sexta-feira, janeiro 23, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Alfama_zps6358cebc.jpg

Alfama, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Pires de Lima, o cómico da Horta Seca

Pires de Lima não partilha da ortodoxia de Passos Coelho e Maria Luís em relação à intervenção do BCE ou está apenas a querer apanhar a boleia do combate à deflação?

«O ministro da Economia, António Pires de Lima, não tem dúvidas que o Banco Central Europeu irá apresentar um plano de expansão monetária esta quinta-feira e considera esta uma “decisão muito positiva” que mostra que “Mario Draghi está a fazer o que é necessário para escapar à deflação“. Ainda assim, o governante defende, em Davos, que os estímulos monetários não devem interromper o trabalho reformista na Europa, que “Portugal já fez e continua a fazer“.

“Vejo o anúncio deste plano de expansão monetária como uma decisão muito positiva por parte do BCE e acredito que Mario Draghi está a fazer o que é necessário para escapar à deflação”, diz António Pires de Lima, entrevistado pela televisão norte-americana CNBC à margem do Fórum Económico Mundial, em Davos, Suíça. “No que diz respeito ao crescimento, independentemente destas medidas de expansão monetária, temos de continuar com a agenda de reformas porque a Europa, se quiser competir com os EUA e a Ásia, tem de promover as reformas que nós, os portugueses, fizemos e continuamos a fazer”, asseverou o ministro da Economia.

Pires de Lima considera que “Mario Draghi tem feito um trabalho muito importante na Europa, não só há dois ou três anos quando teve um papel crucial para proteger o euro de todas as ameaças que existiam há três ou quatro anos”. Agora, o BCE está a combater “um risco importante na zona euro, que é a deflação“.» [Observador]


 As coisas com que o BPI se preocupa
   
«O BPI enviou uma mensagem aos seus clientes onde se demonstra preocupado com a instabilidade política e a possibilidade de eleição do Syriza, um partido que considera antieuropeu.

A mensagem enviada por email, denunciada pelo Bloco de Esquerda e a que o Observador teve acesso, diz que a convocação de eleições antecipadas “não só compromete os avanços económicos que o país realizou em 2014 como também ressuscitou o espetro da vitória de um partido antieuropeísta”, numa altura em que o Syriza continua com vantagem nas sondagens.» [Observador]
   
Parecer:

Enfim, a democracia é uma grande chatice.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 O advogado amigo da acusação
   
«Ricardo Marques, advogado de João Perna, criticou esta quinta-feira as declarações de algumas personalidades à porta do Estabelecimento Prisional de Évora que defenderam que a prisão preventiva de José Sócrates era uma perseguição política.

“Alguns políticos teceram comentários que me pareceram excessivos. O Tribunal não prende por questões políticas, o tribunal prende quando, na perspetiva dele, tem indícios de práticas de crime. As pessoas quando falam disso [perseguição política] não sabem o que consta no processo”, afirmou o advogado, em declarações aos jornalistas.

Mário Soares tem sido um dos principais defensores da teoria de que a detenção e prisão preventiva do ex-primeiro-ministro é um caso de perseguição política. A 26 de novembro de 2014, na primeira visita que fez à cadeia de Évora, o fundador do Partido Socialista afirmou aos jornalistas que a operação Marquês “não é outra coisa que não seja um caso político”, acrescentado, ainda, que “todo o PS está contra esta bandalheira”.» [Observador]
   
Parecer:

Porque será que este advogado me traz à memória o advogado do Bibi? O homem fala como se fosse um porta-voz da acusação.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Investigações estão servindo para atacar o PS
   
«José Sócrates manteve-se sempre a par do que se passava dentro do Partido Socialista, mesmo durante o período em que esteve em França, conforme referiu o jornal i. José Almeida Ribeiro, antigo secretário de Estado adjunto de Sócrates e antigo conselheiro político de António José Seguro, foi apanhado nas escutas ao ex-primeiro-ministro, no âmbito da Operação Marquês, a reportar quase diariamente o que se passava no partido.

O teor preciso dessas escutas não é, porém, revelado pelo jornal.

A carreira de Almeida Ribeiro foi alternando entre os serviços secretos e a política. Mas surpreendeu sobretudo quando aceitou ser conselheiro de António José Seguro, rival de Sócrates no PS, enquanto no tempo em que Seguro liderou o partido.» [Observador]
   
Parecer:

Vamos ver até onde irá esta gente.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Mais uma vítima dos métodos do MP
   
«Ex-presidente da Câmara de Matosinhos estava acusado de desviar dinheiro e simular roubo de um 'smartphone', além dos crimes de abuso de confiança, peculato e participação económico em negócio.

O ex-presidente da Câmara de Matosinhos Narciso Miranda foi hoje ilibado de desviar dinheiro de uma associação mutualista que liderou e de simular o roubo de um `smartphone".

O ex-autarca estava ainda acusado, enquanto presidente do conselho de administração da Associação de Socorros Mútuos de S. Mamede Infesta (ASMSMI), em Matosinhos, dos crimes de abuso de confiança, peculato e participação económica em negócio de que também foi absolvido.» [DN]
   
Parecer:

Aos poucos o MP vai denegrindo os políticos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mande-se a factura ao magistrado do MP que conduziu a acusação e pergunte-se à procurdora-geral se desta vez não festejou a sentença.»
  
 António Costa fala das urgências
   
«O secretário-geral do PS, António Costa, afirmou hoje à agência Lusa que a "situação de caos" nas urgências médicas constitui a prova de que o PSD rompeu o "consenso nacional", colocando-se como um adversário do Estado social.

Esta posição foi hoje assumida pelo líder socialista, depois de o presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, ter afirmado na quarta-feira à noite que "acabou com o mito de que apenas certos setores políticos conseguem dar expressão à preocupação com o Estado social, que estava em rutura há três anos e meio, mas que está hoje fortalecido, com menos dívidas, seja na saúde, na área social e, ao mesmo tempo, com mais vitalidade, mais rigor e mais exigência do que existia".» [DN]
   
Parecer:

Mas faz de conta que o Paulo Macedo nem existe.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao Opus MAcedo como conseguiu tanta protecção por parte do PS.»
  
 Grande Opus Macedo
   
«m jovem que sofre de cancro há uma década perdeu recentemente a isenção total de pagamento de taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde (SNS) porque os juros do dinheiro angariado em campanhas de solidariedade para tratamentos no estrangeiro entraram no cálculo de rendimentos do seu agregado familiar. Para voltar a ter direito a isenção em todos os serviços de saúde públicos, exigem-lhe agora que se apresente a uma junta médica e pague 50 euros, queixa-se a mãe, Glória Calisto, que denunciou a história por se sentir “revoltada” com a situação.

“Não é justo”, defende Glória, que tem tentado por vários meios obter ajudas financeiras para aliviar o sofrimento do filho, João Pedro Calisto, doente com leucemia linfoblástica aguda desde os sete anos.  Hoje com 17 anos, João já experimentou  sucessivos tratamentos, nomeadamente um transplante de medula óssea, sem sucesso, e tem feito quimioterapia no SNS, mas a mãe quis tentar outro tipo de terapias que não são pagas pelo serviço público e, para isso, organizou várias iniciativas para recolha de fundos.» [Público.]
   
Parecer:

Uma vergonha.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Proteste-se.»

   
   
 photo Ivan-Dementievskiy-5_zps578103f8.jpg

 photo Ivan-Dementievskiy-4_zps139cd045.jpg

 photo Ivan-Dementievskiy-2_zps3a10a7fd.jpg

 photo Ivan-Dementievskiy-1_zps46b41318.jpg

 photo Ivan-Dementievskiy-3_zpsc80076f3.jpg
  
blog comments powered by Disqus