domingo, março 30, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo _painel_zps6e67699a.jpg
     
Painel de azulejos, Lisboa
  
 Jumento do dia
    
Pires de Lima, santinha milagreira da Rua da Horta Seca

Então o senhor ministro da Economia pediu para as empresas aquilo que recusa para o Estado? Enquanto se armava em espertinho dizendo que pedir a reestruturação da dívida era dar um tiro no pé escrevia uma carta ao FMI pedindo a reestruturação da dívida das empresas. Paralavras para quê, é uma santinha milagreira portuguesa.

Ao que aprece a palavra reestruturação deixa em pânico os credores do Estado mas leva ao orgamno os credores das empresas privadas.

«Pires de Lima pedia medidas para viabilizar empresas em dificuldades financeiras, ou seja, uma reestruturação da dívida das empresas portuguesas.

Na sequência desse pedido, o FMI enviou uma comissão técnica a Portugal que produziu um relatório e é com base nesse documento que existe já um esforço conjunto do ministério das Finanças, da Economia e do Banco de Portugal para encontrar um reestruturação que possa ser apresentada na 12ª avaliação da troika.

Esta reestruturação, que já tinha ficado decidida na 11ª avaliação, deverá englobar quatro tópicos: o programa Revitalizar; uma melhoria do quadro de resolução da dívida; o enquadramento legar e fiscal, promoção de recapitalização e entrada de dinheiro novo em empresas em recuperação; revisão dos papeis dos diferentes agentes, dando-lhe mais recursos.» [Notícias ao Minuto]

 
 Mas quem pediu mais sacrifícios aos pensionistas?

Quando se refere aos cortes brutais nas pensões Cavaco Silva usa uma expressão curiosa, diz ele que com o ar pesaroso e de sofrimento que lhe conhecemos, que "é difícil pedir mais sacrifícios aos pensionistas". Segundo a sua lógica os cortes das pensões tiveram não só aa compreensão dos pensionistas, como resultaram da adesão a um pedido do presidente ou do governo.

Quem ouve Cavaco fica a pensar que ele ou o governo apelaram à compreensão dos pensionistas e estes manifestaram-se em massa junto a Belém gritando "sacrifiquem-nos, sacrifiquem-nos, sacrifiquem-nos?".

Poder-se-ia dizer que é uma linguagem típica de políticos, mas é bem pior do que isso, é uma mentira descarada e pura manipulação de opiniões e sentimentos. Os cortes foram recusados no passado por um Passos Coelho que nunca denunciou as suas intenções na campanha eleitoral ou no programa do governo. O que Cavaco está fazendo é transferir para os pensionistas a co-responsabilidade e apoio a uma política sobre a qual nunca foram ouvidos e depois de terem votado em dois políticos, Cavaco e Passos, que os enganaram de forma grosseira e revelando uma total ausência de princípios.

Sejamos honestos ó senhor Silva, os sacrifícios foram impostos apenas a alguns, aos que já não podem fazer greve ou protestar com mais violência e esta estratégia manhosa teve o seu apoio pois ainda há poucos dias deu o seu apoio a tais cortes mandando o orçamento rectificativo para publicação. Tenha um mínimo de coragem e assuma a sua responsabilidade no apoio a esta política.
 
 O que dizer de Barroso

Está gordo, quando se mexe parece gelatina, parece um hipopótamo. 
 
 Cavaco pede cortes aos mais ricos

Passos faz-lhe a vontade e vai cortar nos que ganham mais de 1000 euros e ainda diz que está acabando com as desigualdades pois passam todos a pobres, com excepção daqueles cujo dinheiro é fino demais para ser sujeito à austeridade.

 Perderam o direito ao RSI por terem mais de 100.000€!

 photo _RSI-1_zpsbdc61f92.jpg
  
 photo _RSI-2_zps8cbae024.jpg
   
 photo _RSI-3_zpsfca1d017.jpg

 photo _RSI-4_zps50f0c1b5.jpg

 Ai Jesus!

Há uma semana:

 photo _J1_zps4bbb7f25.jpg

Este sábado:

 photo _J2_zps33d86a10.jpg
   
   
 O bom filho (da mãe!) à casa torna
   
«O presidente da Comissão Europeia disse em entrevista à SIC/Expresso que avisou Passos Coelho de que é preciso considerar os limites políticos e sociais das medidas tomadas e criticou o manifesto que defende a restruturação da dívida.

"É preciso ter cuidado com as mensagens que saem de Portugal. Eu acredito na boa-fé das pessoas que subscreveram aquele manifesto, mas há um erro: é falar em reestruturação", disse Durão Barroso na entrevista publicada hoje pelo Expresso e transmitida na sexta-feira pela SIC, acrescentando que o documento também serviu para "embaraçar o Governo".

"Eu acho que houve, nitidamente, algumas personalidades com o objetivo de embaraçar o Governo, num jogo político, mas eu não quero entrar na luta política", afirmou.» [DN]
   
Parecer:

De repente deste Cherne lembrou-se de que é português.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
 Casas de família são um dos locais mais perigosos do país
   
«O presidente da Comissão de Proteção às Vítimas de Crime considerou hoje "significativo" que os dados do Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) indiquem que cerca de um terço dos crimes de homicídio em Portugal ocorrem dentro da família.

Em declarações à Agência Lusa, Carlos Anjos referiu que as alterações mais significativas prendem-se com o aumento da violência doméstica, dos abusos sobre menores e das ofensas corporais simples e graves, sendo que esse aumento verifica-se "dentro da família", atingindo também os idosos.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Nada de sério e consequente é feito para travar este fenómeno.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Adoptem-se medidas.»
   
 Paulo Portas, carpideira oficial do regime
   
«O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, vai representar o Estado português no funeral do antigo chefe de Governo espanhol Adolfo Suárez, que se realiza na segunda-feira em Madrid, disse à Lusa fonte do seu gabinete.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Digamos que além da coordenação económica coordena também as presenças oficiais em funerais.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sem comentários por respeito a Adolfo Suarez.»
   
   
 Mais uma baboseira do Dálmata n.º 102
   
« O cabeça de lista da Coligação Aliança Portugal ao Parlamento Europeu (PE), Paulo Rangel, afirmou hoje, em Coimbra, que o Manifesto 74 não “teve a adesão dos portugueses”, que “já saiu da agenda” e que “ninguém fala dele”.

Ao contrário daquilo que os seus “promotores julgavam”, o documento, intitulado "Reestruturar a dívida insustentável e promover o crescimento, recusando a austeridade", “não teve a repercussão que se esperava, nem teve a adesão dos portugueses”, sustentou Paulo Rangel, que falava aos jornalistas, na tarde de hoje, em Coimbra, à margem de um debate sobre a Europa, promovido pelo PSD de Coimbra.» [i]
   
Parecer:

O nível intelectual deste vira-casacas é algo de impressionante.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao senhor que evite poluir o debate político com o seu mau hálito intelectual.»
     
 PSP combate venda ambulante em Belém
   
«A PSP elaborou hoje 11 autos de contraordenação (multa) por venda ambulante e apreendeu 81 objetos, no âmbito de uma operação desencadeada junto dos monumentos históricos da zona de Belém, Lisboa.

Em comunicado, a PSP refere que a operação decorreu entre as 10:00 e as 12:00 e visou o controlo e identificação de suspeitos ligados à venda ambulante naqueles locais turísticos.» [i]
   
Parecer:

E multaram algum vendedor ambulante de acções da SLN?
   

Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se.»

   
   
 photo Daniele-2_zps49e56294.jpg

 photo Daniele-4_zps4cf7036a.jpg
 
 photo Daniele-3_zps9e47e4aa.jpg

 photo Daniele-1_zpsfca27ce4.jpg
 
 photo Daniele-5_zps2d172505.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus