sábado, dezembro 20, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Faro_zpsf2af558f.jpg

Faro
  
 Jumento do dia
    
Cavaco Silva, o ainda e infelizmente presidente

Cavaco teve o seu gesto natalício, ao impedir o julgamento de um cidadãos acusado de ofensas a Sua Ex.ª o ainda e infelizmente presidente dete pobre país faz o gesto que é logo aproveitado como sendo um gesto da sua imensa bondade. O problema é que Cavaco deu instruções para o processo ser iniciado, durante mais de um ano o cidadão que o incomodou tem sido perseguido judicialmente s só
à beira da realização do julgamento Cavaco recua.

É mais do que óbvio que o que Cavaco fez não foi nenhum gesto natalício mas apenas impedir a realização de um julgamento incómodo para so próprio.

«O Presidente da República, Cavaco Silva, informou a Procuradoria-Geral da República (PGR) que "não deseja que prossiga" o processo criminal contra um cidadão que o insultou em Elvas em 2013.

"O Presidente da República informou a Procuradora-Geral da República não desejar o prosseguimento do processo-crime contra o cidadão Carlos Gabriel Remédios Costal, instaurado em 2013 pelo Ministério Público, por ter difamado e ofendido a honra do Chefe do Estado", disse à Agência Lusa fonte oficial do Palácio de Belém.

Carlos Costal, de 25 anos, foi detido pela PSP no dia 09 de junho de 2013 por injúrias ao Presidente da República, quando o Chefe de Estado visitava os militares instalados na Mata do Emigrante, no centro da cidade de Elvas, para participarem nas cerimónias oficiais do 10 de Junho.
"Tendo sido agora notificado da designação da data do julgamento do cidadão, o Presidente da República entendeu usar da prerrogativa que a lei penal lhe confere", indicou a mesma fonte oficial.» [DN]

 O arquivamento do caso dos submarinos

Vai ser interessante ver como ficam as relação entre Portas e Passos Coelho já que no passado sempre que ocorria um arrufo de namorados era publicada mais uma notícia sobre este caso.

 Confusão de identidades?

Esta coisa de os magistrados do Ministério Público e dos juízes serem formados na mesma escola parece levar a graves confusões de identidade, vemos um juiz de instrução que mais parece um investigador no caso de Sócrates, enquanto quando lemos o despacho de submersão do processo dos submarinos ficamos a pensar que estamos lendo uma sentença. Isto começa a ficar confuso, os juízes parecem preferir ser investigadores enquanto os investigadores tendem a saltar por cima das acusações e produzem logo condenações.

Um dia deste ainda vamos ver a Procuradora-Geral armada em Presidente do Supremos e o presidente deste a fazer uma perninha num qualquer processo do Ministério Público. Bem pode haver separação de poderes, mas parece que os magistrados nascidos na mesma escola acabam por ser siameses.

 Dúvidas que me atormentam

Porque será que o governo não faz uma requisição civil da anterior tabela de preços da ANA ou dos investimentos que os chineses da  Three Gorges iam fazer em Portugal como contrapartida da venda da EDP, designadamente a prometida fábricas de turbinas eólicas, um dos argumentos que levou Passos Coelho a trair a senhora Merkel?
 
 Recordações
 
Lembro-me de um tempo em que um caso famoso, o Caso Freeport, assentava na suspeita de corrupção porque um processo foi decidio de forma mais rápida do que supostamenteb seria o desejável ou o costume para o MP. AGora todos os amigos do governo agilizam processos e isso é merecedor de elogio, o MP já não acha estranha tanta agilização.
    

 

 Não é um favor, é agilizar
   
«O nome de Luís Marques Mendes é referenciado no processo dos Vistos Gold. Seguindo a informação que a TVI conseguiu apurar, o antigo governante pediu ao então presidente do Instituto dos Registos e Notariado para que agilizasse pelo menos dois processos de atribuição de nacionalidade portuguesa a cidadãos estrangeiros.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Se um pobre não tem uma mão não é um deficiente, é um maneta. Se o Mendes pede favores não é favorecimento nem corrupção, é agilização.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se a Mendes que mais agilizaç~ioes tem conseguido deste governo, isso sem contar a forma agilizada como sabe de tudo incluindo a extinção do BES.»
 Crato apoiou-se na polícia de choque
   
«A PSP aumentou o nível de segurança para as provas de avaliação de competências e capacidades para a docência (PACC), que hoje se realizam em 80 escolas de todo o país, com 2800 professores inscritos. Numa decisão inédita, para um acontecimento desta natureza, centenas de efetivos do Corpo de Intervenção (CI) da PSP estarão de reserva e em alerta máximo .

Segundo soube o DN junto de fonte da hierarquia da PSP, nas imediações das escolas estarão dezenas de equipas de Intervenção Rápida, que farão o patrulhamento e só intervirão no interior dos estabelecimentos a pedido dos conselhos diretivos. Em reserva, nos comandos, estará a unidade de elite CI, pronta a agir caso os eventuais protestos se tornem em problemas graves de ordem pública.

Um reforço das medidas que não é alheio ao facto de, há um ano, se terem registado vários incidentes, incluindo invasões de duas escolas: uma em Lisboa e outra no Porto, esta última transmitida pelas televisões. Nessa ocasião, soube o DN junto de outra fonte da PSP, a estratégia foi diferente e só as equipas do Serviço de Intervenção Rápida (SIR) estiveram de prevenção a eventuais incidentes.» [DN]
   
Parecer:

Este ministro e o seu secretário de Estado do CDS são uns incompetentes.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Demita-se esta gentalha.»

 Presidente da TAP manhoso
   
«Os sindicatos ligados à TAP reúnem-se hoje com a administração da empresa, a pedido do presidente, depois da requisição civil decretada na quinta-feira pelo Governo para os dias de greve, disse hoje à Lusa um sindicalista. A partir das 10:30, estarão em reunião com o Governo, em sede do Tribunal Arbitral, para decretar os serviços mínimos durante a greve.



"Fomos chamados para uma reunião com o conselho de administração", avançou à Lusa o dirigente do Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos Paulo Duarte, adiantando que a reunião estava marcada para as 10.00. "Fomos chamados ontem [na quinta-feira] às cinco da tarde para uma reunião pedida pelo presidente", acrescentou o sindicalista.» [DN]
   
Parecer:

Um negociador honesto não convoca os sindicatos apenas para poder informar a comunicação social por sua iniciativa e com o intuito de melhorar a sua imagem.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao senhor que se saiba comportar.»

 Mais de uma morte por dia devido a anorexia
   
«Segundo dados de 2013, os casos em que se identificou perda de apetite subiram 30% num ano, tal como os óbitos (407) com esse diagnóstico. O melhor registo é um fator, mas há ainda mais casos de doença que levam à perda de apetite, como o cancro ou a pneumonia. Na anorexia nervosa, os hospitais admitem estar a receber pessoas mais velhas, que têm a doença há 20 anos.

Os dados constam dos últimos relatórios da Direção-Geral da Saúde: um sobre a saúde mental, o outro sobre alimentação saudável, que ontem foi apresentado e que continua a mostrar o flagelo que é a obesidade e pré-obesidade, que chegam a metade da população.» [DN]
   
Parecer:

Um problema de saúde silencioso.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»

 Procuradores dão uma porradinha em Portas
   
«No despacho de arquivamento do inquérito à compra de dois submarinos pelo Estado português, um documento com 331 páginas a que o PÚBLICO teve acesso, os procuradores Josefina Fernandes e Júlio Braga dizem que o então ministro de Estado e da Defesa Nacional, Paulo Portas, “excedeu o mandato” que lhe foi conferido pelo Conselho de Ministros em finais de 2003 ao celebrar um contrato de compra diferente dos termos definidos na adjudicação e insistem que as negociações entre o Estado português e o consórcio alemão “decorreram de forma opaca”.

Essa avaliação refere-se especificamente às conversações que ocorreram entre Novembro de 2003, data em que Portas assinou a proposta de adjudicação ao consórcio alemão e Abril de 2004, quando o mesmo governante celebrou o contrato de compra daquele equipamento militar. Mas apesar de terem detectado “a violação de princípios e normas de natureza administrativa” que, no limite, podem resultar na nulidade do contrato, os magistrados sublinham que a “prática de ilegalidade não têm, necessariamente, de configurar a prática de crime”.» [Público]
   
Parecer:

Está cheio de sorte, se fosse primo até ao quinto grau do José Sócrates tinha ido para Évora.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Mandem-se os parabéns a Paulo portes pela sorte que tem na vida.»
  

   
   
 photo Robert-Babisz-3_zpsca94e2ca.jpg

 photo Robert-Babisz-5_zps173aa587.jpg

 photo Robert-Babisz-2_zps71e2ac93.jpg

 photo Robert-Babisz-4_zpsd71e7abe.jpg

 photo Robert-Babisz-1_zps1c77f073.jpg
  
blog comments powered by Disqus