sexta-feira, novembro 08, 2013

Um nojo

É um nojo que se analisem os dados relativos ao desemprego ignorando a realidade e fazendo crer que uma ligeira redução da taxa de desemprego significa a criação de emprego. É ainda mais lamentável que um algarvio, com é o caso do marido da Dra. Maria Silva, ignore que a grandiosa redução do desemprego ocorreu num período de criação de emprego sazonal.
 
É um nojo porque a grande causa por detrás da da redução da taxa de desemprego reside no abandono do país por parte de numerosos jovens, para não referir os muitos emigrantes que fogem de um país onde se trabalha mais para ganhar menos e pagar mais impostos, um país onde se baixa o IRC para estimular o desemprego ao mesmo tempo que se aumenta o IR para convidar os melhores a partir para melhores paragens.
  
É um nojo que políticos responsáveis ignorem propositadamente que o mais troikismo do que a troika teve como consequência mais grave a perda da melhor geração que Portugal teve, uma geração nascida em democracia, altamente qualificada e sem traumas da guerra e da ditadura, uma geração altamente produtiva e com novos valores.

 
É um nojo que estes políticos ignorem que alguma criação de emprego não resulta de um crescimento da economia mas sim do baixo preço da mão-de-obra qualificada. Arquitectos, advogados, engenheiros e outros especialistas a ganharem menos do que uma empregada doméstica, os call centers cheios de licenciados a ganhar esmolas ou os bancos a preencherem os balcões com licenciados em gestão.
 

É um nojo que estes políticos prefiram ignorar que estamos a financiar outras economias disponibilizando-lhes quadros altamente qualificados que custaram muitos milhões ao Estado e às famílias portuguesas, para poderem festejar ligeiras melhorias num indicador que nem sequer traduz a realidade económica e social do desemprego. Países como a Alemanha ganham com a união monetária, cobram-nos juros elevados pela suposta ajuda e ainda nos levam os melhores quadros à borla. E os nossos políticos de merda ainda encontram razões para festejarem.
blog comments powered by Disqus