sábado, dezembro 04, 2010

O último a sair que apague a luz?


O mesmo país que num dia investe nas Novas Oportunidades, que promove um MBA com ambições de ter dimensão internacional, que diz apostar na inovação, vê todos os dias saírem numerosos jovens qualificados para o estrangeiro, alguns deles os melhores alunos das nossas universidades. E se os jovens equacionam cada vez mais abandonar o país outros são atingidos fortemente nos seus rendimentos em nome de uma austeridade com tiques bloquistas.

Portugal tinha duas incubadoras de quadros, as universidades formavam jovens e a Administração Pública dava a muitos destes jovens a experiência que os tornava quadros apetecíveis para o sector privado. Agora as universidades formam jovens para emigrarem e muitos dos altos quadros da Administração Pública equacionam a hipótese de abandonar a Função Pública onde são cada vez pior remunerados e humilhados por um bando de jovens boys vindos dos escritórios de advogados da capital especializados na sua maior parte em gestão de influências. E enquanto o país vê uma boa parte dos quadros que formou irem para o estrangeiro, a ministra da Educação orgulha-se dos diplomas das Novas Oportunidades que vai distribuindo.

É evidente que muitos destes jovens nunca ficariam em Portugal, dificilmente algum deles trocaria um lugar numa grande universidade americana onde se pode ganhar 200 mil dólares no início da carreira por um vencimento de professor numa universidade portuguesa onde se ganha menos do que se paga na secretaria de Estado a uma jovem licenciada em direito amiga do detentor da pasta, ainda por cima correndo o risco de sofrer cortes salariais para compensar a incompetência alheia.

No calor do debate político e num ambiente de medo colectivo por causa da ameaça do papão FMI ninguém pensa nas consequência de uma política económica gerida em função de objectivos de visão curta e pressionada pelas oscilações dos indicadores financeiros. Neste ambiente populista o governo tenta transformar decisões miseráveis em políticas exemplares, enquanto a mesma oposição que dantes se divertia a aprovar mais despesas agora acobarda-se e engole todas as medidas que signifiquem redução da despesa ou aumento da receita.

Só que passado este período de irracionalidade colectiva o país regressará a um período de sanidade mental e nessa ocasião serão evidentes os prejuízos provocados pelo oportunismo com que se tentou compensar o desespero colectivo. O país terá perdido jovens qualificados e promissores, o Estado terá assistido à aposentação de uma boa parte dos seus quadros superiores e à desmotivação dos restantes. Nessa ocasião teremos de nos interrogar sobre como fixar os melhores quadros no país, pondo fim à contínua sangria da inteligência nacional.

Que apoio e oportunidades têm os jovens que querem lançar iniciativas empresarias, quanto investe o país em capital de risco, que medidas fiscais foram adoptadas para criar um ambiente favorável à sobrevivência de novas empresas, que apoios dá o Estado a novas empresas tecnológicas criadas por jovens universitários? É fácil promover grandes obras públicas, construir muitos hospitais e criar emprego fácil na Administração Pública, para depois adoptar medidas de austeridade porque a economia não cresce e é preciso pagar os crescentes apoios sociais. O difícil é deixar de investir em monos e apostar na produção, na criatividade empresarial, em novos projectos industriais, na diversificação da produção tecnológica, isto não dá votos nem cria falso emprego conveniente em épocas eleitorais.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Quantos ovos por 12.90€ ? À venda numa montra de Lisboa

A MENTIRA DO DIA D'O JUMENTO

No fim desta legislatura Marx estará careca!

JUMENTO DO DIA

Carlos César, presidente do governo regional dos Açores

A decisão do governo regional dos Açores de compensar o corte de salários com um subsídio aos funcionários públicos dos Açores representa o grau zero do oportunismo político, da falta de sentido de solidariedade nacional e da irresponsabilidade. Se cada governante deste país usar os poderes que tem para tornar ineficazes todos os instrumentos de política nacional o melhor é entregar o país aos cuidados da ONU.

Seria aceitável que Carlos César concedesse o subsídio com dinheiro do PS ou do seu bolso e, em limite, que cobrasse um imposto regional que assegurasse que dessa decisão não resultasse um acréscimo de despesa. Mas fazê-lo à custa do dinheiro de todos os contribuintes e dando do país a imagem de ingovernável e entregue a políticos irresponsáveis é inaceitável.

Uma decisão destas vinda de um alto responsável do PS só pode ser interpretada como um sinal evidente de degradação de um partido, onde cada um faz o que entende sem ter que ser solidário com as decisões do governo que elegeu. É um sinal de degradação do poder do primeiro-ministro que insiste em fazer diplomacia económica enquanto o se governo se vai diluindo na perda de credibilidade e de autoridade no domínio das finanças públicas. A última vez que isto sucedeu ivemos de aturar o Salazar durante 48 anos.

COICES DO DIA

1. Parece que Manuela Moura Guedes recuperou mesmo da saúde depois de ter andado apenas doente durante mais de um ano, período durante o qual teve mesmo de sujeitar-se a penosos tratamentos na Praia Verde. Ontem a comunicação social dava conta de que a jornalista da boca grande estava a dividir a SIC, agora sabe-se que quer a equipa de jornalistas que tinha na TVI [CM], não me admiro nada que amanhã proponha que o processo Freeport seja reiniciado como se nada tivesse sucedido.

2. Parece que os famosos blindados que supostamente se destinavam a proteger as personalidades estrangeiras que vieram à cimeira da NATO e que chegaram pontualmente no dia seguinte à partida dessas personalidades, já não se destinam à sua utilização nas nossas favelas nacionais [DN]. Bem, estou a ver que vão servir para José Sócrates e Silva Pereira brincarem aos polícias e ladrões nos jardins do Palácio de São Bento, o problema agora é saber quem vai fazer de polícia.

3. O director-geral das Alfândegas mandou o ministro bugiar depois de perceber que o filme "O Exterminador do Estado" era mesmo para rodar até ao fim [DN]. O ministro reagiu escolhendo um novo director-geral em pouco mais de duas horas dando início a uma nova simplificação na gestão da Administração Pública, o director-geral na hora, ao que parece os níveis de competência no ministério das Finanças são tão baixos que é leva menos tempo a escolher, nomear e empossar um director-geral do que a fazer um cozido à portuguesa, para não dizer os famosos carapaus alimados da dona Maria de Boliqueime, esses têm de ficar de salga de um dia para o outro.

4. Parece que a tributação dos dividendos antecipados levou a um confito interno na bancada parlamentar do PS [DN], onde se esgrimiu o problema sob a perspectiva da matriz ideológica do PS, Francisco Assis chegou mesmo a ameaçar demitir-se. Pois, para tributar os dividendos houve toda esta discussão, mas cortar vencimentos e apoios sociais não houve um minuto de discussão. Estamos entendidos.

5. Um estudo demonstra que em Portugal os empregados têm mais qualificações do que os patrões [DE] o que nos leva a questionar o porquê desta situação, onde é que os patrões foram aprender tanto. Se fizessem um estudo sobre quem vai mais às putas, se os patrões ou os empregados, ainda vão concluir que são os primeiros e nesse caso ainda alugém se lembra de criar a Faculdade de Gestão do Intendente.

6. O governo vai propor que a lei do enquadramento governamental preveja um tecto máximo para a despesa durante uma legislatura, uma ideia de Emanuel dos Santos [DE]. Esperemos agora que o mesmo Emanuel Tenha inteligência suficiente para também propor que numa futura lei do enquadramento governamental seja previsto um tecto mínimo para a competência dos governantes, designadamente, dos secretários de Estado do Orçamento, e não só!

7. O país ficou a saber que nas tais empresas públicas que devem ficar fora dos cortes de vencimentos por causa do mercado, há um mercado próprio de consultorias externas que vale 100 milhões de euros e onde a regra são as adjudicações directas e a inutilidade dos estudos [i]. Acho que vou já inscrever-me num partido e criar uma empresa de consultoria, vou ensinar as empresas públicas a cruzar o ouriço caixeiro com minhocas e assim produzir arame farpado, talvez o país venha a ter tanto sucesso na exportação de arame farpado como tem tido com o Magalhães.

8. Berlusconi vai reunir com Dmitri Medvedev para discutir cooperarão com a Rússia [i], está-me mesmo a ver que a primeira consequência vai ser vermos a Anna Chapman a fazer visitas regulares à “Villa Certosa” , na Sardenha. Quem está muito interessada nesta cooperação italo-russa é a Pfizer, espera registar um aumento significativo da sua pastilha azul.

9. Os funcionários públicos dos Açores vão receber como prenda de Natal um subsídio para compensar o corte salarial [Jornal de Negócios], isto é, os contribuintes dão com a mão do governo regional o que o governo da República lhes deu com a outra. Já antes os trabalhadores das empresas públicas e de alguns hospitais vão ficar de fora. Por este andar só o motorista de Sócrates vai sofrer um corte no vencimento.

10. Entretanto Cavaco alerta para o risco de inconstitucionalidade do subsídio [CM], sinal de que o Presidente da República está atento. E o corte dos vencimentos a título definitivo sem qualquer negociação sindical e semanas depois de Sócrates ter garantido que tudo estava bem e não haveriam cortes não é inconstitucional? Ora bolas... parece que a Constituição não passa de uma lata de mexilhões.

11. Mas Carlos César decidiu dar uma lição sobre alquimia orçamental e garante que o subsídio é uma espécie de sopa dos pobres e não custa dinheiro aos contribuintes, tratando-se dinheiro afecto à região. Bem, ou as cavacas se juntaram para ajudar o Carlos César ou o homem anda a falsificar euros, se assim não é está na hora de Sócrates nomear o seu amigo açoriano para ministro das Finanças, o homem inventa dinheiro!

12. Espanha vai aumentar o imposto sobre o tabaco [Jornal de Negócios], agora é uma questão de tempo até que Sócrates recorra ao copy/paste e adopte idêntica decisão em Portugal. Bem, sempre é melhor aumentar o preço do tabaco do que o do leite com chocolate.

13. O futebol nacional tremeu de frio na Áustria, mais sorte tiveram os mexicanos no jogo Santos Laguna-Monterrey onde tiveram direito a aquecer a alma

14. Sabemos pela comunicação social que os carros de luxo fogem da crise [CM], pudera, para alguma coisa têm alta cilindrada. Aliás, em Portugal há apenas dois tipos dos portugueses, os que andam em carros de alta cilindrada e os que são cilindrados, no meio estão os governos a olear os primeiros e a assegurar aos outros que o estado social lhes garantirá uma sopinha para aquecerem os pés. Os que não têm posses para carros de alta cilindrada cá estarão para o ano a pagar 23% sobre tudo o que compram para garantir a execução orçamental ao Teixeira.

15. Uma britânica parou o carro para salvar um mulher que se queria suicidar atirando-se de uma ponte e foi multada por estacionar em local proibido [CM]. Por cá também somos muitos os que salvaram Sócrates de ir parar à oposição e agora estão a pagar com língua de palmo sem direito a recurso.

16. A PJ apanhou uma fraude fiscal no sector da restauração que permitiu a fuga de 12 milhões ao fisco [Público], ainda bem que a PJ faz alguma coisa pois o ministro das Finanças está convencido de que combater a fraude e a evasão fiscais é apenas recuperar as dívidas que Ferreira Leite vendeu ao City.

17. Cavaco abriu uma excepção à sua regra de não falar sobre Portugal no estrangeiro para dizer que só aceita debates na condição de os outros candidatos assinarem um documento que garanta a igualdade de tratamento entre todos [Portugal Diário]. Agora esperamos que Cavaco assine outro documento em que permite a cada um dos candidatos fazerem de presidente, estabelecendo-se em Belém e cumprindo todas as formalidades que contribuam para promover a sua imagem em condições de igualdade com o antigo accionista da SLN. O problema é que é muito provável que os outros candidatos aceitem, ninguém estará disposto a aturar a dona Maria.

LET IT SNOW! [Boston.com]

VLADIMIR SITNIKOV

sexta-feira, dezembro 03, 2010

Impunidade

O país está empenhado, algumas empresas públicas dão prejuízos acima do admissível, os gabinetes ministeriais estão cheios de fedelhos inexperientes e mal-educados, muitos serviços públicos são ineficazes, as licenças tardam tempos absurdos a serem concedidas, a justiça não funciona, a saúde consome recursos crescentes, a qualidade do ensino em numerosas escolas está a níveis inaceitáveis e não há um único responsável por tudo isto?

Não só não há responsáveis como o DR está cheio de louvores e os ministros não se cansam de elogiar, um país que precisa urgentemente de praticar a meritocracia tem uma classe política que promove e acarinha a estupidocracia. Quando se escolham diriegentes para a Administração Pública rejeitam-se os mais competentes em favor dos mais subservientes, em vez de se reconhecer a capacidade de muitos quadros do Estado opta-se sistematicamente pelo recurso a consultores externos que tiram conclusões por encomenda em estudos que servem para arquivar.

Correia de Campos saiu do governo para passarem a mão pelo pêlo dos alegristas, Manuel Pinho porque perdeu a paciência com o Bernardino e na semana passada o secretário de Estado da Justiça bateu com a porta para não aturar o e-Magalhães. Os inúteis vencem sempre!

O país afunda-se mas em milhares de altos cargos do Estado não há uma única demissão por incompetência? Há muitas porque os fedelhos dos secretários de Estado não gostam dos dirigentes nomeados pelos antecessores ou porque têm amigos em filas de espera, mas por incompetência e triste figura não há registo de um único caso.

Ontem o secretário de Estado da Administração Local, um tal Junqueiro que ao que parece agora tem a pasta das relações do governo com Bruxelas, achou que Bruxelas devia ser responsabilizada pelos prejuízos provocados pelos erros de previsões. Mas porque razão José Junqueiro não é coerente com o seu princípio e enquanto não for possível responsabilizar os de Bruxelas não propõe a adopção de idêntica regra aos seus colegas de governo.

Se os seus colegas do ministério das Finanças não errassem em tudo e mais alguma coisa o Junqueiro não teria agora que estar tão incomodado com os erros de previsão de Bruxelas. A verdade é que nestes anos as previsões do défice orçamental do Teixeira dos Santos têm sido uma verdadeira anedota. Digo anedota porque seria muito mais grave se dissesse que muitas das declarações do ministro em relação ao défice orçamental foram mentiras destinadas a iludir a realidade.

Umas no cravo e outras na ferradura

ACHO QUE VOU CONTINUAR MAIS ALGUM TEMPO POR AQUI

Vou seguir a sugestão mais comum aos comentários ao post anterior e reduzir um pouco o peso da albarda para viabilizar a continuação d'O Jumento. Vou reduzir o comentário ao que vai pela imprensa a um coice e reduzir o número das fotografias dos fotógrafos sugeridos.

Vamos ver se aguento.

FOTO JUMENTO

Derby no Rossio, Lisboa

JUMENTO DO DIA

José Junqueiro, secretário de Estado da Administração Local

O secretário de Estado da Administração Local, José Junqueiro, defendeu quarta-feira que devem ser pedidas responsabilidades à Comissão Europeia pelos prejuízos provocados pelas suas previsões [Jornal de Negócios], mas, como era de esperar a Comissão mandou-o pentear macacos. Já que qualquer fodelho governamental pode pedir contas à Comissão, é de esperar que José Junqueiro seja coerente e peça contas a Teixeira dos Santos pelos seus constantes erros de previsão do défice do orçamento.

COICE DO DIA

Depois de tantos sucessos fiscais que têm sido divulgados nos últimos dias, por três vezes os governantes nos deram conta do sucesso na cobrança de dívidas, eis que aparece uma má notícia, entre 2007 e 2009 a DGCI deixou prescrever dois milhões de dívidas ficais [CM], o dobro do que se cobrou este ano e que tanto insuflaram o ministro das Finanças e o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais. Entretanto, estes mesmos senhores decidiram extinguir as alfândegas, dizem que para poupar 2,5 milhões! Alguém anda a gozar com os portugueses!

Ernâni Lopes morreu {CM}, espero que Sócrates preste a devida homenagem ao homem que o ensinou a cortar os vencimentos dos funcionários sem mais explicações, ainda que Pedro Passos Coelho possa queixar-se como fez em tempos Ferreira Leite de que o PS lhe copia as propostas, pois a sugestão de Ernâni Lopes foi feita nas jornadas parlamentares do PSD. Esperemos que no próximo ano o PSD faça as suas jornadas parlamentares à porta fechada não vá aparecer outro Ernâni Lopes e acabamos por ter que pagar a Teixeira dos Santos se quisermos trabalhar no Estado.

Desde que decidiu embirrar com as parcerias público privadas o juiz jubilado do Tribunal de Contas Carlos Moreno [CM] tornou-se numa figura mediática, não para quieto entre entrevistas e declarações aos jornais. Será que este jubilado vai divulgar quanto descontou ao longo da vida e quanto ganha de pensão de reforma. Será que vai dizer aos portugueses que os jubilados do TC também recebem o famoso subsídio de residência dos magistrados.

O PS, o PSD e o CDS [DN] votaram contra a antecipação da tributação dos dividendo e, ao que parece, alguns deputados do PS e do PSD anunciaram que iriam apresentar declarações de voto. Será que vão declarar que não os tiverem em su sitio para votarem a favor?

Emanuel dos Santos, secretário de Estado do Orçamento, encontrou uma justificação manhosa para a transferência do fundo de pensões da PT [DN], que é para pagar situações em que não foi possível aplicar o orçamento, como foi o caso das SCUT. O que o secretário de Estado não diz é qual o montante do descontrolo na despesa e que quem inventou as SCUT foi um tal João Cravinho que, só Deus sabe porquê, anda muito caladinho desde há algum tempo.

Finalmente o ministro vai ter um sucesso orçamental em 2010, os portugueses estão a antecipar as contas e em Novembro aumentaram 19% em relação ao mesmo mês de 2009 [DN]. A manter-se esta antecipação do consumo mais os truques de antecipação de receitas de 2010 (atraso no reembolso do iva, introdução no consumo dos stocks de combustíveis da GALP, etc.) vai haver um boom das receitas fiscais no final de 2009. O problema é que isto não passa de antecipação de receitas dos primeiros meses de 2010 pelo que Teixeira dos Santos bem podia mandar os funcionários do fisco de férias de Janeiro a Março, até Abril vão ter que se entreter a fazer palavras cruzadas.

A NASA decobriu nova forma de vida na terra [DN], será que ficaram surpreendidos por Teixeira dos Santos ainda mexer?

Manuela Moura Guedes ainda não está a trabalhar, está a recuperar do cansaço resultante de um ano de doença, e já divide os jornalistas da SIC [DN]. Esperem para ver, daqui a uns tempos vai estar a dividir o dinheiro do Balsemão, é uma questão de esperar pelo montante da indemnização na hora de ela ser convidada a sair..

D. Duarte Nuno Fernando Maria Miguel Gabriel Rafael Francisco Xavier Raimundo António de Bragança teve uma brilhante ideia, um dia depois de ter anunciado que tinha pedido a nacionalidade timorense, acha que um empréstimo do Brasil seria melhor do que ter de pedi-lo ao FMI [DN]. Se fosse assim tão fácil já tínhamos vendido a Madeira aos líbios, eles é que não devem querer o Alberto.

Faria de Oliveira não quer integração do BPN na CGD [Jornal de Negócios]. Concordo, o melhor sítio para o meter é em Belém, quem comeu a carne que roa os ossos!

ALENA ADAMENKO

quinta-feira, dezembro 02, 2010

Acho que está na hora de ir andar por aí


No pós-25 de Abril houve uma explosão de pequenos jornais locais acompanhando uma enorme vontade de muitos portugueses exercerem a liberdade de expressão que tinham conquistado, mas foram necessários trinta anos para que essa liberdade de expressão tivesse instrumentos para ganhar forma. Um pequeno jornal tinha custos elevados e grandes constrangimentos, desde o espaço à periodicidade.

Foram os blogues que deram expressão a essa liberdade, com um blogue qualquer cidadão, por mais modesto ou anónimo que fosse, passou a pode dizer o que pensa e ser lido em qualquer parte do mundo. Daí a multiplicação dos blogues e a tentativa de parte de alguns de os desvalorizar e mesmo calar. Se um jornal podia chegar às bancas dez ou quinze dias depois de se produzirem os textos para ser lido por poucas centenas de pessoas, um blogue é publicado no momento e pode ter milhares de leitores diários, isto com custos muito reduzidos e sem quaisquer entraves burocráticos.

Mas manter um blogue com o formato d’O Jumento ao longo de mais de sete anos, actualizando-o diariamente significa um grande esforço individual, acaba por se tornar numa prisão ao mesmo tempo que se torna um vício. São muitas horas dedicadas à manutenção e actualização do blogue, é estar quase permanentemente a reflectir sobre uma realidade que se vai comentar. Isso significa que nestes sete anos tive de abdicar de muita coisa para manter vivo este blogue.

Terá valido a pena? Não sei, fazer um blogue como O Jumento é um trabalho de eremita, escreve-se e intervém-se se chegar a ter a percepção do impacto que temos sobre a realidade. Resta-me o prazer que isso me poderá ter dado, já que nunca procurei obter quaisquer benefícios pessoais. Mas o prazer é cada vez menor e os custos são cada vez maiores, é por isso que acho que está na hora de ir andar por aí.

Aditamento: Vou seguir a sugestão feita em muitos comentários e aligeirar a carga. Veremos se aguento.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Cogumelo na Quinta das Conchas

IMAGENS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Mosteiro dos Jerónimos, Lisboa [P. Santos]

JUMENTO DO DIA

Cavaco SIlva, candidato presidencial

Depois do que se passou com as supostas escutas a Belém ou dos atestados de inocência que deu a Dias Loureiro enquanto Presidente da República terá Cavaco Silva autoridade moral para falar sobre a qualidade da democracia? Não me parece.

«Questionado sobre como gostaria de ser lembrado pelos portugueses daqui a 50 anos, responde: "Um algarvio, nascido em Boliqueime, que foi professor universitário, ministro das Finanças, primeiro-ministro e Presidente da República e que viveu feliz com a mulher com quem casou aos 24 anos de idade".

A propósito da apreensão que manifestou pelo "desprestígio da classe política" portuguesa, interrogado sobre o que pensa fazer para que esta ganhe prestígio, Cavaco Silva declara: "Existe, de facto, um problema de qualidade na nossa democracia, para o qual eu alertei várias vezes. Não podemos ceder ao populismo fácil de criticar por criticar a classe política".» [DE]

AS REVELAÇÕES DA WIKILEAKS

Um dos aspectos das revelações da Wikileaks que os comentadores não comentam é o simples facto de as comunicações terem sido feitas por escrito e os documentos existirem, algo que duvido que suceda em Portugal. Por cá tudo o que é importante é dito ou decidido verbalmente e nada fica por escrito. Pior ainda, quando o governo muda os gabinetes ficam "limpos", recordo-me de um governo do PS ter tomado posse pouco antes de ter de apresentar o Orçamento de Estado e de nos gabinetes não existir um único ficheiro ou documento, para além do publicado no DR.

Investigue-se, por exemplo, o passado dos governos ou da Presidência da República, o mais certo é não existir um único documento que prove seja o que for. Recorde-se o que sucedeu com Nixon em que todas as conversas estavam gravadas, com o que se passou com as famosas escutas a Belém, aposto que cá não há o mais pequeno rasto do que se passou.

As escutas podem revelar muita coisa inconveniente, algo é que é comum a qualquer país, mas revelam que na América há uma democracia onde temos muito a aprender.

MANUELA MOURA GUEDES DIZ QUE O JORNALISMO ESTÁ CINZENTO

«Manuela Moura Guedes ainda não tem equipa definida para trabalhar consigo no programa da SIC, mas tem critérios claros para o tipo de profissionais mais adequados: "Quero jornalistas com sentido crítico. O nosso jornalismo está muito cinzento".» [JN]

Parecer:

Se está a pensar no seu Jornal da Sexta diria que está negro.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso amarelo.»

ALEGRE DIZ QUE NÃO SE INSCREVEU NO SALAZARISMO

««Em democracia não há coroações. Eu sou republicano, eu não me inscrevi no salazarismo, eu fui um resistente, fui um dos construtores da democracia portuguesa», afirmou, referindo-se indirectamente a uma notícia da revista «Sábado», que dá conta que Cavaco se afirmou «integrado» no salazarismo à PIDE.

Alegre acusou o candidato à Presidência da República Cavaco Silva de ser «co-responsável» pela situação económica do país, considerando o seu mandato enquanto presidente uma «experiência falhada». » [Portugal Diário]

Parecer:

Não me parece que Alegre vá longe com este tipo de comentários que revelam falta de agenda para a campanha.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

DESCOBERTAS DUAS ESPÉCIES DE INVERTEBRADOS NO ALGARVE E EM MONTEJUNTO

«Duas novas espécies cavernícolas, um pseudoescorpião e um escaravelho, foram descobertas para a ciência em grutas do Algarve e do Montejunto pela bióloga e espeleóloga portuguesa Sofia Reboleira.

O pseudoescorpião – apenas semelhante ao escorpião no exterior – Titanobochica magna representa a descoberta de uma nova espécie e de um novo género, explicou ao PÚBLICO a investigadora. O escaravelho Trechus tatai é uma nova espécie, juntando-se às três espécies de escaravelhos cavernícolas já conhecidas em Portugal Continental, no maciço calcário das Serras de Aire e Candeeiros, todas endémicas. Duas delas foram oficialmente descobertas no ano passado, no âmbito do Mestrado da investigadora. » [Público]

Parecer:

O que mais há por aí são invertebrados de duas patas.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Elogie-se o trabalho da cientista.»

SÓCRATES VOLTA A VIAJAR

«O primeiro-ministro inicia quinta-feira um périplo que o levará primeiro a Zurique e Frankfurt, partindo depois para Mar del Plata (Argentina) com os objectivos de promover a internacionalização da economia portuguesa e o sector exportador nacional.

Esta ronda internacional de José Sócrates - que inclui três viagens num período de menos de 24 horas (Lisboa/Zurique, Zurique/Frankfurt e Frankfurt/Buenos Aires) - segue-se à reunião que teve na terça-feira, em São Bento, com as onze maiores empresas exportadoras instaladas em Portugal e que teve como principal finalidade potenciar o crescimento económico do país. » [Público]

Parecer:

Estas viagens revelam o empenho ou tentativa de aproveitamento político de um eventual aumento das exportações ao mesmo tempo que o ministro da Economia fica desautoriado pois ninguém sabe muito bem o que anda a fazer Vieira da Silva, para além de dizer umas asneiras de vez em quando.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Coloque-se um sina no aeroporto de Lisboa para sabermos quando o primeiro-ministro está em Portugal.»

BOKASSA REABILITADO

«Jean-Bedel Bokassa, o ditador da República Centro-Africana que em 1976 se proclamou imperador e na coroação gastou um terço do Orçamento anual, foi hoje formalmente reabilitado por um decreto presidencial.

Num extraordinário volte-face por parte de um país cujos cofres delapidou, aquele que chegou a ser considerado o mais feroz ditador africano da década de 1970, ao qual só se poderia comparar o ugandês Idi Amin Dada, foi agora “reabilitado em todos os seus direitos” pelo actual Presidente da República, François Bozizé, que chegou ao poder em 2003, graças a uma rebelião.

Catorze anos depois de “Sua Majestade Imperial Salah Eddine Ahmed Bokassa” ter morrido, após ter sido derrubado em 1979, Bozizé achou por bem assinar um decreto a afirmar que ele foi “um filho da nação, reconhecido por todos como um grande construtor”.» [Público]

NORUEGA: TRABALHADORAS USAM BRACELETES VERMELHAS DURANTE O PERÍODO

«Sindicalistas noruegueses denunciaram o caso de uma empresa que força as trabalhadoras a usarem braceletes vermelhas nos dias em que estão menstruadas.

A polémica medida é justificadas pelo empregador como uma forma de permitir que essas funcionárias possam passar mais tempo na casa de banho.
Os patrões desse país escandinavo têm em curso uma ofensiva para limitar essas pausas, alegando que põem em causa a produtividade das empresas, mas não faltam críticas à medida.»
[CM]

Parecer:

Ao que a Europa está a chegar....

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

MAIS UM SUCESSO DO MINISTRO DAS FINANÇAS

«A Direcção-Geral dos Impostos anunciou esta quarta-feira que atingiu os 1,1 mil milhões de euros de cobrança coerciva que tinha como objectivo para este ano. O ministério das Finanças afirmou em comunicado que alcançaram "historicamente" mais cedo o objectivo anual.

"A eficácia demonstrada na obtenção deste excelente resultado merece ainda maior relevo por ocorrer num contexto particularmente difícil, em razão da crise económica que o país atravessa", pode-se ler na nota doministério das Finanças.

A Direcção-Geral dos Impostos refere que o volume da dívida pendente de cobrança "é agora o mais baixo dos últimos dez anos", representando cerca de metade do que existia há três anos. »
[CM]

Parecer:

Em duas semanas é a terceira vez que estes resultados são usados para melhorar a imagem de um ministro que anda em bolandas, primeiro foi o ministro, depois foi o secretário de Estado e agora é novamente o ministro a usar os mesmos dados. O que nem o ministro, nem o secretário de Estado dizem é qual foi o seu empenho para que tenham sido obtidos estes resultados pois o trabalho é de poucos e vem de antes de Teixeira dos Santos ser ministro.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se ao ministro cópia dos despachos onde constem decisões do ministro ou do secretário de Estado relativo à cobrança de dívidas que evidenciem o empenho dos governantes e mostrem que os resultados resultam também do seu apoio e empenho.»

ANATOLY GLADKOV

AMNISTIA INTERNACIONAL