sexta-feira, junho 27, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo Portimao_zps123ea882.jpg
     
Portimão
  
 Jumento do dia
    
Paulo Bento

Compreende-se que não tinha equipa para chegar ao título mundial, mas nos três jogos ficou evidente que não só tudo correu mal à selecção como também tudo foi mal preparado e conduzido, um caso de incompetência colectiva. Em Itália o presidente da federação e o seleccionador demitiram-se, cá o presidente da Federação tem uma pose de Presidente da República e o treinador não assume as responsabilidades e as consequências do que fez.
 
 Mundial de futebol

Também na bola não somos como os gregos. Mas, enfim, quem escolheu Passos Coelho não se pode queixar da escolha de Paulo Bento, um tem contrato para dois anos, o outro diz que não parte antes do fim do contrato e ainda vaui tentar assinar um segundo.
 
 Numa farmácia perto de si

Quer Aspirinas ou uma ficha para votar no Seguro?
 
 A Aspirina Tozé à venda nas farmácias

 photo aspirina_zps2668ff78.jpg
 
      
 Qual CR7, temos é de jogar pelo Seguro!
   
«Isto já não vai lá com táticas nem é sobre a relva que pode vir o milagre. Não é dentro das oito linhas que cercam o jogo de hoje, Portugal-Gana-Alemanha-EUA, que se resolve o assunto. É na secretaria. A hora não é de fintar ou chutar, é de ajeitar os resultados. Qual CR7, temos é de jogar pelo Seguro! Os outros que tentem resolver a coisa em 90 minutos, nós é mais impugnações. Por exemplo, que fez a FPF sobre o avião de dinheiro que se não chega ao Brasil levará os jogadores do Gana a não jogar? Seguro já teria contactado aquele diretor (parente de um amigo da Distrital de Aveiro) da Agência de Aviação Civil brasileira e o avião era mandado para trás. Com falta de comparência dos ganeses e o resultado de 3-0 a nosso favor, haveria ainda a tratar da ampla vitória alemã sobre os americanos. O delicado Seguro já teria enviado um gentil cesto de dióspiros ao ministro alemão Schäuble. Depois, o Seguro amável debruçava-se sobre aquela vírgula nos estatutos (ele conhece-os todos, da federação socialista do Porto ou da FIFA). De certeza que é possível uma interpretação que impeça a amizade dos treinadores alemão Löw e americano Klinsmann. E se não houver vírgula, há sempre o trema do Löw. O que importa é que o destino do Grupo G ficaria adiado só lá para setembro. E, bem ajeitadinha, a final do Mundial ia coincidir com o calor do Carnaval do Rio. Ninguém a queria, exceto o Portugal do Seguro afetuoso. Campeão, pois. Parabéns à prima.» [DN]
   
Autor:
 
Ferreira Fernandes.
      
 Seguro e Bento no país dos "não me demito"
   
«1Paulo Bento corre o risco de ser um herói nacional. Porque não se demite. Porque a responsabilidade é toda dele. Porque é um homem que dá o peito às balas... É igualzinho a António José Seguro que depois de andar a ganhar os jogos todos por meio a zero também ficou cheio de coragem e vontade. Não interessa que, em concreto, a seleção tenha os jogadores errados ou que haja tabus sobre jogadores que ficaram em casa e não faziam parte do "grupo" do líder. Bento andou quase sempre a ganhar aflitinho mas lá ficou sempre de pedra e cal. Lembram-se do golo de Bruno Alves, na Albânia, há quase três anos, de cabeça, no último minuto, que evitou a derrota e nos deu hipótese de irmos ao play-off do Europeu? Esteve sempre tudo preso por arames. Mas ele lá foi andando, muito com a ajuda de Ronaldo - ter um dos melhores jogadores do Mundo ajuda qualquer treinador. Foi o que se viu na Suécia em novembro quando nos salvamos no play-off e ganhamos passaporte para o Brasil. Só que agora não dá mais. É demasiado evidente. E no entanto, não interessa... Bento diz-se culpado, sozinho, e está resolvido. À espera que no final se discuta apenas o superficial - como se a discussão fosse a coisa em si, mais do que a competência, o perfil, os títulos ganhos no passado que justifiquem o lugar. Não se demite? Porquê?

2Os que têm de dizer muitas vezes que não se demitem já têm os pés a fugirem-lhe do chão há muito tempo. Seguro engendrou a maior confusão política alguma vez vista num partido: para quê? Para demonstrar que é um tipo que não se fica, que sabe o que quer. Um líder. Mas desde quando a teimosia ou o estilo "forcado da Moita" qualifica alguém? Olhe-se bem para o PS. De um lado está Costa, que sabe não poder rachar Seguro de cima a baixo porque estaria a destruir o próprio PS. Do outro lado está um miúdo que resolveu levar o partido com ele para o abismo - quer ganhe quer perca. O que fazer com gente que se agarra aos lugares como se fossem seus, só porque "colaram cartazes" ou tomaram conta da loja numa altura difícil?

3Enquanto isso Portugal muda. Passos prepara um aumento de imposto novo para fazer face ao Tribunal Constitucional e para a opinião pública, qualquer dia, até parece um homem sensato que só quer o melhor para nós. O primeiro-ministro tem de nos dar mais umas palmadas? É para nosso bem. A certa altura já nem sabemos distinguir entre meter as crianças na ordem ou maus-tratos. Quem diria que Passos Coelho, um político sem qualquer experiência executiva ou empresarial de nível médio, se poderia tornar no "Homem do Leme"!... Ele está a tomar conta do país sozinho! Seguro quer ir brincar às eleições internas do PS; Portas, se pudesse, ia para Comissário Europeu ou saía já; e Costa quer mas não pode. O povo só tem Passos...

4Que Passos não se demite, é claro. Nunca pensou em tal. Ou melhor, especulou-se, por alturas da TSU, que até ele teria um lado humano e andaria deprimido. Meio milhão nas ruas era algo de novo, realmente. Mas passou. Se houve coisa que este Governo mostrou é que não interessa a gigantesca quantidade de erros, mentiras e alteração profunda dos equilíbrios da sociedade portuguesa. Tudo se esquece.

5Até porque, lá está, Passos esteve outra vez bem nesta semana no caso BES. Ricardo Salgado, curiosamente, que sabe o que é poder, ou a sua ausência, esse, demitiu-se. Ou melhor, está a tentar governar o BES por interposta pessoa. Passos tenta salvar a pele e não meteu lá o dinheiro da Caixa Geral dos Depósitos para disfarçar as trapalhadas de um grupo financeiro que sempre foi demasiadamente subterrâneo. No entanto, não haja ilusões: se o BES for mesmo abaixo não haverá outra saída que não seja ir metendo lá o capital que for preciso. O risco sistémico de um banco como o BES é tão elevado que significaria o regresso da troika em força. É um daqueles casos em que nenhum de nós teria hipótese de se demitir (de pagar), por muito que quisesse. Se o BES ruir, governar Portugal vai ser coisa para gente que sabe o que anda a fazer. Quem diria.» [Jornal de Notícias]
   
Autor:

Daniel Deusdado.
   
   
 BBC: uma escola de virtudes jornalísticas
   
«Foi apenas após a sua morte que se descobriu que o apresentador britânico Jimmy Saville foi acusado de ser uma grave predador sexual. Agora, uma investigação levada a cabo após a sua morte e divulgada esta quinta-feira, revela que as vitimas de Jimmy Savile incluíam homens, mulheres, dos 5 aos 75 anos.

O homem chegou a violar sexualmente de cadáveres nas morgues, o que só se tornou possível graças ao livre acesso a que tinha a unidades de saúde, especialmente nos hospitais de Leeds e Broadmoor.

O caso tem contornos preocupantes e, de acordo com o Mirror, o apresentador chegou inclusivamente a ter peças de joalharia feitas com olhos de vidro de doentes já falecidos.» [Notícias ao Minuto]
     

   
   
 photo Anton-Nasyrov-2_zps573fcc53.jpg

 photo Anton-Nasyrov-1_zps16938bef.jpg
 
 photo Anton-Nasyrov-4_zps288f784d.jpg

 photo Anton-Nasyrov-5_zps8bfe2ade.jpg
 
 photo Anton-Nasyrov-3_zps1ec0cd99.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus