quinta-feira, junho 27, 2013

Jumento do Dia

  
Marques Guedes, ministro deste governo incompetente

Num governo com formação democrática os seus membros respeitam todos os portugueses independentemente dos seus credos, opções ideológicas e independentemente do uso que fazem dos seus direitos constitucionais. Um português não é de segunda porque é menos produtivo durante o Ramadão, porque tem uma doença crónica e é menos produtivo ou porque usa os seus direitos constitucionais em defesa de valores civilizacionais como o direito ao emprego ou à justiça.
 
Um cidadão não é de primeira porque fura uma greve ou porque devido a outro motivo opta por não aderir, da mesma forma que não pode ser de segunda porque adere a uma greve e para isso prescindo do seu salário. Um governante que faz distinção entre quem faz greve e quem não faz, que considera que quem adere à greve não trabalha e por isso está ao nívelm do gandulo, afirmando que os que não fazem greve são os que trabalham, é um governo com pouca formação democrática.
 
Os governantes bem podem afirmar e reafirmar que aceitam e/ou respeitam o direito à greve, até porque quando tal não suceder é muito provável que nesse dia em vez de irem para casa acabarão encostados a uma parede da praça do Campo pequeno. A linha que distingue um fascista de um democrata não está em dizer que se respeita um direito a que se está obrigado a respeitar, ainda que este governo demonstre uma grande  dificuldades em aprender a respeitar a Constituição. A linha que separa um fascista de um democrata está em ter o mesmo respeito por todos os cidadãos, independentemente destes protestarem ou não contra o governo, mesmo que para isso usem de um direito constitucional.
 
Os fascistas é que hierarquizam a qualidade dos cidadãos, opondo aos valores da democracia valores como o trabalho, para os fascistas é que há contradição entre trabalhar e fazer greve.
 
É triste ver alguém por quem se tinha alguma consideração e vê-lo agora ser pau mandado, repetindo argumentos execráveis, pouco dignos de quem se pensava ser um democrata. Enfim, estamos sempre a aprender e a ver gente a mudar de campo a troco de estatutos, tachos, mordomias ou poder. É a vida.

«Marques Guedes lembrou que a greve é um direito previsto na Constituição, tal como o é o direito a trabalhar. "É de trabalhar que o país precisa", defendeu o governante na conferência de imprensa após a habitual reunião semanal do Executivo.

A greve é um direito "legítimo" que o Governo respeita, "mas respeita mais ainda os portugueses que estão a trabalhar", disse.» [DE]
blog comments powered by Disqus