sábado, dezembro 13, 2014

As lagostas e mexilhões no facebook de Passos Coelho

 photo _Mexilhao_zpse58dba87.jpg
  
Como parece óbvio tanto a Ana Isabel Albergaria como as caras amigas e amigos a que se refere Passos Coelho são as lagostas que se lixaram com as suas opções. Infelizmente desde o Natal de 2012 que Passos Coelho deixou de se dirigir às lagostas através do Facebook:


Amigos,

Este não foi o Natal que merecíamos. Muitas famílias não tiveram na Consoada os pratos que se habituaram. Muitos não conseguiram ter a família toda à mesma mesa. E muitos não puderam dar aos filhos um simples presente.

Já aqui estivemos antes. Já nos sentámos em mesas em que a comida esticava para chegar a todos, já demos aos nossos filhos presentes menores porque não tínhamos como dar outros. Mas a verdade é que para muitos, este foi apenas mais um dia num ano cheio de sacrifícios, e penso muitas vezes neles e no que estão a sofrer.

A eles, e a todos vós, no fim deste ano tão difícil em que tanto já nos foi pedido, peço apenas que procurem a força para, quando olharem os vossos filhos e netos, o façam não com pesar mas com o orgulho de quem sabe que os sacrifícios que fazemos hoje, as difíceis decisões que estamos a tomar, fazemo-lo para que os nossos filhos tenham no futuro um Natal melhor.~

A Laura e eu desejamos a todos umas Festas Felizes.
Um abraço,
Pedro.
(26/12/2012)

Queria escrever-vos hoje, nesta página pessoal, não como Primeiro-Ministro mas como cidadão e como pai, para vos dizer apenas isto: esta história não acaba assim. Não baixaremos os braços até o trabalho estar feito, e nunca esqueceremos que os nossos filhos nos estão a ver, e que é por eles e para eles que continuaremos, hoje, amanhã e enquanto for necessário, a sacrificar tanto para recuperar um Portugal onde eles não precisarão de o fazer.
(9/9/12)

Caras Amigas e Amigos,
Nestes tempos em que os Portugueses têm de enfrentar tantas dificuldades e sofrer tantos sacrifícios, o Natal é um momento que nos pode juntar, inspirar e motivar. Esta quadra é sinónimo de solidariedade, de união e de esperança, sentimentos e valores que nos podem ajudar a ultrapassar este tempo difícil.
(25/12/2011)

Caras amigas e amigos,
Nas últimas semanas esta wall tem recebido milhares de posts, vindos de Portugueses de todo o mundo. Como imaginam, e especialmente num momento tão complicado, é-me impossível acompanhar todos eles, mas a minha equipa faz-me chegar muitos dos vossos posts e leio-os com atenção. Considero ser verdadeiramente importante conhecer as histórias e preocupações dos Portugueses reais, de modo a nunca me esquecer que as decisões difíceis que tomo medem-se não só em números e percentagens, mas em vidas e sacrifícios.

Desde que anunciei, no dia 13 de Outubro, as medidas mais duras do Orçamento de Estado para 2012, muitas têm sido as mensagens de frustração ou desespero que li nesta página. Mensagens como a da Ana Isabel Albergaria que escreveu “ Exmo Sr Primeiro Ministro. Votei no senhor e ainda acredito que está a fazer o melhor que pode e sabe. Preciso muito da sua ajuda. É sobre o meu orçamento familiar. Até aqui o ordenado nunca chegava ao fim do mês. Era com os subsídios de natal e férias que eu conseguia equilibrar as finanças, pagar seguros, contribuições, irs, ou outra despesa extraordinária, como um par de óculos. Já cortei tudo... mas as despesas não essenciais. Tomo banho só uma vez por semana, só acendo uma lâmpada, dispensei a mulher a dias, só saio no carro em casos extremos. Não sei mais onde cortar e o dinheiro não chega. Por favor diga-me o que hei-de fazer para poder continuar a pagar as obrigações ao Estado. Estou desesperada. Agradeço que me ajude e dê sugestões de como equilibrar as minhas finanças.”

Como a Ana Isabel, muitos de vocês estão assustados com o desafio que temos de enfrentar. Mas acredito também que, por mais que estes sacrifícios nos custem, sabemos hoje que não podemos mais fechar os olhos aos erros do passado. O momento de rescrever o futuro dos nossos filhos é agora e eu acredito que vamos consegui-lo.
(21/11/2011)

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Boa-hora_zps46d169c6.jpg

Antigo tribunal da Boa-Hora, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Rui Rio

Rui Rio decidiu propor um entendimento na justiça, o problema é que depois de tanto tempo de silêncio em relação a muita coisa que se passou a sugestão de Rui Rio chegou pontualmente com três anos de atraso. Fica-se sem se perceber se Rio fala para Cavaco Silva, para Passos pu para António Costa, não se percebe também se fala enquanto modesto militante do PSD, enquanto pré-candidato a Belém ou à liderança do PSD. Seria bom que Rui Rio esclarecesse quais seriam as partes do tal acordo para a justiça.

«O ex-presidente da Câmara do Porto Rui Rio defendeu hoje um entendimento, promovido pelo Presidente da República, entre PSD, PS e a sociedade, para uma reforma da Justiça “com vetores muito definidos” que contribua para “revitalizar a democracia”.

As posições do antigo secretário-geral e deputado do PSD foram assumidas durante a apresentação da sua biografia, “Rui Rio, de corpo inteiro”, de Mário Jorge Carvalho, num centro comercial em Lisboa.

Na sessão de apresentação da obra, que coube ao social-democrata Nuno Morais Sarmento, marcaram presença figuras do PSD como o eurodeputado e ex-candidato à liderança do partido, Paulo Rangel, o ex-ministro e antigo dirigente social-democrata José Luís Arnaut e deputados como José Matos Correia, Paulo Mota Pinto, Afonso Oliveira e Virgílio Macedo, este também líder da distrital do Porto.» [Observador]

 O Reality BES Show

É uma pena que a ARTV se dedique apenas a gavar as sessões parlamentares e que a comissão de inquérito ao caso BES esteja ainda no início. Com o espectáculo degradante e por vezes deprimente que nos está sendo dado por algumas das personagens do BES os trabalhos da Comissão davam um excelente reality show e na passagem de ano as garrafas de champanhe e de espumante ficariam por abrir com um país paralisado para saber quem tinha sido votado pelo povo português para vencedor do BES.

Nos tempos mortos a ARTV poderia passar reportagens sobre os momentos privados que retratam a grande amizade de infância entre o Pedo dos Passos Coelho e o José Maria dos Ricciardi, que como se sabe são amigos de longa data e a sua amizade nada tem que ver nem com o dinheiro de um, nem com os cargos políticos do outro. Aliás, matéria para entreter os telespectadores não falta, imagine-se o que seria o país ver as irmãs do Ricardo Salgado a fazer bolos até de madrugada ou as do PQP a irem ás escondidas beber chá à casa do Ricardo.

A grande lição da comissão parlamentar de inquérito é a mesma da velha anedota do compadre que foi às putas e acabou apanhado a meio de uma rusga policial, uma das raparigas era cabeleireira, a outra manicura e o coitado acabou por perguntar a si próprio “querem ver que a puta sou eu?”. Um dia destes ainda vão descobrir que todos os ramos da família ES estão inocentes, o mesmo sucedendo com a Maria Luís, Carlos Costa, Passos Coelho e Cavaco Silva.

Andam, andam e ainda vão descobrir que os culpados disto tudo são os contribuintes, os pequenos accionistas e o presidente da CMVM que neste caso fez o papel do corno pois parece ter sido o último a saber. O espectáculo que está sendo dado pela ARTV é de tão baixo nível e tão depreimente que devia estar assinalado por uma bolinha vermelha.

 Investigar os investigadores

Talvez por se recear que alguém se lembrasse da queixa dos neo-nazis a PGR fez questão de saber que o processo contra Sócrates foi rsultado de uma comunicação da CGD no âmbito da legislação de combate ao branqueamento de capitais. Sucede que nenhuma das fugas ao segredo de justiça aponta para uma suspeita relacionada com tal movimento financeiro.

O dinheiro referido é sempre o dinheiro que terá sido transferido legalmente para Portugal e a lógica da justiça parece ser a de que esse dinheiro surgiu ilegalmente graças a corrupção passiva ou foi gasto em negócios envolvendo corrupção passiva. Para outras palavras, parece que primeiro apanharam os lucros e só agora andam em busca do crime.

E ninguém investiga os investigadores? Se todos os que têm algum dinheiro ou o ganharam indevidamente ou o investiram de forma duvidosa então as prisões portuguesas seriam insuficientes para prender tanta gente.

 Dúvidas que me assaltam

Não seria mais fácil para os magistrados investigadores, sejam do MP ou juízes de instrução, dizerem aos jornais do que é que Sócrates não é suspeito?
  
 Praga na Quinta da Marinha, Lapa e Linha dde Cascais

Parece que as zonas mais ricas da capital estão a sofrer uma praga de mexilhões.´

 Ainda há quem consiga ter sentido de humor

 photo _Humor_zps0deb8b4d.jpg

 Lagosta suada

 photo _Lagosta_zps1c164380.jpg

Está explicado o nome do prato lagosta suada, vem do facto de garaças a Passos Coelho desta vez foram as lagostas e não os mexilhões que tiveram de suar as estopinhas... O Gambrinus já está pensando mudar a ementa de "lagosta suada" para "lagosta suada à Passos Coelho".

A ementa de "lagosta suada à Passos Coelho é simples:

Escolhem-se os funcionários por serem ricos e rechonchudos cortam-se-lhes os vencimentos, aumentam-se-lhe os descontos, reduzem-se-lhes as férias, congelam-se os vencimentos e promoções e jogam-se fora os que ultrapassarem o peso. Poem-se os funcionários a marinar.

Apanham-se os pensionistas e corta-se-lhes um bom pedaço e acrescentam-se à marinada de funcionários. Pega-se em todos os que recebem apoios sociais e junta-se igualmente à marinada.

Pega-se na marinada e aumenta-se brutalmente o IRS e o IVA.

No fim dá-se dois dias de tolerância aos funcionários porque são idiotas, devolve-se as pensões aos pensionistas a mando do RXC e deixam-se os mais pobres como estão pois desde sempre estão habituados a serem pobres.

Junta-se tudo e serve-se em bandejas de prata aos Ulrichs e outras vítimas da crise.


 A PGR mentiu?
   
«O processo em que o ex-primeiro-ministro José Sócrates está indiciado por fraude fiscal, corrupção e branqueamento de capitais teve afinal origem numa outra investigação iniciada em 2011 e que visava o seu amigo Carlos Santos Silva, também detido no âmbito da Operação Marquês. Santos Silva, empresário na área da construção, está em prisão preventiva indiciado pelos mesmos crimes que são imputados a Sócrates.

A informação consta de um requerimento apresentado pela defesa do ex-governante a pedir a nulidade de todos os actos praticados no inquérito a Sócrates a partir de 31 de Maio deste ano, nomeadamente escutas telefónicas, buscas e a própria detenção.

Nesse requerimento a que o PÚBLICO teve acesso, é citado um despacho do juiz de instrução Carlos Alexandre, datado de 3 de Julho deste ano. No mesmo, refere-se que o inquérito que visa José Sócrates teve início em Julho de 2013. Porém, o juiz remete para um processo anterior que investiga um “esquema” alegadamente usado por Carlos Santos Silva e que lhe permitiria “ocultar património e rendimentos de terceiros".

"Inicialmente indiciavam os autos que o suspeito Carlos Santos Silva teria ligações a pessoas colectivas e singulares beneficiárias de esquemas de circulação de fundos com contas na Suíça", refere ainda o despacho.» [Público]
   
Parecer:

A PGR emitiu um comunicado em que informava que o processo tinha sido iniciado com uma comunicação de um banco no âmbito da legislação de combate ao branqueamento de capitais. Agora percebe-se que começaram a investigar um amigo, mais ou menos o mesmo que já tinha sucedido com o processo Face Oculta.

Se a PGR mentiu então temos uma justiça que mente para perseguir cidadãos, algo muito perigoso em democracia e um expediente que nem todas as ditaduras usam.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

 À atenção dos senhores procuradores
   
«Duas semanas depois do congresso de Lisboa e em pleno furacão José Sócrates, o PS de António Costa consegue uma nova subida. Os socialistas já estão praticamente nos 38% registados em maio quando o partido era liderado por António José Seguro.

Aliás, desde que António Costa foi eleito (como candidato do partido a primeiro-ministro) nas primárias de setembro, o PS cresceu 4,5 pontos percentuais. E o PSD, em igual período, caiu 2,8.

Nas contas deste estudo, o Partido Socialista alarga a distância em relação à soma dos partidos da coligação. Agora, a diferença entre PS e PSD/CDS é de cinco pontos - há um mês era de quatro. E já falta menos de um ano para as eleições legislativas. » [Expresso]
   
Parecer:

Esta sondagem é um sinal de maturidade dos portugueses, significa que as purgas já não influenciam a sua opinião. Quanto a resultados brilhantes há que dar os parabéns ao CDS e a quem acredita que o actual CDS ainda consegue mais de 7% dos votos, Paulo Portas e a Eurosondagens estão de parabéns.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento aos magistrados envolvidos em processos com políticos e aos movimentos políticos que recolhem informação bancárias para moverem processos contra políticos.»

 E  viva o PSD-Madeira
   
«De forma sumária, sem prévia discussão no plenário, a Assembleia Legislativa da Madeira (ALM) aprovou esta sexta-feira, com os votos do PSD e contra de toda a oposição, o respectivo orçamento para 2015, que consagra um acréscimo de 5% no financiamento partidário e mantém as subvenções vitalícias aos ex-deputados abolidas a nível nacional.

O presidente do parlamento, Miguel Mendonça, submeteu a votação o primeiro diploma da ordem de trabalhos sem especificar que se tratava do orçamento da assembleia. Foi já na discussão do diploma seguinte que José Manuel Coelho (PTP) criticou a aprovação “rápida e ultra-sónica” e acusou Mendonça de ter agido de “má-fé” na condução dos trabalhos para “enganar os madeirenses”. Também Hélder Spínola (PND) classificou de “inadmissível aldrabice” este processo que, segundo José Manuel Rodrigues (CDS/PP), visa “esconder o escândalo dos cinco milhões do jackpot” partidário.

Já a 29 de Abril de 1990, a Assembleia da Madeira aprovou “em segredo”, por unanimidade, um novo estatuto do deputado que consagrou um substancial aumento no vencimento dos parlamentares. Tal como o orçamento de 2015, a aprovação do diploma propositadamente não especificado (e que não constava da ordem de trabalhos) ocorreu num tempo recorde de 30 segundos. Este caso, denunciado então pelo PÚBLICO, aconteceu já de madrugada, quase sem jornalistas presentes.» [Público]
   
Parecer:

O Jardim é que sabe fazê-las.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

   
   
 photo Damian-Kane-1_zpsca148e19.jpg

 photo Damian-Kane-2_zps7e01eee0.jpg

 photo Damian-Kane-4_zps1a9f8c48.jpg

 photo Damian-Kane-3_zps3d68e8e5.jpg

 photo Damian-Kane-5_zpse0ca1682.jpg
  

sexta-feira, dezembro 12, 2014

O aumento das exportações

O governo costuma usar as exportações como símbolo do seu sucesso, tem mesmo um ministro que parece ter sido designado só para ler estatísticas do comércio externo e fazer figuras tristes e ridículas no parlamento. Serão as exportações ou o aumento destas um sinal de sucesso deste governo?
  
Se as exportações resultassem de uma reorientação do investimento nacional de sectores asfixiados pelas políticas governamentais para sectores exportadores isso seria um bom sinal. Mas parece que nem as empresas de construção civil se converteram em produtores de televisões nem os donos dos restaurantes que fecharam se dedicaram à produção de processadores.
  
Se as exportações tivessem resultado de um aumento da competitividade em consequência da liberalização da legislação laboral poder-se-ia elogiar o que foi feito neste capítulo. Mas a verdade é que mesmo sectores tradicionais com o do calçado promoveram aumentos salariais, pelo que não há sinais de uma relação entre o suposto aumento da competitividade externa e a liberalização do mercado de trabalho.
  
Seria positivo se o aumento das exportações tivesse resultado de uma mudança de políticas governamentais, designadamente do turismo económico de Paulo Portas e da sua rapaziada do CDS ou mesmo do muito elogiado ex-presidente do AEICEP. Mas a verdade é que as exportações de gasóleo, de electricidade produzidas por renováveis ou de automóveis em nada depende dos passeios de Paulo Portas ou das grande embaixadas promovidas pro Cavaco Silva a destinos turísticos de luxo.

Seria bom se as exportações resultassem da promoção da imagem do país de sucesso que superou a crise tão do agrado de Passos Coelho mas a verdade é que um aumento de exportações em resultado de se produzir um novo modelo numa fábrica de automóveis, do aumento da produção de energia renovável ou da produção de gasóleo resulta de investimentos avaliados, decididos e implementados num horizonte temporal que vai muito para além da entrada em funções deste governo.
  
Se o aumento das exportações resultasse da busca de novos mercados em resultado do aumento da capacidade produtiva instalada ou dos investimentos no aumento da produtividade, isso seria uma excelente sinal. Mas o aumento das exportações ocorre numa fase de desinvestimento, com as empresas sem recursos financeiros e com muitas delas a encerrar, isto é, o aumento das exportações com a mesma capacidade instalada significa apenas que algumas empresas tentam sobreviver à asfixia da procura interna.
  
O aumento das exportações resulta do esforço das empresas e da procura externa. Se o governo se quer gabar de ser o responsável pelo resultados do trabalho alheiro terá de demonstrar que foram as suas políticas, os investimentos que promoveu ou ajudou a realizarem ou a promoção da imagem do país que conduziram a esse aparente sucesso. 
 

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Torre_zpscd32a977.jpg

Torre de Belém, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
João Gonçalves Pereira, o Portinhas da CML

Quem é este João Gonçalves Pereira e de quem a democracia nunca ouviu falar e a quem Lisboa e o país nada devem?

«O vereador do CDS na Câmara de Lisboa, João Gonçalves Pereira, está contra a atribuição da Chave de Honra da Cidade a Mário Soares, dadas as “posições de radicalismo político e de incitamento à violência” que o antigo Presidente da República tem assumido.

“Em política, as palavras têm consequências e o nosso partido não deve com o seu voto concordar ou de alguma forma legitimar essas posições”, sustenta Gonçalves Pereira, numa declaração de voto da qual deu conhecimento à comunicação social.

A proposta de atribuir a Chave de Honra da Cidade ao socialista Mário Soares foi discutida na reunião camarária de quarta-feira, tendo sido aprovada com os votos favoráveis da maioria e do PSD, a abstenção do PCP e o voto contra do CDS.» [Público]

 Que mais sabe Carlos Costa?


A rápida resposta de Carlos Costa Às declarações de Ricardo Salgado provam que o governador do Banco de Portugal sabe muito mais do que disse e só diz o que quer que seja quando a isso é obrigado. Carlos Costa até pode falar verdade, mas começa a ser evidente que não fala toda a verdade e acontece que a verdade não pode ser servida às meias doses. Meia dose de verdadenão é mais do que meia dose de uma mentira.

Neste processo do BES a imagem do governador do Banco de Portugal está cada vez mais próxima da do Avô Cantigas.

 Agradar?

 photo Agradar_zps06b95d37.jpg

 Dúvidas que me atormentam

Será mesmo verdade que Ricardo Salgado sabe mais dos negócios políticos de Passos Coelho e Cavaco Silva do que estes sabem dos seus negócios bancários?


 Andaram a fazer bolos à noite para a campanha de Cavaco?
   
«A campanha para a reeleição de Aníbal Cavaco Silva, em 2011, contou com donativos de vários banqueiros, entre os quais, alguns responsáveis pelo BES que agora estão a ser investigados pela gestão do banco. No total, banqueiros ou administradores do Grupo Espírito Santo deram à campanha de Cavaco 253.360 mil euros. E todos deram o máximo permitido por lei: 25.560 euros.

O próprio Ricardo Salgado é dos primeiros nomes (de acordo com o registo interno) a aparecer no processo sobre as eleições presidenciais de 2011 consultado pelo Observador no Tribunal Constitucional, que ficaram hoje disponíveis. Ofereceu para a reeleição de Cavaco Silva o máximo permitido por lei: 25.560 euros. Mas não foi o único.» [Observador]
   
Parecer:

Pobre Cavaco, já parece ser o Marques Mendes que é como as moscas, aparecem sempre que cheira mal.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Director-geral sem dinheiro para advogado
   
«O ex-diretor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, que se encontra em prisão domiciliária, diz que não tem dinheiro para pagar a um advogado e pediu ajuda ao sindicato do setor. A informação foi avançada por fontes próximas de Manuel Palos ao jornal i. Segundo as tabelas remuneratórias consultadas pelo Observador, o primeiro diretor de uma polícia detido em Portugal ganhava um salário bruto de 3734,06 euros, ao qual se somavam 778,03 euros de despesas de representação.

Manuel Palos demitiu-se do cargo há cerca de um mês, depois de o juiz de instrução criminal, Carlos Alexandre, lhe ter aplicado a medida de coação de prisão preventiva por suspeitas de dois crimes de corrupção passiva para ato ilícito na atribuição de Vistos Gold. Palos ficou alguns dias preso na cadeia de Évora, onde se encontra agora preso preventivamente José Sócrates, e foi depois colocado em prisão domiciliária na sua casa em Telheiras, Lisboa.» [Observador]
   
Parecer:

Deve andar por aí muito bom director-geral sem dinheiro para as gravatas quanto mais para pagar a advogados. A verdade é que o grande trunfo destes processos judiciais está no dinheiro, a acusação começa por destruir financeiramente os arguidos, quer pelos custos, quer pela asfixia financeiras pois não raras vezes congelam todos os recursos dos arguidos, incluindo os inquestionavelmente legais.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Na Madeira sabe-se onde está a dívida
   
«"A [dívida] da República não se sabe onde está e a da Madeira está aí à vista", declarou Alberto João Jardim no plenário da Assembleia Legislativa madeirense, no encerramento da discussão do Orçamento e Plano Regional para 2015 (OR2015), aprovado na generalidade com os votos favoráveis do PSD e do deputado independente João Pedro Pereira e contra de todos os partidos da oposição (CDS, PS, PTP, PAN, PND, PCP, MPT e PCP).» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Há quem diga que está investida em sifões de sanitas!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

 Fernando Negrão, apresentador de empresários
   
«Pedro Queiroz Pereira é, como o descreveu Fernando Negrão, presidente da comissão parlamentar de inquérito, “um homem de acção”. Um “industrial, comerciante e empresário”, como o próprio se definiu. Alguém que produz coisas tão sólidas como o cimento. Naturalmente, procurou distanciar-se das “operações de natureza financeira muito imaginativas” e dos off-shores que concentram a atenção dos deputados no caso BES.» [Público]
   
Parecer:

A forma como Negrão apresentou o empresário vai muito para além do que se aceita de um deputado, o parlamento não é uma fábrica de graxa!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 À atenção do super Alex
   
«"Por exemplo, nos contactos que tive com o engenheiro Sócrates, resultaram num investimento de 600 milhões de euros em Setúbal", contou Queiroz Pereira aos deputados esta quarta-feira, 10 de Dezembro. Se não fosse esse contacto, em vez de Setúbal, essa fábrica de papel estaria na Alemanha. A fábrica de papel foi criada em 2009. » [Jornal de Negócios]
   
Parecer:

Não queriam um negócio de Sócrates?   Já havia branqueamento de capitais, evasão fiscal e corrupção, só faltava um negócio, pois que têm um que serve.
  
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento aos neo nazis.»
  
 Juncker quase a ferver
   
«Jean-Claude Juncker, presidente da Comissão Europeia e antigo primeiro-ministro luxemburguês, é novamente alvo de acusações relacionadas com o caso LuxLeaks. Além de novos documentos que revelam mais empresas envolvidas nos esquemas de evasão fiscal, um antigo diretor do departamento fiscal da Amazon alega que Juncker procurou a empresa para a incentivar a utilizar as vantagens fiscais do seu país.

O jornal britânico "The Guardian" divulga esta quinta-feira declarações de um antigo diretor da Amazon a um jornal luxembruguês. Bob Confort confirma que "o Governo do Luxemburgo se apresentou como um parceiro de negócios, o que ajudava a resolver problemas". As declarações foram feitas no verão, ainda antes de o escândalo LuxLeaks ter vindo a público.

Confort desvalorizou as acusações de fuga aos impostos defendendo que "as empresas multinacionais seguem as regras do sistema bilateral". Reformou-se este verão e é agora cônsul honorário do Luxemburgo em Seattle, nos Estados Unidos.» [Expresso]
   
Parecer:

Mais um facilitador.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao homem que regresse ao seu Estado-aldeia do oportunismo.»
  

   
   
 photo Anireta-K-Athan-3_zps2109dd36.jpg

 photo Anireta-K-Athan-1_zpsed7118d5.jpg

 photo Anireta-K-Athan-4_zps300b34e4.jpg

 photo Anireta-K-Athan-5_zps95426d26.jpg

 photo Anireta-K-Athan-2_zps9215d351.jpg
  

quinta-feira, dezembro 11, 2014

A sexta capa da revista Time

 photo Capa-Time-MAcedo_zpsbf538846.jpg

Ao contrário do que a comunicação social divulgou a Time adoptou seis capas para a revista dedicada à personalidade do ano e não cinco como tem sido dito, há uma sexta capa dedicada a um tuga que foi um dos grandes “ebola fighters”, o nosso Dr. Paulo Macedo, o Opus ministro da Saúde. Aliás, depois desta sexta capa só falta mesmo a organização da competente missa de acção de graças na Sé de Lisboa para que o país possa agradecer a Deus e ao seu humilde representante na terra por nos ter livre. Só igual a nos ter livrado do ébola só mesmo a de Salazar que nos livrou da guerra.
  
E por falar em guerra o nosso Aguiar Branco também tentou uma sétima capa com a sua imagem e inspirado na sétima arte montou uma grandiosa encenação de um transporte d e um doente com ébola que ia ser transportado num meio aéreo da nossa poderosa FAP, presente nos céus da Europa desde o Báltico até Às selvagens. O filme do Aguiar-Branco meteu aviões, homens armados até aos dente e devidamente camuflados, perigosos manifestantes a quererem entrar pelo traseiro do meio aério dentro e ainda os inevitáveis jornalistas da CMTV.
  
Se não fosse o combate à legionela ainda o nosso incansável Paulo macedo estava fazendo exibições com a enfermeira Elizabete ou com a Catarina Furtado, era a ambulância especializada, a entrada de um doente no Curry Cabral, o primeiro doente em Évora, o regresso de um médico doente que estava na Guiné Bissau. De repente o país voltou à normalidade, do ébola nem vê-lo e quanto à legionela já está em fuga, aliás deu à perna mal o Macedo se meteu nos ecrãs da televisão.  
  
O problema é que a realidade não é das melhores e diz o Expresso que o país está em risco de perder o Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul (CMR Sul), uma instituição que era a 7.ª melhor da Europa segundo avaliações internacionais e a única que ajudava na recuperação no sul de Portugal. Coincidência das coincidências há pouco tempo nasceu num município algarvio gerido pelo líder regional do PSD um centro de reabilitação da iniciativa de um negócio privado com a colaboração dda autarquia e de Cuba. Enfim, coincidências num país onde não se mistura negócios com política.
  
Estive internado durante um mês no CMR Sul, ali conheci profissionais de qualidade excepcional, gestores competentes, uma instituição gerida com rigor e sem excessos. Ali vi verdadeiros milagres, doentes que tinha sofrido um AVC e que estavam quase imobilizados saírem pelo seu pé, ali quase me correram as lágrimas ao ver jovens acidentados, alguns quase crianças, a aprenderem a andar em cadeiras de rodas.
  
Daqui a uns tempos ninguém se vai recordar do ébola, o Paulo Macedo estará a colher os frutos da sua vocação para a propaganda (desta vez até a mim me conseguiu enganar) e o país descobrirá que tem um Serviço Nacional de Saúde que parece ter saído da guerra civil da Síria, com instituições quase destruídas, parecendo que foi o Estado Islâmico a mandar no ministério da Saúde.
  
A destruição mais ou menos premeditada do CMR é um crime contra a saúde pública e para as gentes do Sul sem dinheiro para pagar as dezenas de milhares de euros que pode custar uma reabilitação num centro privado. É esta a obra que fica do Dr. Macedo depois da sua propaganda.
  
Parece que não basta o país perder a sua geração mais qualificadas, alguns dos seus mais promissores professores universitários em troca de chineses endinheirados e corruptores, também estão destruindo de forma mais ou menos premeditada os serviços públicos de excelência. É preciso destruir muito do que de bom ainda há em Portugal em nome de uma regeneração que surgirá depois desta poda mal feita.
 
Numa região deficitária em investimentos públicos e, em particular, em cuidados de saúde, com cada vez mais gente idosa, com uma grande prevalência de lesões medulares, traumatismos crâneo-encefálicos, acidentes vasculares cerebrais e outras patologias do foro neurológico, numa região com cada vez mais gente idosa, num distrrito onde se promove a imagem de destino de idosos do norte da Europa (tive a oportunidade de conviver com pelo menos quatro doentes estrangeiros estabelecidos no Algarve), a destruição do CMR Sul por asfixia é mais do que incompetência do ministro, é um crime contra o Algarve, contra o sul do país e contra Portugal.
  
PS: Esperemos que depois deste post o Dr. Macedo não se volte a juntar a algum amigo do Dias Loureiro para se queixar por ofensas à instituição ou a mandar ler os cabeçalhos de email ara saber se algum funcionário do ministério da Saúde mandou informação para este blogue. 

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Carlos Costa

Se Carlos Costa tinha comentários a fazer para esclarecimento da comissão parlamentar de inquérito devia ter pedido a esta para voltar a ser ouvido em vez de emitir comunicados para os deputados lerem. Se o BdP se põe a emitir comunicados por tudo o que se diz no parlamento não vamos fazer outra coisa senão ler as lamúrias do governador pois o que está em causa nesta comissão é precisamente a sua actuação no processo.

«Carlos Costa veio esta terça-feira “refutar veementemente diversas informações feitas pelo Dr. Ricardo Salgado durante a audição da CPI [Comissão Parlamentar de Inquérito]”. Em especial, o governador do Banco de Portugal desmente a “alegada aceitação do Dr. Morais Pires para futuro presidente da comissão executiva do Banco Espírito Santo”. Para isso, o Banco de Portugal publica várias cartas trocadas entre Salgado e Carlos Costa, cartas em que surgem os apelos a mudanças no banco de forma “manifestamente urgente”, o que Carlos Costa escreveu a 7 de abril.

O governador do Banco de Portugal diz que ouviu a audição de Ricardo Salgado e “retive a autorização por este dada para divulgação de troca de correspondência com o Banco de Portugal relativa à avaliação da respetiva idoneidade”. Assim, numa carta de 7 de abril, da qual foi enviada uma cópia a Xavier Musca – vice-presidente do Crédit Agricole –, em que Carlos Costa diz que “o Banco de Portugal entende que os titulares dos órgãos que resultem da futura solução de governo devem resultar de um amplo e sólido consenso acionista e não envolver riscos em termos de avaliação de idoneidade”.» [Observador]


 Opaco,diz ela
   
«Isabel dos Santos precisou apenas de algumas horas para reagir ao comunicado emitido ao final da noite de terça-feira pela administração da PT SGPS. A empresária angolana acusa a empresa de estar a tratar os acionistas de forma “brutal” e “desleal” pela marcação “apressada” de uma assembleia-geral para discutir a venda da PT Portugal à francesa Altice. Um “negócio opaco”, acusa Isabel dos Santos.

Fonte próxima da empresária angolana disse ao Jornal de Negócios e ao Diário Económico que Isabel dos Santos vai “estudar minuciosamente o comunicado apresentado pelo Conselho de Administração da PT SGPS e que conta divulgar os “comentários aprofundados” num dos próximos dias“. Nesse comunicado, a administração da PT SGPS dizia que “não são suficientemente claros os objetivos pretendidos” por Isabel dos Santos.» [Observador]
   
Parecer:

Ouvir a Isabel dos Santos falar de negócios opacos dá vontade de rir.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Combater o desemprego com bolsas miseráveis
   
«Os licenciados que forem estagiar para autarquias ou outras entidades da administração local vão receber uma bolsa de 691,7 euros mensais, acrescida de subsídio de refeição e seguro de trabalho. O despacho que determina o valor da bolsa a atribuir a quem adira ao Programa de Estágios Profissionais na Administração Local (PEPAL), foi publicado esta quarta-feira, em Diário da República.

Este é de resto o valor mais alto a pagar pelas bolsas. Caso os estagiários tenham qualificações inferiores, a bolsa será menor, variando entre os 503 e os 586 euros mensais, conforme o estagiário tenha o nível 3 ou o nível 5 de qualificações.» [Observador]
   
Parecer:

Parece que a geração dos mil euros vai passar a ser a geração dos 600 euros, por este andar um licenciado terá de pagar ao empregador se quiser um emprego em Portugal.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao Paulo Rangel que volte a propor a agência governamental destinada a apoiar a fuga dos jovens.»

 Porque não metem o Alexandre a cuidar destes crimes?
   
«O Observatório de Mulheres Assassinadas da UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta, identificou até ao final do mês de novembro 40 homicídios de mulheres por companheiros, ex-companheiros e familiares próximos e 46 tentativas que não resultaram na morte da vítima. O número aumentou face a 2013, ano em que se verificaram 37 homicídios, e a contabilização de 2014 ainda não tem em conta o último mês do ano. Este observatório estima que desde 2012, 229 crianças foram afetadas devido à violência contra as suas mães, ficando 122 filhos ou filhas órfãos de mãe.

No dia em que se assinala o Dia Internacional dos Direitos Humanos, a UMAR vem através de um relatório elaborado pelo seu Observatório de Mulheres Assassinadas mostrar que em Portugal este ano, quatro mulheres foram assassinadas por mês, vítimas de violência doméstica por parte de companheiros ou maridos, ex-companheiros ou familiares próximos. Estes números são estimativas, já que o observatório analisa apenas as ocorrências reportadas pela comunicação social, não havendo dados oficiais nesta matéria.» [Observador]
   
Parecer:

Talvez com o super Alexandre a coisa se endireitasse.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se a proposta.»

 Um crime do Dr. Macedo
   
«A única unidade pública de fisioterapia no sul do país pode fechar as portas a qualquer momento. Responsáveis da Ordem dos Médicos, do Conselho Distrital do Algarve, alertam que o Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul "vive sob ameaça de encerramento, com o depauperamento dos recursos humanos e técnicos".   

A denúncia, feita esta quarta-feira, pretende revelar "publicamente a situação" para, assim, "sensibilizar o poder político para o desastre que será para o Algarve e outras regiões do Sul do país perderem o centro", lê-se numa missiva enviada às redações. O Expresso contactou os responsáveis pela Administração Regional de Saúde do Algarve e aguarda uma resposta.

Localizado em São Brás Alportel, o Centro de Medicina Física e Reabilitação do Sul está vocacionado para tratar doentes com lesões medulares, traumatismos crâneo-encefálicos, acidentes vasculares cerebrais e outras patologias do foro neurológico, reumatológico, ortopédico, cardiovascular e pneumológico. Abrange, sobretudo, os utentes de reabilitação prolongada dos distritos de Faro e de Beja.

O centro "tem capacidade para 54 camas de internamento e prevista uma média anual de 3200 consultas externas e 44 mil sessões de hospital de dia", consta na informação institucional divulgada na página da unidade na internet. Custou 3,5 milhões de euros e tem sido gerido em modelo de parceria público-privada.» [Expresso]
   
Parecer:

O CMR Sul era até há pouco tempo um dos melhores do género em toda a Europa, para ser mais preciso era o 8.º melhor.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Proteste-se.»