sexta-feira, maio 22, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento
  
 Jumento do dia
    
Pais do Amaral, empresário

O que terá levado Pais do Amaral a apresentar uma proposta não vinculativa de aquisição da TAP, que dependia de negociações sindicais e da renegociação da dívida da empresa pelo governo? É óbvio que esta proposta só passaria que as restantes passassem e nesse caso Pais do Amaral faria um grande negócio. Assim também eu teria concorrido.

«O responsável admite ainda que não teve tempo para cumprir os requisitos do Governo. “Não pudemos fazer o trabalho todo para cumprir o caderno de encargos”, informa.

Para Pais do Amaral era também indispensável o apoio do Governo na renegociação da dívida com os credores, um ponto muito difícil assim que mudar de dono, na sequência da privatização. “Deveriam ser dados sinais claros pelo Estado junto dos financiadores para que se verificassem condições satisfatórias ao nível da dívida da TAP”, explica e acrescenta que “qualquer proposta seria uma aventura sem que se verificassem estes três pontos”.

“É uma pena que a TAP passe a ser uma subsidiária de uma companhia regional”, acrescenta.

“Queríamos um prazo adicional de seis semanas, que poderia ser reduzido a um mês, para avaliar o impacto da greve dos pilotos que decorreu entre 1 e 10 de maio. É impossível saber este impacto, que será colossal. Vai haver uma esteira negativa de clientes que não voltarão à TAP durante seis a 12 meses", acrescenta.» [Notícias ao Minuto]
 
 Dúvidas que me atormentam
 
Porque será que tenho a impressão de que o destino da TAP está traçado há muitos meses?
 
 Coisas estranhas

As sucessivas notícias tentando imputar responsabilidades à CML, primeiro com recurso a fontes anónimas da PSP e agora com a ajuda do patrão dos bombeiros faz pensar que alguém anda a tentar desinformar. Que se saiba não nem os incidentes no Marquês de Pombal resultaram do desrespeito das sugestões da PSP, nem morreu ninguém queimado num incêndio ou devido às estruturas instaladas. Se nada tivesse ocorrido em Guimarães ou se o PSD estivesse na presidência da autarquia da capital estas notícias teriam surgido?

 Critérios da justiça

No caso Sócrates prendeu-se primeiro e prova-se depois, no caso Espírito Santo prova-se primeiro devagar e devagarinho e talvez se venha a prender depois. O que têm em comum os dois processos? O super juiz.

 “É um excelente profissional”

Ainda bem que o brutamontes de Guimarães é um excelente profissional, pelo menos a crer no que dizem alguns responsáveis da PSP. Imagino que se não o fosse tinha liquidado o cidadão indefeso com um tiro de pistola! É tão bom profissional que agrediu um cidadão indefeso daquela forma e naquelas circunstância e depois elaborou um auto que cheira tanto a falso que até tresanda.

É mau e mesmo degradante que a polícia reage a uma situação desta de forma tão corporativa e em vez de pedirem a justiça que todos os dias pedem contra os cidadãos desenvolvam manobras que visam manipular a opinião pública.
  
 Há duas formas de apoiar o PSD/CDS

 photo _Apoiar_zpsun3jdssx.jpg

Apoiando o governo ou apoiando a oposição à oposição. Primeiro foi o BE a ser a grande invenção da comunicação social da direita para fragmentar o eleitorado da esquerda e principalmente do PS. Com o BE em queda promove-se o Livre todos os dias e Marinho Pinto de vez em quando. As tácticas aprendidas pelo velho estalinista da Voz do Povo.

      
 Desta vez não se queixam do Tribunal Constitucional
   
«O Tribunal Constitucional (TC) rejeitou declarar inconstitucionais dois artigos do novo regime jurídico do setor público empresarial, como pretendia um grupo de 24 deputados, conforme decisão do passado dia 5, divulgada agora no seu sítio na internet.

Na sua queixa apresentada em 31 de janeiro de 2014, os parlamentares, do PCP, Bloco de Esquerda e Os Verdes, visavam, em particular o n.º 2 do artigo 14.º e o artigo 18.º do Decreto-Lei n.º 133/2013, de 03 de outubro, relativos a cortes remuneratórios e à uniformização do pagamento do subsídio de refeição, ajudas de custo, trabalho suplementar e trabalho noturno pelos valores da função pública.» [Obsrevador]
   
Parecer:

Não se queixam, não se incomodam com a falta de unanimidade, não questionam a eleição dos juízes nem pedem a revisão da Constituição.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «»
  
 Aqui ao lado
   
«Um oficial da polícia espanhola, de 41 anos, foi condenado a quatro anos de prisão por ter pontapeado, duas vezes, um condutor que tinha sido detido em Maiorca por excesso de velocidade, em setembro de 2011. Os outros três polícias que assistiram à agressão e viraram a câmara de vigilância da esquadra após os dois pontapés foram condenados a um ano de prisão. O Tribunal de Palma de Maiorca considerou-os culpados por consentirem o ato de violência. 

No tribunal, o agente da autoridade acusado de agressão alegou que "perdeu a cabeça" quando o detido ameaçou esfaquear a sua filha. Contudo, está arrependido, disse saber que estava a ser filmado e pediu desculpas à vítima. "Não foi o comportamento certo. Não é o tipo de comportamento que um polícia deve ter", explicou o oficial, citado pelo Daily Mail. O condutor bêbedo, por sua vez, negou ter feito qualquer insulto ou a ameaça ao polícia.» [CM]
   
Parecer:

Se fosse em Portugal o polícia estava recolhido na casa da namorada, os seus sindicalistas vinham dizer que foi uma situação à parte, a ministra vinha apelar a que não fossem feitos julgamentos na praça pública, abriam-se vários inquéritos para fazer esquecer o assunto, a polícia desencadeava manobras de diversão desviando a atenção para outros incidentes e o cidadão vítima da agressão seria arguido num processo por injúrias e cuspidelas ao agressor devidamente apoiado pelo Ministério Público e aceite por um juiz de instrução. Três anos depois o agressor seria promovido por mérito.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Mais um sucesso de Passos Coelho
   
«Portugal é, de resto, o sétimo país mais desigual da OCDE. O Coeficiente de Gini, que numa escala de zero a cem sintetiza a assimetria da distribuição de rendimentos, era em 2013 de 0,338. Acima da média da OCDE (0,315) e pior do que Espanha (0,335).

Os dados mais recentes do Instituto Nacional de Estatística (INE), mostram que em Portugal, a “forte desigualdade na distribuição dos rendimentos” manteve-se em 2013. Nesse ano, o rendimento dos 10% da população com mais recursos era 11,1 vezes superior ao rendimento dos 10% da população com menos recursos. Em 2012, esta diferença estava nos 10,7, tendo vindo a agravar-se de ano para ano (10 em 2011 e 9,4 em 2010).» [Público]
   
Parecer:

Uma vergonha.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Condene-se este governo.»

 E mais outro sucesso de Passos Coelho
   
«Dívida passou dos 225.280 milhões de euros em dezembro de 2014 para os 226.276 milhões de euros no final de março, um aumento de quase mil milhões de euros.

A dívida pública portuguesa aumentou ligeiramente no primeiro trimestre de 2015, atingindo os 226.276 milhões de euros em março, o equivalente a 130,3% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo o Banco de Portugal.

De acordo com o boletim estatístico hoje conhecido, a dívida pública na ótica de Maastricht, a que conta para Bruxelas, passou dos 225.280 milhões de euros em dezembro de 2014 para os 226.276 milhões de euros no final de março, um aumento de quase mil milhões de euros.» [DN]
   
Parecer:

O problema vai ser se os juros subirem.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Pais do Amaral chumbou
   
«O Conselho de Ministros vai iniciar a negociação apenas com duas das propostas para a privatização da  TAP, rejeitando a proposta da Quifel, a holding do empresário português Pais do Amaral. Assim, o Governo vai negociar com as duas propostas dos empresários David Neeleman e de Germán Efromovich.

A decisão baseia-se no relatório da Parpública, entregue ao Governo esta semana, que considerou que esta proposta não cumpria o caderno de encargos. O secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro diz que “a proposta não era vinculativa” e como tal “desde logo não cumpria um dos requisitos do caderno de encargos”. Desse modo está justificado a decisão da Parpública”, diz Sérgio Monteiro, que considerou ser esta condição suficiente para excluir a oferta do empresário português.

O relatório da Parpública avaliou as propostas do ponto de vista financeiro e reflete também a opinião da TAP sobre a qualidade técnica e estratégica das ofertas. Nesse relatório, em que se baseia a decisão do Governo, a Parpública considerou que as duas propostas dos empresários David Neeleman, da companhia aérea brasileira Azul, e Germán Efromovich, dono da Avianca e da Synergy, eram de “mérito equivalente” ao nível financeiro e estratégico. Nos termos do caderno de encargos isso significa que estão reunidas as condições para se iniciar um processo de negociação com os dois concorrentes.» [Observador]
   
Parecer:

Lá se foi um bom negócio...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Tenha-se pena e dê-se conhecimento ao seu "grande Amigo" Marcelo»
  

   
   
 photo kastytisv-5_zpskpvja6wj.jpg

 photo kastytisv-4_zpsdnkwjxsv.jpg

 photo kastytisv-3_zpse7kb2jdd.jpg

 photo kastytisv-2_zpsdkqj6ki7.jpg

 photo kastytisv-1_zpsbjzjmc1z.jpg
  
blog comments powered by Disqus