quarta-feira, setembro 30, 2015

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do dia
    
Maria Luís Albuquerque

A ministra não deu instruções para esconder défice, apenas se manifestou preocupada. Foi esta ministra que garantiu que agora se conheciam as contas do Estado.

«Maria Luís Albuquerque diz que a possibilidade de ter alterado as contas da Parvalorem — empresa pública que ficou a gerir os activos de má qualidade do ex-Banco Português de Negócios (BPN) — é “uma não questão”, já que cabe à administração da própria empresa gerir as contas e a um auditor externo validá-las. Admitiu, no entanto, que como secretária de Estado enviou perguntas à empresa. Considera que essa é a sua função como governante.

A ministra das Finanças explicava a notícia de que teria dado instruções à administração da Parvalorem para alterar as contas de 2012, aliviando o montante dos prejuízos da empresa que ficou com os créditos do ex-BPN. Estas indicações, segundo a Antena 1, terão sido dadas em 2013, por altura do fecho das contas da Parvalorem, quando Maria Luís Albuquerque era secretária de Estado do Tesouro com a tutela da empresa. Segundo a rádio, a governante estava na altura preocupada com o impacto no défice.

“Posso e devo fazer perguntas sobre as contas”, disse esta manhã a ministra das Finanças, que está em campanha pela coligação Portugal à Frente na Moita. A governante esclareceu que não pode “dar instrução para alterações em contas nenhumas” por essa responsabilidade não pertencer à tutela e sim ao conselho de administração da Parvalorem. A ministra admitiu, no entanto, que questionou a empresa sobre se “as expectativas (de perdas) não estariam a ser excessivamente pessimistas e negativas” face à evolução da economia.» [Observador]

 A propósito da impunidade

O Marco António Costa é um gajo ceio de sorte, caiu no goto da justiça portuguesa.

 Fruto vermelhos?

 photo _vermelhos_zpsjzck37k8.jpg

Este Portas anda muito dado à esquerda!

 Baleias filmadas com um drone


  
 A justiça portuguesa

Depois da investigação sem direitos de defesa para os arguidos o próximo passo dos nossos procuradores será a realização de julgamentos sem advogado de defesa? No plano da defesa dos direitos dos arguidos há alguma diferença entre as investigações do tempo da PIDE e algumas que vamos acompanhando? Há uma diferença, agora há mais esquemas de condenação nos jornais antes do julgamento e menos tortura.

 A dúvida do dia

O que é que está mais aldrabado o software dos carros da VW ou as contas da Maria Luís?

 Foi um PAF que deram na vida dos portugueses

 photo _PAF_zpsypzldouy.jpg

TVI



A música que a mãe de Faro queria dedicar aos filhos deste país a quem a direita deu um Paf daqui para fora.

      
 Bruxelas defende manutenção da carga do IRS
   
«Portugal ainda tem margem para aumentar a carga fiscal e deve usá-la para reforçar a consolidação orçamental no médio prazo. Esta é uma das conclusões do relatório Reformas Fiscais nos Estados Mem- bros da UE 2015, ontem divulgado. Bruxelas considera que é possível agravar os impostos sobre o consumo, a propriedade e as taxas ambientais como forma de aliviar a tributação sobre os rendimentos do trabalho.

A Comissão Europeia reconhece que Portugal é um dos países (de um grupo de 16) com taxas de imposto sobre o trabalho "relativamente elevadas", ainda que no caso das famílias, com a introdução do quociente familiar, se tenha já assistido a algum alívio. Desaconselha, contudo, que se reduza o IRS sem uma compensação do lado da redução da despesa ou uma transferência para outros impostos "menos distorcivos" e que prejudiquem menos o crescimento do emprego.» [DN]
   
Parecer:

Óbvio.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Espere-e pelo próximo governo.»
  
 Mais uma vigarice deste governo
   
«O Governo terá dado indicações à Parvalorem para esconder prejuízos do antigo BPN com o objetivo de não agravar as contas do défice de 2012. A notícia é avançada pela Antena 1, que diz que a empresa pública, que ficou com os ativos tóxicos do banco, ocultou uma parte das perdas registadas com o crédito mal parado a pedido da atual ministra das Finanças: cerca de 150 milhões de euros.

Maria Luís Albuquerque era secretária de Estado do Tesouro quando foi confrontada com as perdas de 577 milhões de euros em créditos em risco de incumprimento. Segundo a investigação da Antena 1, pediu para mexer nas contas e exprimir as contas melhores possíveis. Assim, esse impacto foi adiado para exercícios futuros.» [DN]
   
Parecer:

Este era o tal governo das contas transparentes...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sugira-se à ministra que se demita.»

  Notícias pafiosas
   
«A taxa de desemprego subiu 0,1 pontos percentuais em agosto face a julho, para 12,4%, segundo a estimativa provisória divulgada esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

“A estimativa provisória da taxa de desemprego para agosto de 2015 situa-se em 12,4%, valor superior em 0,1 pontos percentuais à estimativa definitiva obtida para julho de 2015”, refere o gabinete de estatísticas.

A taxa provisória estimada para julho era de 12,1%, mas a taxa definitiva aumentou para os 12,3%, tendo-se assim mantido inalterada face ao mês anterior e interrompendo a tendência decrescente que se registava desde fevereiro.» [Expresso]
   
Parecer:

Desta vez vão ficar calados.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicite-se comentário a Passos Coelho.»

   
   
 photo Alexander-Slutsky-3_zpsonq4vlbt.jpg

 photo Alexander-Slutsky-1_zpsowaydbb2.jpg

 photo Alexander-Slutsky-2_zpsfv5o4lie.jpg

 photo Alexander-Slutsky-4_zpsqqdfe4ts.jpg

 photo Alexander-Slutsky-5_zpsfzbjvmmr.jpg
  
blog comments powered by Disqus