segunda-feira, agosto 03, 2015

O coxo e o Núncio Fiscoólico perneta

Foi hoje publicada a análise da Unidade Técnica de Apoio Orçamental à execução orçamental apresentada pelo governo.

A confusão é total. Onde o governo diz que ocorreu um aumento da receita fiscal de 3,7%, a UTAO fez as contas e diz que o crescimento é de apenas 1,7%. Acrescenta ainda que ocorreu uma quebra em junho.

O governo diz que os impostos indirectos (em especial o IVA) aumentaram 6,2%. A UTAO que aumentaram apenas 3,5%.

O governo diz que os impostos directos (IRS e IRC) aumentaram 0,5%. A UTAO diz que não houve crescimento nenhum, pelo contrário, caíram 0,3%.

Onde o governo diz que vai haver devolução da sobretaxa porque no final do ano provavelmente as receitas fiscais ultrapassarão o previsto, a UTAO diz que as receitas fiscais vão ficar 600 milhões abaixo do previsto, e portanto nem pensar em devolução da sobretaxa.

A UTAO acrescenta que o governo agravou a manipulação das contas do Estado com a retenção dos reembolsos do IVA às empresas exportadoras, que no mês passado já ia em 190 milhões de euros e agora passou para 241 milhões.

Há uns anos atrás o dr. Macedo partiu um braço nadando no cachão de sudoeste da praia da Altura. Não sei a que praia vai o Núncio Fiscoólico, mas espero que tenha a mesma sorte do competentíssimo dr. Macedo e regresse de férias com uma perna partida, nunca mais se esquecerá de que mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo, quanto mais um coxo perneta.
  
Provavelmente é por isso que o Portas não o meteu nas listas de deputados, aquele que foi o primeiro governante do CDS a dizer que ao contrário do líder do CDS ele nada tinha de revogável e que ficaria no governo e que agora chamou a si todo o protagonismo da campanha eleitoral, acabou por ser excluído das listas do CDS, o que significa que as manipulações da máquina fiscal não foram suficientes para o levar à liderança do seu partido.
  
Enfim, tudo o que este PAF faz acaba por dar em Puf.


Aditamento:

Não é a primeira vez que a UTAO produz relatórios de avaliação das contas públicas e já em Junho esta unidade dizia quase o mesmo que disse no último relatório. Todavia, nunca os relatórios da UTAO foram alvo de debate público e raramente têm sido citados na comunicação social.
  
Curiosamente, é graças a Marco António que a UTAO quase saiu do anonimato, foi esta pequena personagem pafiosa que lembrou os portugueses da sua existência e credibilidade ao ter exigido que as propostas do PS e os seus cenários económicos fossem avaliados por aquela unidade do parlamento, algo de que se esqueceu em relação ao programa eleitoral do PSD.
  
Só que com o embuste que o Núncio Fiscoólico tem vindo a montar em torno da sobretaxa as análkisses independentes da UTAO passaram a ser incómodas, algo que tem vindo a suceder com muitas instituições. Pelos vistos só os Instituto de Emprego do Lambretas produz dados fiáveis, tão fiáveis que a um dia destes conseguiremos chegar ao pleno emprego sem, criar empregos e, com sorte, ainda vamos empregar os andaluzes.
  
Este governo começa a ser parecido com a senhor que foi assistir ao juramento de bandeiro do filho e quando o batalhão marchava na parada o seu rebento era o único soldado que estava com o passo ceto, todos os outros tinham o passo trocado.
blog comments powered by Disqus