sábado, junho 04, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura



  
 Jumento do dia
    
Passos Coelho

A ideia de propor uma reforma da Segurança Social no primeiro dia do congresso do PSD +ara desviar para si as atenções da comunicação social foi inteligente, depois de ter andado a fazer de morto e de ter perdido a liderança da direita para a sua rival Cristas, o líder do SPD tenta ressuscitar e recuperar credibilidade junto daquele a que chamou de cata-vento.

O problema desta estratégia está no facto óbvio de estar a mentir, enquanto foi governo Passos Coelho sempre confundiu reforma das pensões com o seu corte e teve de ser o tribunal Constitucional a explicar-lhe a diferença.
 
Passos mudou de ideias? Nem pensar, o líder do PSD é o pantomineiro de sempre.

«O PSD não quer “adiar mais” a resposta política o problema de sustentabilidade da Segurança Social e deu entrada no Parlamento com uma proposta para a criação de uma comissão eventual para discutir o tema, anunciou esta tarde o líder do PSD, Pedro Passos Coelho. O objetivo é fazer uma “discussão séria e não populista”, “removendo da conversa os argumentos da campanha eleitoral” e “encontrar coletivamente uma solução efetiva para a segurança social” disse o ex-primeiro-ministro aos jornalistas, apelando uma vez mais ao “consenso” entre os partidos.

Uma hora e meia antes do arranque oficial dos trabalhos do congresso do PS, que decorre entre esta sexta-feira e domingo na FIL, em Lisboa, Pedro Passos Coelho quis marcar terreno e chamou os jornalistas à sede do PSD na São Caetano à Lapa para dar o tiro de partida para a tão falada reforma da Segurança Social. Assunção Cristas tentou antecipar-se, ao dar conta esta semana de que o CDS vai levar as suas propostas ao Parlamento em julho, mas os sociais-democratas avançaram primeiro: a proposta para a criação de uma comissão eventual sobre a reforma da Segurança Social foi entregue no Parlamento e vai ser discutida no agendamento potestativo do PSD do próximo dia 8 de junho.» [Observador]
  
blog comments powered by Disqus