domingo, dezembro 28, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Cg_zpsea4d88b9.jpg

Cogumelos do Parque Florestal de Monsanto, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Rui José Simões Bayão de Sá Gomes, director-geral das prisões

Tem cabido ao director-geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) um dos trabalhos mais ingratos neste processo duvidoso da prisão de José Sócrates, uso o termo ingrato para não usar o menos grave dos adjectivos que me apetece usar para caracterizar esta triste criatura. O homem até pode ser perdoadop pois a troco de ser director-geral o que não falta neste país é gente capaz de vender a alma ao diabo oui mesmo dar o cu e cinco tostões em troca.

Mas não é o facto de um detido em regime de prisão preventiva estar sujeito a um regime prisional miserável que faz desta pobre criatura o Jumento do Dia mas sim o facto de na  sua direcção-geral se viver nos tempos da ex-URSS quando os directores-gerais eram meros figurantes e cabia ao parido, através dos seus sindicatos, a representação e justificação das decisões do Estado.

«O livro enviado pelo socialista António Arnaut a José Sócrates foi devolvido porque o remetente não era visita registada e porque o ex-governante excedeu o número de encomendas autorizadas, tendo sido devolvidas na primeira semana cerca de 40 encomendas.

A explicação foi dada hoje à agência Lusa por Jorge Alves, presidente do Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP), a propósito de o Estabelecimento Prisional de Évora, onde o ex-primeiro ministro se encontra preso preventivamente, ter devolvido ao antigo ministro António Arnaut o livro Cavalos de Vento que este tinha enviado a José Sócrates.» [DN]

 SCP

Marco Silva manteve Bruno de Carvalho no cargo.


 BdP e CMVM vão ser excelentes clientes para advogados
   
«Cerca de 20 fundos internacionais detentores de obrigações subordinadas do BES vão lançar novos processos contra o governo e os supervisores portugueses para exigir informação sobre a resolução do Banco Espírito Santo. De acordo com a agência Lusa, que cita fonte próxima dos investidores, estes fundos já tinham iniciado processos judiciais contra a intervenção no banco, sendo o objetivo destas novas ações reclamar o acesso à informação administrativa relacionada com a intervenção no banco.

Estes investidores tinham há cerca de dois meses colocado processos no Tribunal Geral da União Europeia e no Tribunal Administrativo de Lisboa contra a Comissão Europeia e o Banco de Portugal em que requeriam a anulação da medida de resolução aplicada ao Banco Espírito Santo (BES). Esta intervenção separou o BES no Novo Banco e num banco mau para onde foram transferidas todas as obrigações relacionadas com o pagamento de dívida subordinada.

As ações, que incluem a Comissão de Mercado e Valores Mobiliários (CMVM), pretendem aceder a informação que lhes permita compreender uma série de questões que levaram à divisão do BES em duas entidades, o ‘banco mau’ e o Novo Banco.» [Observador]

«A Goldman Sachs contesta a decisão tomada esta semana pelo Banco de Portugal de não transferir a responsabilidade contraída pelo BES perante a Oak Finance Luxembourg e ameaça recorrer aos tribunais para contrariá-la. “Caso o Banco de Portugal não reconsidere a sua posição, à luz dos danos que vai causar a todos os clientes com posições neste ativo e aos mercados financeiros, todos os investidores prejudicados não deixarão de recorrer a todas as vias apropriadas incluindo as judiciais”, lê-se numa nota emitida sexta-feira pela Goldman Sachs.

O banco de investimentos americano terá sido apanhado de surpresa pela decisão conhecida esta semana e que representa uma perda de 834 milhões de dólares (684 milhões de euros) para os seus clientes. De acordo com o semanário Expresso, a opção de colocar estas obrigações no BES foi tomada três dias antes de vencer o primeiro cupão. Há pelo menos dois portugueses a ocupar altos cargos na Goldman Sachs. José Luís Arnault faz parte do International Advisory Board e António Esteves é partner.» [Observador]
   
Parecer:

Há muito dinheiro a ganhar por advogados.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 SCP transformado em anedota desportivas
   
«O presidente do Sporting classificou de descabidas as notícias da saída do treinador Marco Silva, em declarações ao canal televisivo do clube leonino. “Confirmo que houve uma reunião entre a administração da SAD e a equipa técnica do Sporting, na qual foram debatidas questões internas, mas daí ler que Marco Silva saiu é descabido”, disse Bruno de Carvalho, pretendendo dar assim por encerradas as notícias que dão conta da saída do atual treinador.

O dirigente leonino acrescentou que “O Marco é o treinador do Sporting e vai estar no banco a fazer o jogo com o Vitória de Guimarães” na segunda-feira, para a Taça da Liga. Na sua declaração, o presidente leonino manifestou a sua preocupação pela reação dos adeptos às notícias que foram saindo nos últimos dias, tendo mesmo acusado a comunicação social de manipulação e de invenção. “Esta é uma altura de acalmia e de dedicar tempo à família. O Sporting tem as suas questões, mas falar em crise é absurdo”, acrescentou Bruno de Carvalho.

O dirigente sportinguista aproveitou para realçar a realização em janeiro da Assembleia-Geral recentemente marcada, referindo que a mesma servirá para debater os mais recentes acontecimentos e que ele próprio irá refletir a sua função de presidente do Sporting. Nos últimos dias, vários órgãos de comunicação social têm dado conta de uma rutura entre o treinador e o presidente do Sporting, que poderia levar mesmo à saída do técnico, contratado no passado defeso ao Estoril-Praia.» [Observador]
   
Parecer:

Será que o SCP vai sobreviver à gestão deste homem?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver.»

 Obama macaco
   
«Barack “Obama é sempre imprudente nas palavras e nos atos, como um macaco numa floresta tropical”, afirma a comissão nacional de defesa norte-coreana, acusando o Presidente norte-americano de ter incitado a exibição do filme no dia de Natal.

“Se os Estados Unidos continuarem a ser arrogantes, déspotas e a utilizar métodos de ‘gangster’, apesar dos repetidos avisos [da Coreia do Norte], deverão ter em mente que as suas ações políticas fracassadas vão levar a golpes mortais inevitáveis”, disse o porta-voz da comissão nacional de defesa norte-coreana.» [Observador]
   
Parecer:

O que terá o autarca de Loures Bernardino Soares, um conhecido simpatizante do regime da Coreia do Norte, a dizer sobre isto?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se.»

 Pobre Marcelo
   
«José Maria Ricciardi volta às críticas a Marcelo Rebelo de Sousa. Desta vez, em causa o comentário televisivo do último domingo, 21 de dezembro. Por meio de carta, através do seu advogado, o presidente Executivo do BES Investimento (BESI) desmente Marcelo e acusa-o de "confundir a opinião pública" e de "habilidade natural de iludir a realidade das coisas".

"Se o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa tivesse tido a mínima preocupação em dominar as matérias sobre as quais se pronuncia, como era sua obrigação, então seria forçado a transmitir que não era o BESI que definia os montantes, nem a colocação do papel comercial, nem as condições da sua emissão, mas sim, o BES", lê-se na carta, dividada por 29 pontos.

Ricciardi sublinha que Marcelo "foi incapaz de reconhecer que tinha mentido ao declarar expressamente que o BESI avalizara a emissão de papel comercial da ESI [Espírito Santo International] e que o Dr. José Maria Ricciardi depois de ter feito as pazes com o Dr. Ricardo Salgado, em 7 de Novembro de 2013, nunca mais se demarcara dele". A sua opinião é clara: o comentador "não reúne as condições de imparcialidade, isenção, e de objetividade que lhe permitam uma avaliação séria e ponderada das responsabilidades de quem está envolvido no colapso do Banco Espírito Santo".

O presidente do BESI recorda que "a companheira do Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, Dr.ª Rita Amaral Cabral, era administradora do Banco Espírito Santo e ainda integrava a Comissão de Partes Relacionadas, criada internamente pelo Banco de Portugal, para assegurar o "ring-fencing" entre o banco e as restantes empresas do grupo, cujo desempenho se encontra sob investigação".

Marcelo "mete a foice em seara alheia" quando "tem o desaforo de fazer recomendações" a propósito do comportamento do presidente de um banco e "com desajustado paternalismo", frisa ainda Ricciardi.» [Expresso]
   
Parecer:

A namorada enterrou-se no BES e ele está-se enterrando na guerra com o Ricciardi.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aposte-se que no seu programa de Domingo o professor vai dizwr que por ele acabou a guerra com o Ricciardi.»
  
 Outro José Maria Martins
   
«Em entrevista ao jornal i, no dia em que apresentou o recurso da decisão do juiz Carlos Alexandre, o advogado de defesa de João Perna, Ricardo Candeias, falou sobre as dúvidas que pairam no ar sobre o transporte de dinheiro por parte do seu cliente e o que levou a voltar para casa.
  
O advogado de João Perna, Ricardo Candeias falou em exclusivo ao jornal i e começou por explicar as viagens feitas por João Perna para o estrangeiro. “Confirmo que houve saídas para fora de Portugal, mas algumas podem ter que ver com questões não relacionadas com esse processo. Quando João Araújo [advogado de José Sócrates] disse que ele não foi a Paris e eu disse que João Perna saiu do país várias vezes, o que pode estar a acontecer é o advogado do senhor engenheiro estar a falar apenas e só do processo e eu não…”, afirma» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Quanto vale colaborar com a acusação contra outro arguido? Quais as contrapartidas para um advogado que alinha nesta estratégia?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  

   
   
 photo Albena-Markova-4_zps38cfae42.jpg

 photo Albena-Markova-1_zpsff6c9adf.jpg

 photo Albena-Markova-5_zpse38b7965.jpg

 photo Albena-Markova-2_zps0b9db6d9.jpg

 photo Albena-Markova-3_zps444759fb.jpg
  
blog comments powered by Disqus