sábado, julho 04, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _panteao_zpsd4hw0ul0.jpg

Panteão Nacional, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Anabela Rodrigues, ministra da Administração Interna

Recebeu quase quatro anos de trabalho do seu antecessor e em poucos meses destruiu quase todo o trabalho que tinha sido feito pelo ministério. Esta senhora confunde o ministério com uma quinta que herdou da avó.

«Cerrca de meia centena de polícias estão concentrados junto ao Ministério da Administração Interna (MAI), para protestarem contra a proposta do estatuto profissional e exigirem à ministra que retome as negociações. Numa vigília convocada pelo Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL), o protesto conta com a participação de outras estruturas sindicais da PSP, designadamente o Sindicato Nacional da Carreira de Chefes (SNCC), Associação Sindical Autónoma de Polícia e Sindicato Unificado da Polícia (SUP).  

Alguns dirigentes do SINAPOL aproveitaram o protesto para entregar folhetos aos turistas que passavam pelo Terreiro do Paço, para dar a conhecer os problemas dos polícias. "Estamos aqui para que a ministra [da Administração Interna] perceba que as negociações têm de continuar", disse o presidente do SINAPOL.» [Expresso]

 Manuela Ferreira Leite

Ao ouvir a ex-líder do PSD no seu tempo de antena na TVI24 fiquei com a impressão que tinha acabado de entrar em modo Passos Coelho, depois de anos a criticar o governo já se adivinha a sua declaração de apoio, da última vez apoiou Passos por detestar Sócrates, veremos a explicação de 2015. Entretanto a senhora lançou uma nova tese sobre as forças de obstrução, a ex-ministra das Finanças acha que um governo que conta com a Administração Pública, com centenas de assessores e adjuntos e que paga milhões a consultores externos em vez de ser auditado devia ter uma espécie de Tribunal de Constas a anteriori, que fizesse sugestões pedaógicas. Enfim, mais lata é difícil.
  
 A lei do enriquecimento ilícito

Com procuradores como o Teixeira e juízes como o Alexandre não percebo o porquê da adopção desta lei. Com a actual lei já se prende primeiro, condena-se na comunicação social e só se acusa depois, ainda querem mais? Um dia destes todos os portugueses nascem acusados e têm até aos seis anos para provarem que são inocentes, parece que os nossos justiceiros querem que o MP funcione como pia baptismal onde se lavarão os pecados dos que já nascem fruto do pecado.

 Cavaco Silva

Cavaco Silva só não anda de fato laranja com medo de o confundirem com um fundamentalista de Guantanamo, fundamentalista é mas quando grita Allahu Akbar não se refere ao deus de Maomé mas sim ao deus da alta finança de Frankfurt.

 Mais uma estopada do Cavaco

A única coisa boa dos discursos do Cavaco Silva é que estamos sempre á espera que ele tenha um fanico.

PS: repararam que na cerimónia no Panteão o Presidente da República cantou o hino nacional para dentro, até me lembrei do Deco nos jogos da selecção!


 O outro lado do sucesso do Núncio Fiscoólico
   
«Os dados constam da Conta Geral do Estado (CGE) de 2014, publicada esta semana, e que revelam um total de 13.539 milhões de euros de impostos por cobrar. Ou seja, liquidações que foram emitidas e que ainda não foram objecto de cobrança e/ou anulação ou extinção.

Para o fiscalista João Espanha a receita fiscal que escapou aos cofres do Estado significa que "não basta liquidar impostos, é necessário cobrá-los e, para tal, a máquina de cobrança tem de estar bem oleada e é preciso que quem seja chamado a pagar tenha dinheiro para o fazer".

De facto, a CGE de 2014 conclui que o montante de impostos que ficou por cobrar não sofreu praticamente qualquer alteração face a 2013 (13.545 milhões de euros). Esta variação quase nula é explicada por ter havido mais impostos por cobrar no IRC e IRS (339 milhões), apesar do bom desempenho na cobrança do IVA (355 milhões). Diz o boletim que houve uma redução do total de receita de IVA por cobrar (-6,1%) pelos montantes que se conseguiram recuperar, enquanto as receitas de IRS e IRC tiveram uma variação contrária, mais 5,2% e 4,3% respectivamente.

Do total de receita que não entrou nos cofres do Estado, 7,6 mil milhões de euros são impostos directos (pesando aqui o IRC 58% com 4,4 mil milhões de euros) e cerca de seis mil milhões a impostos indirectos com a fatia de leão a caber ao IVA (5,5 mil milhões).

Prescrições de 83 milhões

O relatório revela ainda que o Estado deixou de cobrar 83 milhões de euros por dívidas ao Fisco já prescritas. O valor de impostos prescritos aumentou 85% face aos 44 milhões registados em 2013. "Este aumento expressivo foi comum aos três principais impostos", lê-se no documento: as prescrições de IVA aumentaram 65% para 52 milhões, seguindo-se o IRS (mais 20% para 16,3 milhões de euros) e o IRC (mais 15% para 12,3 milhões).

Segundo a CGE, no valor global de prescrição (cujo prazo é, regra geral, de oito anos) estão englobados 47 milhões de euros de dívida que já se encontrava declarada em falhas. Ou seja, devido à falta de bens penhoráveis do contribuinte executado ou por se encontrar ausente em parte incerta o devedor do crédito penhorado.

As anulações de dívidas fiscais efectuadas em 2014 somaram 390 milhões de euros, menos 35,5% face a 2013. Em causa está a anulação de 74.580 dívidas, contra 185.187 que tinham sido anuladas em 2013 num total de 605 milhões de euros. Nos montantes de dívidas anuladas, IRC e IVA foram os que registaram maiores quebras.» [DE]
   
Parecer:

Nem tudo são sucessos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Questione-se o SEAF sobre estes dados.»

 Saco azul?
   
«Antero Henrique foi constituído arguido por suspeitas de espionagem a atletas do FC Porto. O vice-presidente do clube servia-se da SPDE, empresa de segurança no centro da investigação desta quinta-feira, para vigiar ilegalmente os futebolistas, avança o Correio da Manhã.

O jornal adianta que existem “milhares de horas de escutas telefónicas aos suspeitos, tendo sido transcritas várias conversas entre Antero Henrique e Eduardo Silva, dono da SPDE.”

No âmbito das buscas – relacionadas com a Operação Fénix e realizadas esta quinta-feira na sua casa – a PSP apreendeu 70 mil euros em notas de 500, e Antero Henrique foi constituído arguido. A sede da SPDE também foi um dos alvos da operação, depois de Eduardo Silva ter sido detido.» [Observador]
   
Parecer:

Para que teria um dirigente desportivo 70.000 euros em notas de 500?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao senhor se era para dar gorjetas.»

 PT passou a ser caloteira
   
«A Associação Nacional de Empresas de Tecnologias de Informação e Eletrónica (ANETIE) diz que o a PT Portugal está a fazer "vai além do aceitável". A Associação, disse o seu presidente Vítor Rodrigues,  está a fazer um levantamento de todos os fornecedores da PT nas áreas de tecnologia para poder tomar uma posição fundamentada junto das autoridades e eventualmente recorrer aos tribunais.  

A PT Portugal, diz Vítor Rodrigues, não está a tratar todos os fornecedores da mesma maneira. Os mais pequenos e mais expostos à PT estão a ser mais pressionados, enquanto face aos grandes fornecedores que ameaçam sair, a operadora tem estado a recuar. A Novabase, como já noticiou o Expresso, foi uma das que ameaçou sair, a outra foi a Accenture.» [Expresso]
   
Parecer:

Dantes pagava e ainda eprdia dinheiro no BES.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Pires de Lima se era a este comportamento que se referia nos seus elogios à Altice.»
  

   
   
 photo Philip-Carlo-Jorgensen-5_zpsyzb0igic.jpg

 photo Philip-Carlo-Jorgensen-1_zpsdpj78fgh.jpg

 photo Philip-Carlo-Jorgensen-2_zpsrlqafxby.jpg

 photo Philip-Carlo-Jorgensen-3_zps4xsgppdc.jpg

 photo Philip-Carlo-Jorgensen-4_zpstncd2vdk.jpg
  
blog comments powered by Disqus