sábado, outubro 20, 2007

Ouves barulhinhos no telemóvel?

Algo está mal quando o Procurador – Geral da República diz que um dos seus telemóveis poderá estar sob escuta porque ouve uns barulhinhos. A simples hipótese de ler uma entrevista do PGR a admitir tal hipótese é arrepiante, significa que todos e qualquer cidadão, culpados, suspeitos ou inocentes, tem que se habituar à ideia de que perdeu o direito à intimidade, um qualquer polícia ou mero funcionário pode estar a escutar as suas conversas.

Parece que esta situação incomoda menos os defensores da democracia do que dois polícias à paisana quererem saberá que horas é a manifestação, mas ,enfim, isso serão contas de outro rosário, um dia destes falaremos da apetência de algumas organizações políticas por colocarem militantes em determinados serviços estratégicos do Estado.

A verdade é que toda a gente sabe que em Portugal se usa e abusa das escutas telefónicas, que uma boa parte da polícia opta pela preguiça, em vez de procurarem as provas ficam tranquilamente a ouvir conversas telefónicas, dá menos trabalho e é mais divertido, sempre se vão ouvindo umas piadas e conversas interessantes. Num mundo de voyerismo os nossos polícias são uns privilegiados, beneficiam de um verdadeiro reality show em que os protagonistas são genuínos, posso ser eu ou qualquer outro cidadão a protagonizar o espectáculo que diverte o polícia voyeur.

Algo tem que ser feito para acabar com isto, há escutas a mais para tão poucos resultados da polícia, a diferença é suficiente para se questionar se as escutas servem mesmo para combater o crime ou para saber a vida privada dos cidadãos.

Vivemos num mundo e num país povoado de medos geridos por gente pequena, seja uma personagem mediavel chamada Bin Laden seja um qualquer senhor Silva que se vinga das suas frustrações à custa da vida alheia.

Em tempos tive um amigo sob escuta, deu-me um gozo imenso obrigar os voyeurs policiais a ouvir as missas dominicais da TVI ou horas de som dos canis porno. Talvez seja tempo de cada cidadão fazer o mesmo, se cada um de nós dedicar o telefone uma hora por semana a este tipo de sons vamos encontrar uma fila de policiazinhos de algibeira à porta o Júlio de Matos.

Aditamento: A um idiota que usou a referência aos canais porno para fazer insinuações devo recordar qu há uns anos todos os que tinham recepção por satélite ou Tv Cabo tinham canais porno cujo som não estava codificado.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Procissão no Bairro do Castelo, Lisboa

IMAGEM DO DIA

[David Gray / Reuters]

«Pasarela monumental. Desfile de moda de Fendi en la Gran Muralla China.» [20 Minutos]

ERRO NO CASTING PUBLICITÁRIO

A MENTIRA DO DIA D'O JUMENTO

O Jumento tentou perceber se é mesmo verdade que as manifestações promovidas pelo PCP ou 0por interposta organização contava com simpatizantes de outros partidos, dando razão a Jerónimo de Sousa que se afirmou que se fosse do PCP este partido teria a maioria absoluta, o que significaria que pela primeira vez a ditadura do proletariado poderia ser designada por democracia do proletariado.

Jerónimo tinha razão, a manif organizada para aparecer na televisão no dia da cimeira europeia era constituída na sua maioria por gente que detesta o PCP. Não se viam os típicos farnéis de azeitonas e pão do Alentejo, ninguém falava com aquela pronúncia típica de Praga que os militantes do PCP herdaram por mimetismo de Álvaro Cunhal, nem se iam jovens com os típicos lenços palestinianos.

Podemos estar descansados, o PCP não vai ter nem a maioria absoluta nem a maioria relativa, vai ter que esperar que o mundo volte aos tempos da evolução industrial para poder sonhar com um golpe de estado feito por uma minoria vanguardista.

JUMENTO DO DIA

Entrevista idiota

Dar entrevistas as jornalistas de televisão com aquela que Sócrates deu à TVI é uma perda de tempo, não vale a pena responder às perguntas de um jornalista que está á espera de respostas unívocas e gosta de tirar conclusões de palavras que ninguém ouviu.

NÃO SIRVAS A QUEM SERVIU, NEM PEÇAS A QUEM PEDIU

Dá-me vontade de rir ouvir Bernardino Soares, o admirador português do regime da Coreia do Norte, dizer que é contra o Tratado porque Portugal perde poder. Dá-me vontade de rir porque me recordo do que foi o Comecon, o modelo de união económica que domina os sonhos de Bernardino Soares, uma união económica onde tudo era decidido na União Soviética.

Parece que os nossos Bernardinos são muito apegados a valores como a independência, a democracia ou a liberdade, mas só porque lhes convém, porque os seus paraísos ficam mais longe de se realizar. Só que têm um azar, o século XX está cheio de exemplos históricos incómodos.

O DOM LUCIANO MUSTAFA

«"É assim o islão", diz a "opinião pública" em Espanha, como em Portugal, com o desdém com que se tratam as religiões minoritárias. Coisas "bárbaras", de "bárbaros" - muito muito diferentes das opiniões de Luciano Guerra, reitor do Santuário de Fátima, sobre a violência doméstica. "Há o indivíduo que bate na mulher todas as semanas e há o indivíduo que dá um soco na mulher de três em três anos (...). Eu, pelo menos, se estivesse na parte da mulher que tivesse um marido que a amava verdadeiramente no resto do tempo, achava que não [era razão para divórcio]. Evidentemente que era um abuso, mas não era um abuso de gravidade suficiente para deixar um homem que a amava." Reveladas à revista NS de 6 de Outubro, estas palavras do prelado não suscitaram até agora qualquer reacção pública nem das associações nem das instituições que no País zelam pela igualdade de género. Nem tão-pouco da hierarquia da confissão na qual Luciano Guerra ocupa lugar de destaque. Passada a inauguração oficial da nova igreja do complexo onde impera, passadas as mil reportagens e as centenas de entrevistas e até alguns comunicados e não havendo notícia de uma linha, uma declaração sobre o assunto, deve poder-se dizer, ao 13.º dia, que a Luciano Guerra foi concedido o dom de dizer alto e em letra de imprensa aquilo que os seus superiores pensam.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Fernanda Câncio não deixou cair no esquecimento as declarações de um bárbaro que é o reitor do Santuário de Fátima.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

UM BALANÇO

«O congresso do PSD em Torres Vedras, o trigésimo terceiro, foi um congresso triste: a sala sempre vazia, poucas palmas, desinteresse geral. Verdade que já estava tudo resolvido e que a oposição não se apresentou. Mesmo assim, nem sequer a gente de Menezes pareceu muito entusiasta. Até o episódio do convite a Manuela Ferreira Leite ficou longe do melodrama habitual. Só o "tabu" do inevitável Santana excitou os jornalistas e fez com que o homem, sem dizer palavra e meio escondido, se tornasse o homem do dia. De resto, a televisão e a imprensa praticamente ignoraram a coisa. Menezes não saiu triunfante de Torres Vedras, como em princípio seria de esperar. Pelo contrário, saiu com arzinho de solidão e fraqueza, que alegrou o PS e consolou a oposição no exílio.

É difícil saber o que isso irá pesar no futuro. Grande parte do que se passou no congresso não tem na prática qualquer importância. A comissão política, por exemplo, uma colecção estrambólica de antiguidades de museu e de parentes do militante anónimo, não vai com certeza garantir a unidade do partido. Mas não vai incomodar ou limitar Menezes, nem impedir que ele faça o que bem entender. O discurso "programático" do encerramento não rimava a bota com a perdigota e não convenceu ninguém com a mais leve necessidade de realismo e lógica. Mas falou convincentemente à execração que o país começa a ter pelo primeiro-ministro. A promessa de poder, em si própria, não vale nada. Mas serve para alimentar a vontade de desforra.

Há ainda o caso de Santana na presidência do grupo parlamentar e a presumível ameaça de uma direcção "bicéfala". Suponho que Menezes preferia, de facto, outra pessoa. Só que é não compreender a natureza do animal, julgar que ele se preocupa muito com o espectáculo de Santana em S. Bento. Precisamente, o que ele quer é espectáculo. Quer um grupo parlamentar que "ataque", que berre, que se veja. A "credibilidade" à Marques Mendes não o interessa. Sócrates nunca perderá a maioria absoluta por causa da "credibilidade" do PSD. Como a maioria de Cavaco não caiu por causa da "credibilidade" de Guterres; caiu porque o país, do Bloco ao CDS, se "levantou" contra ela. Menezes percebeu isto. E pensa em repetir a façanha. Com uma ajudinha da crise mundial.» [Público assinantes]

Parecer:

o congresso do PSD visto por Vasco Pulido Valente.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

O BERNARDINO OPINOU

«Em declarações à rádio TSF, Bernardino Soares declarou que o acordo alcançado “reforça as questões de centralidade de poder nos grandes países europeus, enquanto que Portugal perde representação e poder nas decisões europeias”.» [Correio da Manhã]

Parecer:

O Bernardino tem muito pouca memória

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Registe-se a evolução positiva do Bernardino, já não é contra as centralidades do poder.»

O CAMPEONATO DA SEGUNDA CIRCULAR PARLAMENTAR JÁ ESTÁ AGENDADO

«A estreia de Pedro Santana Lopes num frente-a-frente com José Sócrates está marcada para os dias 6, 7 e 8 de Novembro. Como Luís Filipe Menezes não tem assento na Assembleia da República (teve que renunciar ao mandato, não podia acumular com a Câmara de Gaia), será Santana a enfrentar Sócrates no debate inaugural do Orçamento do Estado, no dia 6.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Santana Lopes está a ser apresentado como o gladiador invencível nos debates, o que não é verdade, perdeu quase todos os confrontos que teve com Sócrates e no próximo ai ter que comparar o OE apresentado por Sócrates com o seu último orçamento, um dos piores da história económica portuguesa.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Ofereça-se um pacote de pensos rápidos a Santana Lopes.»

CHARRUA VOLTA A DAR AULAS

«A Seis meses depois do alegado insulto de Fernando Charrua ao primeiro-ministro, José Sócrates, o professor de 57 anos voltou a dar aulas. Com menos 14 quilos e a fumar cigarrilhas em vez de cigarros, quebrou um interregno de 19 anos em que os alunos não fizeram parte do seu horizonte. Apesar de agora levar trabalho para casa, acredita que está menos sobrecarregado do que na Direcção Regional de Educação do Norte. O horário ocupa-lhe duas manhãs e três tardes. Tem a sexta-feira livre.» [Público assinantes]

Parecer:

Nunca deveria ter deixado de o fazer.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Avise-se o professor Charrua para evitar termos com filho da puta nas suas aulas.»

O NASCIMENTO DE UM GRANDE ICEBERG

«El ciclo natural del hielo antártico provoca cada año la formación de icebergs de diverso tamaño. Pero cada cinco o 10 años, un gran glaciar se desgaja en uno de los fenómenos más espectaculares de la naturaleza. El satélite Envisat, de la Agencia Espacial Europea (ESA, en sus siglas en inglés), ha seguido este proceso en el glaciar Pine Island, del que se acaba de separar un iceberg de 34 kilómetros de largo por 20 kilómetros de ancho.

Las imágenes del Envisat muestran la formación del iceberg desde septiembre de 2006: el glaciar de Pine Island es visible a la derecha de las imágenes y la lengua del glaciar se va moviendo hasta marzo de 2007. Entre abril y mayo, el iceberg ya desgajado se desplaza frente al glaciar; en este mes ya se distingue otro trozo de hielo que se separa de Pine Island. En el mes de octubre, se observa como el nuevo iceberg está completamente formado.» [El Pais]

EUA: NOBEL SUSPENSO POR AFIRMAÇÕES RACISTAS

«La junta directiva del Centro de Estudios Cold Spring Harbor de Nueva York ha suspendido de sus "responsabilidades administrativas" al premio Nobel de Medicina James D. Watson, uno de los descubridores de la estructura del ADN, por unas polémicas declaraciones en las que aseguraba que los blancos son más listos que los negros. Watson, biólogo molecular, dirige la Escuela de Ciencias Biológicas de ese laboratorio.

El Nobel de Medicina, de 79 años, declaró en una entrevista publicada por el periódico británico The Sunday Times el pasado domingo que es "inherentemente pesimista acerca de las perspectivas de África". "Todas nuestras políticas sociales se sustentan en el hecho de que su inteligencia (la de los africanos) es la misma que la nuestra, cuando todas las pruebas dicen que eso no es así realmente", afirmó Watson.» [El Pais]

O JUMENTO NOS OUTROS BLOGUES

  1. O "Porque Posso" nomeou O Jumento para "Blogue 5 Estrelas". Obrigadinho.

FREE RICE

por cada palavra que escrever serão dados 10 grãos de arroz a título de ajuda alimentar.

CSABA MÉSZÁROS

Uma imagem para a minha amiga Blogotinha.

JULIA ZABELINA

DIANA AUGUST

SERGEI PROKOSHIN

CÃO VERSUS GATO

MASP MUSEUM

[2][3][4][5][6]

Advertising Agency: MPM Propaganda, Sao Paulo, Brazil
Creative Directors: Aaron Sutton, Jorge Iervolino
Art Director: Guilherme Somensato
Copywriter: José Arnaldo Suaid
Photographer: Leonardo Luz

CARACOL RADIO

[2][3]

Advertising Agency: Ade, Bogota, Colombia
Creative Director: Nacho Martinez
Art Director / Copywriter: Leonardo SilvaI
llustrator: Naranja

HOSPITAL ALEMÁN

[2][3]

Advertising Agency: Saatchi & Saatchi, Argentin
aExecutive Creative Directors: Mariano Serkin, Maxi Itzkoff
Head of Art: Pablo Romanos
Creative Directors: Jorge Ponce Betti, Gabriel Huici
Art Director: Gabriel Huici
Copywriter: Jorge Ponce Betti
Account Director: Paula Gambardella
Account supervisor: Valeria Magrini
Producer at the agency: Luli Dragan
Ilutrator: Pablo Tuffaro
Digital Retouching: Pablo Romanos

sexta-feira, outubro 19, 2007

Millennium BCP: um banco ou um gang financeiro?




Sei que pareço um ladrão...
mas há muitos que eu conheço
que, sem parecer o que são,
são aquilo que eu pareço.

António Aleixo

As últimas notícias vindas de dentro do Millennium estão a dar uma imagem do Millennium que nada corresponde aos bons princípios tão propalados pela Obra de Deus. Onde se esperava o desprendimento encontramos a ganância, onde se deveria dar exemplo de humildade encontramos uma feira de vaidades, onde seria de exigir a honestidade assistimos à vigarice. O Millennium nem cumpre as leis da República nem os Dez Mandamentos, mais de uma "Obra de Deus" começa a parecer obra do diabo.

É evidente que o assunto vai ser abafado em nome da estabilidade do sistema financeiro, "A Bem da Nação" a primeira instituição financeira privada não pode tremer. Terá sido "A Bem da Nação" que o Procurador-Geral recebeu o então presidente do Millennium que lhe foi dar as boas-vindas do banco suspeito de envolvimento na Operação Furacão, será "A Bem da Nação" que o ministro das Finanças recebe discretamente Jardim Gonçalves no seu gabinete, é também "A Bem da Nação" que o Banco de Portugal e a CNVM tratam o assunto com pinças de veludo.

O que se passou no BCP é grave a todos os títulos. É grave porque a maioria dos accionistas é prejudicada para se fazerem favores a amigos, familiares, afilhados e accionistas apoiantes de Jardim Gonçalves. É grave porque põe em causa a confiança dos investidores da Bolsa. É grave porque as trafulhices acabam por ser pagas parcialmente pelo Estado já que os prejuízos são deduzidos da matéria colectável, isto é, os pobres vão ter que pagar mais impostos para compensar as artimanhas de Jardim Gonçalves. Seria interessante saber se a DGCI já desencadeou algum inspecção às empresas de Francisco Gonçalves já que o perdão da dívida é um benefício que deve ser tributado.

Mas perante comportamentos tão duvidosos as dúvidas quanto à actuação do Millennium noutros domínios são legítimas. Que leis desrespeita o Millennium? Que valores democráticos viola? A que práticas menos legais recorre? Este não é um caso isolado, basta recordar que o Millennium é suspeito de envolvimento na Operação Furacão.

Quais as relações do banco com o fisco? Quais as relações do banco com os políticos? Sabemos que o Millennium tem uma grande influência sobre o fisco, o responsável pelo seu contencioso fiscal tem mais poder no fisco do que uma boa parte dos directores-gerais que por lá passaram. Não são poucos os políticos que gostariam de terminar a sua carreira no banco e alguns deles conseguiram-no.

Ainda há algum tempo o Correio da Manhã dava conta de altos funcionários da DGCI que recebiam elevados montantes de algumas instituições financeiras. Será que estava em causa o Millennium? E quem serão os funcionários, serão altos quadros da Rua da Prata ou funcionários honestos que dão aulas numa universidade do Porto como alguém imaginou e mandou averiguar? Terá o Millennium beneficiado de favores fiscais para além do que está na lei? As provas dissos estão nos jornais, há o famoso caso do carroucel do IVA, para não referir outras operações em que o nome do banco foi poupado pelos jornais.

O caso Millennium é demasiado grave para ser abado em nome do interesse da Nação, não é aceitável que a liderança de um grande banco se comporte desta forma pois quem viola um princípio viola todos os outros. Se assim for não é só o interesse dos accionistas que está em causa, é a própria democracia pois o dinheiro do banco pode servir para comprar políticos, jornais, opinion makers.


Quem não respeita os seus próprios accionistas não respeita ninguém, quem não respeita as regras do sistema financeiro não respeita nenhumas outras regras.

No fim deste processo, Portugal tem que ficar a saber se o Millennium é um banco ou se é um gang financeiro. Tem de se assegurar que o seu poder financeiro não é usado para fins ilegítimos ou com objectivos que ultrapassem os admissíveis a uma instituição financeira.

Umas no cravo e outras na ferradura

FOTO JUMENTO

Barco rabelo, Porto

IMAGEM DO DIA

[Chip Somodevilla - Getty Images]

«The Dalai Lama holds up his Congressional Gold Medal after being presented the award by House Speaker Nancy Pelosi (D-Calif.), Sen. Robert Byrd (D-W.Va.) and President Bush in the Capitol Rotunda.» [Washington Post]

PS: Quando o Dalai Lama não foi recebido pelo overno foram muitos os que protestaram, quando foi recebido pela Chanceler muitos dos que criticaram Sócrates elogiaram a líderd alemã. Agora que foi recebido por Bush de quem recebeu a medalha de ouro do Congresso dos EUA, contra as pressões e chantagem da China, fez-se silêncio. Enfim, o cinismo hipócrita não é um exclusivo do governo.

ERRO NO CASTING PUBLICITÁRIO

JUMENTO DO DIA

Santana foi eleito pelos seus

Santana Lopes encerrou a primeira fase da sua "vingança" ao ser eleito líder parlamentar do PSD, o que não foi difícil pois a maioria dos deputados foi escolhida por si, o que talvez explique porquê o grupo parlamentar é tão fraquinho. Agora já pode assumir a liderança do PSD em part-time, depois alguém vai concluir que os votos no PSD são em Santana e não em Menezes.

PORQUE SE LEMBROU MENEZES DA CONSTITUIÇÃO?

Menezes sabia muito bem que estaria a mentir se defendesse que os problemas económicos do país são um problema constitucional, como o veio a fazer. Sabe igualmente que não é ao grupo parlamentar de um partido minoriário e ainda por cima com poucos deputados qualificados na matéria que cabe a elaboração de um projecto de Constituição. Então porque razão Menezes foi por esse caminho?

A resposta é simples, Luís Filipe Menezes acha que Cavaco Silva gosta de bombons e como não tinha nenhum para lhe dar achou que o Presidente da República gostaria de ter mais poderes. Cavaco está eleito e não precisou da ajuda de Menezes, dá-se bem com Sócrates e nunca mostrou simpatia por Menezes, restava ao líder do PSD acenar a Cavaco Silva com poderes acrescidos.

O discurso de Menezes foi uma tentativa de comprar tudo e todos, os pobres com fartura orçamental, os riscos com descidas de impostos, as empresas com a privatização dos serviços mais lucrativos do Estado, o lóbi do cimento com um pacto para as obras públicas. Mas Menezes tinha um problema, não pode comprar tudo e todos sem ser primeiro-ministro e para o conseguir ser a ajuda de Cavaco seria preciosa, portanto, achou que tinha de adoçar a boca ao Presidente da República.

As propostas constitucionais de Menezes não passam de uma tentativa infantil de conquistar Cavaco Silva. Menezes não percebeu que Cavaco terá mais hipóteses de ficar na história sendo um bom presidente com os poderes que tem e partilhando o poder com o PS do que ser um presidente autoritário com a dupla Menezes/Santana a governar o país.

Por mais que Cavaco Silva goste de doces vai responder a este como se fosse diabético.

USAR SILICONE PARA "PICAR O PONTO"?

Vi nas televisões um responsável de um hospital do Porto gozar com o sistema de controlo de assiduidade porque em vez de colocar o dedo pode ser usado um dedo de silicone. Achei que o médico não se apercebeu da figura triste que estava fazendo.

É evidente que o sistema pode ser falseado, como qualquer outro sistema, o recurso à impressão digital como a generalidade dos outros não é infalível. Mas parece que o "doutor" não sabe que usar uma falsificação constitui uma infracção disciplinar greve, equivale, pelo menos, a uma falsa declaração. Dizer que tinha encomendado um dedo de silicone é a mesma coisa que dizer que tinha adquirido uma gazua para abrir fechadura.

Enfim, uma figura triste.

DUAS MANEIRAS DE FALAR DA CONSTITUIÇÃO

«O apelo de Menezes à transição constitucional é mais complicado. A verdade é que o recém-eleito líder do PSD escolheu o pior caminho: responsabilizou a Constituição pela estagnação e ingovernabilidade do País. Trata-se de outra falácia, esta de pensar que os nossos problemas residem na Constituição. Não que a Constituição seja insusceptível de críticas sérias. A glorificação da Constituição de 1976 padece dos mesmos defeitos que o seu ataque destemperado. E renovar alguns dos nossos pretensos consensos constitucionais não seria necessariamente um erro. Em 2000 a Finlândia aprovou uma nova Constituição: um dia também nós faremos o mesmo. Mas uma coisa é um discurso crítico e informado da actual Constituição que tenha os pés bem assentes na terra; outra é provocar uma querela constitucional em Portugal, imputando à Constituição uma função e uma responsabilidade que continuam a caber aos políticos. Menezes falou mas não percebeu a diferença.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Pedro Lomba é mais um dos que acham que Menezes se "estendeu" ao falar da Constituição.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

REFLEXÕES NO CASO "ESMERALDA

«No passado dia 1 de Outubro assisti com revolta e espanto ao programa Prós e Contras da RTP1, onde foi debatido o denominado "caso Esmeralda". Presenciei aquilo que considero ter sido o cúmulo da completa descredibilização da prática psicológica em Portugal. Apesar de existirem outros episódios anteriores menos felizes (como em muitas áreas profissionais), os princípios de apoio e ajuda profissional posterior aos acontecimentos vão, felizmente, imperando. Mas julgo que, dado o carácter da situação, nesse programa e nesse momento se foi demasiado longe.

Independentemente dos pontos de vista que os cidadãos possam ter sobre o assunto em questão, é inadmissível que profissionais de psicologia tenham o desplante de assumir a postura de comentadores públicos sem aparentemente terem lido sequer o Acórdão do Tribunal da Relação (http://www.trc.pt/esmeralda.pdf ). Mais: um dos psicólogos ali presentes, a coberto de uma suposta autoridade moral e técnica, não teve o comportamento ético exigível de explicitar aos telespectadores a existência de eventuais conflitos de interesse, na medida em que tinha emitido um parecer e que até foi ouvido como testemunha, arrolado pelo casal que tem tido a guarda de facto da criança. O resultado foi o que se viu: uma lição do juiz ali presente sobre o que é a ética e deontologia da prática profissional, realçando o chorrilho de enganos e de confusões que os psicólogos ali iam desbobinando. Comportamento bastante diferente tiveram outras classes profissionais presentes no referido programa de televisão, na forma e no género de apresentação das suas diferentes opiniões técnicas.

Aliás, foram muito interessantes os dados técnicos e teóricos formulados pela pedopsiquiatria e, igualmente, a chamada de atenção da médica pediatra do Hospital Garcia de Orta em relação ao reduzido período de transição estabelecido pelo tribunal. Porque é mais do que óbvio para todos, profissionais de saúde mental ou não, que o mais importante é o equilíbrio emocional desta criança.

Mas quem lida ou lidou de perto com casos semelhantes a este (porque este não é o único) sabe perfeitamente do ambiente de manipulação que pode envolver uma criança nestas condições. Principalmente sabe que, nestas situações, não existem "lobos maus" nem "lobos bons". E sabe, infelizmente, que qualquer decisão numa situação desta natureza tenderá a não ser branca nem preta e terá, com grande probabilidade, de ser cinzenta.

Na minha modesta opinião, entre outras ponderações, o caso em discussão (como o também designado caso McCann) merece uma reflexão muito séria em relação à prática psicológica em Portugal e em relação à responsabilidade social que os profissionais de psicologia assumem publicamente. Isso também é Humanismo. Embora pense que depois da leitura integral do acórdão judicial talvez algumas opiniões se alterem ou atenuem, gostaria de voltar a frisar que as críticas presentes neste texto não se prendem com os diferentes pontos de vista que as pessoas possam ter sobre o assunto em questão como profissionais de psicologia ou como comuns cidadãos. Muito menos com a legitimidade de alguns pareceres técnicos. Eventualmente todos farão sentido.

A questão final parece ser a do costume: para quando uma associação profissional da área da psicologia que adicione rigor a todo este processo?» [Público assinantes]

Parecer:

Ainda que escrito com algum atraso vale a pena ler as críticas de Ricardo G. Barroso, psicólogo e docente universitário, a algumas posições assumidas no programa Prós e Contras dedicado ao caso Esmeralda.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Afixe-se.»

EXTREMA-DIREITA FAZ "PASSEIO PELA LIBERDADE"

«O Partido Nacional Renovador (PNR) vai promover no próximo sábado um “Passeio pela Liberdade”, uma acção que tem como objectivo sensibilizar a “opinião pública para uma perseguição política aos nacionalistas que se verifica em Portugal”.» [Correio da Manhã]

Parecer:

Não deixa de ser curioso que sejam as organizações políticas portuguesas cujos projectos políticos pressupõem o fim da liberdade que mais se manifestem em defesa da liberdade.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Deixem-nos ir dar uma volta.»

ORDEM VAI TER DE MUDAR O CÓDIGO DEONTOLÓGICO

«O conselho consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) considera que o código deontológico dos médicos viola a lei, no que diz respeito à prática de aborto e à sua sanção disciplinar, e deve ser alterado. O pedido de parecer foi feito pelo Ministério da Saúde em Maio e a resposta já foi comunicada à Ordem dos Médicos (OM).» [Diário de Notícias]

Parecer:

Começa a ser tempo de questionar os poderes da Ordem pois o seu uso e abuso contribui mais para a desordem do que a ordem no sector da saúde.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Reduzam-se os poderes à Ordem dos Médicos.»

EX-MINISTRA FALA MAL DO MINISTRO DA SAÚDE

«A ex-ministra da Saúde do segundo Governo de Guterres Manuela Arcanjo, considerou ontem "populista" a medida governamental que impõe o sistema biométrico (leitura da impressão digital) para controlo de assiduidade e pontualidade, que está a ser implementada nos hospitais públicos. » [Diário de Notícias]

Parecer:

Não é a primeira vez que Manuela Arcanjo ganha notoriedade falando mal de um ministro que a sucedeu, aliás, desde o que sucedeu com Sousa Franco, que esta ex- secretária de Estado que não ia ao Conselho Europeu do Orçamento porque tinha medo de andar de avião, usa esta estratégia. Neste caso a situação é evidente, uma das piores ministras do sector da saúde fala mal de um dos melhores ministros, o que não é nada de novo, já tinha sucedido o mesmo com Maria Jesus Belém.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Esqueça-se a senhora.»

A CORRENTE DE AR CHEGA ÀS EDITORAS

«A Texto Editores, de Paes do Amaral, ex-patrão da TVI, e a Porto Editora, ambas vocacionadas para o mercado do livros escolares, são os dois mais recentes alvos da Operação Furacão, que investiga empresas e instituições bancárias envolvidas em alegados esquemas de fuga ao impostos. Ao que o DN apurou, o Ministério Público (MP) pretende apurar a alegada transferência de cerca de 25 milhões de euros para sociedades off shore, sediadas em paraísos fiscais, através do sistema de facturas falsas, estando ambas as editoras indiciadas neste esquema de colocação de dinheiro no exterior ao arrepio da máquina fiscal.» [Diário de Notícias]

Parecer:

Digamos que as editoras mandaram papel para as off shore.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investiguem-se os outros negócios dos patrões das duas editoras.»

TIRO E QUEDA

«Pedro Santana Lopes foi hoje eleito presidente do grupo parlamentar do PSD com 53 votos a favor, 11 contra, 8 votos em branco e 3 nulos. De acordo com uma nota do gabinete de imprensa, na eleição "votaram os 75 deputados" sociais-democratas. » [Jornal de Notícias]

Parecer:

"Prontsh", o Santana já está eleito.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelo espectáculo.»

SANTANA NÃO VAI LIDERAR MARQUES MENDES

«O ex-líder do PSD, Luís Marques Mendes, entregou hoje no Parlamento a renúncia ao cargo de deputado, tal como tinha prometido na sequência da derrota nas eleições directas para a liderança social-democrata. Marques Mendes, que tinha sido eleito pelo círculo de Aveiro, será substituído por André Almeida Ribeiro. » [Jornal de Notícias]

Parecer:

Não deixa de ser simbólico o facto de Marques Mendes renunciar ao mandato no dia em que Santana é eleito líder da bancada parlamentar.

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Registe-se o gesto.»

ESCRITORA IRLANDESA CRITICA OS McCANN

«A escritora irlandesa Anne Enright, ganhadora do Booker Prize deste ano, o prêmio literário mais conceituado da Grã-Bretanha, fez duras críticas aos pais da menina Madeleine McCann.

No ensaio Diário: Desgostando dos McCann, publicado na revista London Review of Books, dias antes da entrega do prêmio, na última terça-feira, a escritora detalhou por que não gosta de Kate e Gerry.» [BBC Brasil]

DIVÓRCIO NA PRESIDÊNCIA FRANCESA

«Nicolas y Cécilia Sarkozy, que formaron durante años una mediática pareja de poder, han oficializado hoy su ruptura, poniendo fin a un falso suspense que era la comidilla del mundo periodístico y político desde hacía unas semanas. Después de anunciar a primera hora de esta tarde, en un comunicado de quince palabras, la separación del matrimonio presidencial tras once años de matrimonio, el Elíseo puntualizaba apenas tres horas después que los dos "se han divorciado por consentimiento mutuo". Sarkozy, que llegó al Elíseo el pasado 16 de mayo, es el primer presidente francés que se separa y divorcia durante su mandato.» [El Pais]

NOVAS PROVAS DE TORTURA NO IRAQUE

«El Ministerio británico de Defensa va a verse sometido a fuertes presiones para que ponga en marcha una investigación independiente en torno a las acusaciones presentadas por un grupo de abogados en relación a los supuestos abusos y mutilaciones a ciudadanos iraquíes, de manos de soldados británicos.» [El Pais]

FANATISMO FISCAL?

Ao mesmo tempo que se elogia a melhoria da eficácia do fisco multiplicam-se as acusações de fanatismo fiscal, argumento usado agora (com algum oportunismo) por Paulo Portas para justificar o voto contra a proposta de Orçamento de Estado. O argumento tem vindo a ser usado desde há algum tempo por fiscalistas como Pinto Leite. Mas o que será o tal fanatismo fiscal?

Que se saiba as taxas dos impostos sobre o rendimento não aumentaram e os mecanismos usados pelo fisco são os que estão na lei, não tendo sido ultrapassados os limites nela prevista. Portanto, aquilo a que alguns chamam fanatismo não passa da cobrança dos impostos nos termos da lei. Sucede que dantes era o cidadão comum que pagava impostos, os mais ricos, os que contam com influência nos partidos e contratam os serviços dos fiscalistas mais conhecidos eram os grande beneficiários da ineficácia da administração fiscal. Agora que são tratados em igualdade com todos os cidadãos, os senhores que se esqueciam sistematicamente de cumprir com as suas obrigações de cidadania queixam-se de fanatismo fiscal.

E Paulo Portas, só Deus sabe porquê, dá-lhes voz no Parlamento.

A GUERRA NA BLOGOSFERA

É rara a família portuguesa que não passou pela guerra, no meu caso estiveram por lá dois tios, um numa companhia de caçadores nos primeiros tempos da guerra em Angola e outro numa companhia de fuzileiros na Guiné. A minha geração escapou por um triz, o meu irmão mais velho estava na Escola Naval e no 25 de Abril passou pela Pide.

Seria interessante que a blogosfera se tornasse num espaço de testemunho e de divulgação do imenso espólio fotográfico que está esquecido nos arquivos familiares. Esse espólio não só é importante para ilustrar a nossa história recente como constitui uma imensa riqueza etnográfica já que quem passou por África não se limitou a fotografar a guerra.

O "Memórias Futuras" deu o exemplo:

«Cheguei ao Úcua a 11 de Novembro de 1962 integrado no Batalhão de Caçadores 381, meses depois do massacre pelos guerrilheiros da UPA dos civis que ali viviam e trabalhavam e da vingança dos brancos que, posteriormente, fuzilaram os negros que drogados avançavam em direcção às balas das metralhadoras montadas sobre os jipes gritando, meio enlouquecidos, que “as balas dos brancos eram “maza” (agua).

Uma loucura, uma autêntica loucura a que muitos não resistiram e acabaram por engrossar os espaços do Hospital Psiquiátrico de Luanda e hoje, alguns deles, já quase uma vida passada, continuam a sofrer os seus efeitos.

A esta distância tudo é estranho e esquisito e a palavra que mais me ocorre é: lamentável.
Meses antes do massacre dos colonos brancos no norte de Angola a 15 de Março de 1961, tinha estado de visita a Angola integrado numa viagem de fim de curso do ICSPU chefiada pelo Prof. Hermano Saraiva.

Na região dos Dembos fomos recebidos pelos fazendeiros com a hospitalidade própria das gentes do norte de Portugal que, na ignorância do que lhes iria acontecer pouco tempo mais tarde, ouviram, encantados, os discursos inflamados de patriotismo do Prof. Saraiva.»

NO "TOMAR PARTIDO"

Gostei deste comentário:

«Finalmente concordo com Cavaco Silva: ambos nos envergonhamos com os números da pobreza. Mas temos uma diferença: só ele foi Primeiro-Ministro durante dez anos.»

A FALSIFICAÇÃO DAS ESTAÇÕES DE SERVIÇO CHEGOU À RÚSSIA [Link]

AIRBUS A-380 [imagens]

MINON

PERRY MANUK

NILGÜN KARA

SVETLANA

ACIDENTE ENTRE CARROS DE POLÍCIA NA RÚSSIA

A imagem original:

A reacção dos bloggers:

WEBCARGO

BUFALO

[2]

Advertising Agency: Memac Ogilvy Label Tunisia
Creative Director: Nicolas Courant
Art Director: Wilfrid Guérin
Copywriter: Thomas Thelliez
Photographer: Kamel Agrebi, photothèque

AXE

[2][3]

Art Director: David Aronson, Thomas Kuhn
Advertising School: Miami Ad School Europe