quarta-feira, agosto 19, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Julio_zps6x0ziizu.jpg

Grafitti junto ao Hospital Júlio de Matos, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Manuel Alegre

Começa a ser tempo de Manuel Alegre explicar o que o leva desde há um bom par de anos a fazer tudo para ajudar a direita a chegar ou a manter-se no poder.

 A derrota que o aparelho do PS pede e merece

Muito boa gente do PS pensa que pode brincar ao poder porque o seu eleitorado vota sempre no PS, a forma como foi lançada a candidatura presidencial de Maria de Belém mostra como essa gente não está muito incomodada com a hipótese de a direita permanecer no poder. Para muitos destes verdadeiros "senhores da guerra" o poder no aparelho é bem mais importante do que as políticas impostas pela direita ao país, muitos deles vivem de pequenas mordomias estatais alimentadas pelo seu poder, designadamente, nas autarquias.

Mas não é só no aparelho do PS que há quem dê mais ajudas à direita do que aos eu partido, um bom exemplo disso é o vozeirão poético que no tempo de Sócrates reunia atrás de si uma boa parte da extrema esquerda e fez mais oposição ao governo do PS do que a própria direita, não perdendo a oportunidade para fazer o papel que o Henrique Neto está fazendo.Surpreendentemente manda à faa as suas hostes e dá uma guinada à direita para se juntar à direita do PS, a mesma direita que o deixou a falar sozinho nas presidências em que assumiu o papel de lebre de Cavaco Silva.

A não ser que os eleitores da esquerda, incluindo uma parte significativa dos eleitores do PS, só votarão em Maria de Belém se seguirem o conselho em tempos dado por Álvaro Cunha, se taparem os olhos enquanto escreverem a cruz nos boletins de votos. A comentadora da CMTV lançada por uma sondagem do CM terá poucas hipóteses de vencer e é bem provável que desempenhe o papel já desempenhado pelo vozeirão poético, o de lebre, neste caso de coelhinha de Rui Rio ou de Marcelo.

O PS de Maria de Belém tudo faz para derrotar António Costa nas legislativas e se muitos eleitores reagirem como eu é bem provável que nas presidenciais o aparelho segurista do PS tenha a lição que merece e sofra a derrota que merece. Dificilmente o PS de Mário Soares, Salgado Zenha e de muitos outros dificilmente sobreviverá à acção da má colheita que lidera uma boa parte do seu aparelho.

O vozeirão poético e a própria coelhinha do Rui Rio vivem de pensões estatais, apoiantes como o Assis ganham uma fortuna no parlamento europeu, muitos dos senhores da guerra vivem das autraquias ou das empresas municipais, todos podem brincar aos golpes baixos, porque quando o mar bate na rocha quem se lixa é o mexilhão.

      
 Mais um que perde uma oportunidade de ficar calado
   
«Já havia socialistas a apoiar Sampaio da Nóvoa (como Mário Soares ou Jorge Sampaio), outros a apoiar Maria de Belém (como Manuel Alegre), mas agora há uma terceira via no PS: Ascenso Simões, até há uma semana diretor de campanha de António Costa e agora cabeça-de-lista do PS em Vila Real, declarou esta noite que não vai apoiar ninguém nas eleições presidenciais de 2016. “Não apoio nem apoiarei qualquer candidato presidencial”, escreveu na sua página no Facebook.

A razão? O socialista diz defender “uma revisão constitucional”, para pôr fim à eleição direta do Presidente da República.  “Um anacronismo”, diz Ascenso. No mesmo texto vem uma explicação mais detalhada, que será disruptiva no PS (um partido fortemente semi-presidencialista”. “A função [do Presidente] está cada vez mais partidarizada e a implicação dos partidos tradicionais limita candidaturas acima destes.”» [Observador]
   
Parecer:

Parece que a vaidade e o desejo de protagonismo impede este senhor de pensar, Costa remete as presidenciais para depois das legislativas e agora vem o responsável da campanha não só a falar de apoios como a tentar colocar o debate da escolha do presidente no centro do debate. Começa a perceber-se tanta barracada, este senhor anda tão ocupado com temas que nada dizem às legislativas que até se distrai na hora de produzir os outdoors.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao senhor que p+are de dizer baboseiras e de fazer asneiras.»
  
 Depois do cancro a gravidez
   
«A cabeça de lista da coligação Agir em Lisboa, Joana Amaral Dias, assumiu estar a enfrentar uma gravidez de risco, que terá consequências na campanha eleitoral para as legislativas de 04 de outubro.

A líder do movimento cidadão Agir anunciou que, caso seja eleita e se torne mãe, gozará a respetiva licença de parto, sendo substituída por um elemento da mesma plataforma, como ficou acordado com as restantes forças políticas que formam a coligação: Partido Trabalhista Português (PTP) e Movimento Alternativa Socialista (MAS).

“Esta gravidez, que entretanto foi classificada como de risco, terá consequências para a campanha eleitoral. Vai impossibilitar o plano inicial da coligação, que era fazer uma campanha em todas as capitais de distrito do país. Vai ter de ser, naturalmente, reduzida”, declarou, em conferência de imprensa, em Lisboa, sublinhando ser uma questão de “transparência” para uma “relação clara e fiel com os eleitores”.» [Observador]
   
Parecer:

Pobre candidata, descuidou-se e agora andamos nós enjoados dela e ela enjoada por causa do pimpolho. O país já andava preocupado com a esposa do Coelho, agora tem de acompanhar a gravidez do pimpolho da Joana. Enfim, já só falta o António Costa partir uma perna e o geriatra recomendar repouso ao Jerónimo de Sousa.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ajudemos a senhora a dedicar-se ao futuro pimpolho.»

 O que é feito da ministra?
   
«Os polícias iniciam, a 31 de agosto, um mês de ações de protesto, entre as quais manifestações, a realizar ”um pouco por todo o país”, para dizer ao Governo que não está a merecer a confiança destes profissionais.

A informação foi avançada esta terça-feira pelo dirigente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia/Polícia de Segurança Pública (ASPP/PSP), Paulo Rodrigues, no final de uma reunião, em Lisboa, com mais três estruturas sindicais, o Sindicato dos Profissionais da Polícia (SPP/PSP), o Sindicato Independente dos Agentes da Polícia (SIAP) e o Sindicato Vertical de Carreiras da Polícia (SVCP).

Em causa está a falta de aprovação das alterações ao Estatuto da PSP com que, segundo Paulo Rodrigues, o Governo se comprometeu há quatro anos e que continua por aprovar.» [Observador]
   
Parecer:

Pela forma como gosta de usar saias curtas nas paradas da GNR deve andar no bronze.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Aumentam as mortes na estrada
   
«Entre 1 de janeiro e 15 de agosto de 2015 registaram-se 74 mil acidentes rodoviários, mais 4.400 do que no mesmo período do ano passado, revelam os últimos dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR). O número de mortes aumentou 11,5%, tendo sido registados mais 31 mortos até agosto deste ano do que no período homólogo do ano passado – um aumento de 270 mortes para 301. Também os feridos graves acompanham este crescimento. Foram registados mais 100 feridos graves nos primeiros oito meses deste ano do que no mesmo período de 2014, um aumento de 1.238 para 1.338.

As vítimas mortais em causa ocorreram no local do acidente ou durante o transporte até à unidade de saúde. Estes valores contrariam a tendência de diminuição de mortos na estrada que se tem verificado desde 2005 – apenas em 2007 e 2010 é que o número de mortos aumentou 0,5%, tendo diminuído nos restantes anos deste período.» [Observador]
   
Parecer:

A PSP e a GNR têm andado ocupadas na caça à multa para financiar promoções, passagens à reserva e viaturas novas, é natural que na estrada ande tudo ao Deus dará.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Nem os cachorros escapam à "saída limpa"
   
«Em 2014, cerca de 600 animais por semana entraram em centros municipais de recolha, avança hoje o jornal Público. É um número que tem vindo a subir todos os anos, mas que poderá cair em 2015, graças à lei que criminalizou os maus tratos e abandono de animais.

No ano passado, quase 32 mil animais chegaram aos canis e gatis municipais, de acordo com dados da Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, número que é 41% mais alto do que em 2010, e 135% mais alto do que em 2008.» [DN]
   
Parecer:

Enfim, o algodão não engana.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  

   
   
 photo Scott-Lowrey-2_zpszqmoovfb.jpg

 photo Scott-Lowrey-1_zpssduwvwja.jpg

 photo Scott-Lowrey-4_zpstuust8vy.jpg

 photo Scott-Lowrey-3_zpsxnnay5by.jpg

 photo Scott-Lowrey-5_zpsj9gmqfvg.jpg
  
blog comments powered by Disqus