quinta-feira, julho 24, 2014

A justiça tarda mas não falha

Como era de esperar a justiça não se esqueceu de Ricardo Salgado dando razão à ministra da Justiça que assegurou há uns tempos que tinha acabado a impunidade. A justiça tem o seu tempo próprio e tal como a justiça divina nem sempre usa linhas direitas, quando se esperava que Ricardo Salgado seria chamado a propósito da situação do BES foi vítima do Monte Branco, quando se esperava que a justiça fosse a primeira a actuar esperou calmamente pelo seu momento, indiferente ao que se passava noutros países.
  
Não tinham razão os que se queixavam da lentidão da justiça e mesmo que só daqui a dois ou três anos os inquéritos relativos à falência do GES é certo que Ricardo Salgado não se escapa pois tem umas conta a ajustar por causa desses crimes habitualmente ignorados pela justiça portuguesa, a evasão fiscal e o branqueamento de capitais. A justiça revelou inteligência, primeiro espremeu Ricardo Salgado e cobrou-lhe uns milhões em IRS, esperou que o governo adoptasse uma amnistia fiscal perdoando aos que trouxeram os capitais de volta ao país, permitiu que os muitos arguidos do processo Monte Branco se arrependessem, mas guardou as acusações contra Ricardo Salgado para um momento oportuno.
  
O país ganhou com a sabedoria da justiça, não houve alarme público, a transição no BES fez com sobressaltos e a ainda ontem as suas acções recuperavam boa parte do valor perdido, não há pânico nos mercados pois Ricardo Salgado vai falar sobre factos de há vários anos e que não se relacionam com a situação do BES, até a democracia tem muito a ganhar pois Ricardo Salgado não vai ser questionado sobre a sua lista de assalariados no mundo da política. A justiça assegurou-se do regular funcionamento das instituições e até aproveitou a ausência de Cavaco e Passos, poupando-os a declarações.
  
A justiça tarda mas não falha e graças à sua sabedoria actua com maior precisão do que uma bomba israelita, consegue atingir Ricardo Salgado sem perturbar nem a banca nem o sistema política e sem que faça outras vítimas, tudo gente necessária ao crescimento numa altura em que os mercados não devem ser perturbados. Resta agora que Ricardo se junte a Vale e Azevedo na ala dos ex-presidentes na cadeira onde este está hospedado. As tias da Comporta que ainda há poucos dias tinham sido desvalorizadas para tias da Trafaria vão sofrer nova redução no seu rating, passarão a ser conhecidas por tias da Carregueira.



blog comments powered by Disqus