quinta-feira, setembro 11, 2014

O Seguro Novo

 photo borboleta_zps817f0575.jpg

Seguro está para a política como o BES está para a banca, se o antigo BES deu lugar a um BES mau e a um BES bom, o político com mais de três décadas de acção também deu lugar a um Seguro mau que morreu e a um Seguro novo que agora concorre às directas que ele inventou. O Seguro mau passou 30 anos à janela do parlamento, o Seguro bom odeia a capital e recolhe-se em Penamacor para decorar as propostas desenvolvidas no âmbito do PS.

Este político do tipo novo, um político higienizado e cujo DNA foi expurgado de todos os defeitos tinha tudo para ganhar as próximas eleições e para que não subsistam dúvidas até fez a demonstração estatística. Escolheu um barómetro do Expresso divulgado uns dias depois das eleições e concluiu que na ocasião os 28% estavam desactualizados, o PS teria apenas 18% e só não era pior graças à generosidade estatística do Pinto Balsemão. Junto os 18% a algumas sondagens criteriosamente seleccionadas e fez um gráfico onde desenhou uma regressão que lhe permite concluir que em 2015 teria a maioria absoluta. Agora ficamos à espera que faça as contas para 2019 teremos de concluir que terminada a próxima legislatura Seguro ganhará com 115%.
  
Mas um político novo também tem humor e sabe responder às gracinhas dos adversários. António Costa que falou de políticos sentados na sexta fila do parlamento não iria ficar sem resposta, o Seguro Novo respondeu-lhe sugerindo que os autarcas ocupam os seus mandatos estando à janela. A piadola foi brilhante, tão brilhante como o são alguns dos seus braços direitos, agora ficamos à espera de ver Seguro na janela do gabinete, ouvindo o cantar dos pavões.

Passando a temas sérios sabemos agora que o Seguro Novo não tem ideias, ele coordena o trabalho de milhares de pessoas e graças a esses milhares de cabeças juntou 80 propostas inovadoras que bem espremidas e a acreditar em António Costa se resumem a seis e meia. O Seguro Novo andou a organizar os novos rumos, onde todo o PS e simpatizantes participarem, para chegar ao fim de três anos e Seguro poder prometer os problemas do país com meia dúzia de novas propostas.
  
Novo Seguro tem ideias de que ninguém se poderia lembrar e que é mesmo uma novidade universal, a aposta nos bens transacionáveis tão defendida  por Cavaco Silva e nas novas tecnologias. Agora ficamos sem saber com que parte do iPhone vamos ficar, se com o desenvolvimento que neste momento é feito na Califórnia, se com a produção que é assegurada em fábricas sem regas da China. Parece que Seguro quer um iPhone tuga desenvolvido em Penamacor e produzido no Barreiro.
  
No segundo debate pudemos perceber que o Seguro Novo também tem novas caretas, se no debate transmitido na TVI Seguro teve muitas caretas do género “hi hi hi”, no debate de ontem o Novo Seguro mostrou que é muito flexível na expressão facial, passou das caretas “hi hi hi” para as caretas “ai ai ai”.

blog comments powered by Disqus