sábado, maio 09, 2015

Virgens ameaçadas

Se nestes dia algum estrangeiro de passagem por Portugal ouvir o alarido feito pelos directores da nossa comunicação social vai com uma ideia idílica da nossa comunicação social, é bem capaz de acreditar que os nossos jornalistas são profissionais que colocam a independência e a verdade acima de um qualquer almoço ou passeio, que os directores dos jornais e televisões até em relação aos seus patrões são independentes e que o governo não tem a mais pequena hipótese de influenciar a comunicação social.
 
Os directores de informação da nossa comunicação social são a grande elite da nossa democracia e os seus jornais e televisões são uma verdadeira Estalinegrado da nossa liberdade de expressão. Aquele gente bate-se contra tudo e contra todos para informarem com verdade, para tratarem os assuntos com equilíbrio e para darem a cada tema em debate a devida importância.
 
A nossa comunicação social é um mino e os seus directores democratas de gema, o Correio da Manhã é o que se sabe, no DN foram todos para o governo, na TVI está o Marcelo, na SIC o Mendes e na RTP o Sarmento, o Expresso é do Número 1 do PSD, o Observador faz de conta que é um jornal, o SE é da Loja Mozart e o Público da Soane. Se a direita tem comentadores a mais convida-se alguém da esquerda para equilibra, o Medina Carreira que foi ministro de Soares ou o Carrilho que foi ministro de Guterres, se os candidatos presidenciais  têm mais atenção compensa-se dando relevo a Henrique Neto. Tudo isto sem leis anacrónicas ou vistos prévios.
 

É por isso que quando algum político manda um SMS agressivo a um jornalista este sente medo e comporta-se como uma virgem ameaçada de violação, a nossa comunicação é tão exemplar que não compreende estas atitudes. Os nossos jornalistas não têm medo de denunciar escutas a Belém, de noticiar a doença de Passos Coelho, de dizer umas mentiras opu fazer umas omissões, o que não suporta são os SMS e as ameaças. Neeesa altura reagem como virgens ameaçadas, aos guinchoe e numa verdadeira choradeira.


Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Janela_zpsrvfedsck.jpg

Janela, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Paulo Portas

Paulo Portas tem um conceito de dignidade pessoal muito próprio, supera um vexame público gozando consigo próprio. Enfim, o preço que está disposto a pagar por garantir muitos mais deputados do que o seu partido vale, tudo nesta vida, até a dignidade tem um preço.

«Paulo Portas decidiu brincar com as polémicas da última semana: a forma como pediu a demissão “irrevogável” no verão de 2013 e o estatuto que Passos Coelho lhe deu no último debate quinzenal.

“Apresenta-se ao serviço o líder do principal partido da oposição, se tiverem perguntas podem enviar um SMS”, gozou o vice-primeiro-ministro, quando os jornalistas quiseram ouvir a sua versão sobre os temas.

Com a ironia, Portas pretendeu pôr fim à polémica levantada pela biografia autorizada de Passos Coelho, apresentada esta semana, que adiantava que em julho de 2013 o primeiro-ministro teria recebido o pedido de demissão do seu parceiro de coligação via SMS. O vice-primeiro-ministro e líder do CDS-PP fez um desmentido formal, garantindo que se demitiu, formalmente, por carta. Um dia depois, no parlamento, a polémica voltou, quando Passos tratou Portas como “o líder do principal partido da oposição”. E não faltaram as notícias e as análises sobre estas questões após o anúncio de que os dois partidos se apresentarão coligados nas próximas legislativas.» [Observador]

      
 O governo amigo da economia
   
«O Governo quis incentivar os portugueses a comprar carros "amigos do ambiente" e criou apoios financeiros para quem quisesse trocar o seu veículo com mais de dez anos por um carro elétrico. A lei entrou em vigor no dia 1 de janeiro, mas, passados quatro meses, ninguém recebeu um cêntimo deste programa. Os concessionários das marcas dizem que "há muitos clientes que desesperam por receber o dinheiro, pois fizeram as suas contas a contar com o incentivo do Estado". Outros garantiram à VISÃO que "já tivemos potenciais interessados em comprar carros elétricos que desistiram por não saberem quando receberiam o dinheiro dos apoios que o Governo prometeu". "Há alguns clientes que deram o seu carro para abate e, sem a ajuda que o Estado prometeu, não conseguiram comprar o veículo elétrico. Agora não têm nenhum meio de deslocação", garante um concessionário.

Contactado pela VISÃO sobre as razões que estão a atrasar o pagamento dos incentivos prometidos no âmbito da fiscalidade verde, o Ministério do Ambiente respondeu que "foram esta semana concluídos, pelo Ministério das Finanças, os procedimentos de autorização financeira que permitirão a célere atribuição deste incentivo ", não avançado com qualquer data para começar a fazer os respetivos pagamentos.

O Ministério do Ambiente garante que, atualmente, existem "cerca de três dezenas de casos em apreciação" de pessoas que compraram veículos elétricos.» [Visão]
   
Parecer:

O que seria da economia se não fosse a paixão assolapada que por ela sente este governo...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Funcionária privativa
   
«Uma funcionária do Fisco que está a ser investigada por ter acedido aos dados fiscais do primeiro-ministro diz que o fez a pedido de Pedro Passos Coelho, embora não diga qual foi o pedido exato do primeiro-ministro, noticia o Diário Económico. O gabinete de Passos Coelho diz que não foi pedido qualquer “tratamento de favor”.

De acordo com uma ata da audiência desta funcionária no âmbito de uma auditoria da Autoridade Tributária, que o Diário Económico cita na sua edição de hoje, a funcionária terá acedido aos dados primeiro-ministro devido a um pedido do próprio, devido a uma questão relacionada com o seu IRS.

O acesso terá sido feito em novembro de 2014 e terá sido detetado no âmbito da chamada lista VIP, que controlava o acesso dos funcionários do fisco a alguns contribuintes, todos eles governantes, e entre os quais estava Passos Coelho.

A funcionária do Fisco explicou que o primeiro-ministro lhe ligou porque têm uma “relação de amizade”. Confrontado com estas declarações, o gabinete de Passos Coelho disse apenas que não houve qualquer pedido de tratamento de favor por parte da AT.» []
   
Parecer:

Este é o outro lado da devassa dos dados o informalismo. O problema é quando os conjugues e amigos deveriam abster-se de pedir este tipo de informações pois, por exemplo, há magistrados casados com chefes de finanças,. etc., etc..
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Varoufakis estará a brincar?
   
«Que da próxima reunião do Eurogrupo não se esperava um acordo entre a Grécia e os credores já era assumido publicamente, mas as negociações parecem ter dado mais um passo atrás. Nos encontros recentes que teve com alguns dos seus homónimos da zona euro, o ministro das Finanças grego entregou um plano de reformas que difere em muito do que está a ser negociado em Bruxelas, noticia o Wall Street Journal.

Depois de uma muito tensa reunião do Eurogrupo em Riga, no início de maio Yanis Varoufakis foi substituído nas negociações com a troika por Euclid Tsakalotos, um economista de Oxford próximo do vice-primeiro-mininstro Yannis Dragasakis.» [Observador]
   
Parecer:

Isto ainda acaba mal.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Comunicado com erro 
   
«O Miniistério da Educação e Ciência tomou uma série de medidas no sentido de garantir que sejam os candidatos melhor preparados a ensinar os nossos alunos", escreve o próprio Ministério em comunicado. A informação enviada aos jornalistas vem a propósito da divulgação, esta sexta-feira, dos resultados da componente específica da Prova de Avaliação de Conhecimentos e Capacidades (PACC), realizada por 1500 candidatos a dar aulas. 

Se em matéria de princípio nada haverá a apontar, a questão está na expressão “melhor preparados”, um erro gramatical frequente, que tem a sua ironia por vir impresso num documento sobre as provas onde chumbaram 60,4% dos avaliados a Português.

O domínio “do raciocínio lógico e a capacidade de comunicação em língua portuguesa são transversais à lecionação de todas as disciplinas”, lê-se no mesmo comunicado, aliás escrito num português escorreito, não fosse o termo “melhor” refletir o sentido de “mais bom” — o que é errado. Na verdade, a expressão correta é “mais bem”, uma vez que o "mais" é que traduz a noção pretendida de “bem preparado”. » [Expresso]
   
Parecer:

Crato no seu melhor.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

   
   
 photo Solisia-5_zpssjqvakfu.jpg

 photo Solisia-3_zpsmobww2da.jpg

 photo Solisia-2_zps1ho58lgj.jpg

 photo Solisia-1_zpsj2p2oaou.jpg

 photo Solisia-4_zpsxfa0uac7.jpg
  

sexta-feira, maio 08, 2015

Os paraísos fiscais

Depois de ter tentado impor o terror fiscal numa tentativa desesperada de cumprir a promessa oportunista de reembolsar em 2016 parte da sobretaxa cobrada em 2015 o governo promove agora uma espécie de libertação dos contribuintes. Hoje foi notícia a suspensão de uma das medidas mais imbecis de que há memória de no sistema fiscal português, a notificação dos clientes de restaurantes para que em vez de pagarem a conta ao fim do almoço a fossem pagar a um serviço de finanças.
  
Quando a medida foi noticiada não acreditei, achei que tinha sido um erro informático e que alguém não se tinha apercebido que tinha alargado aos contribuintes individuais um mecanismo aplicado às empresas. Ainda pensei que poderia ter sido ideia de algum chefe de finanças mais zeloso que pretendia exibir a sua dedicação perante o governo. Mas não, a medida foi mesmo implementada, até tinha como designação o "registo e emissão de pedidos de penhora de pagamentos futuros relativamente ao estabelecimento devedor" e agora foi suspensa para "diminuir a conflitualidade fiscal e reforçar os direitos e garantias dos contribuintes".
  
O fisco da ex-URSS não teria feito melhor, nem na criatividade, nem na ligeireza com que se transformaram meros cidadãos em fiscais involuntários do terror e pilhagem fiscais, nem na linguagem adoptada para designar uma mera canalhice e abuso do poder do Estado. A medida foi uma decisão absurda que visava duas coisas, transformar os portugueses em militantes da forçados da causa fiscal e lançar uma vaga de terror.
  
Porquê esta estratégia sinistra? Porque o combate à evasão fiscal não tem passado de um esforço de optimização da receita fiscal gerada com as cobranças aos contribuintes cumpridores e porque o fisco reconhece que os seus meios de inspecção são ineficazes. Basta entrar num restaurante ao lado de um qualquer serviço de finanças para se perceber que uma boa parte das suas vendas são processadas sem factura. Isto significa que a imensa máquina fiscal que existe no terreno não é tão eficaz como se diz, nem foi tão modernizada pelo Paulo Macedo como muitos disseram.
  
Em Portugal confundiu-se a eficácia administrativa de alguns serviços do fisco com eficácia no combate à evasão fiscal e houve-se quem de forma oportunista confundisse a evolução natural de uma sociedade que no sue todo se moderniza com a competência na gestão. A verdade é que no domínio do combate À evasão fiscal e contributiva pouco tem sido feito e subsistem três grandes paraísos fiscais e contributivos.
  
Esses paraísos são: as dívidas fiscais das grandes empresas que como se viu com as taxas das empresas do sector energético em vez de entrarem nos cofres do Estado seguem para os tribunais para enriquecimento dos advogados do sector, onde se incluem quase todos os governantes que passaram pela pasta dos Assuntos Fiscais, incluindo o actual; o mercado de emprego paralelo que absorveu parte dos desempregados e que não paga quaisquer impostos ou taxas à Segurança Social; as dívidas d Segurança Social que não para de crescer em consequência da incompetência da máquina do Estado neste sector dominado por boys incompetentes; e as empresas do “paralelo” que raramente são incomodadas pela máquina fiscal.
  
Estes paraísos fiscais têm sido protegidos e o aumento da receita fiscal tem resultado do aumento das taxas e da maximização da receitas geradas por aqueles que costumam pagar os seus impostos. A eficácia da máquina fiscal em relação a estes cidadãos tem sido tão grande que muitos deles ainda pagam imposto de circulação sobre viaturas que mandaram há anos para a sucata. Esta ideia peregrina de os transformar em fiscais forçados do fisco é digna de loucos, pagam pelo ganham e pelo que não ganham, são sujeitas a taxas e sobretaxas e nas horas vagas ainda são militantes fiscais perseguindo o dono do restaurante onde costumam ir.

A estratégia do partido do contribuinte no fisco tem sido clara, proteger os paraísos ficais e tranformar a máquina fiscal num imenso inferno para os cidadãos cumpridores.

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Pisco_zpst7iwrq4t.jpg

Pisco-de-peito-ruivo, Jardim Gulbenkian, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Lambretas

À beira de ser dispensado este governo ainda decide cortes nos apoios sociais para o futuro mas não indica em que momento as vai adoptar, sendo óbvio que vai publicá-las de forma a ser o próximo governo a enfrentar as consequências sociais. Este Lambretas não é ministro, é um gestor dos recursos do Estado na campanha eleitoral em que a governação foi transformada.

«Ainda não tem data marcada, mas o estabelecimento de tetos e consequente corte nas prestações sociais pagas pelo Estado é mesmo para avançar. A informação foi confirmada ao Observador pelo gabinete do ministro da Solidariedade e Segurança Social, que afirma que as alterações serão levadas a cabo “oportunamente”.

O Governo, relembre-se, tinha prometido para este ano, estando inclusivamente previsto no Orçamento do Estado, cortar cem milhões de euros nas prestações de quem recebe ajuda social.

Porém, mesmo que fosse aprovada a breve trecho a medida apenas poderia entrar em vigor na segunda metade do ano, podendo mesmo comprometer as metas estabelecidas no Orçamento para este ano.

De acordo com a resposta do Ministério, em causa estão o subsídio social de desemprego e o Rendimento Social de Inserção, sendo que para esta duas rubricas estão orçamentados 569,6 milhões de euros para todo o ano.» [Notícias ao Minuto]

 8 de Maio, Dia da Vitória na Rússia

 photo Dia-da-vitoria_zps4nbcqiym.jpg
Mulheres soviéticas dançando em Moscovo no dia da Vitória, a 8 de Maio de 1945 (English Russia)

 Sugestão

Não será melhor mandar o livro da Aureliana sobre o nosso grande timoneiro à UTAO ou à dra. Teodora para se confirmar qu o Paulo Portas se demitiu mesmo por SMS?

 O elogio ao homem de Aguiar da Beira

O mais incrível do elogio de Passos Coelho a Dias Loureiro na queijaria de Aguiar da Beira não está nos elogios ao empresário modelo da nação, está antes no facto de Passos Coelho conguir ter dito tudo o que disse sem se rir, pior ainda, sem ninguém na plateia se rir. Talvez se compreenda, neste país ver um primeiro-ministro elogiar essa personagem que nada deu ao país e em troca ficou podre de rico não dá vontade de rir, é antes motivo para chorar.
  
 Louçã, desonestidade ou falta de memória

Em muitas coisas da vida Francisco Loução demonstra uma falta de memória que dá jeito no momento de reescrever a história a seu favor. Nada de novo nos herdeiros de Lenine, incluindo os de Trotsky, mas agora a memória online pode atraiçoar-nos como podemos constatar no post do Câmara Corporativa sobre as suas posições me relação à TSU.

Como político Louçã pode ser o aldrabão que entender ser, mas em relação aos seus colegas do ISEG devia revelar melhor memória e mais honestidade intelectual.

      
 Quem quererá a opacidade do Montepio?
   
«No último trimestre de 2014, o Conselho Nacional de Supervisores Financeiros (CNSF) alertou o Governo para a situação do grupo Montepio Geral e solicitou medidas urgentes no sentido de possibilitar a sua adequada supervisão. Passaram, entretanto, sete meses e o executivo continua sem tomar medidas, o que está a criar um contexto de grande apreensão quanto ao futuro de uma instituição com 175 anos, 650 mil associados e detentora de um banco com milhares de clientes.

Numa carta conjunta enviada em Outubro de 2014 à ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, os líderes do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, e da Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões (ASSFP), José Almaça, manifestaram preocupação pelo actual quadro de gestão e de governação em vigor no grupo Montepio Geral (banco e Associação Mutualista), que consideram não estar a ser devidamente fiscalizado.

Fonte da regulação explicou ao PÚBLICO que a missiva se traduziu num alerta ao Governo e que a iniciativa foi aprovada durante uma reunião do CNSF, liderada por Carlos Costa, que decorreu em Setembro do ano passado, e onde o foi feita uma aná» [Público]
   
Parecer:

Esperemos que o Montepio não seja mais um BPN do pessoal da economia social.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»
  
 Mais do que as mães
   
«O concurso para escolher o próximo director-geral da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) recebeu 20 candidaturas, apurou o PÚBLICO junto da Comissão de Recrutamento e Selecção para a Administração Pública (Cresap). Depois da demissão de António Brigas Afonso do cargo, na sequência do caso da lista de contribuintes VIP, a direcção-geral está a ser assegurada, em regime de substituição, por Helena Borges, anteriormente directora da Direcção de Finanças de Lisboa.

O período de entrega das candidaturas, que se prolongou por dez dias úteis, terminou na quarta-feira. Agora segue-se a seleccção dos candidatos. A escolha final do nome cabe ao Ministério das Finanças, mas até lá o concurso continua a correr na Cresap, a quem cabe escolher os três candidatos mais bem colocados ao lugar e fazer chegar essa lista ao Governo.» [Público]
   
Parecer:

Só o facto de haverem tantos candidatos mostra o ridículo do procedimento, tanto candidato para no fim o governo meter quem quer.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 10000 peças de Airbus feito com recurso a impressora 3D
   
«Mais de mil peças do avião Airbus A350 XWB foram criadas por impressoras 3D, numa escala sem precedentes na história da aviação civil. As impressoras utilizaram materiais recentemente disponibilizados para serem usados na construção de partes das aeronaves, com o objectivo de reduzir o seu peso e aumentar a aerodinâmica.

O A350 é o primeiro modelo da fabricante francesa de aviões comerciais Airbus a ter uma fuselagem e parte das asas fabricadas a partir de um polímero leve feito com fibra de carbono reforçada. O modelo Airbus A350 XWB foi lançado em Dezembro último, tendo o primeiro exemplar sido entregue à companhia aérea Qatar Airways. Em Março, a Airbus confirmou que foram usadas peças impressas em 3D na construção do seu novo modelo mas não adiantou mais pormenores.» [Público]
   
Parecer:

Um dia destes também seria boa ideia fazer os pilotos com as mesmas impressoras, pelo menos para as companhias de aviação alemãs.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Faça-se a proposta.»

 As explicações da Aureliana
   
«Ao Observador, Sofia Aureliano, que é assessora do grupo parlamentar do PSD desde 2011, explica que, sendo uma biografia autorizada, significa que o biografado consentiu que a obra fosse feita e contribuiu com várias entrevistas para o livro, mas que esta não é uma biografia oficial”. “Pedro Passos Coelho não conhece nem o alinhamento que escolhi dar, nem os episódios que relatei. Não leu um único excerto da obra”, garante.

A ideia para o livro, diz, foi sua e o momento escolhido para o lançamento foi o início de maio pelo facto de ter acertado com a editora que o livro chegasse às bancas a tempo da “edição deste ano da Feira do Livro que, como sabe, se inicia no fim do mês de maio”.

Sofia Aureliano desvaloriza a polémica em torno da obra. “Apesar de serem habituais noutros países, em Portugal não há muita tradição de biografias políticas. Talvez se deva a isso o eco que esta está a ter. Espero que leve as pessoas a lerem efetivamente o livro e a formularem, após essa leitura, uma opinião fundamentada sobre o mesmo”, afirma.» [Observador]
   
Parecer:

O Passos Coelho não leu, não corrigiu, não combinou, o Portas mentiu e nós somos todos uns atrasadinhos que ainda não sabemos ser europeus. Além disso somos imbecis porque não percebemos que tudo não passa de coincidências.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

 Carvalho da Silva desiste de se candidatar
   
«Carvalho da Silva não vai participar na corrida para Belém. A candidatura às eleições presidenciais chegou a ser equacionada pelo próprio e parecia ganhar força à esquerda, mas o ex-secretário-geral da CGTP acabou por desistir da hipótese na quarta-feira.

A notícia começou por ser avançada pela TVI e foi, entretanto, confirmada pelo Público. De acordo com este jornal, Carvalho da Silva terá reunido na quarta-feira com o grupo que o apoiava para comunicar a decisão de abandonar a corrida eleitoral. Esta foi uma decisão que começou a ganhar forma no último fim de semana e acabou por se materializar dias depois. O antigo militante do PCP colocou, assim, um redondo “não” na especulação que se tinha gerado em torno da sua candidatura.» [Observador]
   
Parecer:

Sem o apoio do PCP e com a candidatura de Sampaio da Nóvoa uma candidatura de Carvalho da Silva só levaria à sua excomunhão pelo PCP pois só serviria para complicar a estratégia deste partido.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Vale tudo contra a greve na TAP
   
«A vsita da comissária belga Marianne Thyssen a Portugal estava a ser preparada há meses mas teve de ser adiada devido à greve de pilotos da TAP. Ao que o Expresso apurou, o cancelamento causou mal-estar no seio da Comissão Europeia. 

Em Bruxelas, ninguém imaginou que uma viagem tida como muito importante ficasse comprometida devido à greve dos pilotos da TAP, iniciada a 1 de maio. Em causa estaria sobretudo a viagem de regresso à capital belga e a possibilidade da comissária europeia para os Assuntos Sociais e Emprego não chegar a tempo a outros compromissos. 

As questões sociais e do emprego são apontadas como prioridades da Comissão Juncker. A visita de Marianne Thyssen tinha como objetivo encontrar mais soluções e formas de apoio e solidariedade social da parte da Comissão Europeia para lutar contra o desemprego em Portugal.» [Expresso]
   
Parecer:

Alguém acredita que tudo tenha ficado perdido só porque a comissária não se reuniu com o Lambretas e não fez umas visitas de ocasião? Alguém acredita que depois de meses de preparação as medidas iriam resultar a da reunião? Estão a chamar lorpas aos portugueses.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

   
   
 photo Andreea-Retinschi-5_zpsof4ftdkl.jpg

 photo Andreea-Retinschi-1_zpsr9r6ucua.jpg

 photo Andreea-Retinschi-4_zpskp2bpuqr.jpg

 photo Andreea-Retinschi-2_zpssej75ngt.jpg

 photo Andreea-Retinschi-3_zpsfexzmq4x.jpg
  

quinta-feira, maio 07, 2015

10 Boas razões para votar nestes gajos

1. Porque devemos ter pena de Passos Coelho

No seu livro lançado pela empresa com capital de Dias Loureiro e a gerência Zita Seabra, dois modelos da direita, um como empresário exemplar e a outra pela sua firmeza ideolólica com uma vida inteiro de grande apego aos valores da democracia, Passos Coelho dedicou um capítulo ao cancro de que a esposa sofre. Como bom cristão não posso deixar de ser solidário com alguém que sofre e com toda a família de Passos Coelho, se ele escolheu esta ocasião para o país saber do seu sofrimento não podemos recusar-lhe o apoio.

2. Porque as propostas da direita são cientificamente garantidas

Ao contrário dos cenários macroenómicos e de todas a outras propostas do PS as medidas decididas por Passos Coelho gozam do dom da infalibilidade e estão dispensadas de quaisquer avaliações prévias pela UTAO ou pela dra. Teodora.

3. Porque só as medidas do PSD/CDS não violam os acordos com a Europa

Como o PEC recentemente enviado para Bruxelas e que supostamente compromete Portugal para os próximos anos foi concebido por este governo e é o programa da direita qualquer política que não conste no programa da coligação violará os compromissos assumidos por Portugal. Assim, como muito bem sugeriu Passos Coelho ainda ontem os portugueses estão obrigados a votar na direita para respeitar os compromissos.

4. Porque só a direita sabe simplificar o Estado

Se o governo anterior inventou o Simplex este foi ainda mais longe, Paulo Portas lançou o SMSex, que nada tem que ver com as maldades que vos estão a ocorrer, mas sim com a possibilidade de em Portugal tudo se poder fazer com recurso a um simples SMS. Nomeações governamentais, demissões de ministros, criação de sobretaxas de IRS, divórcios, obtenção de vistos gold, morte de velhas no estrangeiro, estabelecimento de residência em Cabo verde, tudo vai poder fazer-se com um simples SMS.

5. Porque Passos não quer mexer na TSU

As grandes manifestações que ocorreram no passado não foram mobilizadas por causa da TS como alguns pretendem, foram manifestações de apoio a Passos Coelho  e a Vítor Gaspar por estes terem decidido manter a TSU como estava. Como ainda ontem o próprio o afirmou, Passos Coelho nunca pensou mexer na TSU.

6. Porque este governo é um modelo de competência

Quer voltar a ser governado como gente como o Aguiar-Branco, o Maduro, o Crato, a Paula Teixeira da Cruz, o Lambretas, a Cristas e até por essa senhora que agora está na Administração Interna e ao que dizem é um modelo de competência.

7. Porque Cavaco prefere este governo

E eu quero tudo o que Cavaco quer, porque o que Cavaco quer também quer o senhor do Pingo Doce, o Santo António, o pessoal da Quinta da Coelha e de Aguiar da Beira. 

8. Porque Passos é um homem de palavra

Se me cortou o vencimento depois de ter garantido que não o faria é porque a isso foi obrigado, se prometeu a sua reposição no fim do período de ajustamento e não o fez é porque isso não lhe foi possível, se me aumentou brutalmente o IRS é porque a isso foi obrigado.

9. Porque neste governo todos são irrevogáveis

Desde a licenciatura de Miguel Relvas que muito antes dos tribunais decidirem já terá sido promovida a doutoramento até às decisões de Paulo portas neste governo tudo tem o dom da irrevogabilidade.

10. Porque nem tudo ainda está feito

Ainda há lugares do Estado para entregar aos boys, porque ainda não foram privatizadas as águas, porque o salário mínimo português ainda é superior ao da Nigéria, porque ainda há quem tenha emprego, ainda há muita coisa grandiosa por fazer e que apesar de toda a dedicação a direita não conseguiu fazer nestes quatro anos.

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Obidos_zpsk2vengpd.jpg

Óbidos
  
 Jumento do dia
    
Carlos Alexandre, super juiz

O super-juiz ter-se-á queixado ao MP de que estaria a ser espiado por uma organização secreta, ao que parece só uma poderosa organização secreta conseguiria saber quem partilha com ele um almoço de um grupo de amigos que partilha regularmente. Compreende-se o interesse das grandes organizações secretas pelos seus almoços, ele é o poderoso juiz que acompanha alguns casos famosos, nunca poderia ser um qualquer labrego a interessar-se pela sua vida. Francamente....

O que se pretende quando se manda esta "notícia" para os jornais? Certamente não é para ajudar a identificar quem da tal secreta anda a investigar o pobre magistrado, serve apenas para engrandecer a sua imagem, passar a ideia de alguém que por perseguir os maus e poderosos tem grandes inimigos que o persegue. O problema é saber se esta forma de obter a fama será das mais saudáveis.

Também não é muito saudável a facilidade com que a comunicação social sabe todos os pormenores de muitos processos em que este juiz está envolvido e bnão parece que ande alguma organização secreta a recolher essa informação, incluindo as suas declarações que foram alvo de divulgação simultânea em dois jornais, até parece que alguém queria ter a certeza de que tudo sairia publicado.

«O juiz Carlos Alexandre disse a uma procuradora do Tribunal da Relação de Lisboa que teme estar a ser espiado por uma organização secreta.

Quando a magistrada o interrogou sobre quem seriam os autores de uma carta anónima em que o juiz era visado, Carlos Alexandre desvendou, ainda que de forma vaga, as suas suspeitas. É que embora alguns dos detalhes mencionados na missiva pudessem facilmente ser obtidos através da leitura de notícias de jornal ou de outras fontes de informação disponíveis a qualquer cidadão, outros que dela constam, como o número do processo atribuído pela justiça à primeira denúncia, ou a referência à identidade dos convivas presentes nas jantaradas de confraternização em que costuma participar com os seus conterrâneos de Mação, e ao que ali é dito, já constituem informação privilegiada a que nem toda a gente tem acesso. A isto o juiz chamou “uma espécie de garde à vue [termo francês usado para prisão preventiva, mas que também significa sob vigilância] própria de organizações secretas ou que na prática se comportam como tal”.

A magistrada que arquivou a denúncia anónima entendeu que ela podia ser encarada como uma vingança ou uma forma de pressão, tendo como “único fito” a desacreditação do magistrado.

O magistrado que viu o seu cão ser envenenado há mês e meio – e pelas mãos de quem têm passado os casos mais mediáticos da justiça portuguesa – reagia a uma segunda denúncia anónima de que foi alvo, a qual desencadeou um inquérito no Ministério Público junto do Tribunal da Relação de Lisboa entretanto arquivado. Segundo a carta não assinada, enviada para a Procuradoria-Geral da República e também para os seus serviços distritais de Lisboa, Carlos Alexandre estaria nas mãos de um jornalista da revista Sábado depois de este ter descoberto factos comprometedores relacionados os seus bens pessoais, não lhe tendo restado alternativa senão comprar o seu silêncio passando-lhe informação privilegiada sobre os processos judiciais.» [Público]

      
 Sobe, sobe, desemprego sobe
   
«Pelo segundo trimestre consecutivo, a taxa de desemprego em Portugal agravou-se, atingindo os 13,7% nos primeiros três meses deste ano.

De acordo com os dados publicados esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a taxa de desemprego, que tinha passado de 13,1% no terceiro trimestre de 2014 para 13,5% no quarto, voltou agora a agravar-se. São mais cerca de 14.600 desempregados que são agora detectados, que conduziram a uma subida da taxa para 13,7%. 

Em comparação com o mesmo período do ano passado, a evolução continua ainda assim a ser positiva. No primeiro trimestre de 2014, a taxa de desemprego era de 15,1%, ou seja, 1,4 pontos percentuais mais elevada do que o valor agora anunciado.» [Público]
   
Parecer:

Nem a expulsão dos jovens quadros consegue iludir o desemprego.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Demita-se este governo o mais depressa possível.»
  
 Muito gosta este Cavaco de auto-elogios
   
«Cavaco Silva fez, esta quarta-feira, o balanço da visita oficial à Noruega. A poucas horas de regressar a Lisboa, e antes de um almoço oferecido pela ministra das Pescas norueguesa, Elisabeth Aspaker, na ilha de Bekkjarvik Gjestgiveri, o Presidente da República afirmou que “para defender os interesses de Portugal no plano externo é preciso uma concertação aprofundada entre o Presidente da República e o Governo, por forma a aprofundar sintonia de linguagem”.

Cavaco começou por considerar que “a defesa dos interesses de Portugal no plano externo é uma das funções mais importantes do Presidente da República nos tempos que correm”. Na Noruega, essa “defesa” passou por vários contactos institucionais (com o Rei Harald V e com a primeira-ministra), mas também pelas reuniões que juntaram, a caminho desta ilha, investigadores, ministros (Assunção Cristas e Moreira da Silva) e empresários ligados à “economia azul”, todos no mesmo barco. “Fui chamado a participar e a intervir em dois seminários orientados para a investigação e a biotecnologia marinha, fui chamado a participar em dois encontros com empresários e a intervir nesses encontros, orientados para a energia, para o investimento e para as relações comerciais”.» [Público]
   
Parecer:

Com esta lenga, lenga Cavaco tentar dar a ideia de um grande sucesso diplomático que se deve a ele e à sua relação com o seu governo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se com ar condescendente.»

 BdP teve uma crise de preocupação com as desigualdades
   
«O Banco de Portugal alertou nesta quarta-feira que o aumento do consumo privado “não pode ser desligado das preocupações com a desigualdade”, uma vez que sociedades desiguais “tendem a ter menor coesão social” e mais dificuldades em realizar reformas.

De acordo com o Boletim Económico de maio, hoje publicado e no qual o banco central descreve a evolução da economia portuguesa em 2014, “o desejável aumento do consumo privado pelos vários segmentos da população – num contexto de correção dos equilíbrios macroeconómicos fundamentais – não pode ser desligado das preocupações com a desigualdade na sua distribuição”.

A instituição liderada por Carlos Costa refere mesmo que esta é uma “dimensão onde a economia portuguesa apresenta fragilidades quando comparada com a realidade europeia” e adverte que “sociedades com elevados níveis de desigualdade tendem a ter menor coesão social e maiores dificuldades em alcançar compromissos para a realização de reformas”.» [Observador]
   
Parecer:

Sente-se o cheiro da mudança no ar.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Deputado idiota
   
«O CDS-PP vai atacar o líder do PS, António Costa, em duas frentes – Lisboa e Bruxelas - a propósito da taxa turística aeroportuária anunciada enquanto presidente da Câmara Municipal de Lisboa, que acumulava com a liderança do PS. Os centristas lembram que, se a taxa municipal vier a ser considerada ilegal pela Comissão Europeia, será o Estado português o alvo das sanções e não a autarquia.

Num pedido de esclarecimento ao actual presidente da Câmara, Fernando Medina, o vereador do CDS João Gonçalves Pereira coloca a questão de ser o Estado o responsável por um eventual incumprimento das leis comunitárias. “Pode o país vir a pagar pela teimosia de dois políticos que tenham entendido não acautelar devidamente o interesse da cidade e do país aquando da criação mal preparada e apressada destas duas taxas?”, questiona o vereador.

João Gonçalves Pereira pergunta se Fernando Medina está preparado para “assumir a responsabilidade e as consequências dos eventuais prejuízos internos e externos, caso venham a ser aplicadas penalizações ao país em virtude de uma decisão errada, precipitada e egoísta”.» [Público]
   
Parecer:

Só um idiota se lembraria de tentar envolver a Comissão Europeia numa das centenas de taxas cobradas pelas mais diversas instituição do Estado.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»

 Eficácia alemã
   
«A agência de Investigação e Análise Francesa (BEA) divulgou esta quarta-feira um relatório provisório onde são confirmadas as suspeitas iniciais de que o acidente aéreo da Germanwings, no dia 24 de março, foi deliberadamente provocado pelo copiloto de 27 anos, Andreas Lubitz. 

O documento de 30 páginas revela ainda o comportamento do copiloto no voo anterior entre Dusseldorf e Barcelona, utilizado pelo alemão para treinar as perigosas manobras de descida.

"Durante a fase de cruzeiro, o copiloto encontrava-se sozinho na cabine de comando. Depois, e de maneira intencionada, modificou as instruções do piloto automático para fazer descer a aeronave até que esta embatesse no terreno", lê-se no relatório da BEA, que descreve o treino e o acidente provocado por Lubitz.» [Expresso]
   
Parecer:

Parece que os alemães são eficazes em tudo menos a mandar pilotos malucos para se tratarem em vez de matarem centenas de cidadãos inocentes.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

   
   
 photo Nordfold-4_zpsomfxr0eh.jpg

 photo Nordfold-3_zpsz8hspiur.jpg

 photo Nordfold-5_zpsyz27gtyl.jpg

 photo Nordfold-1_zpsrcm1go32.jpg

 photo Nordfold-2_zpsdc2a1iyw.jpg