quarta-feira, maio 28, 2014

O meu último recado ao PS

Não sou militante do PS, não estou interessado em qualquer cargo ou mordomia governamental, não tenho nenhum amigo bem colocado para se chegar ao pote se o PS ganhar as próximas eleições, portanto, estou-me nas tintas para saber se Seguro chega ou não a primeiro-ministro.

Compreendo que o Seguro tenha lançado foguetes para festejar a grandiosa vitória que quase levou o Assis a um orgasmo televisivo. Compreendo que tenham decidido gozar com a inteligência dos portugueses para esconderem o seu fracasso e não terem de assumir as responsabilidades. Quem depois de anos a fazer oposição silenciosa ao seu próprio partido para chegar à liderança do PS não vai querer morrer na praia e quem acabou de ter todo o protagonismo nas europeias não vai deixar de apoiar o chefe.
  
Compreendo todos os que negociaram o seu apoio ao líder com a promessa de em troca receberem mordomias governamentais quando este chegar ao poder, é natural que não estejam muito preocupados se Seguro vai ser primeiro-ministro ou vice-primeiro ministro, Passos Coelho também é líder de um partido e certamente não se oporá a que os que apoiaram Seguro seja remunerados de forma justa, repartindo o bolo das mordomias do poder.
  
Compreendo que os que há anos que dedicam o seu tempo às tarefas partidárias se sinta no direito de serem recompensados e que a recompensa que cada um deles vai ter é superior aos prejuízos que estes políticos estão infligindo à generalidade dos portugueses. Não sou ingénuo ao ponto de acreditar que os chamados aparelhos do PSD ou do PS estão muito preocupados com o sofrimento dos portugueses.
  
Eu compreendo isso e muito mais, mas quero que os senhores também compreendam que eu não sou nenhum borrego preso no redil do PS e que os senhores só são alguém na vida porque muitos como eu têm votado no vosso partido ou noutros como o vosso. Mas isso acabou, não estou disposto a ser gozado e humilhado com festejos de uma derrota que me humilhou. Depois de três anos a ser humilhado por um governo, depois de perder um quarto da minha remuneração assistir aos vossos festejos por uma derrota milimétrica foi humilhante. Os senhores não estavam a festejar o fim daquilo que faz tantos portugueses sofrer, estavam festejando a expectativa de virem a partilhar o poder e esta política.
  
Portanto, podem continuar a festejar nas aviso-vos de que não será com o meu voto que voltam a ter farras, desta vez ainda resisti a votar em Marinho Pinto ou no PCP, mas garanto-vos que se os senhores ainda estiverem à frente do PS nas próximas eleições não hesitarei e se for necessário tapo os olhos e voto no PCP ou tapo o nariz e voto no partido do Marinho, em vocês e no PS é que não voto nem tenciono voltar a votar. 
  
Estou farto do espectáculo triste que têm dado, é ridículo ver um Seguro responder com a Europa quando questionado sobre a solução para os problemas nacionais e quando chega as eleições europeias sai-se com um programa de 60 medidas pensadas à pressa como pré-programa para as legislativas, por este andar nas próximas presidenciais ainda se lembra de apresentar um candidato à Junta de Freguesia de Belém. Foi ridículo demais para ser verdade e este país merece muito mais do que um programa de 60 medidas pensadas à pressa pelos assessores 3B (Betinhos, Belezas e Brilhantes) do Tozé. Por enquanto isto ainda é um país e não é uma associação de estudantes do ensino básico.
  
Portanto meus senhores, lutem por se manter no poder porque o mais certo é conseguirem mais uma grandiosa vitória eleitoral e talvez consigam substituir o Paulo Portas no cargo de vice-primeiro-ministro. Como não tenciono voltar a votar em partidos onde o poder se alcança com truques mafiosos aqui ficam os meus parabéns antecipados. As eleições legislativas talvez consigam o que não conseguiram muitas eleições de associações de estudantes, juntar Passos Coelho e Seguro no mesmo projecto político.
 
 
blog comments powered by Disqus