quarta-feira, março 05, 2014

Isto começa a ser o país dos Zecas

 photo Zeca_zps7ee3c7a6.jpg
  
Conclusão 1

Há altos responsáveis do PSD que por estarem no poder e acompanharem o melhor amigo do primeiro-ministro se sentem no direito de pontapear cidadãos que de alguma forma se intrometam no seu caminho. O Zeca pontapeou à vontade, apresentou o conveniente pedido de desculpas e seguiu a sua vida descansado, no dia seguinte em vez de ser condenado ainda foi elogiado e bajulado por responsáveis da comunicação social.

Conclusão 2

Os responsáveis pela comunicação social portuguesa são na sua maioria gente sem grande coluna vertebral que em vez de informarem gerem a informação, são pior do que os tenentes aposentados do tempo da censura, aqueles cortavam, estes omitem, manipulam, inventam e distorcem. Estes senhores engravatados que aparecem nas televisões com ar intelectual a pronunciarem-se sobre o país ou a avaliar os políticos não passam de paus mandados dos Relvas que obedecem aos seus jagunços.

Conclusão 3

Era no tempo de José Sócrates que havia asfixia democrática, agora se um jornalista quer fotografar a versão de Miguel Relva pós-casamento e talvez (quem sabe?) pós mestrado ou mesmo pós doutoramento leva um pontapés numas canelas e fica a ver os seus colegas e patrões a ignorarem-no como vítima e a lamberem o traseiro do Zeca.

Conclusão 4

Uma cosia é a política visível pela maioria dos portugueses em que aprece que as diferenças e os antagonismos são muito grandes, outra é aquilo que parece passar-se nos bastidores. O que à vista de todos era uma oposição vigorosa nos bastidores é uma amena cavaqueira, o que parecia ser uma busca incessante pela informação passa a ser um negócio de troca de informações. Só isso explica o silêncio quase colectivo em torno deste caso, tendo ficado óbvio que muito do que os jornais publicam é informação manipulada e gentilmente gerida pelo Zeca.

Conclusão 5

A relação entre chefias ou patrões e empregados nas redacções dos jornais não corresponde à imagem idílica que resulta dos filmes americanos. Isso agora é muito usado como cenário pelas televisões mas a verdade é que para um chefe de um jornal um segurança promovido a relações públicas como o Zéca Mendonça pode pontapear à vontade um dos seus porque em vez de vir a ser alvo de críticas ainda é bajulado. Se o Zeca Mendonça se excedeu e deu uns pontapés no fotógrafo a culpa só pode ser deste e se houve um pedido de desculpas há razões para ignorar o fotógrafos e elogiar a grandeza humana do Zeca Mendonça.
 
Conclusão 6

Para ios responsáveis da nossa comunicação social pontapear jornalistas e fotógrafos é legítimo se os pontapés forem dados por alguém simpático e que desde logo pede desculpa ao jornalista que sabe perfeitamente que o agressor é amigo  e é bem considerado pelo seu director. É por isso que para os directores dos jornais o importante não foi a agressão, foi a aceitação do pedido de desculpas que a legitimou, de um lado o agressor é alguém que merece consideração e do outro está um mero empregado, de um lado está alguém com nome e do outro um fotógrafo cujo nome foi ignorado pelos jornais. Os directores dos jornais de hoje seriam um motivo de vergonha para os seus antecessores.

Conclusão 7

Para além dos problemas económicos há muitos e bons motivos para emigrar, Portugal é uma república dos Zecas Mendonças, dos Relvas e dos Chicos espertos.

  
blog comments powered by Disqus