terça-feira, agosto 30, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


   
 Jumento do dia
    
Marques Mendes, professor

Marques Mendes vai ser professor dos putos da JSD, como não olhes vai ensinar a fazer os habituais cartazes provocatórios daquela organização extremista ficamos sem perceber em que matéria dos seus múltiplos dotes vai ser professor, pode ensinar-lhes técnicas de garganta funda, gestão de empresas de oportunidade ou gestão de influências, tudo coisas indispensáveis a um J ambicioso.

«Luís Marques Mendes vai voltar a ser "professor" na Universidade de Verão do PSD, que hoje arranca em Castelo de Vide e dura até 4 de setembro. O ex-líder do PSD, que tem sido dos notáveis que mais critica publicamente o presidente Passos Coelho, não estava no programa inicial, mas a organização já tinha prometido surpresas e Mendes irá ser orador na quarta-feira à noite.

Na edição do ano passado, Mendes não foi convidado a estar presente, mas acabou por participar através de um sistema de perguntas e respostas que é habitual os formandos fazerem a figuras do partido e da sociedade civil. Em 2015, a organização tinha decidido não levar qualquer candidato presidencial para evitar que o tema fosse discutido antes das legislativas.» [DN]

      
 Aumento repentino da biodiversidade das Ilhas Desertas
   
«O Presidente da República e uma reduzida comitiva foram os únicos, esta segunda-feira, a desembarcar na ilha da Deserta Grande, Madeira, a bordo de uma lancha da Polícia Marítima sob más condições climatéricas, com o mar agitado e vento forte.

A restante comitiva que acompanha Marcelo Rebelo de Sousa na sua deslocação de três dias à Madeira e a comunicação social não puderam sair da fragata "D. Francisco de Almeida" para os botes que os levariam à ilha por razões de segurança invocadas pela Marinha e que se deveram ao estado do mar.

Com o Presidente da República desembarcaram na ilha a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa, o secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello, o presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, e o diretor da reserva natural das Desertas.» [DN]
   
Parecer:

Podiam ficar lá durante uns tempos para se multiplicarem...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Qual mercado?
   
«A Associação Lisbonense de Proprietários disse que o Governo vai "matar o mercado de arrendamento" se continuar a defender que os senhorios façam de "segurança social" e a não cobrar IMI ao património dos partidos políticos. A Associação Nacional de Proprietários, por seu lado, defendeu a criação de um subsídio de renda, que já se encontra previsto na legislação, em vez do estatuto de "senhorio de cariz social".

O plano de criar o estatuto de "senhorio de cariz social" foi revelado pelo secretário de Estado Adjunto e do Ambiente, José Mendes, numa entrevista ao Público, numa ação dirigida a famílias de classe média e média baixa.» [DN]
   
Parecer:

Mercado não é uma meia dúzia de casas alugadas de forma especulativa.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Promova-se um verdadeiro mercado de arrendamento.»
  

segunda-feira, agosto 29, 2016

O vidente de Massamá

Não deve ser fácil ser líder da oposição sem ter um projecto ou propostas, apostando apenas numa calamidade pública, nas divergências dentro da geringonça ou esperando por uma zanga entre Costa e Marcelo. Passos perdeu quase um ano a digerir a derrota, começou com a pantomina do primeiro-ministro no exílio, a que se seguiu um quase desaparecimento e regressa agora armado em vidente.
  
Passos está tão convencido que sem si no poder só acontecerão desgraças que se transformou numa espécie de Vidente de Massamá. Passos chegou ao poder graças a uma crise financeira, exerceu esse poder sem limites contando com a chantagem externa e parece apostado em que se repitam essas circunstâncias. O presidente da Comissão Europeia mudou, o BCE mudou de política, o líder do PS mudou, a residência da República mudou, mas Passos recusa-se a mudar, lembrando a senhora que descobriu que o seu rebento era o único com o passo certo na parada do juramento de bandeiras.

Passos não tem qualquer programa e mesmo sabendo que Marcelo nunca lhe permitira governar à margem da Constituição e que um PS liderado por António Costa não alinharia nas suas políticas como sucedeu com Seguro, insiste nas suas soluções extremistas.

Passos parece estar a perder a noção da realidade e o seu discurso começa a assemelhar-.se ao de alguém que bateu com a cabeça nalgum lado. Num dia diz que os investidores só voltarão a Portugal com ele no poder, no outro arma-se em analista de execuções orçamentais e só vê desgraças e até já lhe deu ara fazer adivinhações com dois meses de antecedência.

Em vez de ideias Passos prefere mostrar o estado da sua cabeça e começa a ser óbvio que este ano que passou não lhe fez muito bem, começa a evidenciar sinais de loucura, a perder consciência da realidade. Esta nova versão de Passos, a do Vidente de Massamá não promete nada de bom e até parece que o líder do PSD adivinhou a sua própria desgraça.
 

Umas no cravo e outras na ferradura


   
 Jumento do dia
    
Passos Coelho
O líder do PSD já experimentou de tudo desde que foi retirado do poder, começou por andar armado em primeiro-ministro no exílio, durante meses desapareceu, agora anda num verdadeiro frenesim, aproveitando-se do facto de uma boa parte do mundo político estar de férias para centrar a comunicação social na sua imagem.

Mas as coisas não lhe estão a correr bem, em finais de Julho anunciou a desgraça para Setembro e ainda não se percebe o que ele adivinhou, a execução orçamental não correu mal ao governo e o dossier CGD acabou por se resolver.

À falta de argumentos vem com a lenga lenga do funcionamento da geringonça. Pobre Passos, estava convencido de que uma crise o levaria ao poder e agora arrasta-se na liderança do PSD sem convição e apenas porque o ordenado que o partido lhe paga dá jeito.

Mas o grau zero de Passos Coelho surge quando o líder do PSD pergunta quem é que mete dinheiro num país dirigido pelo PCP e pelo BE. Passos está sendo desonesto e faria melhor se explicasse porque motivo ninguém investiu em Portugal enquanto foi primeiro-ministro, havendo mesmo a registar o caso da Nissan que recuou num investimento que estava programado para Portugal.

«O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, disse hoje ser "obrigação moral" da esquerda dar estabilidade ao país, aprovando o Orçamento do Estado para 2017.

"Existe uma obrigação moral. Os partidos que suportam este Governo comprometeram-se a conferir estabilidade política ao país", afirmou o ex-primeiro ministro. Falando aos jornalistas à margem da visita que hoje realizou à Feira Agrícola do Vale do Sousa, em Penafiel, Passos disse ser ao PCP, BE e PS "que cabe a responsabilidade de ter o entendimento que suporte o Governo e o seu principal instrumento de ação política que é o seu orçamento". Para o líder da oposição, "a política que o Governo vem executando é uma política como o PCP e o BE têm vindo a reclamar". Portanto, concluiu Passos, "não há nenhuma razão para estar a antecipar problemas com o orçamento".

Questionado sobre a postura do PCP face ao orçamento de 2017 e o facto de aquele partido admitir que a Europa pode influenciar a preparação do documento, Passos respondeu: "Isso é o que o Partido Comunista diz agora, porque pretende ganhar algum espaço de influência e negociação junto do PS e do Governo". O presidente do PSD previu depois que "o PCP, o BE e o PS entender-se-ão bem para fazer o Orçamento para o próximo ano".» [DN]

«residente do PSD, Pedro Passos Coelho, defendeu este domingo que Portugal precisa de atrair investimento para poder gerar emprego e rendimento, mas questionou "quem é põe dinheiro" num país dirigido por comunistas e bloquistas.

"Mas quem é que põe dinheiro num país dirigido por comunistas e bloquistas? Quem é o investidor que acredita que o futuro estará seguro naqueles que têm senha, que não gostam, pelo contrário, que atacam aquilo que eles designam o capital, os capitalistas, os homens que no fundo investem o seu dinheiro, as suas poupanças, nas empresas, que criam emprego e rendimento para futuro", afirmou o líder social-democrata.»
  

domingo, agosto 28, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do dia
    
Hélder Amaral, um deputado simpático

O deputado não estava a dizer o que pensa nem a transmitir a posição oficial do seu partido, estava apenas a ser simpático para com José Eduardo dos Santos. É uma pena que o deputado e os sesu colegas de partido não sejam igualmente simpáticos quando são convidados a estar presentes no encerramento dos congressos dos partidos portugueses, ultrapassando muitas vezes o limite da boa educação.

«O deputado Hélder Amaral não retira “nada do que disse” há semana e meia em Angola, onde afirmou que CDS e MPLA — a cujo congresso assistia como convidado — tinham “muitos pontos em comum”. O vice-presidente da bancada democrata-cristã tenta justificar nesta entrevista as palavras que geraram a polémica e assume que “quis ser obviamente simpático” para José Eduardo dos Santos. O vice-presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Portugal-Angola, que também tem nacionalidade angolana, confessa que lamentou a Assunção Cristas ter feito as declarações que lançaram a confusão.

Hélder Amaral, no entanto, ressalva que não fez como os representantes dos maiores partidos portugueses: “O PS e o PSD agradeceram o grande favor que Angola fez a Portugal” nos discursos perante o congresso do MPLA. E detalha que Marco António, vice-presidente do PSD, disse: “Repito, muito obrigado!” Sobre o caso Luaty Beirão, o deputado diz que não sabe “se os ativistas foram presos por lerem um livro”, ou por razões políticas: “Não sei se estão presos por delito de opinião.” Promete que vai aprender a dançar kizomba para não ser ultrapassado por algum “branquela”.» [Observador]

      
 O DAESH em Tabuaço
   
«Os militares da GNR do Núcleo de Investigação Criminal de Moimenta da Beira, distrito de Viseu, detiveram na sexta-feira em Tabuaço um homem de 52 anos por posse de armas ilegais e de material explosivo, foi hoje divulgado.

Num comunicado hoje divulgado, o Comando Territorial de Viseu da GNR esclareceu que a detenção, decorrente de uma investigação no âmbito de um processo de violência doméstica, levada a cabo nas localidades de Tabuaço e Vagos, culminou na realização de uma busca domiciliária.» [Observador]
   
Parecer:

a verdade é que há um DAESH dentro de muitas casas portuguesas, como centenas de pessoas a viver num ambiente de terror permanente e com maus de três dezenas de vítimas mortais todos os anos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  

sábado, agosto 27, 2016

8h30

 photo 830_zpsgikj2atv.jpg

Antes da invasão matinal as praias são um mundo diferente, estão ocupadas pelas aves, as cada vez mais numerosas gaivotas e muitas limículas, pilritos-das-praias e borrelhos, que aproveitam o recuo das marés antes da presença humana. é a hora dos dos cães passearem a bicharada sem se sujeitarem a proibições, dos praticantes de corrida e de muitas outras personagens.

Todos os dias pelas 8h30 passava sempre esta senhora com o seu chapéu de sol decorado artesanalmente, passava em direcção à Praia Verde e depois regressava a Monte Gordo. Durante duas semanas nunca faltou ao seu passeio matinal devidamente protegido dos raios solares da manhã cedo.

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do dia
    
Pedro Mota Soares, ex-ministro Lambretas

O ex-ministro do Trabalho, campeão da manipulação das estatísticas de desemprego, que tutelava o IEFP deveria vir dar a cara explicando se aquele instituto nada fez  perante as queixas de vigarices na TSU por iniciativa própria ou na sequência de instruções da tutela.

«O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) disse na segunda-feira estar atento a fenómenos de abuso e irregularidades com apoios em estágios profissionais por parte de empresas, mas frisou não possuir qualquer denúncia sobre a matéria. A garantia surgiu depois de o Jornal de Notícias ter revelado que os estágios do IEFP estão alegadamente a ser alvo de fraude, sendo os jovens obrigados pelas empresas a devolver parte do salário. Hoje, o mesmo jornal avança que a denúncia de uma estagiária esteve sete meses na gaveta do Instituto.» [DN]

 Dúvidas que me atormentam

Se os filhos do embaixador do Iraque foram alvo de agressões porque motivo o MP está tãio empenhado em que sejam constituídos arguidos e aqueles que os agrediram não foram alvo de qualquer investigação?
 
Porque motivo o MP está tão empenhado na rixa de Ponte de Sor e outro jovem agredido em Póvoa do Lanhoso, que esteve igualmente em coma induzido, não merece qualquer preocupação e a GNR só aceitou uma queixa à terceira tentativa?

Parece que o MP só se incomoda com casos "finos".

      
 E a geringonça lá vai funcionando 
   
«De acordo com os dados hoje divulgados, no primeiro trimestre do ano, os regressos ao mercado de trabalho no subiram 1,5 pontos percentuais na comparação com os do último trimestre de 2015.

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia (UE), nos primeiros três meses do ano, 62,3% das pessoas desempregadas permaneceram sem trabalho, face ao trimestre anterior (UE 65,7%), o que representa uma quebra de 4,6 pontos.

No conjunto da UE, as reentradas no mercado de trabalho aumentaram 1,6 pontos e as permanências no desemprego caíram 2,6 pontos, na comparação trimestral.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Para desgostos do califa de Massamá e da direita.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Igreja quer escapar ao IMI
   
«A Igreja vai reunir-se em Fátima na próxima segunda-feira, dia 29, para discutir uma resposta a ser enviada ao Estado, depois de a maioria das mais de quatro mil paróquias portuguesas terem sido notificadas para pagar impostos municipais sobre imóveis (IMI) de alguns dos seus terrenos e edifícios.

Terão sido convocados para a reunião os ecónomos – responsáveis pelas Finanças – e vigários de todas as dioceses nacionais, informa o Jornal de Notícias na sua edição impressa.


O objetivo deste encontro é encontrar a melhor forma de cada paróquia responder aos diretores das repartições de Finanças. Uma fonte da Igreja afirmou ao JN que será procurada uma resposta homogénea entre “todas as paróquias do país”.» [Observador]
   
Parecer:

A Igreja acha que está acima da carne seca.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»