quarta-feira, janeiro 07, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _flor-micro_zps2808032d.jpg

Flor microscópica de uma rua de Lisboa
  
 Jumento do dia
    
António Costa, Líder do PS

Até que enfim, à terceira morte e com quase dois dias de atraso o líder do PS reparou que andavam a morrer portugueses à porta dos hospitais por falta de cuidados de saúde. Não morreram numa aldeia remota, devido a um acidente com a ambulância ou por terem chegado tardiamente ao hospital, morreram em instalações hospitalares ao fim de muitas horas de abandono nos corredors sem serem atendidos.

Em qualquer país civilizado a oposição não teria tido tempo de questionar o governo, teria sido o ministro das Saúde a pedir a demissão, assumindo as responsabilidades políticas e isso teria sucedido com a primeira morte. Por cá o ministro da Saúde escondeu-se e a partir do seu esconderijo comanda operações de propaganda tentando atirar as culpas para terceiros, enquanto a oposição parece adormecida pelos vapores do Ano Novo.

Paulo Macedo tem sabido gerir a sua imagem, contando com boas relações no PS graças às relações que soube estabelecer com algumas personalidades e desde o tempo da DGCI que não falta quem lhe atribua uma elevada competência, o mesmo sucedendo já na qualidade de ministro. Só que ao fim de tantas mortes o líder da oposição não poderia ficar calado. Mas há uma pergunta a que António Costa deve dar resposta: quantos portugueses terão de morrer abandonados pelos serviços de saúde para que o líder da oposição exija a demissão do ministro da Saúde? Para já e contando os casos de que a memória ainda se recorda seis mortos não chegam.

«António Costa acusou esta terça-feira o Governo de ser incompetente na prestação de serviços ao povo português. “Há uma enorme incompetência na ação governativa relativamente à gestão de serviços fundamentais”, afirmou o líder socialista à saída de uma reunião com o presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), António Saraiva.

O secretário-geral do PS comentava assim os recentes casos de mortes em alguns hospitais públicos alegadamente por falta de prestação de cuidados. A propósito deste tema, o PS pediu esta terça-feira um debate na Assembleia sobre a “situação das urgências hospitalares” já para quinta, quando os trabalhos do plenário do Parlamento são retomados depois da pausa natalícia.

Mas Costa referiu também alguns dos casos mais polémicos de 2014 – a crise do sistema informático da Justiça e os atrasos no início do ano letivo – para criticar o Governo, acusando-o de “incapacidade”. O que agora está a acontecer, disse, é o resultado do desinvestimento de “depauperização” dos serviços públicos.

“Não é possível, em pleno século XXI, com sistemas fundamentais como a Justiça, a Educação e a Saúde, entrar em situações de rutura em situações normais: o Natal e o Ano Novo todos os anos existem, o início do ano letivo todos os anos existem”, comentou, acrescentando que, na conversa com o patrão dos patrões, “é evidente que os temas de atualidade também” foram abordados.» [i]
 
 Coisas estranhas que se passam em Portugal

No caso de Sócrates, em que estava em causa um cidadão sem escrita organizada o MP fez-se acompanhar de um batalhão de inspectores da Autoridade Tributária e Aduaneira. Mas para fazer recolha de informação na PT, uma empresa com contas contabilísticas e financeiras o MP fez-se acompanhar de profissionais da PJ. Opções estranhas e confusas.

 Imagens que valem por mil palavras

 photo _graxa_zps6d3eae49.jpg

Na imagem vê-se Passos Coelho com ar idiota pondo um chapéu de alguém que lhe foi cantar as janeiras em trajes regionais. Trata-se de um gesto banal a que os políticos acham muita graça e o assunto morria por aqui se não fosse a cara de basbacas dos dois secretários de Estado que ladeiam o primeiro-ministro, Barreto Xavier da Cultura e Luís Campos Ferreira dos Negócios Estrangeiros e Cooperação.

O ar de adoração dos dois coitados que mais parecem duas beatas surpreendidas pela presença de Jesus Cristo mostra o ambiente de adoração ao chefe que se vive no poder. A fotografia quase escorre graxa.

E já que falamos de chapéus este gesto de Passos não tem nada de novo, o subconsciente do (infelizmente ainda) primeiro-ministro devrá tê-lo levado a imitar o ti Silva, enfim, é caso para dizer que nesta coligação entre Belém e São Bento o que há mais é chapéus! E até apetece dizer aos basbacas "chapéus há muitos seus palermas!".

 photo _capeu-cavaco_zpsdf49bad7.jpg
  

 Deus te pague ó Opus Macedo
   
«A região de saúde de Lisboa e Vale do Tejo tem a partir de hoje mais 168 médicos de medicina geral e familiar, um aumento de 22 por cento face a 2014, de acordo com o Ministério da Saúde.

Segundo um comunicado da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), que tutela a região na qual os 168 novos profissionais iniciaram o internato médico, os centros de saúde das zonas de Almada/Seixal, Loures/Odivelas e Sintra são as que recebem um maior reforço de médicos em termos absolutos.

A medida, diz-se no comunicado, irá permitir à ARSLVT, no final do internato, assegurar médico de família a mais 319.200 utentes, distribuídos por 15 Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES) da Região de Lisboa.

O internato médico realiza-se após a licenciatura em Medicina e corresponde a um processo de formação médica especializada, teórica e prática. Depois do curso os médicos candidatam-se a um concurso nacional para admissão no Internato Médico, que se destina à escolha dos locais e das áreas de formação (especialidades) e que terá a duração de 4 anos.» [i]
   
Parecer:

O país foi invadido logo pela manhã pela notícia da colocação de 168 médicos, estrategicamente colocada nas redacções a uma hora que asseguraria grande impacto num dia da semana em que não costumam haver grandes notícias. O que terão pensado os cidadãos? ainda esta semana morreu um doente por falta de assistência e o competentíssimo Macedo colocou logo 1668 médicos, grande ministro!

Acontece que a colocação destes médicos não passa de um acto de gestão corrente, são recém licenciados em 2014 que são agora colocados no processo de formação equivalente a um qualquer estágio. Trata-se de um acto de gestão corrente que só no Burkina Faso é notícia, mas desde que o Opus ministro Macedo se especializou em propaganda na ex-DGCI tudo serve para demonstrar ao país a sua ilimitada competência.

Deu te pague grande Macedo!
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Durão Barroso sofre do síndroma da abstinência? 
   
«Durão Barroso não se poupou nos recados à Grécia durante a intervenção que fez esta manhã na sessão de abertura do seminário diplomático, no Museu do Oriente, em Lisboa, e admitiu mesmo a saída da Grécia da zona euro caso o governo helénico não cumpra os seus compromissos. Se esse cenário – “o pior cenário” – se concretizar, a “integração europeia teria condições para continuar a avançar”. “Espero e desejo que tal não aconteça, estou confiante que a Grécia vai cumprir as suas obrigações, mas é evidente que se não cumprir podemos ter um problema e haverá consequências”, afirmou em declarações aos jornalistas.

“Não gostei nada do que li na imprensa alemã sobre a Grécia, e vice-versa”, começou por dizer o ex-presidente da Comissão Europeia durante o discurso que fez esta manhã, referindo-se à notícia da revista Der Spiegel de que o governo alemão estaria disposto a deixar a Grécia sair da zona euro caso o Syriza venha a vencer as eleições de 25 de janeiro. Disse Barroso que o exemplo daquela notícia publicada no domingo, que citava fontes próximas de Angela Merkel, evidencia um dos atuais problemas da União Europeia – a falta de confiança e de solidariedade entre estados-membros, que foi abalada pela crise.» [Observador]
   
Parecer:

Alguém devia informar o Cherne que já não é presidente da Comissão e que o seu estatuto actual é o de um zé ninguém conhecido e com uma pensão dourada que lhe é paga para não precisar de dizer asneiras.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se ao Cherne que se cale.»
  
 Diz-me com quem andas...
   
«O líder da extrema direita, Mário Machado, apresentou uma queixa crime contra José Sócrates por violação do segredo de justiça nas respostas a perguntas formuladas pela TVI.

O dirigente da Frente Nacional, entretanto extinta, apresentou uma queixa-crime contra José Sócrates por alegada violação do segredo de justiça no Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

O advogado de Mário Machado pediu ainda para se constituir assistente no processo da Operação Marquês. Caso o magistrado titular do processo aceite, José Manuel Castro terá total acesso ao processo.» [DN]
   
Parecer:

Hoje é mais do que evidente que entre as violações do segredo de justiça e a tal comunicação feita por um banco ao MP que deu origem ao processo, segundo um comunicado da PGR, não existe grande relação. Já o mesmo não se pode dizer de uma velha queixa da extrema-direita relativamente aos movimentos financeiros da família de Jos´+e Sócrates. o certo é que a extrema-direita foi para o campus da justiça manifestar a sua alegria com a prisão de Sócrtaes e agora toma a iniciativa de apresentar queixa por uma anedótica violação do segredo de justiça.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Investiguem-se as relações da extrema-direita com a justiça.»


   
   
 photo Vladimir-Katiev-4_zpsaa8a772a.jpg

 photo Vladimir-Katiev-2_zps453bd302.jpg

 photo Vladimir-Katiev-5_zpsea794b12.jpg

 photo Vladimir-Katiev-3_zpsb565ef18.jpg

 photo Vladimir-Katiev-1_zpsec14c0d5.jpg
  
blog comments powered by Disqus