domingo, julho 28, 2013

Semanada

Quem visse a alegria transbordantes do governo e até do cota na tomada de posse dos ministros remodelados corria um sério risco de pensar que aquele pessoal estava a meio de uma trip de LSD e o olhar esgroviado se devia a visões psicadélicas. Mas o LSD está fora de moda e as lojas dos cogumelos foram fechadas pelo que a única explicação possível é o álcool, se calhar Cavaco brindou a malta com uns carapaus alimados à moda da Quinta da Coelha e serviu-lhes um Lagoa, um vinho que costuma enganar os principiantes pois parece refresco.
 
Quem parece ter abusado do Lagoa é a ministra das Finanças que se arrisca a ficar conhecida pela Luisinha, a Tóxica, com os seus swaps já pôs em causa vários ex-governantes e nem a sua antiga chefe na REFER se escapou. Só mesmo alguém que esteja sob o efeito do Lagoa não percebe que a senhora não só mentiu, como o fez pondo em causa a dignidade de outras pessoas, contando que estes ficassem caladas. Teve azar e um dia destes vai provar as suas próprias toxinas. Esperemos que saiba passar o dossier aos seus sucessores.
 
Começa a ser evidente que Seguro caiu na ratoeira de Cavaco Silva e isso talvez explique o ar feliz de Cavaco nas posses e a nopva postura dialogante de Passos Coelho. Seguro tem o complexo do rapaz certinho e em vez de terr em consideração os valores e o sentir do partido que dirige ou o que está em causa opta sempre pela posição que lhe dá um ar de rapaz que promete. O resultado tem sido desastroso e o seu amigo Passos Coelho farta-se de gozar com ele e já faltou mais para que o líder do PSD venha em auxílio de Seguro contra os conspiradores do seu partido, os tais que Cavaco acusou de estarem a boicotar a sua salvação nacional.
Passos Coelho anda a ler muitos livros sobre Salazar e agora até já propõe uma união nacional. Bem, sempre há algum progresso, sempre é melhor o governo inspirar-se em Salazar do que no nazismo, algo que parece suceder quando se chama requalificação a um despedimento ou quendo se sugere aos portugueses que emigrem.
blog comments powered by Disqus