terça-feira, fevereiro 04, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo jardim_zps3b44a4f4.jpg
     
No Jardim Gulbenkian
  
 Jumento do dia
    
Durão Barroso

Há muito que Durão Barroso anda a hesitar em relação a uma eventual candidatura, parecendo dizer aos governantes europeus "agarrem-me senão fujo!". Pelos vistos ninguém o quer agarrar e cada vez é mais evidente que este falhado vai ser substituído. A própria Merkel, a quem Barroso deu toda a graxa que é possível dar a um chanceler alemão já o dispensou. Pobre Barroso, por este andar vai ter mesmo de tentar um contrato de arrendamento a custo zero do Palácio de Belém.

«O antigo líder do Eurogrupo, Jean-Claude Juncker, ganhou um apoio de peso para ser o candidato pelo centro-direita europeu à presidência da Comissão Europeia: Angela Merkel.

A chanceler alemã tornou-se assim na mais recente apoiante do antigo primeiro-ministro luxemburguês, segundo avança o Financial Times. Angela Merkel já terá falado, inclusivamente, com Jean-Claude Juncker pelo telefone onde lhe assegurou o seu apoio para o cargo.

“A maioria dos líderes europeus, incluindo Merkel, têm-no encorajado a candidatar-se. De facto, posso dizer que eles fizeram mais do que o encorajar, eles apelaram a que ele candidatasse-se”, disse uma das fonte próxima do processo ao Financial Times.» [DN]
 
 Estado miserável

Porque será que o governo não dá a toda a arte de que é proprietário o destino que pretende dar aos quadros de Miró? Vendia tudo à China mais o cavalo do D. José.
 
 Ironia é
 
Um governo que sacrificou o seu povo depois de o condenar por excesso de consumo vira agora sortear carros de luxo para que esse mesmo povo consuma e solicite a factura.
 
 Forretices de um ministro unhas de fome

 photo Gastar_zpsa33ff118.jpg
  
Tirando o gosto pela compra de submarinos, por andar de Jaguar na Baixa de Lisboa e de andar à noite a escolher palacetes tudo o resto em Paulo Portas é um exemplo de rigor e de poupança!
 
      
 O maravilhoso mundo novo
   
«É cada vez mais evidente que vivemos num mundo totalmente - totalitariamente - comandado pelos poderosos, pelos donos do dinheiro. Um mundo em que, mesmo na Europa, um palco privilegiado de tantas lutas e revoluções pela Liberdade, conceitos como Democracia, Igualdade, Fraternidade ou Solidariedade estão a ser atirados para o sótão das velharias ou para museus de "arte antiga".

O relatório da organização humanitária Oxfam, divulgado uns dias antes do conclave de Davos - esse santuário dos "ricaços da neve", para onde, anualmente, o "poder político" se encaminha, como cordeiro, a esmolar atenções e investimentos - dá-nos uma nítida fotografia da tragédia. Os números são tão devastadores como qualquer cenário das piores atrocidades de guerra: oitenta e cinco pessoas detém uma riqueza igual à da metade mais pobre da população mundial - 3,5 mil milhões de pessoas; 1% das pessoas com maior património detém o equivalente a 65 vezes a riqueza da metade mais pobre da população mundial. Na Europa, o património das dez pessoas mais ricas é superior ao total das medidas de estímulo à economia aplicadas entre 2008 e 2010. Esta concentração da riqueza nas mãos de uns quantos não parou de aumentar nas últimas três décadas. E vai continuar, inevitavelmente.

É para encher ainda mais este mealheiro dos "mercados" que os Estados têm de gastar menos em saúde, educação e segurança social e sugar com impostos e reduções de salários e pensões de reforma quem trabalha ou quem passou a vida a trabalhar. Tudo em nome da "ordem natural das coisas". E, se nos portamos mal, "eles" ameaçam-nos com o aumento dos juros da dívida, com mais austeridade, com maior pobreza e muitos outros sacrifícios.

Este "maravilhoso mundo novo", comandado pelos "mercados", com a cumplicidade de governos "soberanos", tem suporte ideológico, entre nós, nos dois partidos da coligação que nos governam, numa dúzia de blogues alimentados pelo ressabiamento "anti- -socialista" de uns quantos "iluminados" neoliberais e pelas "juventudes" partidárias do CDS-PP e do PSD. Já não há vergonha. Dois exemplos: os "jovens" do partido de Paulo Portas propõem a redução dos anos de ensino obrigatório. Para eles não faz sentido que o Estado "gaste tanto dinheiro" em educação com gente que, para ganhar quatrocentos ou quinhentos euros por mês, saber ler, escrever e contar é suficiente. Por sua vez, os "jovens" do PSD querem referendar os direitos das pessoas, sobretudo os direitos das minorias, procurando fazer da Democracia um jogo dos poderosos. Assistimos, impávidos e serenos, quase sem pestanejar, a uma ofensiva ideológica da Direita muito semelhante à que assistimos em 1974-75, durante o PREC. Só que de sentido contrário. E não há esquerda, não há pensamento de esquerda, não há praxis de esquerda, não há nada que trave esta enxurrada.

PS - Reuniu-se em Havana, nos últimos dias de Janeiro, a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e do Caribe, uma organização regional impulsionada por Hugo Chávez, em 2011, em oposição à Organização de Estados Americanos. O êxito para o governo cubano foi total. Participaram 31 delegações de Estado das 33 possíveis, caso inédito de participação; pela primeira vez, desde 1959, um secretário--geral da OEA pisou solo cubano; nenhum dos participantes se referiu nos seus discursos a direitos humanos; só duas delegações, a chilena e a da Costa Rica, agendaram encontros com oposicionistas ao regime castrista. Há dez anos era impensável o que se passou há dias. Esta clara vitória diplomática dos irmãos Castro não resulta de mudanças no regime de Havana, nem do aperto de mão de Obama a Raúl Castro, na África do Sul. É, antes de tudo, a compreensão (e uma clara tomada de posição) de todos os governos da América Latina: actualmente, os perigos para a Democracia e para os povos da região vêm dos "mercados" e não do regime cubano.» [i]
   
Autor:
 
Tomás Vasques.
   
   
 O que é privado é bom
   
«O INEM foi chamado a socorrer uma mulher, com graves dificuldades respiratórias, dentro de um hospital privado em Faro. O caso ocorreu, anteontem, cerca das 23h45, no Hospital de Santa Maria.
A pronta ação do INEM, que ativou uma ambulância de emergência e uma viatura médica, foi fundamental para salvar a vítima, de 61 anos, que depois dos primeiros socorros prestados foi transportada ao hospital de Faro, onde deu entrada na unidade de reanimação.
  
A vítima, ao que o CM apurou, optou por se deslocar à unidade de saúde privada por ter um seguro de saúde e na tentativa de fugir ao grande congestionamento sentido no serviço de Urgência do Hospital de Faro, nesta altura do ano.
  
A opção veio a verificar-se a mais errada para a doente, que a sentir falta de ar viveu momentos dramáticos por a unidade privada não ter os meios para lhe prestar o devido socorro.» [CM]
   
Parecer:

Esta senhora ia pagando bem caro a opinião que muitos algarvios erradamente têm do seu hospital.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 Rainhas assalariadas
   
«A rainha Sofia de Espanha e a nora, a princesa Letizia, vão passar a receber um ordenado fixo, além das despesas de representação que recebiam até agora.

Segundo a Casa Real espanhola, a mulher do rei Juan Carlos vai auferir um salário anual de 63 234 euros, aos quais acrescem despesas de representação no valor de 68 505 euros, o que perfaz um total anual de 131 739 euros, ou seja, 45% daquilo que recebe o marido.» [CM]
   
Parecer:

Quem vai ficar a roer as unhas de inveja é a nossa Dra. Maria que gosta muito de exibir a sua família como se de uma família real se tratasse.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
   
 Nicolau Bryner candidato da ultra direita às europeias
   
«O ator é o mais recente candidato às eleições europeias. Nicolau Breyner será o rosto de uma coligação de pequenos partidos candidata ao Parlamento Europeu nas próximas eleições, que se realizam a 25 de maio.

O grupo, que ainda não está fechado, sabe-se apenas que inclui a Nova Democracia (PND), defende uma postura "eurocrítica". Nicolau Breyner já confirmou a disponibilidade para dar voz a esta candidatura e acredita que sair do Euro é uma medida vantajosa para Portugal.

Joel Viana, líder do PND, afirmou em declarações ao jornal i que o grupo "tem uma postura eurocrítica, que não existe nos outros partidos". "Defendemos que a saída de Portugal do Euro seria a melhor solução para o país. Não temos economia para estar no euro", disse.» [DN]
   
Parecer:

Parece que não há ninguém neste país que não queira um tacho europeu..
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
   
   
 Tudo boa gente
   
«O coletivo de juízes da 8.ª Vara Criminal de Lisboa determinou a suspensão da pena dos três arguidos sob a condição de pagarem parte do valor indevidamente apropriado: Mário Peças, ex-administrador da empresa municipal de gestão dos bairros municipais de Lisboa, terá de pagar 10 mil euros, Ismael Pimentel, ex-deputado do CDS-PP, vai ter de devolver seis mil euros e Jorge Lopes terá de pagar mil euros.
  
Para o tribunal ficou provada a acusação do Ministério Público (MP) de que os três arguidos "[engendraram] um esquema de falsificação de cheques" e lesaram a Gebalis em mais de 38 mil euros.» [DN]
   
Parecer:

Este CDS de Paulo Portas é uma autêntica escola de virtudes.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
   
 mais 743 para os contribuintes pagarem
   
«O BCP fechou o ano de 2013 com um resultado líquido negativo de 740 milhões de euros, um resultado que saiu pior do que os prejuízos de 730 milhões de euros estimados pelos analistas da poll da Reuters. Ainda assim, o resultado do ano passado representa uma melhoria face ao mais de 1,2 mil milhões de prejuízos registados em 2012.» [DE]
   
Parecer:

Uma boa parte da austeridade tem servido para "ajudar" banqueiros incompetentes e oportunistas, esta é uma péssima notícia para os funcionários públicos e pensionistas, os grandes accionistas dos bancos portugueses.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»
   
 Mais um milagre
   
«O ministro da Economia, Pires de Lima, garantiu, numa entrevista ao jornal francês “Les Echos”, que o governo pretende subir o salário mínimo nacional e descer o IRS assim que houver margem de manobra.

“Quando houver margem de manobra, subiremos o salário mínimo e reduziremos os impostos sobre o rendimento”, afirmou o ministro numa entrevista onde reiterou também que o que “o futuro da indústria portuguesa não deve passar pelos salários baixos”.» [i]
   
Parecer:

Isto é um verdadeiro santo ainda em vida!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Reze-se ferverosamente à santinha da Rua da Horta Seca!»
     

   
   
 photo Nikos-Vasilakis-5_zps876f196c.jpg

 photo Nikos-Vasilakis-1_zps1dc6a863.jpg
 
 photo Nikos-Vasilakis-4_zpsf6d9baad.jpg

 photo Nikos-Vasilakis-2_zps55c6636f.jpg
 
 photo Nikos-Vasilakis-3_zps167312a0.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus