quarta-feira, julho 30, 2014

Umas no cravo e outras na ferradura



   Foto Jumento


 photo _Noudar_zpsf77dcbc8.jpg

Castelo de Noudar, Barrancos
  
 Jumento do dia
    
Tozé

O Tozé está fazendo uma colagem tal a António Costa que depois destas directas corre um sério risco de ficar conhecido pelo Adesivo, até na entrega das candidatura o ainda líder do PS opta por entregar a candidatura meia hora depois do seu opositor.

Seguro tem feito a sua campanha à custa de António Costa, um sinal de desespero de quem receando estar perdido tudo faz para dizer que é melhor. O problemas é que não é melhor e todos já o perceberam, aliás, é isso que explica as suas vitórias anorexicas.

«O secretário-geral socialista, António José Seguro, formaliza esta terça-feira à tarde a sua candidatura às eleições primárias na sede nacional do PS, meia hora depois de o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, também o fazer.

Tanto António José Seguro, como António Costa, não estarão presentes nos respectivos actos formais de entrega de assinaturas junto do presidente da comissão eleitoral das primárias de 28 de Setembro, Jorge Coelho.

O mandatário nacional da candidatura de António Costa, o ex-presidente do Governo Regional dos Açores Carlos César, formaliza a candidatura do autarca de Lisboa pelas 15h30, enquanto o representante de António José Seguro o fará pelas 16h00. Fonte da candidatura do líder socialista, indicou que António José Seguro apenas anunciará "mais tarde" o seu mandatário nacional.» [Público]

 Pergunta a Seguro

Porque razão em relação a Passos Coelho faz uma oposição cheia de mesuras e quando se trata de António Costa até tem ideias para Portugal e não se coibe de recorrer a tudo quanto é golpe baixo?
  
 Caso BES

A troika está mentindo e mais não digo nem posso dizer.
  
      
 Afetos tirados a ferrinhos
   
«O líder da oposição britânica, o socialista Ed Miliband tem um problema. Anteontem, o Sunday Times falou disso (na primeira página) e ontem o Guardian voltou à carga: falta empatia a Miliband. Escreve-se sobre isso há meses e retomou-se a questão por estes dias porque o próprio fala do assunto. Mais, ele tomou medidas: contactou um académico de Cambridge, Simon Baron-Cohen (primo do cómico Sacha Baron Cohen), que considera que a empatia é um "solvente natural" capaz de fazer com que "qualquer problema imerso nele fique resolvido." Isto está escrito no livro Zero Degrees of Empathy (Zero Graus de Empatia). É natural que qualquer político que vá a votos necessite dessa tal empatia, a habilidade de parecer que sente a situação das pessoas e de se mostrar capaz de se pôr na posição e nas perspetivas dos outros. Ronald Reagan era mestre na matéria - por alguma razão era um ex-ator. Ed Miliband é um político preparadíssimo, desde a escola (Oxford, London School of Economics, Harvard...) até cargos governamentais e parlamentares - falha-lhe, ao que diz o atual debate, é a empatia. Sorte a dos socialistas britânicos. O líder da oposição portuguesa, o socialista António José Seguro, a quem falha quase tudo, tem um problema mais grave: quer ter empatia a mais. Confunde-a com uma sobredose de afetos (tirados a ferrinhos) que incomoda quem lhe sofre as intervenções públicas. É urgente que lhe encontrem um guru.» [DN]
   
Autor:

Ferreira Fernandes
  

   
   
 photo Giangiorgio-Crisponi-4_zps664940ad.jpg

 photo Giangiorgio-Crisponi-1_zps8e969ee5.jpg

 photo Giangiorgio-Crisponi-2_zps3d5dbc43.jpg

 photo Giangiorgio-Crisponi-3_zps965fab78.jpg

 photo Giangiorgio-Crisponi-5_zpsf103e956.jpg




blog comments powered by Disqus