sexta-feira, julho 08, 2016

Tenhamos pena da Goldman Sachs

 photo Durao_zpskuikoqsm.jpg

Parece que o Reino Unido que nem está no Euro é que já sofreu a mais pesada das sanções, vai chegar a Londres o mais perigoso dos emigrantes, um tal Durão Barroso que deixa atras de si um rasto de guerras no Médio Oriente a um lamaçal europeu de que o seu próprio país foi uma das vítimas. 

O que vale ao Reino Unido e ao seu sistema financeiro é que o papel que cabe ao non-executive chairman (NEC), o novo cargo de Barroso numa das empresas daquilo a que genericamente se designa por Goldman Sachs. Por cá lemos que Durão Barroso vai ser presidente da Goldman Sachs [Expresso], o que é mentira, ou que vai ser presidente do conselho de administração do Goldman Sachs International [Observador] o que também é mentira.

A diferença ente o que os orgulhosos Expresso e Observador informam e o cargo que Barros vai mesmo assumir é mais ou menos a diferença entre as sanções pesadas que Passos Coelho desejava para Portugal quando pensava que as mesmas iriam ser relacionadas com as políticas do actual governo e as sanções que vão mesmo ser aplicadas, se é que o vão ser.
  
A City pode ficar tranquila, Durão Barroso não ser presidente de coisa nenhuma e muito menos da Goldman Sachs, é sabido que o banco fez umas malandrices na Grécia e até fez excelentes negócio em Portugal no tempo em que Durão Barroso era primeiro-ministro, mas convenhamos que nomear Barroso para presidir a Goldman Sachs era castigo em excessos, Deus livre a Goldman Sachs da desgraça em que Barroso deixou a Europa, para não recordas as promessas de negócios na reconstrução dom Iraque com que Barroso justificou a ida do agrupamento Alfa para Bassorá. Ele vai ser apenas o NEC [non-executive chairman] de um dos seus muitos bancos locais [Goldman Sachs].
  
Barroso vai ser só NEC, isto é vamos ter agora o NEC Barroso e se os nossos jornalistas não sabem distinguir entre NEC e presidente então que estudem um pouco em Harvard, que é coisa fina e só lhes enriquece o currículo:

«In these instances the NEC is likely to be a director of long tenure with experience and understanding of the company. The NEC would be likely to maintain an office at the company, and spend more time with the CEO than other board members. His/her primary function would be to insure robust communications between and amongst board committee chairs and as needed with individual directors. Under this board leadership model, the CEO is relieved of the tasks of managing the intra-board relationship and can focus more attention on the competitive and regulatory and risk challenges facing the company. Leading the full board meetings, the important executive sessions of independent directors, and involvement in board, committee and director evaluations are key elements of the NEC role.» [Harvard Law School]
Enfim, a esta direita foge o pé para a ignorância.

PS. EM matéria de tugas do PSD a escolha de Barroso não é novidade, o falecido António Borges já lá tinha andado e também era indevidamente apresentado como vice-presidente do banco e Luís Arnat também lá anda a "gorjetear" como consultor. 
blog comments powered by Disqus