terça-feira, outubro 06, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Cavaco Silva

Um acabou com o feriado, o outro inventa períodos eleitorais com medo de hastear a bandeira ao contrário ou de ouvir o que o povo pensa dele.

 A direita vai governar

E o parlamento tem a segunda maior maioria de esquerda na história da democracia. Conclusão: temos a esquerda mais idiota do mundo!
  
 Recebi por email

 photo _presto_zpsqofgfidh.jpg
  
 photo _justa_zpsynvdx0lx.jpg
  
 Costa perdeu

Pouco ou nada resta a Costa do que demitir-se de secretário-geral do PS. António Costa não perdeu umas eleições quaisquer, perdeu as eleições que não podia perder, perdeu contra um governo incompetente, contra uma política impopular, contra o segundo pior resultado da direita. Como diria o próprio Costa o seu resultado foi muito poucochinho.

Costa não perdeu por falta de mérito do adversário, perdeu porque não falta de mérito do próprio. Costa não ficou incomodado com os mortos nas urgências e nem questionou o ministro da Saúde, Costa ignorou o Citius e não questionou a ministra da Justiça, Costa não denunciou os estágios promovidos por um governo que ignorou a formação profissional.

António Costa esqueceu-se da incompetência do governo mas empenhou-se a fundo no saneamento de funcionários por cota de uma famosa lista VIP, não disse o que queria do Estado mas sugeriu que as reformas do Estado só podem ser feitas nos primeiros três meses porque depois são boicotadas por essa gente manhosa da Função Pública. Costa ignorou a juventude e optou por transformar Ferr Rodrigues e Vieira da Silva na imagem de marca do novo PS.

Costa parece que fez tudo o que estava ao seu alcance para perder as eleições, agora são os pensionistas, os funcionários públicos e muitos outros a terem de suportar as consequências de uma derrota eleitoral que só se deve a Costa.

 Jerónimo de Sousa perdeu

Depois de ter ajudado a direita a derrubar Sócrates o líder do PCP não podia perder contra uma direita que atacou tudo o que o PCP considerava intocável, ainda que no tocante à privatização da EDP a posição dos comunistas portuguesas tenha sido muito dócil.  O PCP pode ter tido mais meia dúzia de votos e ganho um deputado mais por conta do método de D'Hondt do que por mérito próprio, mas a verdade e que é um dos derrotados da noite, perdeu a batalha contra a direita e contra o BE.

 Passos Coelho perdeu

A coligação da direita ganhou mas essa vitória é mais de Paulo Portas e do CDS do que de Passos Coelho, enquanto o líder do PSD se agarrava ao crucifixo que transportava no bolso quem dava a cara era Paulo Portas. Enquanto os ministros do CDS deram o tudo por tudo durante a campanha, os do PSD andaram escondidos com vergonha da sua incompetência e fraco desempenho governativo.

Foi o CDS que inventou o milagre português, foi a Cristas que inventou o sucesso da agricultura portuguesa à custa do Alqueva que não se deve à direita e às oliveiras plantadas durante os governo da esquerda. Foi a santinha milagres da Horta Seca que inventou o milagre económico português, coube ao Lambretas a criação de falsos empregos, enquanto o Núncio Fiscoólico inventou receitas fiscais que sustentam a falsa promessa do reembolso da sobretaxa.

Com um governo de coligação sem maioria absoluta quem vai passar a dar as cartas será o irrevogável Paulo Portas e veremos isso muito em breve, aquando da formação do governo.
  
 E o Correio da Manhã também perdeu

A derrota de Joana Amaral Dias foi também uma derrota do CM, a comentadora da CMTV, especializada em Sócrates, futebol, crime e assuntos diversos, foi levada ao colinho por aquele canal de televisão e até se despiu para chamar a atenção. Azar, agora pode cuidar da sua gravidez de risco sem tropeções eleitorais.

 Patrão sem escrúpulos

As eleições e as paixões clubísticas levaram muita gente a ignorar i que se passa num clube português, um trabalhador foi alvo de assédio laboral e impedido de jogar numa manobra de chantagem para o obrigar a assinar um contrato redigido pelo patrão. Como o trabalhador não aceitou a chantagem foi sujeito a um processo disciplinar e ficou impedido de trabalhar por causa de considerações morais relativas a forma como recusou um processo negocial sobre o seu futuro.

Mas parece que em Portugal os clubes de futebol são uma excepção à lei e as autoridades no sector laboral devem andar a dormir.

 E agora Seguro?

Quando Seguro precisou de se manter na liderança do PS recorreu à então presidente do PS, Maria de Belém (que não vai para Belém) para inventar um esquema manhoso em que ele ficaria na liderança e os militantes e simpatizantes elegeriam um candidato a primeiro-ministro. Agora os seguristas estão com um problema, não faz sentido eleger um candidato a primeiro-ministro e para demitirem o secretário-geral terão de usar as mesas regras partidárias com que Maria de Belém tentou proteger Seguro. Enfim, cá se fazem, cá se pagam. 

      
 Homenagem ao vencedor absoluto
   
«João Fialho, de 83 anos, é fresador de calçado e o tempo do verbo está certo. Foi agora, por este dias de campanha eleitoral, que o viram debruçado na máquina desbastando uma bota. Pedro Passos Coelho visitava uma fábrica de calçado e o patrão levou o visitante ao lugar onde João modelava o couro: "O senhor João tem 83 anos e ainda gosta de trabalhar." O operário não levantou os olhos. Passos cumprimentou secamente e andou em frente. Devem tê-lo aconselhado a jogar pelo seguro, não estabelecer diálogos imprevistos porque alguns correm mal - e não se muda a tática em candidato que ganha nas sondagens. Fizeram mal, Passos e o aconselhador. João, diria depois, vota PSD desde Sá Carneiro e só não levantou os olhos porque "não queria atrasar o trabalho." Já Mabel pôs óculos escuros quando irrompeu por um palanque socialista e falou com os sentimentos próprios de quem posta "likes" em vídeos de gatinhos - de facto, ela abusou um drama, o dos jovens que partem. Com a ineficácia do PSD que não aproveitou João, o PS desaproveitou-se com Mabel. Entre a ineficácia de uns e outros e o opinar ligeiro de gente fraca, a cidadania teria razões para se sentir ferida. Teria, não tem. Porque o senhor João resgata-nos a todos, votou o que eu não votei mas que orgulho por ele me representar politicamente. Reparem, ainda, este sintoma dos tempos: publicaram-se imagens de tudo mas não a dele. Olhos baixos, cabeça erguida.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes.

      
 Mas que novidade!
   
«Está lançada a polémica em torno da redução do IMI para as famílias mais numerosas. As várias interpretações à nova medida estão a provocar a discórdia, devido à possibilidade de existir um benefício não-intencional aos mais ricos.

Tendo em conta que o critério para o alívio é o número de dependentes, muitos juristas já colocaram a hipótese de surgir uma recompensa para as famílias de maiores posses, que podem sustentar com mais facilidade um maior agregado. O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, utilizou este argumento como justificação alegando que “em cidades como o Porto, a medida deixaria de fora a parte da população menos favorecida”.

Recorde-se que o Governo introduziu no Orçamento do Estado para este ano a possibilidade de os municípios reduzirem o Imposto Municipal sobre Imóveis para as famílias com filhos, com uma descida máxima de 10% para os agregados com um dependente, 15% para as que tenham dois e 20% de alívio para as famílias com três filhos.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

É óbvio que estamos perante um favor do Núncio Fiscoólico aos seus amigos da associação das famílias sexualmente descontroladas devido ao fundamentalismo religioso.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

   
   
 photo Veranik-4_zpswaio7dkh.jpg

 photo Veranik-3_zpsazalqg0n.jpg

 photo Veranik-2_zpsjqke0qcv.jpg

 photo Veranik-1_zpstmykgcem.jpg

 photo Veranik-5_zpsc8rdu9d0.jpg
  
blog comments powered by Disqus