quarta-feira, setembro 30, 2015

A resposta acobardada dos sondageiros


Os sondageiros trafulhas decidiram alterar o gráfico das suas "sondagens". Anteontem o gráfico fazia aparecer mais 11,9% de portugueses:



 photo _andaluzes_zpscdwcob8s.jpg



Agora autonomizaram os indecisos e fizeram aparecer os votos em branco e nulos.



 photo _trafulhas_zpsltwzjldq.jpg



Até acrescentaram uma nota informando que a "TSF faz hoje um acerto na forma como tem representado graficamente este estudo da Intercampus para TVI/Público/TSF. Passamos a apresentar o número de inquiridos que declara votar Branco/Nulo, e separamos do gráfico principal a evolução do número de indecisos". A ideia é insinuar que quem tinha lido o gráfico teria sido induzido em erro porque duplicava os indecisos, mas como isso voltava a dar um desvio optaram poor informar que esse desvio corresponde às projecções para os votos brancos e nulos. Só não explicaram o porquê desta mudança pois os nossos trafulhas é gente que não erra, nem mente, o mais longe que vai é na mudança dos critérios de apresentação, nem explicaram, nem pediram desculpa porque os infalíveis nunca falham.

Agora temos um fenómeno novo que os sondageiros se esqueceram de analisar, o mais espectaclar nesta "sondagem" não está nem nos votos do PAF nem no milagre do BE, está no facto de os bancos e nulos que em 2011 foram de 4,09% aparecerem nesta "sondagem" com 9,4%, o que é quase um recorde digno do Guiness. em 1985 esta percentagem foi de 3,44%, em 1987 foi de 2,18%, em 1991 foi de 1,94%, em 1995 foi de 1,92%, em 1999 foi de 2%, em 2002 foi de 1,97%, em 2005 foi de 2,94%, em 2009 foi de 3,09% e em 2011 foi de 4,08%. Estes sondageiros esperam que os brancos e nulos aumentem para mais do dobro, isto com pequenos partidos para todos os gostos, sem haver anteconhecimento de situações de boicote e sem ninguém apelar ao voto em branco ou nulo. Sejamos honestos!

Temos, portanto, uma sondagem a que só responderam 54,8% dos inquiridos (num universo de 1008 entrevistas), dos que responderam 21,4% dizem-se indecisos e 9,4% votam branco ou nulos e em cima disto o intervalo de confiança é de 95% com uma margem de erro de 3,1%!. Enfim, mais um pouco e teria bastado fazerem entrevistas na sede dos sondageiros e aposto que mais 1%, menos 1% no PAF e os resultados seriam os mesmos.

Em ternos de análise estatística este trabalho não tem um mínimo de fiabilidade, a sua honestidade é duvidosa e a sua qualidade técnica é uma pouca de merda! Uma empresa honesta mandaria ara o lixo uma sondagem com estes resultados e principalmente com quase 10% de brancos e nulos, nenhum órgão de comunicação social credível publicaria esses resultados em nome do respeito pelos cidadãos que os ouvem.

O desvio martelados nos brancos e nulos, mais os indecisos dá ara martelar a sondagem e conseguir qualquer resultado! Se nos meus tempos de estudante tivesse feito um trabalho destes na cadeira de Estatística nunca teria conseguido acabar o curso de Economia e ainda teriua acabado por ser colega do Miguel Relvas na Independente.
 
Aditamento:

O facto de uma sondagem prever os votos nulos é, no mínimo, divertido. Podemos imaginar o entrevistado a dizer que vai votar mas por engano em vez de uma cruz vai inscrever uma bolinha no boletim de voto!



blog comments powered by Disqus