sexta-feira, janeiro 17, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 

 photo Bica_zps58c1ba0a.jpg
     
Bica no Bairro da Bica, Lisboa
´
   Foto do Dia
   
 photo Vaca_zps53c89cae.jpg
   
UNDER FOOT: Villagers were pinned down by a bull as others climbed a fence to protect themselves at a bull-taming festival on the outskirts of Madurai town, India, Wednesday. (Babu/Reuters) [WSJ]
  
 Jumento do dia
    
Cavaco Silva

Onde consta na Constituição que cabe ao Presidente da República definir quais devem ser as prioridades nacionais. Depois de chamar a si a competência para dizer quais são os interesses dos portugueses Cavaco torna-se num presidente todo-poderoso considerando que é a si que cabe dizer quais os objectivos do país. Até onde irá o entendimento do condómino da Quinta da Coelha acerca dos seus poderes? Anda, anda e ainda vai ter mais poderes que César Augustos.

«“O reforço do clima de confiança e a consolidação dos sinais de recuperação económica são prioridade nacional” para 2014. As palavras pertencem a Cavaco Silva que, no âmbito da cerimónia de cumprimentos de Ano Novo do Corpo Diplomático acreditado em Portugal, fez um balanço sobre 2013 abordando, também, algumas expetativas para o ano que agora se inicia.» [Notícias ao Minuto]
 
      
 O cobrador de 'somoking'
   
«O smoking encarnado de Dolce, Messi e Gabbana era de ir às lágrimas, bem sei, embora me tenha parecido excessiva a série de notícias sobre o tema num país em que parámos no tempo dos mocassins de vela, o retrato da nossa incrível autoconfiança e reconhecida tolerância ao que não é exatamente igual ao resto.
  
Por outro lado, é sabido que os futebolistas, aqui ou em qualquer canto do mundo, são dados a algumas bizarrias, visuais e não só. Quando Emílio Butragueño, antigo avançado do Real Madrid, se casou, decidiu enfiar a mulher na bagageira do carro à saída da igreja para que os repórteres de imagem não a fotografassem. O excesso de zelo foi recebido na rua com um simpático... "Emílio, olha que ela não é assim tão feia!"
  
O El Mundo recordava este episódio a propósito da infanta Cristina, suspeita de fraude fiscal e lavagem de dinheiro. Dona Cristina vai depor sobre o caso nos primeiros dias de fevereiro. Terá de se sentar à frente de um juiz e responder ao interrogatório que confirmará ou não a intenção de a levar a julgamento. Mas além deste facto sem precedentes na monarquia, o debate tem outra substância política.
  
Deve a infanta atravessar a pé os 70 passos contados que conduzem ao edifício onde será interrogada, como qualquer outra pessoa teria de fazer na mesma circunstância? Ou deve percorrer o trajeto de carro, mas não na mala, de modo a evitar os insultos da populaça? O ministro da Justiça de Rajoy defende medidas excecionais por questões de segurança e porque, diz ele, sujeitar Dona Cristina ao vexame de andar a pé pela rua seria o equivalente "a uma pena paralela". Tem alguma razão, a integridade da infanta deve ser garantida; mas essa exposição não é idêntica àquela a que estão submetidas as pessoas suspeitas de factos iguais? Esta proteção não levanta dúvidas sobre um possível tratamento de favor?
  
Não é um debate fácil - há muita raiva dirigida à família real numa altura de grandes dificuldades -, mas é também um assunto que em Portugal não precisamos de enfrentar. Não só não temos monarquia (felizmente) como o Governo nos poupou a qualquer inquietação cívica e penal ao aprovar mais um espetacular perdão fiscal (o segundo em dez anos) que livrou os evasores e os aldrabões que enganaram o País de ser expostos e julgados - os que tiverem cometido fraudes -, além de não pagarem juros de mora e de suportarem no máximo dez euros de multa.
  
Na verdade, só falta mesmo receberem uma comenda por ajudarem a pátria, já que os 1,2 mil milhões de euros recuperados vão permitir que o défice fique abaixo dos 5,5% em 2013. Não sei, mas nestas coisas da justiça fiscal acharia mais eficaz o método estridente dos cobradores de fraque. Podiam até seguir as últimas tendências e vestir um modelito Dolce, Messi e Gabbana. Pensando bem, podia ser escândalo a mais. Há coisas que devem ser feitas pela calada. Por exemplo, um imenso perdão em que só alguns, os cumpridores, se sentirão vagamente enganados. Os espanhóis não se lembraram disto.» [DN]
   
Autor:
 
André Macedo.
      
 A tortura e o massacre
   
«Após uma espera interminável e incompreensível em face da pronta promulgação do Orçamento do Estado para 2014, foram finalmente comunicados aos candidatos os resultados do concurso para bolsas de doutoramento e pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), aberto em finais de Julho de 2013. A abertura muito tardia do concurso já causou imensos problemas e angústias aos potenciais candidatos, agravados ainda por causa da exigência inicial de terem concluído os respectivos graus académicos antes do fecho do concurso em Setembro, o que eliminaria já a priori dezenas de candidatos. No entanto, neste ponto a FCT recuou, depois de muitos protestos, inclusive da minha parte.

Porém, a tortura dos candidatos não acabou aí, tendo a espera se prolongado inexplicavelmente até dia 14 de Janeiro de 2014, já a meio caminho do mês em que as bolsas supostamente se podiam iniciar. Então a angústia da espera transformou-se, para a esmagadora maioria, em frustração e porventura em desespero, com reprovações na casa dos 90%, tanto no concurso para bolsas de doutoramento como naquele para bolsas de pós-doutoramento, um autêntico massacre de jovens cientistas.

A fim de ilustrar a razia, vou focar o caso de uma candidata a bolsa de pós-doutoramento, que ficou bem longe da linha de corte das candidaturas aprovadas. Ela doutorou-se no Instituto Superior Técnico (IST) em Física de partículas há menos de um mês, obtendo a classificação “muito bom” para a sua tese, com uma média de 18,5 valores para as cadeiras do curso de doutoramento do IST. Mais importante, no entanto, é o seu trabalho científico ao nível das publicações, com 11 artigos publicados em revistas da especialidade com arbitragem científica, na altura do concurso, dos quais sete como primeiro autor.

Acresce que o programa de investigação proposto na sua candidatura a bolsa se insere perfeitamente na temática dos projectos dos orientadores, que foram aprovados ininterruptamente em concursos competitivos da FCT no âmbito do Programa CERN, desde 2000 até à suspensão unilateral do programa por parte da FCT em 2013. Convém ainda salientar que parte da investigação proposta dizia respeito aos hipotéticos estados “exóticos” na física dos quarks, um dos temas mais quentes em toda a física no ano de 2013. Esta parte do trabalho seria feita pela candidata em colaboração com um especialista mundial nesta área, durante um estágio de um ano numa prestigiada universidade estrangeira, configurando-se um modelo de pós-doutoramento previsto no regulamento do concurso.

Quando uma candidata com este currículo científico não tem a mínima hipótese de conseguir uma bolsa de pós-doutoramento no nosso país, algo está profundamente mal. Não tenho dúvidas de que há muitos outros casos gritantes como o seu, de jovens cientistas promissores com a carreira truncada, salvo aqueles poucos que talvez consigam um lugar numa universidade estrangeira, na esperança de um dia poderem voltar para um Portugal diferente, se nessa altura ainda se lembrarem do país.» [Público]
   
Autor:

George Rupp.
   
   
 Projecto Troika
   
  
«Eles andam por aí. Há vários meses que oito fotojornalistas e um realizador procuram reproduzir a história de um Portugal mergulhado numa crise profunda e governado sob a orientação de uma troika internacional.

Querem captar o país que sobrou do resgate financeiro e gravá-lo num livro de fotografia e numa curta-metragem, para memória futura. Chamaram a este trabalho “quase militante” Projecto Troika e esta quinta-feira apresentam-no, na internet. Na página www.projectotroika.com há informação sobre o projecto e os seus autores, mas também sobre a forma como pode ajudar a financiar o trabalho que estão a desenvolver. O Projecto Troika está a contar com o crowdfunding para se concretizar.

A ideia partiu de Adriano Miranda. O fotojornalista do PÚBLICO, que já estivera na génese do projecto fotográfico 12.12.12., sentiu que havia um retrato do país que ainda não fora feito e pensou que nada melhor do que uma troika nacional para mostrar o país resgatado pela troika internacional. “Ando tão revoltado e tenho levado tanto no pêlo com estas políticas de austeridade que achei que tinha o dever, quase militante, de fazer alguma coisa. Não querendo repetir o 12.12.12, convidei o Paulo Pimenta, meu colega do PÚBLICO, e a Lara Jacinto para criarmos esta troika”, explica.» [Público]
  
 Assessor de luxo
   
«Depois de ter nas mãos o estudo de uma consultora privada sobre a reforma da rede hospitalar que custou 90 mil euros, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) acaba de contratar o ex-presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para apoiar e assessorar esta reorganização, ao longo deste ano, pelo valor de 74 mil euros.

A contratação, por ajuste directo, decorreu com rapidez, pouco tempo depois de o ex-presidente do INEM, Miguel Oliveira, ter constituído a empresa POP Saúde – Planeamento, Organização e Prestação de Cuidados de Saúde, Lda . O procedimento foi autorizado pelo presidente da ARSLVT, Luís Cunha Ribeiro, em 2 de Janeiro, a adjudicação recebeu luz verde no dia 8, o contrato foi assinado a 10, e Miguel Oliveira começou a trabalhar nesta terça-feira, 14. “Precisava de um médico hospitalar, não tenho nenhum na ARS. Ele ofereceu-se e eu propus pagar-lhe 30 euros à hora”, explicou ao PÚBLICO Cunha Ribeiro.

São cerca de cinco mil euros por mês (excluindo o IVA), uma quantia que o presidente da ARSLVT considera adequada, tendo em conta a tarefa a desempenhar, e que passa pela “análise, planeamento, implementação, acompanhamento e monitorização” da reorganização da urgência metropolitana da Grande Lisboa e a reforma hospitalar na região, lê-se no contrato assinado com a empresa de Miguel Oliveira. No total, com IVA,  este serviço de “consultadoria especializada” vai custar mais de 74 mil euros.» [Público]
   
Parecer:

Isto é pornografia.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Meta-se uma bolinha vermelha nas notícias sobre este governo.»
   
 Miséria humana!
   
 photo cratinos_zps8e975727.jpg

«O ano de 2014 começou com uma má notícia para a ciência, depois de se saber, nesta quarta-feira, os resultados gerais das candidaturas a bolsas de doutoramento e pós-doutoramento atribuídas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Dos 3416 candidatos para bolsas de doutoramento, só 298 receberam a bolsa. No caso dos pós-doutoramentos, só 233 cientistas receberam bolsas entre 2305 candidaturas.

Os resultados, que a Associação dos Bolseiros de Investigação Científica (ABIC) considera, em comunicado, "uma razia" e que mostram uma “política de desinvestimento e de abdicação de defesa dos interesses nacionais em detrimento das opções ditadas em esferas internacionais”, já fizeram a associação marcar uma concentração para 21 de Janeiro, às 15h, junto da sede da FCT, em Lisboa.

Anualmente, a FCT, a fundação estatal que gere uma parte importante do financiamento que vai para a ciência, abre concursos para bolsas individuais de doutoramento e pós-doutoramento. Na década passada, no auge do financiamento para ciência em Portugal, chegaram a ser atribuídos 2031 bolsas de doutoramento e 914 bolsas de pós-doutoramento em 2007. Graças a este investimento, o número de doutorados em Portugal subiu para o nível europeu. No entanto, desde 2010 que o número de bolsas atribuídas tem vindo a decrescer, acompanhando a crise económica.» [Público]
   
Parecer:

Este governo de cratinos quer transformar Portugal num país de cretinos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Alguém deu pelo Tozé?»
      
 Cheira mal que tresanda
   
«O Presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa, Luís Cunha Ribeiro, contratou os serviços do médico Miguel Oliveira para assessorar e reorganizar a ARS de Lisboa com um contrato no valor de 74 mil euros, avança o Público. Na sequência da contratação, a chefe do gabinete do ministro da Administração Interna, que é sócia e esposa de Miguel Oliveira, pediu a demissão a Miguel Macedo.
  
A contratação da empresa POP Saúde, criada poucos dias antes do ajuste direto com a ARS Lisboa, e que pertence ao ex-presidente do INEM, Miguel Oliveira, e à sua esposa Rita Abreu Lima, levou a que esta última pedisse a demissão do cargo que assumia atualmente: chefe do gabinete do ministro da Administração Interna.

O acordo entre a Administração Hospitalar e a empresa decorreu com grande rapidez, com o procedimento a ser autorizado no dia 2 de Janeiro, o contrato assinado a 10 e Miguel Oliveira a dar início às suas funções esta terça-feira, dia 14 de Janeiro. Para Luís Cunha Ribeiro, o ex-presidente do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) é a pessoa indicada para o cargo, dado que possui formação nas áreas de saúde, gestão e economia, “imprescindíveis para uma perspetiva de gestão com a componente clínica”.

Contactada pelo i, Rita Abreu Lima garante não ter tido qualquer influência ou ter feito “diligências para a celebração do contrato”, e fez saber que já havia pedido a sua demissão ao ministro da Administração Interna tendo o mesmo sido aceite.

Já o Ministério da Saúde não se quis pronunciar sobre o assunto, referindo que qualquer esclarecimento sobre a matéria, deve ser feita pela ARS LVT.

A contratação acontece depois da ARS Lisboa ter pago 90 mil euros à empresa privada Antares Consulting no último ano. Agora, o Presidente da ARS Lisboa vai pagar 30 euros à hora ao médico hospitalar, que ao final do mês deverá somar cerca de 5 mil euros.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Há lodo no poder.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
   
 O poder corrompe
   
«O Tribunal da Relação de Coimbra decidiu que o ex-governante social-democrata Paulo Júlio vai ser julgado pelo crime de prevaricação por alegadamente ter favorecido um primo num concurso enquanto era presidente da Câmara de Penela. A decisão ocorre no âmbito de um recurso apresentado pelo Ministério Público, que contestou uma decisão do Tribunal de Instrução de Coimbra que, em Abril, optou por não pronunciar o antigo autarca.

O caso remonta a 2008, quando a Câmara de Penela abriu um concurso para a chefia da divisão de Cultura,Turismo, Desporto e Juventude a que só se podiam candidatar pessoas licenciadas em História da Arte, e cujo júri era presidido pelo próprio Paulo Júlio. Três anos depois a Inspecção-Geral da Administração Local (IGAL) entendeu que o concurso não tinha preenchido todas as formalidades legais, tendo-o participado ao Ministério Público. 

Em Janeiro, o Departamento de Investigação e Acção Penal de Coimbra acusou Paulo Júlio de um crime de prevaricação de titular de cargo político, punível com prisão entre dois a oito anos. Foi na sequência desta acusação que o então secretário de Estado da Administração Local e Reforma Administrativa, que entrara para o Governo de Pedro Passos Coelho, em 2011, se demitiu. » [Público]
   
Parecer:

Começa a aparecer a lama política, é o que sucede com as marés, quando vaza o lodo começa a ficar à vista.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Reserve-se um lugar sentado para assistir ao espectáculo da corrupção que parece estar a iniciar-se.»
   
 Unite States of Tugas
   
«O presidente do PPM defendeu hoje, numa declaração no parlamento dos Açores, o fim dos regimes autonómicos insulares e a criação de uma confederação de estados em Portugal, mas a ideia não teve o apoio dos outros partidos.

Paulo Estêvão justificou a sua proposta com as sucessivas interpretações "centralistas" relativamente aos poderes autonómicos, de que é exemplo o recente pedido de fiscalização preventiva da constitucionalidade do Orçamento dos Açores para 2014 por causa da remuneração complementar atribuída a funcionários públicos na região.

"Os açorianos descobriram que o seu parlamento não pode, afinal, definir as suas prioridades orçamentais. Não pode deliberar sobre o destino das receitas dos impostos dos açorianos. Não pode decidir de forma diferente da maioria partidária que governa em Lisboa", afirmou.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Anda por aí com cada idiota....
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada e interne-se o rapaz.»
   
 Processo serviu apenas para intimidar
   
«O caso remonta a 26 de junho, quando uma das pessoas que estava numa galeria da Assembleia da República interpelou, em voz alta, Pedro Passos Coelho, tendo sido advertida na altura que "não podia manifestar-se" e foi retirada pela PSP sem oferecer resistência.

Segundo o comunicado da PGDL, o Ministério Público considerou que a "simples interpelação não constituiu no caso concreto, a prática do crime de perturbação do funcionamento de órgão constitucional, não existindo indícios da efetiva perturbação do funcionamento normal da sessão a decorrer".» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

A queixa serviu apenas como intimidação a quem pretenda dizer o que lhe vai na alma, a senhora presidente do parlamento deve agora explicar-se.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Solicitem-se explicações à senhora.»
   
 Estalinismo à Alberto João
   
«O candidato à liderança do PSD-Madeira, Miguel Albuquerque, declarou hoje ser inaceitável a "situação de perseguição pessoal" que acontece no partido na Região Autónoma, criticando Alberto João Jardim por tentar fazer "batota" nas próximas eleições internas. É desta forma que o ex-autarca da Câmara do Funchal reage à notícia hoje avançada pelo Diário de Notícias da Madeira e que dá conta da intenção de Jardim expulsá-lo do partido.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Quem se mete com ele leva.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Elogie-se o presidente do PSD pela protecção e apoio ao Alberto.»
   
 Mais uma medida miserável do Crato
   
«O Ministério da Educação (ME) mandou várias escolas do país cortar nas bolsas de mérito atribuídas a alunos do ensino profissional que têm o apoio da ação social escolar (ASE) e boas notas no 9.º ano ou ensino secundário.

A ordem chegou pelo menos a agrupamentos da região Norte, em novembro, e foi acompanhada de uma indicação para os estudantes devolverem a primeira prestação - de cerca de 400 euros -, que tinham recebido no início do ano letivo, contou ao Expresso uma das alunas afetadas.

Um mês depois, em dezembro, os serviços da Região Norte da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares emitiram nova orientação, desta vez a informar os agrupamentos escolares de que o ministério ia deixar de comparticipar as visitas de estudo dos alunos do ensino básico que são apoiados pela ação social escolar. Estas atividades eram até agora gratuitas ou comparticipadas em 50%, consoante se tratasse de estudantes do escalão A (os mais carenciados) ou do escalão B.» [Expresso]
   
Parecer:

Um dia destes veremos para que colégio privado foi o dinheiro.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se porque é uma questão de tempo.»
   
 CDS encosta-se ao PS por causa do "irrevogável"
   
«Para o novo presidente do Conselho Nacional do CDS-PP, Telmo Correia, o líder do partido não se estendeu nas explicações sobre a "irrevogável demissão", no Congresso do passado fim de semana em Oliveira do Bairro, porque havia o "risco de reabrir uma ferida" já sarada.

"Ele [Paulo Portas] no Congresso não vai mais longe nas explicações, porque isso foi uma crise muito séria e uma ferida, que existiu na coligação como é evidente, mas que sarou bem, como próprio primeiro-ministro disse no Parlamento", afirma Telmo Correia, hoje, em entrevista à Antena 1.

Sobre o episódio da "demissão irrevogável", Telmo Correia diz ainda que a crise de julho obrigou, contra a vontade própria do CDS-PP, que o partido concorra junto com o PSD às eleições europeias.» [Expresso]
   
Parecer:

Que grande facada que o Telmo deu ao Portas.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
   
 Mísseis atómicos nas mãos de cábulas
   
«As Forças Armadas dos Estados Unidos suspenderam 34 oficiais, responsáveis pelo lançamento de mísseis nucleares, por copiarem ou permitirem que outros copiassem durante o exame de proficiência de rotina.

No exame, uma prova teórica que costuma ser feita regularmente, os militares têm de provar que conhecem os procedimentos de manuseamento dos mísseis e do processo de lançamento.

A segurança do país não terá estado em risco. "As armas nucleares estiverem sempre em segurança", frisou Deborah Lee James. "Houve um problema de fraude em relação a um tipo de teste em particular", disse a secretária da Força Aérea, em declarações à AFP.» [Expresso]
   
Parecer:

Por cá são os magistrados que copiam para aprenderem a julgar os outros.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se conhecimento aos responsáveis do Centro de Estudos Judiciários.»
   
 Se não fosse o Portas o que seria de nós?
   
«O vice-primeiro ministro, Paulo Portas, anunciou hoje que o valor potencial dos memorandos entendimento, atas de compromisso e contratos que as empresas portuguesas assinaram hoje em Caracas, no âmbito da reunião da IX Comissão Mista de Acompanhamento Bilateral, é superior a 1,6 mil milhões de euros.

Segundo o governante, este valor não inclui um contrato que o governo venezuelano celebrou com a empresa portuguesa Teixeira Duarte para a construção de uma auto-estrada, entre as cidades de Caracas e La Guaira, no valor de mais de 4 mil milhões de euros, que será a maior obra de uma construtora nacional na América Latina, "ícone da cooperação portuguesa" na região.» [Expresso]
   
Parecer:

Lembram-se de quando a direita gozava Sócrates pelas relações com a Venezuela?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Elogie-se o0 trabalho de Paulo Portas.»
   
 O dinheiro da TAP não vai dar para pagar as avaliações
   
«O Governo já solicitou aos assessores financeiros uma atualização da avaliação da companhia aérea portuguesa, com vista a relançar o processo de privatização da TAP ainda este ano quando, refere fonte do Ministério da Economia citada pelo Jornal de Negócios, se proporcionar um ambiente competitivo.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Até parece que anda por aí alguém dono de uma empresa de avaliações.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao rapazola da secretaria de Estado dos Transportes quanto já gastou com a privatização da TAP.»
   
 Até parece mentira
   
«A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) nomeou o ex-ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, diretor do departamento de estudos nacionais, assumindo o cargo dia 1 de abril, divulgou hoje a organização em comunicado.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Quem diria?
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Perguntes ao Gaspar e à Santinha da Horta Seca se ainda têm unhas ou já as roeram de inveja.»



   
 Tihomir Mladenov
   
 photo Tihomir-Mladenov-3_zps9ed7f0c2.jpg

 photo Tihomir-Mladenov-5_zpsfef8acd7.jpg
 
 photo Tihomir-Mladenov-4_zps07c041cb.jpg

 photo Tihomir-Mladenov-2_zps2968bd89.jpg
 
 photo Tihomir-Mladenov-1_zps0e51a26c.jpg

 
 
 
     
blog comments powered by Disqus