domingo, julho 27, 2014

Semanada

Nesta semana o país ficou a saber que está dividido entre duas cortes, a corte dos da capital e a corte dos da Merdaleja. Na capital impera o vício enquanto na Merdaleja domina a honestidade, a formiguinha incansável é da Merdaleja enquanto a cigarra preguiçosa é da capital, na Merdaleja todos são frontais mas na capital são traiçoeiros. Seguro é o capitão de euipa dos da corte da Merdaleja e António Costa lidera os da corte da capital. É assim que se resumem as directas do PS, a luta entre o bem e o mal, entre a preguiça e o trabalho, entre a traição e a frontalidade, entre as virtudes e os defeitos, de um lado um Seguro com lugar garantido no Céu e do outro um Costa vindo do purgatório, é assim a abordagem de Seguro, uma mistura entre o catolicismo conservador e o ruralismo salazarista.
  
Cavaco, Passos Coelho e respectivas comitivas, incluindo mordomos, tratadores de pavões, cabeleireiras e outros serventuais do regime voaram para Dili com percursos vários pelas ásias, onde Passos foi elogiar o seu velho amigo da AMI e Cavaco fez uma visita inútil à Coreia do Sul, enquanto o país ficava entregue à inconseguida e a um Paulo Portas que foi tirar uma fotografia ao lado do presidente chinês, adoptando uma postura e um sorriso que fazia lembrar a antiga esposa de MAo Tse Tung, a senhora Jiang Qing, uma artista de teatro que depois fez parte do Bando dos Quatro, acabando por cair em desgraça.
  
A cimeira da CPLP, onde a vasta comitiva portuguesa serviu para compensar ausências como as de Dilma e de José Eduardo dos Santos, serviu para adoptar o portanhol como segunda língua oficial da organização, esperando-se agora a adopção do inglês com uma eventual pedido de adesão do Zimbabwe a apresentar por Mugabe. Nessa ocasião a adesão será aprovada por unanimidade para espanto de Cavaco Silva que estava à espera de votar e não teve oportunidade de participar na unanimidade.
  
O terrível juiz Carlos Alexandre deteve Ricardo Salgado parta lhe fazer umas perguntinhas, o caso era tão sério que nem o deixou ir ao campus da justiça pelo seu próprio pé, até porque o Dono Deles Todos tem uma data de passaportes e podia meter-se no seu iate e partir. No fim ficou tudo entre amigo, o magistrado só teria umas dúvidas relativas à declaração do IRS do Banqueiro deixando-o ir para casa a troco de uma caução de um montante eu ao lado do buraco do GES nem chega a ser uma gorjeta.
 
 
blog comments powered by Disqus