quinta-feira, janeiro 30, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo Cacilheiros_zps954dce1b.jpg
     
Cacilheiros na margem sul, Cacilhas
  
 Jumento do dia
    
Hugo Soares, o Dux do parlamento

O "jovem" deputado da JSD que tudo leva a crer que já tenha nascido velho e antiquado, está tão feliz por se sentir na moda que deu para o disparate, agora veio defender que todos os direitos das pessoas podem ser referendados. Ficamos a aguardar que este imbecil proponha um referendo sobre se os portugueses têm ou não direito à vida.

Não seria mais higiénico para o país se o PSD tirasse este imbecil da ribalta?

«O deputado do PSD que encabeça a proposta de referendo à coadoção e adoção por casais do mesmo sexo, Hugo Soares, referiu ontem no programa ‘Política Mesmo’, na TV24, que “todos os direitos das pessoas podem ser referendados”, comparando o referendo que está em cima da mesa com o da interrupção voluntária da gravidez. Palavras que deixaram a deputada do PS, Isabel Moreira, em choque.» [Notícias ao Minuto]

 
 Cavaco está preocupado com a violação do segredo de justiça

Quando os jornais escarrapachavam quase diariamente processos e escutas Cavco ficou calado, agora que nada tem sucedido é que se preocupa. Das duas uma, ou o homem está com um atraso de três anos ou anda por aí qualquer coisa que ele não quer que se saiba.
 
      
 Volta o "Marreta", o meu tema predileto
   
«Esta é a terceira crónica que escrevo sobre o Marreta, antigo touro de 500 quilos, hoje provavelmente ex-muitos bifes de 200 gramas. Marreta era um touro de um só corno e telhudo, que vivia numa quinta em Viana do Castelo. Um dia de maio passado, o patrão quis deslocalizá-lo para o matadouro e o Marreta rescindiu unilateralmente o contrato, saltou da carrinha e fugiu. Mais vale ser um touro livre nas matas do que um operário iludido à espera de contrato nos estaleiros. Uma semana depois, a GNR (sempre ao serviço dos possidentes) prendeu o Marreta e quis levá-lo para o seu destino inexorável. Era não contar com o Facebook, esse defensor de todas as liberdades. A campanha Touros em Fuga, um movimento de massas (1378 euros), recolheu fundos, comprou o Marreta ao esclavagista e levou-o para Aveiro, para a propriedade de uma associação chamada SOS Equinos. Confuso, não sabendo se devia marrar ou cavalgar, o touro mais famoso do País voltou a fugir. Até hoje, embora se murmurem avistamentos do Marreta no Ribatejo, entre as chocas... E eis que surge, agora, uma nova campanha no Facebook, Marreta, o Boi Enganado, 135 pessoas que querem que o publicitário da campanha anterior, a Touros em Fuga, devolva os euros recolhidos para uma liberdade tão fugaz. Ora, o publicitário em causa teve também ele de fugir do curro nacional, e emigrou para a Alemanha. Que fazer?, perguntava Lenine. Pergunta ainda mais difícil tratando-se de Portugal.» [DN]
   
Autor:
 
Ferreira Fernandes.
   
   
 Marreta, o boi enganado
   
«Cerca de uma dezena das pessoas que contribuíram para a compra do touro que no ano passado andou fugido em Viana do Castelo exigem a devolução do dinheiro. E avisam que o caso poderá chegar ao tribunal, se não forem ressarcidas do dinheiro que entregaram para garantir que o animal – cujo paradeiro é desconhecido desde Julho – não ia parar ao matadouro.

Há seis meses que não têm notícias do Marreta e receiam ter sido enganadas. O bicho voltou a fugir em Julho de 2013 das instalações de Oliveira do Bairro da SOS Equinos, a associação que, com dinheiro angariado nas redes sociais, o comprou ao criador de Viana a quem fugiu, com outro touro (posteriormente abatido e vendido a um talho), no momento em que era carregado no camião que o levaria ao matadouro. O Marreta passou uma semana nos montes, fintando a GNR e as autoridades veterinárias. A sua fuga mediática levou então à criação do movimento Touros em Fuga, no Facebook, e à angariação dos 1378 euros que permitiriam comprá-lo e confiá-lo à SOS Equinos, onde era suposto passar o resto dos seus dias, pastando. Mas o touro voltou a fugir e, no final de Dezembro, surgiu um novo movimento no Facebook, intitulado Marreta, o Boi Enganado, apoiado por mais de 135 pessoas que reclamam a devolução do dinheiro.

“Esta página não pretende fazer juízos de valor, apenas constata que o dinheiro oferecido não obteve o propósito para o qual foi entregue e, nesse sentido, pretende a sua restituição. Assim, todas as pessoas que se identifiquem com este raciocínio devem aderir e deixar mensagem do valor que entregaram, para depois procedermos formalmente ao pedido da devolução dos valores aos responsáveis dos movimentos Touros em Fuga e SOS. Equinos”, lê-se na página do novo movimento, que já contratou um advogado.

Deolinda Sousa é uma das pessoas que se dizem enganadas. Em declarações ao PÚBLICO, garantiu que o recurso ao tribunal não está fora de hipótese: “O assunto não vai morrer. Tem que ser esclarecido o que aconteceu ao animal. Vamos até onde for preciso para saber onde está o Marreta”, frisou.» [Público]
   
Parecer:

Neste país, com cornos ou sem cornos, somos todos enganados!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»
  
 Cobardia na Lusófona
   
«O presidente do Conselho de Administração da Universidade Lusófona, Manuel Damásio, refuta a teoria de que os seis alunos daquela instituição que morreram na praia do Meco, vítimas de afogamento, estivessem envolvidos em quaisquer rituais académicos. O responsável, que falava ontem em declarações à SIC, disse ter-se tratado de “um acidente”, considerando que os estudantes, de acordo com os testemunhos que há, estavam apenas “a fazer brincadeiras”.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Está na hora de as ratazanas fugirem do navio.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
   
 Sobrevivente designado
   
«O apelido não desmente as origens açorianas de Ernest Moniz, que esta madrugada podia ter sucedido a Barack Obama na presidência dos Estados Unidos, tornando-se assim no primeiro descendente de portugueses a sentar-se na Sala Oval.

Explicando por partes, o secretário norte-americano para a Energia é o 12º na linha de sucessão para presidente dos EUA e foi escolhido pela Casa Branca para ser o "sobrevivente designado" durante o discurso anual sobre o Estado da União de Obama proferido em Washington, na madrugada desta quarta-feira, hora de Lisboa.

Leia também: Obama avisa Congresso: sempre que puder ajudar famílias americanas, vai avançar
Ernest Moniz, foi assim levado para um local não revelado, onde ficou sob proteção dos serviços secretos durante o discurso proferido no Congresso, onde, sob o mesmo tecto que Barack Obama, figuravam as mais altas figuras da administração norte-americana, como o vice-presidente Joe Lieberman, membros da Casa Branca e do Supremo Tribunal, incluindo o líder da maioria republicana na Câmara dos Representantes, John Boehner.

A tradição do"sobrevivente designado" teve início durante a Guerra Fria, devido a receios de um ataque nuclear poder dizimar, de um momento para o outro, todo o poder executivo e a cúpula militar, como explica a revista Time.» [DN]
   
Parecer:

Nós cá também temos um sobrevivente designado, é o Cavaco que sobreviveu ao cavaquismo e ao BPN e é um sobrevivente designado dele próprio, ainda que só por mais dois anos se, entretanto, não lhe der uma sulipampa,.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
     

   
   
 photo Giovanni-Piccinini-4_zps7d631fe8.jpg

 photo Giovanni-Piccinini-1_zps68964fc2.jpg
 
 photo Giovanni-Piccinini-2_zpse9b9fca8.jpg

 photo Giovanni-Piccinini-5_zpsa38d2276.jpg
 
 photo Giovanni-Piccinini-3_zps38d3547d.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus