quinta-feira, junho 30, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



  
 Jumento do dia
    
Wolfgang Schäuble, canalha alemão

Este senhor sabe muito bem o que diz quando abre a boca, sabe o que diz, o que pretende e as consequências do que diz e no dia ao Conselho Europeu que discutiu o Brexit o ministro das Finanças alemão é tudo menos um descuidado, A Alemanha quer responder ao Brexit com mais extremismo económico e com o saneamento do Euro e da UE, este senhor é um canalha e usa Portugal para fazeer pressão sobre um governo alemão de coligação e sobre a chanceler Merkel.

«A agência Bloomberg citou esta quarta-feira declarações de Wolfgang Schäuble que diziam que Portugal iria “pedir novo programa” e que iria tê-lo. Mas, minutos depois, o ministro alemão voltou atrás e esclareceu. Afinal, “Portugal não quer um novo programa e não vai precisar dele se cumprir as regras europeias que obrigam à consolidação orçamental e à redução do défice. Mas “Portugal tem de cumprir as regras ou corre o risco de entrar em dificuldades” e precisar de um novo programa de ajuda.

O ministro alemão estava a falar sobre receios em torno do Deutsche Bank e indicou que está mais preocupado com Portugal do que com o Deutsche Bank. Isto porque Portugal não tem “resiliência” suficiente nos mercados” e, por isso, “tem de fazer tudo para anular a incerteza nos mercados financeiros”.» [Observador]

      
 A queda de um anjo
   
«Em causa estão quatro crimes de prevaricação de titular de cargo público. Os crimes aconteceram na altura em que Macário foi autarca em Tavira (1998-2009). Foi condenado por ter autorizado o licenciamento de três vivendas e duas piscinas em zonas rurais de Tavira. Estas construções violaram o Plano Diretor Municipal do concelho e o Plano Regional de Ordenamento do Território do Algarve, por terem sido feitas numa zona de paisagem protegida, local considerado Reserva Ecológica Nacional.

O acórdão foi lido hoje no Tribunal de Faro, e dos cinco crimes de que era acusado, Macário Correia foi condenado por quatro.

Depois de sair da câmara de Tavira, Macário foi eleito presidente da Câmara de Faro. Em 2012, contudo, perdeu o mandato devido a este processo judicial.

A defesa de Macário Correia, conduzida pelo advogado Artur Cansado, pediu a absolvição do antigo autarca, e refutou a ideia de que as decisões de licenciamento dos projetos em causa, relativos a duas piscinas e habitações na serra de Tavira, tenham sido tomadas para “beneficiar alguém”.» [Observador]
   
Parecer:

Tenho dúvidas em relação ao que se passa na serra do Algarve, um dia destes aquilo é uma reserva para coelhos bravos.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamentes-se.»
  
blog comments powered by Disqus