sábado, março 05, 2011

O Benfica (ou o Porto) o Sporting e os empresários portugueses

A grande diferença entre o Sporting e o Benfica (ou o Porto) reside na relação com os novos jogadores, enquanto o Benfica pode contratar jovens e dar-lhes tempo para evoluírem, conhecer a cultura do clube, adaptar-se ao modelo de jogo tendo tempo para se integrarem na equipa, no Sporting espera-se que jogador resolva os problemas do clube logo no primeiro jogo. Os resultados estão à vista e o Sporting vende jogadores cujo valor nunca chega a conhecer e perde as suas jovens promessas porque os resultados da equipa não são compatíveis com as suas ambições. O Benfica ou o Porto atraem jovens valores, o Sporting vê-se forçado a vendê-los a preço de saldo.

Com uma boa parte das empresas portuguesas sucede o mesmo, quando precisam de um quadro optam por valores seguros, profissionais com alguma experiência e resultados demonstrados, desprezando os jovens licenciados. Em vez de apostarem a longo prazo criando os seus quadros e a sua própria cultura de empresa, as empresas portuguesas optam por trazer para o seu seio os vícios alheios a troco de resultados imediatos.

A curto e médio prazo as empresas alcançam os resultados que os clubes não conseguem pois a nossa economia é menos competitiva do que um campeonato regional, os bons negócios resultam muitas vezes de esquemas, de cunhas e de comissões por fora. Se em vez de empresas fossem clubes de futebol ou teriam a ajuda das arbitragens e os seus jogadores eram especialistas em atirar-se para o chão ou depressa desceriam de divisão.

A consequência disso é o país perder todos os anos alguns, senão mesmo uma boa parte, dos seus jovens quadros, que ao aliciante de melhores remunerações oferecidas noutros países acrescentam a forma como são desprezados e desvalorizados pelos empresários portugueses. O perde não só alguns dos seus melhores jovens como perde os muitos milhões de euros que ao longo de mais de vinte anos investiu na sua formação e as próprias empresas perdem um capital precioso que num futuro próximo lhes poderia proporcionar bons resultados.

E enquanto os empresários portugueses optam pela lógica do pato-bravo e desprezam as potencialidades dos mais jovens vem nos jornais que a economia alemã deseja dar emprego aos nossos licenciados, até porque o seus sistema de ensino está com dificuldades em responder à procura de novos quadros. Chegamos ao ridículo de ver uma Alemanha que nos encomenda austeridade ficar com os quadros formados com o nosso dinheiro, o mesmo país que compras os produtos de baixo valor acrescentado aos nossos empresários empedernidos contrata os jovens que estes rejeitaram, o mesmo país cujos dirigentes nos dão lições contratam os técnicos formados em Portugal.

Não admira que na hora de discutir a competitividade os nossos empresários apenas se preocupem em fazer descer os vencimentos, é como os presidentes dos clubes que querem ganhar pontos e apenas se lembram de pressionar as arbitragens, de vez em quando esta estratégia até dá resultado e alguns árbitros mais medrosos até cedem numa ou outra grande penalidade, mas desta forma nenhuma equipa ganha campeonatos.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Cegonhas-brancas [Ciconia ciconia] na Sé de Faro

IMAGENS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Antigo forno de cal [A. Cabral]

JUMENTO DO DIA

Francisco Louçã

Ouvir Louçã dizer que o PS se dá bem com regimes horrososos confundindo diplomacia com partidos só merece uma gargalhada, na sua esquerda moderna há centenas de militantes e muitos dirigentes que foram admiradores incondicionais de alguns dos piores regimes que a humanidade conheceu, desde a Rússia de Estaline ao Cambodja, passando pela Albânia.

Louçã pensa que basta a etiqueta da esquerda moderna para branquear o passado dos que hoje se disfarçaram no Bloco de Esquerda.

«Francisco Louçã disse aos jornalistas que críticas do líder parlamentar do PS, Francisco Assis, o divertem e ripostou, acusando os socialistas de estarem incomodados por conviverem «tranquilamente» com «os regimes horrorosos» do Egipto e Tunísia. » [Portugal Diário]

MISÉRIA POLICIAL

A morte de um jovem polícia que dveria ter participado na segurança do jogo entre o Sporting e o Benfica evidencia muita coisa que deveria merecer reflexão. Desde logo as condições de segurança com que alguns polícias manuseiam armas de fogo, a necessidade de utilização permanente de armas de fogo incluindo em ambientes como os de um estádio de futebol onde tal deveria ser proibido e os famosos serviços remunerados.

Era tempo de repensar as formas de actuação da polícia e acabar com os serviços remunerados que consomem recursos ao Estado e transformam a polícia numa empresa privada que faz concorrência desleal.

TÍTUUMA IDIOTICE

Leio um artigo de opinião da autoria de Fernando Sobral, publicado no Jornal de Negócios, e fisco pasmado:

«Ele sabe que nem Portugal, nem o seu Governo, sobreviverão a um combate longo com as forças do mercado que lhe pedem 7% para lhe emprestar o dinheiro que é o oxigénio necessário à sua sobrevivência. Não há estratégia que lhe valha. Só opções tácticas o salvarão de eleições antecipadas, algo que ele também já está a antever como se viu na benesse dada aos funcionários públicos no próximo Carnaval. »

Este pobre senhor tem em muito má conta os funcionários públicos, parece achá-los uns seres miseráveis e estúpidos, miseráveis porque depois de terem perdido mais de 10% do vencimento ficam todos contentes por terem um dia de tolerância de ponto, estúpidos porque desconhecem que ao longo de décadas só Cavaco Silva, devidamente assessorado pela dona Maria, lhes tirou esse dia e apenas por uma única vez.

Parece-me que o miserável e idiota é mesmo o autor do artigo.

NADA SE PERDE TUDO SE TRANSFORMA

«Sarkozy remodelou o Governo e a principal troca foi nos Negócios Estrangeiros, a ministra Alliot-Marie por Alain Juppé. Este já foi primeiro- -ministro e Sarkozy apresentou-o agora como "o melhor de nós todos". Considera-se que Juppé será a carta de prestígio para Sarkozy se recandidatar no próximo ano. O que prova que a política é um movimento complexo e não põe carimbos definitivos nas costas dos protagonistas. Há sete anos, Juppé parecia acabado: foi condenado a 14 meses de prisão, com pena suspensa, e a um ano sem cargos públicos. Foi responsabilizado no affaire dos empregos falsos na Câmara de Paris, truque que servia para encher os cofres do partido de que era líder, o RPR. O tribunal reconheceu, porém, que ele próprio não beneficiara da traficância, o que lhe terá valido agora o fim da travessia do deserto, substituindo Alliot-Marie. Esta, com um escândalo recente: em Dezembro, quando a Tunísia já fervia, ela fez por lá férias e com a imprudência de viajar de favor no jacto privado de um milionário amigo do presidente Ben Ali, que viria a ser deposto. Viagem errada no momento errado. Alliot-Marie é autora do livro O Grande Medo das Classes Médias, escrito em 1996. Era sobre a crise que vinha aí e ia impedir a maioria dos cidadãos de viajar, com excepção, escreveu a agora ex-ministra, "dos raros privilegiados que se passeiam ao longo do ano pelo planeta, se possível em jacto privado...". » [DN]

Autor:

Ferreira Fernandes.

A RESISTÊNCIA DE SÓCRATES SERVE PORTUGAL

«Num artigo do "Financial Times" desta semana, Paulo Rangel e Marques Mendes são citados como sendo a favor de que Portugal peça ajuda externa o mais rapidamente possível. Parece que as coisas se perspectivam mais ou menos assim, para alguns dirigentes do PSD: Portugal é forçado a pedir apoio maciço externo, reconhecendo de uma vez por todas que as taxas de juro da divida pública são incomportáveis. Imediatamente o Presidente da República convoca eleições, que o PS vai perder e o PSD vai ganhar, quem sabe até com maioria absoluta. Haverá lugares para "boys" e "girls" que estão fora do poder há anos. E o principal problema de Portugal, isto é, o facto de termos um governo liderado por José Sócrates, ficará resolvido. Vamos todos à nossa vida renovados, com o sol a brilhar e os horizontes largos. A cereja em cima do bolo será que o PSD poderá enquanto governo responsabilizar o PS, a Angela Merkel, a Comissão Europeia, ou o Jean-Claude Trichet, à vez, por tudo o que de medidas de austeridade tiverem que ser tomadas durante toda a legislatura.

Infelizmente, esta atitude tão "blasé" do PSD em relação à inevitabilidade da ajuda externa é contrária aos interesses do País. A ideia de que uma intervenção externa igual à da Grécia e Irlanda pode ser benéfica para Portugal já foi desconstruída várias vezes. Desde logo, pelo que está a acontecer naqueles dois países: desde que solicitaram ajuda as taxas de juro associadas às suas dívidas públicas não desceram. Pelo contrário. Actualmente os mercados estão interessados em testar a solidez do euro. O que está em causa é a própria sobrevivência da moeda única.

Se houver ajuda externa nos mesmos moldes que na Grécia e na Irlanda, haverá sérios efeitos económicos, como tão bem explicou Pedro Santos Guerreiro no editorial de quarta-feira deste jornal. A começar pela fuga de capitais que afectará os bancos, mas não só. Haverá também gravíssimos efeitos políticos, que atingirão não apenas o PS mas toda a classe política com responsabilidades governativas desde a entrada de Portugal na UE. A crise de soberania política que se abaterá sobre nós fará alicerces em cima de um fosso crescente que existe e tem vindo a agravar-se desde 2003 entre políticos e cidadãos. Por isso, esta ânsia do PSD em derrubar Sócrates, ao ponto de abrir os braços a uma ajuda externa maciça é um bocadinho como aqueles que apoiaram a guerra no Iraque porque serviu para tirar o Saddam do poder.

Ao longo dos últimos meses, José Sócrates e Teixeira dos Santos têm feito bem em resistir às supostas evidências de necessidade de recurso à ajuda externa invocadas por um coro de operadores económicos, muitas vezes anónimos, e agora pelo PSD. Sócrates será teimoso, mas a sua resistência tem objectivos políticos reais. Porque enquanto Portugal tem resistido, a conjuntura e a forma de auxílio a Portugal tem-se tornado ligeiramente mais favorável.

De facto, essa resistência já deu frutos. Quais? Bem, tem servido para que a Europa - e sobretudo a Alemanha - dêem passos no sentido de assumirem esta crise como uma crise do euro, e não uma crise dos "gastadores do Sul". Temos de assumir as nossas responsabilidades no que respeita ao défice orçamental, mas não somos responsáveis pela vontade que alguns operadores de mercado têm de testar a solidez da moeda europeia. No momento que escrevo, Sócrates e Merkel reúnem para decidir se vai ou não haver uma possibilidade de acesso a uma linha de crédito europeia, sem necessidade de recurso a ajudas maciças, desde que o País se comprometa com objectivos de redução de défice e de reformas. Seria um bom compromisso.

Visto desta perspectiva, o PSD não deveria fazer mais do que colocar-se responsavelmente na oposição, tal como sugere Pacheco Pereira numa entrevista desta semana honrando os seus compromissos tanto orçamentais como do PEC I e PEC II. E apoiando patrioticamente os esforços do Governo em negociar na UE um acordo que impeça que Portugal sirva como mero "firewall" de Espanha, essa sim o verdadeiro teste à solidez do euro. Neste momento, tempo é dinheiro e mais do que isso. Tempo é soberania. » [Jornal de Negócios]

Autor:

Marina Costa Lobo.

SEXO AO VIVO EM AULA DE PSICOLOGIA NUMA UNIVERSIDADE AMERICANA

«Alguns alunos abandonaram o auditório, mas a maioria ficou para ver a inesperada demonstração, que envolveu uma mulher nua a ser levada ao orgasmo com um brinquedo sexual mecânico que, segundo testemunhas, mais parecia uma moto-serra com um vibrador gigantesco na ponta.

A 'acção', protagonizada por um casal de exibicionistas, durou pouco mais de três minutos e, no final, os alunos mostraram-se satisfeitos com a experiência.

"Vou lembrar-me desta aula para o resto da vida; não foi certamente como as aulas de teoria económica", comentou um aluno.» [CM]

ANEDOTA

«O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público apelou esta sexta-feira à intervenção dos grupos parlamentares e do Presidente da República para acabar com a "desagregação" do sistema de justiça, como evidencia a demissão do director-adjunto do Centro de Estudos Judiciários. » [CM]

Parecer:

A saída de um director-adjunto do CEJ, o seminário dos sacerdotes da magistratura, é um sinal de desagregação da justiça? Sinal de desagregação da justiça é o papel que tem vindo a ter este sindicato.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

SANTANA LOPES CADA VEZ MAIS DISTANTE DO PSD

«Pedro Santana Lopes revela hoje na sua crónica do jornal 'Sol' a sua "distância ou, pelo menos, diferença em relação ao PSD". O antigo primeiro-ministro e líder do partido diz sentir-se muito afastado do partido, sobretudo desde o último congresso, realizado há cerca de um ano.

Numa altura em que o cenário de eleições antecipadas é uma hipótese discutida todos os dias, Santana critica os que gravitam à volta da liderança de Pedro Passos Coelho: "Para mim, é difícil sentir-me próximo de um partido em que muitos dirigentes se sentam na primeira fila das iniciativas de sucessivos líderes, sempre prontos para servir no Governo, em empresas, institutos públicos ou até embaixadas".» [CM]

Parecer:

Tem alguma razão no que diz.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

A VW FAZ RENASCER O 'PÃO DE FORMA'

«A Volkswagen, que apelidou o modelo de Bulli - a alcunha com que era conhecida na Alemanha -, apresentou uma versão mais moderna, com seis lugares, alimentada por um motor eléctrico e utilizando um iPad para controlar todo o sistema de entretenimento, controle de temperatura e outras funções.

O maior fabricante de automóveis europeu refere que o Bulli tem uma autonomia movida a electricidade de 300 quilómetros, o que é bastante, considerando que o recente eléctrico Nissan Leaf tem uma autonomia de 200 quilómetros. O Bulli pode atingir a velocidade de 140 quilómetros por hora.» [DN]

TEMOS O DEOLINDA DE SOUSA

«Jerónimo de Sousa recusa ser um partido de mera contestação social, mas os seus militantes também vão estar na manifestação da "geração à rasca". Porque o "PCP não pode ser cúmplice de uma política que está a levar o país a este estado".

O líder do PCP revela em entrevista à TSF/DN que os militantes do seu partido também vão percorrer a Avenida da Liberdade em conjunto com outras pessoas e organizações que aderirem à acção promovida pelos precários da "geração à rasca", no dia 12. Mas recusa a ideia de que o PCP seja "um partido de mera contestação social". E explica: "Temos um projecto e um programa que, quando o povo português o entender, será parte de uma solução governativa. O PCP não pode ser cúmplice de uma política que está a levar o país a este estado." » [DN]

Parecer:

Vejo mails de gente de direita e a extrema-esquerda envolvida na manif, isto vai ser lindo.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

POBRE LOUÇÃ

«Em fevereiro, PS e PSD tinham descido nas intenções de voto, contra uma subida dos partidos mais pequenos. Agora, ao contrário, são as forças do bloco central a subir e PCP, CDS e Bloco de Esquerda quem cai na sondagem.

O PSD de Passos Coelho aparece destacado na liderança, mas londe da maioria absoluta. Que nem com os 10% do CDS de Paulo Portas parece possível.

O PS de José Sócrates aguenta, surpreendentemente, numa altura em que os portugueses já sentem bem na pele as medidas restritivas do Orçamento do Estado.

Mas a principal nota da sondagem deste mês vai para o Bloco de Esquerda. E para o seu líder, Francisco Louçã. Não só o BE é o partido político que mais cai na sondagem, como Francisco Louçã é o único líder político que desce na popularidade dos portugueses - num mês em que até o Governo sobe na popularidade.» [Expresso]

Parecer:

Desde que a direita se irritou com ele e deixou de o apoiar na comunicação social parece que Louçã e a sua extrema-esquerda moderna estão em queda.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelo fim de Louçã.»

MULHER TRAÍDA DESPE-SE PARA VENDER ROUPA DO NAMORADO NA INTERNET

«Diz-se que não há pior que uma mulher traída. O adágio é velho e comprova-se nas novas tecnologias dos tempos actuais. Uma mulher, que se apresenta como Taylor Morgan, colocou as roupas do ex-namorado à venda no eBay, conhecido sítio de leilões na Internet.

Ao contrário dos filmes de James Bond, nos quais a vingança se serve a frio, Taylor Morgan decidiu aquecer a manifestação de despeito tirando as próprias roupas para promover os artigos do ex-namorado em fotos com pouca e muito sexy roupa interior.» [JN]

Parecer:

Eu já conheci um caso em que mandava as cuecas uma a uma para o serviço do ex-namorado dentro de envelopes oficiais.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

AUMENTA A ABSTINÊNCIA SEXUAL ENTRE OS JOVENS AMERICANOS

«Uma sondagem publicada ontem sobre o comportamento sexual dos norte-americanos revelou que mais de um quarto dos jovens inquiridos com idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos nunca teve relações sexuais.

O estudo é do Centro Nacional de Estatísticas sobre a Saúde e o número de adolescentes que se diz virgem está a subir. Em 2002, o mesmo estudo concluiu que 22 por cento dos jovens nunca tinham tido relações sexuais, enquanto o estudo publicado ontem revela que o valor da abstenção na mesma faixa etária subiu para 29 por cento em relação às mulheres e 27 por cento quanto aos homens.» [Público]

Parecer:

Estes americanos são um pouco doidos...

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso.»

REUTERS RECTIFICOU NOTÍCIA SOBRE DECLARAÇÕES DE MERKEL

«A Reuters, agência noticiosa internacional, rectificou hoje a leitura que fez na quarta-feira das afirmações de Angela Merkel, chanceler alemã, na conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro português, José Sócrates, e que o PÚBLICO retomou no online e na edição do dia seguinte.» [Público]

Parecer:

ainda bem porque se assim fosse lá teríamos mais um corte no vencimento.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso.»

COMENTÁRIOS NO JORNAL PÚBLICO PASSSAM A SER AVALIADOS

«A partir de amanhã, 5 de Março, dia em que celebramos o 21.º aniversário do PÚBLICO, todos os comentários dos leitores do PÚBLICO Online vão passar a ser lidos antes de serem publicados.

Esta decisão, em ponderação há muito tempo, responde a uma preocupação da redacção e de muitos leitores do nosso site, que há anos pedem mais controlo na publicação de comentários. Preferimos acabar com a publicação imediata de comentários a dar voz e palco a mensagens difamatórias que violam os critérios de publicação do PÚBLICO e as regras básicas da cortesia e da boa cidadania. Acreditamos também que esta mudança vai elevar a qualidade da discussão no PÚBLICO Online. » [Público]

Parecer:

Faz sentido ainda que se fique sem saber se há ou não censura.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aprove-se.»

MICHAEL PAPENDIECK

sexta-feira, março 04, 2011

Humilhação

Se não fosse o facto de José Sócrates ter ido a Berlim exibir a minha cabeça e a de mais uns quantos portugueses que ele escolheu para corrigir um desequilíbrio orçamental alimentado pela incompetência de Teixeira dos Santos e pelas ajudas generosas aos bancos, talvez andasse distraído como anda muito boa gente. Mas a forma como Sócrates e Teixeira dos Santos exibiram em Bruxelas os resultados da execução orçamental de Janeiro não só me irritou como me pareceu humilhante para um país com centenas de anos de história e que entrou para a CEE muitos anos antes de a senhora Merkel imaginar poder atravessar o muro de Berlim.

Mas parece que um país ir humildemente a Berlim mostrar os resultados de uma política de austeridade selectiva e pedir à chanceler alemã que diga umas palavrinhas à comunicação social a ver se pagamos menos juros no próximo leilão de dívida soberana já não ofende ninguém. Não fosse o Ferreira Fernandes, na sua coluna no Diário de Notícias, nem sequer os nossos comentadores, gente muito sensível a questões de soberania e de carácter, se teriam indignado, eles que passam a pente fino tudo o que Sócrates faz.

A direita que tanto se diverte a gozar com Sócrates quando este anda por aí a vender os Magalhães e que chama a si o papel de guardiã da honra nacional não ficou incomodada. Não admira, nas últimas legislativas a própria Ferreira Leite foi a Berlim na esperança de ter uma fotografia ao lado da senhora Merkel como prova da sua própria credibilidade e acabou humilhada, teve que dar a sua palavra de hora de que tinha sido mesmo recebida porque a chanceler não deixou tirar fotografias e não se deu ao trabalho de se assomar à porta.

Não sei o que é pior para um povo, se a bancarrota, um pedido de ajuda ao FMI ou ir semana sim, semana não a Berlim dizer à senhor Merkel que somos um povo que anda com uma mão à frente e outra atrás mas que na hora de suportar medidas de austeridade come e cala, ela que fique descansada que faremos tudo o que os seus assessores sugerirem porque temos um ministro das Finanças muito competente para cumprir ordens.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Flamingos [Phoenicopterus roseus] no Tejo, Sacavém

IMAGENS DOS VISITANTES D'O JUMENTO

Janela na aldeia de Monsanto [A. Cabral]

IMAGEM DO DIA

[Ng Han Guan/Associated Press]

«STARRY CEILING: A military band rehearsed before the opening session of the Chinese People’s Political Consultative Conference in Beijing’s Great Hall of the People Thursday.» [Wall Street Journal]

JUMENTO DO DIA

Pina Moura, político da Iberdrola

Começa a ser um hábito, sempre que o governo do PS treme o Pina Moura acelera o passo... Enfim, Portugal não é a Roma da antiguidade.

«Pina Moura, antigo ministro da Economia e das Finanças, disse hoje acreditar numa mudança política em Portugal. "Parece-me óbvio que a situação política se vai alterar nos próximos meses. Se é com eleições antecipadas, se é com reformas políticas inovadoras, não posso dizer com certeza", disse hoje durante o debate "Reforma do Fundo Europeu de Estabilização Financeira: O que pode Mudar para Portugal?", promovido pela Associação Comercial de Lisboa.

Nogueira Leite concorda com a fragilidade da situação portuguesa. "Penso que já não dependemos só de nós, mas sim das decisões que possam vir do conselho Europeu de 24 e 25 de Março e a cimeira da zona euro, a 11 de Março", lembrou. Para o economista, "Portugal tem esta combinação fatal da mediocridade com a inveja e é isso que afasta as pessoas de qualidade da política".Questionado sobre a relutância de José Sócrates sobre entrada do FMI em Portugal, João César das Neves garante: "Estamos a deitar areia para um vulcão que não parece estar controlado".» [i]

OBRIGADINHO PELA VERGONHA

«A todos os bancários com 58 anos que estão há dez anos na reforma. A todos os jornalistas com dentaduras como teclados de piano pagas quase de borla antes que lhes tirassem essa trafulhice. A todos os maus professores que subiram na carreira só porque passaram tantos anos no ensino quanto os passados pelos bons professores. A todos os mestrandos com idade para saber que nunca exercerão o que estudam, mas que vão aproveitando porque entretanto sempre vai pingando a bolsa obtida graças à influência de um familiar. A todos os condutores de Mercedes que o têm porque o seu nível de patamar do emprego diz "direito a carro de classe X", quando a qualidade com que exercem o trabalho seria mais para andar de burro. A todos os autarcas que fizeram obras em casa e não precisaram de pagar por elas. A todos, pobres e ricos, donos de jantes de liga leve e filhos com educação ainda mais leve. A todos os que lá em casa bebem vinho vulgar mas durante a semana, com factura metida na tesouraria da empresa, hesitam entre o Pera Manca e um Quinta do Crasto Vinha Maria Teresa. A todos os empresários que declaram às Finanças prejuízo e aos amigos declaram que este ano vai ser Maldivas. A todos: obrigado. Ontem, vendo os meus feitores, humildes e com a boina enrodilhada nas mãos, prestando contas à dona alemã da quinta, senti a minha parte da vergonha. Mas a todos, obrigado: graças a vocês sei que há maiores culpados. » [DN]

Autor:

Ferreira Fernandes.

MERKEL AJUDOU SEM AJUDAR

«Angela Merkel colocou a sua credibilidade ao serviço de Portugal. Para Portugal não sofrer o destino de irlandeses e gregos e para salvar o euro num caminho que agrade a todos.

Façam os trabalhos de casa, melhor ou tão bem como até agora, e receberão como prémio dos mercados a desejada descida das taxas de juros. Assim falou Angela Merkel. Assim ajudou a chanceler Portugal, sem ajudar. Nunca assim falou com os líderes da Irlanda e da Grécia.

A Alemanha quer salvar o euro, mas à sua maneira. Porque Angela Merkel está condicionada politicamente? Sim, é a avaliação de conjuntura que se pode fazer. Mas a razão mais funda está no sentimento da sociedade alemã, aquilo que os economistas designam como preferências.» [Jornal de Negócios]

Autor:

Helena Garrido.

DEFENSOR DE MOURA ABANDONA SÓCRATES

«Defensor de Moura revelou esta quinta-feira ter abandonado a comissão de honra da candidatura de José Sócrates a secretário-geral do PS, em protesto pela forma como a regionalização foi posta "na gaveta".

"Renunciei a fazer parte da comissão de honra da candidatura de José Sócrates a secretário-geral. Não quer dizer que não o apoie, porque não vejo alternativa a ele, mas é a minha forma de mostrar desagrado pela forma como foi metida na gaveta a regionalização", disse Defensor de Moura à agência Lusa.» [CM]

Parecer:

Além dos municípios e das freguesias ainda quer regiões.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Acabe-se de vez com esta mania das regiões.»

AS NOTÍCIAS POUCO IMPORTAM SE A APRESENTADORA FOR ENGRAÇADA

«Um estudo da Universidade Indiana mostra que os homens não processam da mesma forma as notícias em televisão se a apresentadora for muito sexy.

A investigação, dirigida pelas professoras Elizabeth Rabe e Lelia Samson, colocou 400 voluntários a ver um espaço noticioso apresentado por uma jovem de 24 anos vestida de forma sexy, e depois vestida de uma forma normal, sem decote e sem roupas justas. » [DN]

CUNHAL AINDA ESTÁ IDEOLOGICAMENTE "vIVO" NO PCP

«O investigador João Madeira, do Instituto de História Contemporânea, considera que "a sombra de Álvaro Cunhal", secretário-geral do PCP entre 1961 e 1992, "ainda perdura no partido em termos ideológicos" e que "o seu legado é intocável".

O investigador, doutorando em História Política do Século XX na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa com uma tese sobre o PCP, disse à Lusa que o partido tem feito por "ancorar a herança de Álvaro Cunhal nos dias de hoje".

A partir da reorganização do PCP nos anos de 1940, explicou, "Cunhal vai marcar a vida do partido, praticamente até à data da sua morte", em 2005. "E ainda hoje há como que uma sombra tutelar que permanece, determinando algumas opções, inclusive programáticas, dentro do partido". » [DN]

Parecer:

Eu diria que no PCP até o Estaline está de boa saúde.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se um sorriso.»

AUDI APRESENTA NOVO BLINDADO

«A Audi escolheu o Salão de Genebra para apresentar o seu A8 L Security, um carro blindado para clientes especiais como os líderes mundiais ou mesmo os presidentes de empresas multinacionais.

A marca alemã, que já tem à venda o luxuoso A8 normal, mostra no Salão, que abriu hoje e decorre até 13 de Março, um carro cheio de 'gagdets' de segurança em que o preço é o menos importante, até porque não existe. Por ser feito à medida do cliente, o preço também é ajustado à medida dos adereços.» [DN]

Parecer:

Por cá dava jeito a Cavaco Silva que sempre foi um político com muito medo de morrer.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ofereça-se um à Presidência da República.»

PORTUGAL PRESIDE A COMITÉ DE SANÇÕES PARA A LÍBIA

«Portugal aceitou hoje um convite para presidir ao comité de sanções para a Líbia no Conselho de Segurança da ONU, disse à Lusa fonte diplomática nas Nações Unidas. Portugal já tinha ocupado o mesmo cargo quando se tratou das sanções à Coreia do Norte.

A diplomacia europeia vai reunir-se em Bruxelas a 10 de Março para uma "reunião extraordinária" sobre a crise na Líbia. O encontro assumirá a forma de um "pequeno-almoço de trabalho" e foi convocado por Catherine Ashton. No dia seguinte realiza-se uma cimeira, também em Bruxelas, dos chefes de Estado e de governo dos 27, para definir uma resposta comum à crise líbia e aos conflitos no Norte de África.» [i]

Parecer:

Digamos que o governo português conhece muito bem Kadhafi.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

OFERTA ORIGINAL

«Ross Matthews, do programa "Tonight Show" de Jay Leno, recolhia recordações das estrelas para o famoso apresentador, que não foi convidado para a entrega dos galardões, por não estar ligado ao cinema. Quando interpelou a modelo alemã, que disse não ter "aqui muita coisa que possa dar", esta resolveu oferecer algo tão íntimo como inesperado – a roupa interior. "O Jay vai gostar!", brincou Klum.» [i]

BRASIL JÁ É A SÉTIMA MAIOR ECONOMIA DO MUNDO

«O Brasil ultrapassou a França e o Reino Unido e é agora a sétima maior economia mundial, após o resultado de 2010, afirmou hoje o ministro brasileiro da Fazenda.

Guido Mantega disse, com base em dados preliminares, que o crescimento de 7,5% da economia brasileira, em 2010, o melhor resultado desde 1986, demonstra a "capacidade [de o país] crescer cada vez mais". » [Jornal de Negócios]

PORTUGAL VENDE DÍVIDA QUASE DIA SIM, DIA NÃO

«A agência que gere o crédito público agenda, assim, o segundo leilão de dívida de longo prazo do ano, depois de em Janeiro ter vendido dívida a 10 anos.

Os máximos desde a entrada na Zona Euro tocados pelos juros nos prazos mais longos obrigou o IGCP a escolher uma linha mais próxima. A maturidade da linha OT 5,45% é de cerca de dois anos e meio.» [Jornal de Negócios]

Parecer:

Veremos qual vai ser o juro que paga.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se.»

APPLE DEVOLVE 100 DÓLARES A QUEM COMPROU O i-PAD

«A Apple vai compensar os clientes que compraram a primeira geração de iPads nas duas semanas anteriores ao anúncio – feito ontem – do lançamento da versão 2.

A tecnológica norte-americana vai reembolsar 100 dólares a quem comprou a primeira versão do iPad nos últimos 15 dias de Fevereiro, já que ontem anunciou, em São Franscisco, o lançamento do iPad 2, avança o website “The Mac Observer”.» [Jornal de Negócios]

TERAPIA ORIGINAL

«Uma "terapeuta" norte-americana pouco ortodoxa está a propor "terapia despida" aos seus pacientes para que eles se sintam mais à vontade durante as sessões. Sarah White, de 24 anos, acredita que a nudez encoraja os clientes a serem mais honestos e os mantém mais concentrados.

primeira sessão de "terapia despida", realizada pela Internet com uma "webcam", custa 150 dólares (107 euros). O método peculiar de Sarah já atraiu cerca de 30 homens de diversas partes do mundo.

"A proposta é mostrar aos meus pacientes que não tenho nada a esconder e encorajá-los a serem mais honestos durante a terapia", disse Sarah White ao "New York Daily News", um tablóide nova-iorquino. "Freud usou o método de livre associação, eu uso a nudez", acrescentou.» [JN]

ARKADIY KUYRTA

THE ECONOMIST