sexta-feira, agosto 26, 2016

Boas vigarices

O país soube, atónito, que temos uns patrões com pouca vergonha na cara, recebem estagiários e ainda tentam extorquir-lhes dinheiro para que paguem do seu bolso a TSU que supostamente deve ser paga pelo empregador. Ouviram-se vozes de indignação e no princípio até parecia mentira, ninguém sabia do caso, a denúncia parecia sem fundamento. 

Mas se recuarmos no tempo percebemos que aquilo que agora denunciamos como vigarice de baixo nível mais não foi do que Passos Coelho e Vítor Gaspar tentaram fazer a todos os trabalhadores, pô-los a pagar a TSU dos patrões, suportando um aumento brutal da taxa que lhes é aplicada, para que fosse reduzia em igual montante a taxa do patrão. Aquilo que hoje cheira a vigarice tinha no passado a dignidade de tese em Harvard, era a famosa desvalorização fiscal inspirada no falecido António Borges e em nome da qual todos os portugueses foram promovidos a ratos de laboratório.

Passaram alguns dias e ainda que com alguma timidez foram aparecendo casos que comprovam as denúncias. Mais grave ainda, sabe-se agora que o governo de Passos Coelho tinha conhecimento da situação desde 2014. Ao que parece nada foi feito, a estagiária que denunciou a desvalorização fiscal forçada nem sequer foi contactada, o que só pode significar que aquele instituto nada fez e isso só se entende se era essa a política do governo.

Parece que não bastou ao ministro das Lambretas inventar empregos generalizando os estágios, foi mais longe e quase reduziu os estagiários permitindo que patrões identificados com as teses da desvalorização fiscal ficassem com uma boa parte do subsídio entregues aos trabalhadores disfarçados de estagiários.

 


blog comments powered by Disqus