domingo, janeiro 19, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo cogumelo_zpsf8ea9139.jpg
     
Cogumelo do Parque Florestal de Monsanto, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Passos Coelho

Alguém acedita que a aprovação num parlamento de eunucos da realização de um referendo foi feita sem a aprovação de Passos Coelho? É evidente que ninguém acredita que Passos Coelho não tivesse qualquer intervenção, que os jovens camisas negras não o tivessem consultado ou que nenhum deputado do PSD o tivesse questionado. O mais grave é que Passos diz que o PSD não vê a iniciativa com hostilidade, até se fica com a sensação que a proposta foi aprovada com o voto da esquerda e a abstenção da dieita.

Passos Coelho foi ultrapassado pelos acontecimentos e perante uma onda de indignação colectiva decidiu recuar, receia que por este andar o PSD também venha a caber num táxi.

«O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje em Bragança que não influenciou a proposta de realização do referendo à coadoção por casais homossexuais, embora veja vantagens no alargamento do debate à sociedade.

“De facto não, mas respeito muito a decisão que os deputados tomaram nessa matéria”, declarou aos jornalistas, em Bragança, à margem de sessão de esclarecimento sobre a sua recandidatura a presidente da comissão política nacional do PSD.

O líder do PSD explicou que “essa questão foi discutida na Comissão Política Nacional, que entendeu que não devia olhar essa iniciativa com hostilidade”.» [i]
 
 Coincidências do arco da velha

Hino Alemão: "Deutschland über alles" ("Alemanha acima de tudo")
Moção de Passos Coelho: "Portugal acima de tudo" ("Portugal über alles")
(via Câmara Corporativa)
   
 Onde está o Tozé?

Alguém o viu tomar posição sobre a embrulhada do referendo à co-adopção, aproveitando o erro claro da direita?
 
 Goldman Sachs

Se o padrão de competência e de inteligência da Goldman Sachs é o António Arnaut estamos conversados.
 
 David Mourão-Ferreira - fado para a Lua de Lisboa

 
 Galfarros

O mais curioso desta coisa das jotas está no facto de os deputados que as representam já terem idade para serem avozinhos!
 
 Passos Coelho está à rasca

Já repararm que sempre que Passos Coelho está `*a rasca organiza uma visita a Trás-os-Montes?
 
      
 Carta aberta ao presidente da JSD e seus compagnons de route
   
«Hesitei em decidir a quem me dirigir: não sei quem hoje é o mandante da JSD, nem a quem prestam vassalagem. Assim, terei de me dirigir ao presidente formal da JSD – e a quem deu publicamente a cara por uma das maiores indignidades que se registaram na história parlamentar da República.

Para vocês, que certamente não me conhecem, permitam-me que me apresente: sou militante do PSD, com o n.º 10757. Na JSD onde me filiei aos 16 anos, fui quase tudo: vice-presidente, director do gabinete de estudos, encabecei o conselho nacional, fui quem exerceu funções por mais tempo como presidente da distrital de Lisboa, fui dirigente académico na Faculdade de Direito de Lisboa, eleito com a bandeira da JSD, fui membro da comissão política nacional presidida por Pedro Passos Coelho, de quem, de resto, fui um leal colaborador. Quando saí da JSD, elegeram-me em congresso como vosso militante honorário.

Por isso julgo dever dirigir-me a vocês, para vos dizer que a vossa actuação me cobre de vergonha. E que deslustra tudo o que eu, e tantos outros, fizemos no passado, para a emancipação cívica, económica, cultural e política, da juventude e da sociedade.

Com a vossa proposta de um referendo sobre a co-adopção e a adopção de crianças por casais de pessoas do mesmo sexo, vocês desceram a um nível inimaginável, ao sujeitarem a plebiscito o exercício de direitos humanos. A democracia não deve referendar direitos humanos de minorias, porque esta não se pode confundir com o absolutismo das maiorias. Porque a linha que separa a democracia do totalitarismo é ténue – é por isso que a democracia não dispensa a mediação dos seus representantes – e é por isso que historicamente as leis que garantem direitos, liberdade e garantias andam à frente da sociedade. Foi assim com a abolição da escravatura, com o direito de voto das mulheres, com a instituição do casamento civil, com a autorização dos casamentos inter-raciais, com o instituto jurídico do divórcio, com o alargamento de celebração de contratos de casamento entre pessoas do mesmo sexo. Estes direitos talvez ainda hoje não existissem se sobre eles tivessem sido feitos plebiscitos.

Abstenho-me de fundamentar aqui a ilegalidade do procedimento que se propõem levar avante: a violação da lei orgânica do referendo é grosseira e evidente – misturaram numa mesma proposta de referendo duas matérias diferentes e nem sequer conexas. Porque adopção e co-adopção são matérias que vocês pretendem imoralmente enfiar no mesmo saco.

Em matéria de co-adopção vocês ignoram ostensivamente o superior interesse das crianças já criadas em famílias já existentes e a quem hoje falta a devida segurança jurídica e protecção legal. Ao invés, vocês querem que os seus direitos sejam referendáveis. Confesso que me sinto embaraçado e transido de vergonha pela vossa atitude: dispostos a atropelarem o direito de umas poucas crianças e dos seus pais e mães, desprotegidos, e em minoria, em nome de uma manobra política. E isto é uma vergonha.

Mas é também com estupefacção que vejo a actual JSD tornar-se numa coisa que nunca foi – uma organização conservadora, reaccionária e atávica. Vocês empurram, com enorme desgosto meu, a JSD para uma fronteira ideológica em contradição com a nossa História e ao arrepio do nosso património de ideias e valores: o humanismo em matéria de liberdades individuais sempre foi nossa trave mestra. O que vocês propõem é uma inversão de rumo: conservadores na vida familiar mas liberais na economia. Eu e alguns preferimos o contrário. Porque o PSD, em que nos revimos, sempre foi o partido mais liberal em matéria de costumes e em matérias de consciência.

Registo, indignado, o vosso silêncio cúmplice perante questões sacrificiais para a juventude portuguesa. Não vos vejo lutar contra o corporativismo crescente das ordens profissionais e a sua denegação do direito dos jovens a aceder às profissões que escolheram. Não vos vejo falar sobre a emigração maciça que nos assola. Não vos vejo preocupados com muitas outras questões.

Mas vejo-vos a querer que eu decida o destino dos filhos dos outros.

Na JSD em que eu militei sempre fomos generosos: queríamos mais direitos para todos. Propusemos, entre tantas coisas, a legalização do nudismo em Portugal, o fim do SMO, a despenalização do consumo das drogas leves, a emancipação dos jovens menores e o seu direito ao associativismo. Nunca nos passaria pela cabeça querer limitar direitos.

Hoje vocês não se distinguem do CDS e alguns de vocês nem sequer se distinguem da Mocidade Portuguesa, ou melhor, distinguem-se, mas para pior.

A juventude já vos não liga nenhuma. E eu também deixei de vos ligar.

Jurista, militante do PSD n.º 10757 e militante honorário da JSD» [Público]
   
Autor:
 
Carlos Reis dos Santos.
   
   
 Balsemão 1 - 0 Ongoing
   
«Era o único passo que faltava para quebrar definitivamente os laços entre a Ongoing de Nuno Vasconcellos e a Impresa de Francisco Pinto Balsemão. A Ongoing alienou 23,13% do capital que detinha na Impresa, deixando assim de ser o segundo maior accionista do grupo. A participação foi vendida a fundos de investimento, ao preço de 1,30 euros por acção, tendo a Ongoing arrecadado 50 milhões de euros com o negócio.

Ao que o i averiguou, a maioria dos fundos de investimento são estrangeiros, com sede em Londres. A Ongoing poderá ter perdido entre 10 e 15 milhões de euros com a venda, pois terá investido ao longo dos últimos anos entre 60 e 65 milhões na compra de acções da Impresa. A empresa liderada por Nuno Vasconcellos e o grupo de media liderado por Balsemão tinham entrado em rota de colisão em 2009, depois de o grupo que detém o "Diário Económico" ter avançado com uma proposta de compra da TVI enquanto detinha uma posição relevante no grupo da SIC.» [i]
   
Parecer:

Parece que a Loja Mozart começa a dar prejuízo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Deus nos livre desta Ongoing.»
  
 Católicos deste governo não deviam comungar
   
«O bispo emérito D. Januário Torgal Ferreira disse, em outubro quando se retirou, que não se iria calar e este fim-de-semana em entrevista ao jornal i, cumpre a promessa. Além de defender que “o grande erro deste Governo é ético, de incapacidade, de tentativa de salvação”, afirma ainda que “os católicos” que a ele pertencem “não deviam comungar”.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Nem comungar, nem comer, nem beber, nem ....
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ponham-se os dito a água, já que até o pão é mal empregado neles.»
   
 Já não há respeito
   
«O presidente do PSD considerou, este sábado, em Bragança, que "quem não está, não faz falta", em resposta ao líder regional da Madeira que disse não saber se vai ao congresso do partido. No entanto, Pedro Passos Coelho defendeu que notáveis do partido, como Alberto João Jardim, "claro que fazem falta".» [Jornal de Notícias]
   
Parecer:

Já vale atacar o amigo da madeira para ganhar uns votos no continente.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
   
   
 Prefiro que voltem os Filipes
   
«O escritor Miguel Sousa Tavares dá hoje destaque, no semanário Expresso, à nomeação do advogado José Luís Arnaut no Goldman Sachs, “esse grande predador global” que “está especialmente interessado em realizar o máximo de lucros no mínimo de tempo”. A juntar a isto, refere Sousa Tavares, “quando acontecer o 1640 de Paulo Portas, marcado para 17 de maio, só por inconsciência ou conveniência se poderá dizer que recuperamos parte da nossa soberania”, por isso preferir "que voltem os Filipes”.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Na mouche.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande-se o artigo para o Tozé, pode ser que o inspire.»
   
 Ataque cibernético feito por um ... frigorífico
   
«A sociedade de segurança californiana Proofpoint especificou que se podia tratar do primeiro ataque cibernético provado, realizado através de objetos "inteligentes", esses aparelhos do quotidiano ligados à internet ou a um 'smartphone'.

A Proofpoint explica que os piratas informáticos conseguiram penetrar sistemas informáticos de vários objetos ligados à internet nos domicílios, como televisões e pelo menos um frigorífico, para criar uma plataforma de envio de centenas de milhares de 'spams' ou mensagens de correio fraudulentas.

Mais de 750 mil mensagens de correio eletrónico maliciosas foram assim enviadas, entre 23 de dezembro e 06 de janeiro, essencialmente para empresas e indivíduos em todo o mundo, segundo a sociedade.» [Notícias ao Minuto]
   
 Freira devota do papa Francisco
   
«Uma freira natural de El Salvador deu à luz uma criança esta semana em Itália, apesar de garantir que desconhecia estar grávida, depois de sentir dores de estômago e ir para o hospital, noticiou hoje a imprensa italiana.

"Não sabia que estava grávida. Apenas senti dores de estômago", disse a freira, em declarações que lhe foram atribuídas pela agência noticiosa ANSA, a partir do hospital de Rieti.» [Notícias ao Minuto]
     

 
 Rally Dakar 2014

 photo Dakar-5_zps193cb2e9.jpg
  
 photo Dakar-1_zpsb18da9de.jpg

 photo Dakar-2_zps0592772d.jpg

 photo Dakar-3_zps8ad993ab.jpg

 photo Dakar-4_zps991946c0.jpg
   
   
 photo Baacutera-Vaacutevrovaacute-4_zps59f7e569.jpg

 photo Baacutera-Vaacutevrovaacute-5_zps8106bafb.jpg
 
 photo Baacutera-Vaacutevrovaacute-3_zps39b26ffe.jpg

 photo Baacutera-Vaacutevrovaacute-2_zpsa474979e.jpg
 
 photo Baacutera-Vaacutevrovaacute-1_zpsa59b56af.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus