tanto que já joga na melhor selecção do mundo, a brasileira. A meio da segunda parte, quando, enfim, Hulk entrou, era natural que o jornalista, que relatava o encontro para milhões, falasse da simples expectativa, da emoção... Porém, foi isto o que ele disse: "Agora, vamos ver se o equilíbrio táctico do FC Porto se mantém." Lá em casa, milhões de portugueses abriram os estiradores, pegaram no compasso e puseram-se a analisar se o "equilíbrio táctico" se mantinha. Estudaram se o FC Porto passou a jogar em 4X3X3 ou se lançou na táctica do losango... Acham que foi assim? Acham que os portugueses e portuguesas que gostam de futebol se dedicam a contas algébricas e disposições geométricas? Soube, ontem, definitivamente, que não. Ontem, foi lançado o livro de 30 Anos de Mau Futebol, de João Pombeiro, sobre frases no meio futebolístico. E é lá que li que o treinador Jorge Jesus - neste país onde se fala da táctica do losango como linguagem comum - disse, um dia: "Vocês os três... façam um quadrado!" Portanto, doutores de futebolês desamparem-me a loja (e, já agora, os de jurisdicismo agudo podem ir junto). » [Diário de Notícias]

Parecer:

Por Ferreira Fernandes.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

AGARREM-SE!

«Quando estive na tropa, um certo dia o comandante de pelotão mandou-me dar Ordem Unida (ensinar a rapaziada a marchar) em plena tarde de um Agosto ardente, numa parada de alcatrão a fumegar debaixo das chispas de um sol abrasador. A razão dele foi simples: "- Quando 40 homens estão para aí, ociosos, começam a dizer mal da tropa!"

Dei ordem de "- Está a reunir!" seguida de "- Em frente, marche..." e assim se calaram aqueles jovens, quase da minha idade, e que, de facto, diziam mal da tropa como eu... Todos nos calámos e assim ocupámos mais uma hora das nossas vidas sem "dizer mal da tropa".

Nas ruas das cidades espanholas não há comandantes de companhia para os mandar perfilar, e marchar para a frente e para trás. Há perigosos ‘drug dealers', há entusiastas fanáticos que facilmente vendem a ira, a raiva e o entusiasmante incentivo à destruição de quem não tem mais do que a mesada dos pais para viver, mas já tem a vergonha de uma idade de querer e não ter para fazer.» [Diário económico]

Parecer:

Por João Duque.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

FERREIRA LEITE FEZ "O" 69

«A presidente do PSD, Manuela Ferreira Leite, completa hoje 69 anos, dia em que o seu partido apresenta um pacote anticorrupção na Assembleia da República.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Como diria Mota Amaral "um bonito número".

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Informe-se Ferreira Leite que os funcionários públicos são obrigados a aposentar-se quando atingem os 90 anos.»

O SUICÍDIO LENTO DO PSD

«O militante número um do PSD, Francisco Pinto Balsemão, afirmou esta quarta-feira à noite que PSD "andou um tanto a reboque dos impulsos do pêndulo da História" nas últimas três décadas. E alertou para se sair de um impasse que pode levar, no limite, a "um lento suicídio".

Numa iniciativa do Instituto Fransciso Sá Carneiro, o antigo primeiro-ministro considerou:'É difícil dizermos o que distingue verdadeiramente o PSD, qual a nossa identidade ideológica, que grandes temas ou causas defendemos, que propostas e projectos fazemos para o futuro de Portugal e dos portugueses'. » [Correio da Manhã]

Parecer:

O PSD está a suicidar-se lentamente desde o tempo em que Cavaco Silva o liderou, suicidou-se secando.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Prepare-se o funeral.»

GAYS NÃO VÃO PARA O CÉU

«Os homossexuais e os transexuais "não entrarão jamais no Reino dos Céus", disse o cardeal Javier Lozano Barragan, antigo "ministro da Saúde" do Vaticano, acrescentando que "apesar de tudo são pessoas e que é preciso respeitá-las".

O cardeal explicou que "não é ele que o diz, mas São Paulo", segundo revelou a agência italiana Ansa. "Não nascem homossexuais, tornam-se. Por diferentes razões, questões de educação, porque não desenvolvem a sua própria identidade durante a adolescência. Talvez não sejam culpados, mas agir contra a natureza e a dignidade do corpo é uma ofensa a Deus."» [Diário de Notícias]

Parecer:

Não perdem nada, a não ser que estejam interessados em ter os três pastorinhos como companhia até à eternidade.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

UM BOM EXEMPLO DA TACANHEZ NACIONAL

«A polémica ganhou asas, mas a etapa portuguesa da Red Bull Air Race em 2010 pode nem sequer chegar a levantar do chão. Segundo uma fonte ligada ao processo de negociação com a Câmara de Lisboa, o modo "regionalista e primário" como as instituições do Porto estão a reagir à transferência da prova para Lisboa, incluindo o apelo ao boicote dos patrocinadores, poderá levar a empresa austríaca a desistir de realizar a prova em Portugal.

"Parece que, no Norte, as pessoas preferem ver a prova em Espanha do que em Lisboa", lamentou aquela fonte, de acordo com a qual a transferência da corrida aérea para a capital não implica qualquer acréscimo da comparticipação do Estado. "Teoricamente, e tendo em conta os instrumentos disponibilizados a Lisboa para rentabilizar a prova junto dos patrocinadores privados, o apoio do Estado até pode ser inferior, uma vez que Lisboa é um palco capaz de atrair mais parceiros internos e externos", explicou.» [Público]

Parecer:

Este provincianismo começa a enjoar, um dia destes os lisboetas deveriam boicotar todas as marcas do Porto.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se a proposta no caso de a prova se mudar para Espanha.»

STEFAN KUNTCHEV

VODKA