quarta-feira, janeiro 07, 2015

A linda Primavera Árabe chegou a Paris

 photo Praccedila_zps8f3d7316.jpg
  
Praça Tahrir durante a "Primavera Árabe" (imagem de Peu Robles)
  
Recordo-me de quando os russos enfrentavam os extremistas islâmicos na Chechênia ouvir muita gente clamar contra o ditador russo e fazer referências elogiosas aos defensores da democracia que lutavam contra o opressor russo. Mais tarde voltei a ver o Ocidente empenhado naquilo a que designaram por Primavera árabe, depois da Tunísia e da Líbia a Primavera instalou-se na Praça Tahrir, que atraiu os jornalistas de todo o mundo até ao dia em que uma jornalista americana se sentiu violada com tanta apalpadela no rabo.
  
Hoje os tais democratas chechenos executam ocidental muito provavelmente com armas provenientes os arsenais da Líbia, os mesmos arsenais que deverão estar servindo para raptar centenas de crianças na Nigéria. Aliás, até ao dia em que o Estado Islâmico degolou um americano e se aproximou de Bagdade era tratado na imprensa ocidental como um dos movimentos que lutavam heroicamente contra o ditador sírio. 
  
Mas bastou o Estado Islâmico cometer o erro de degolar americanos e ingleses para que a Europa reparasse nos crimes daqueles que durante anos foram libertadores, democratas e anunciadores de primaveras, só faltou mesmo apresentarem um soldado do EI com um cravo no cano de uma AK47, a mesma HK que hoje matou 12 franceses em Paris.
  
De um dia para o outro a Europa que andou a ajudar os extremistas, chegando ao ponto de usar os seus bombardeiros na Líbica acordou para um novo pesadelo, as suas cidades estão cheios de jihadistas. Já não são células da Al Qaeda em comunicação com o Afeganistão e  mandando os seus membros para treino no Paquistão. E nem sequer são apenas filhos de emigrantes muçulmanos, são também cristãos que se convertem a islamismo de um dia para o outro e há mesmo registo da adesão ao Estado Islâmico. Em Kobani há mesmo curdos que integram o EI e combatem os outros curdos.

Estes jihadistas não recebem comunicações nem treinos, convertem-se ou radicalizam-se, como agora se diz, bem as mensagens religiosas no Youtube e obedecem a um apelo generalizados para atacarem onde quer que estejam. Não há sistema de escutas ou de infiltração que valha aos serviços secretos ocidentais contra os milhares de “lobos solitários”, o termo usado na revista do EI, a “Dabiq” onde recebem a ordem de atacar nos países ocidentais.
  
Bush promoveu a destruição do Estado iraquiano, Obama promoveu a destruição dos Estados sírio e libío com a ajuda de idiotas como o François Holland, isto é, destruíram os maiores adversários do extremismo islâmico, agora pagam o preço da irresponsabilidade e incompetência. Um novo terrorismo acabou de entrar na Europa, a Primavera Árabe chegou a Paris e logo no primeiro dia morreram tantos franceses quantos os extremistas islâmicos que o EI perdeu ontem na batalha de Kobani.
  
Em pouco tempo os imbecis que governam os EUA e uma boa parte da Europa destruíram um modelo social, conduziram as economias para um beco e agora abriram a porta ao terrorismo a uma escala nunca vista, já só falta esperar por ataques generalizados dos extremistas admiradores do EI a atacar por toda a Europa e desta vez nem Portugal se escapa desse ódio pois o Al Andaluz está no centro das reivindicações extremistas.

blog comments powered by Disqus