sexta-feira, julho 22, 2016

Umas no cravo e outras na ferradura


  
 Jumento do dia
    
Passos Coelho, o califa de Massamá

Em público o califa de Massamá anuncia a desgraça, prevê défices excessivos, critica as reversões pelos seus custos, exige um plano B e outro C, mas em privado critica o governo porque "a austeridade está cá toda". Isto é, Passos Coelho é um verdadeiro cata-vento.

«O presidente do PSD anteviu quarta-feira um cenário negro económico-social em Portugal, "muito antes das autárquicas" de 2017, ao fazer o balanço da primeira sessão legislativa do Governo PS, no Conselho Nacional do PSD.

A conversa de que a austeridade acabou é mentirosa. A austeridade está cá toda", afirmou o ex-primeiro-ministro na reunião à porta fechada, num hotel lisboeta, segundo fonte oficial social-democrata, acrescentando que a realidade se irá impor "muito antes das autárquicas" (setembro/outubro de 2017) e os portugueses vão aperceber-se e "sentir".

Dedicando-se a temas como economia, sistema financeiro e Europa, Passos Coelho considerou lamentável a anunciada estratégia de rápido crescimento e criação de emprego e investimento do secretário-geral socialista, António Costa, atual chefe do executivo apoiado também por BE, PCP e PEV, "que está a sair ao contrário".» [TVI]

 Está na hora do outro Brexit

Agora que o reino Unido abandonou a UE faz sentido questionar se não se deveria seguir um outro Brexit, desta vez o abandono da sua colónia na Península Ibérica, Gibraltar.

 E escarafuncham, escarafuncham ...

 photo indiana_zpsxbsnptif.jpg

Ainda vou ver o inspector do fisco a investigar os negócios da Companhia das Índias em busca de uma malandrice do José Sócrates, a não ser que essa companhia já não conste nas bases do dados do fisco e já não dê para o tal inspector escarafunchar.

Começo a achar que este Processo Marquês em vez ser uma investigação é uma escarafunchação e imagino o procurador com chapéu de arqueólogo uma espécie de Indiana Jones, enquanto o desgraçado do inspector do fisco lá vai escarafunchando em tudo o que cheira a merda.

É uma pena que em Portugal não se divulgue o custo das investigações do Ministério Público.

      
 O PSD entrou para a geringonça
   
«“Entre os factos mais relevantes desta Legislatura, fica este: foi o PSD que fez aprovar o projeto legislativo do Bloco de Esquerda relativo às barrigas de aluguer. É de desejar que lhe faça bom proveito”.

É num tom mordaz e irónico que José Ribeiro e Castro, antigo líder do CDS, reage à aprovação do diploma referente à gestação de substituição, questão também referidas como barrigas de aluguer.

No Facebook, o centrista faz as contas à aprovação do diploma, e refere que mesmo que todos os deputados do Bloco, PS, Os Verdes e PAN votassem a favor, a aprovação não avançaria, já que o PCP se mostrou contra o diploma.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Esta de os deputados invocarem a consciência para se juntarem à geringonça, o que ocorreu com o próprio califa de Massamá tem a sua graça, já no caso de votações com base em acordos parece que a consciência não existe.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»
  
 Pokémon Go Taxi
   
«Taxista de profissão há seis anos, Sérgio Dias tem 29 anos de idade e colocou precisamente às 19:55 do dia 15 de julho, na sexta-feira passada, um anúncio no sítio da Internet OLX a vender o serviço de transporte Pokémon GO Táxi na área do Porto, Matosinhos, Gondomar e Valongo.

O preço é 20 euros por hora, ou seja, se forem seis passageiros pagam 3,30 euros cada um, com fatura se necessário, informa aquele motorista, informando ainda que fornece Internet gratuita e possibilidade de carregar os telemóveis.

"Viagem a baixa velocidade para chocar os ovos, paragem em todos os 'pokestops' (paragem para Pokémon), e ginásios à escolha do cliente. Início e fim do serviço a combinar", lê-se no anúncio do jovem motorista do Porto, cujo táxi tem lugar para seis passageiros, o que segundo Sérgio Dias, é uma mais-valia, porque torna a viagem mais barata para os grupos de jogadores, que têm de pagar 20 euros por uma hora.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Isto está ficar tudo doido, ainda vamos ver a Maria Luís e o califa de Massamá à caça de Pokémons no hemiciclo.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Exijam-se direitos de autor à Nitendo por ter copiado esse passatempo nacional que é a caça aos gambuzinos.»

 Um dia destes vão investigar a Companhia das ìndias
   
«O Caixa BI, banco de investimento da Caixa, faz habitualmente assessoria financeira de operações de empresas com grande dimensão e privatizações. O Expresso sabe que as buscas estão a decorrer durante a manhã desta quinta-feira. Na mesma altura decorreram também buscas na Haitong (ex-BESI), como confirmou fonte oficial deste banco ao Expresso.

A operação liderada pela equipa do DCIAP do procurador Rosário Teixeira nos dois bancos estará relacionada com o negócio entre a PT e a Oi. A operadora portuguesa entrou no capital da Oi em 2010, depois de ter vendido a participação que detinha na Vivo à espanhola Telefónica.

O negócio realizado entre as duas operadoras - depois do então primeiro ministro José Sócrates ter usado a golden share (ações especiais) que o Estado detinha na PT para travar a venda da Vivo enquanto não houvesse uma alternativa para a operadora se manter no Brasil - tem estado a ser investigado pelas autoridades portuguesas e brasileiras.» [Expresso]
   
Parecer:

Enquanto as bases de dados do fisco tiverem informação relacionada com algum conhecido ou vizinho de Sócrates o inspector do fisco vai ter ainda muito com que se entreter, ele escaranfucha, o procurador elabora os autos e os pedidos de novos prazos para a investigação e o super juiz vai assinando tudo. Com tanto escarafunchar ainda encontram petróleo e não arranjam provas contra o Sócrates.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Eu gostava de fazer como o Fernando Santos
   
«Com a renovação de contrato de Fernando Santos até 2020, a Federação Portuguesa de Futebol passa a pagar anualmente 2,5 milhões de euros a uma empresa que pertence ao próprio selecionador e que presta serviços à instituição, apurou o CM. 

O valor era até à data de 1,3 milhões por ano, o que significa que o montante praticamente duplicou. A verba incluída no contrato prevê o pagamento do vencimento do selecionador, mas também os salários de Fernando Justino (treinador de guarda-redes), João Carlos Costa (preparador físico) e Ricardo Santos e Jorge Rosário (observadores). 

Os três primeiros foram indicados pelo próprio Fernando Santos, aquando da assinatura do primeiro vínculo com a FPF, em setembro de 2014, e são pagos através da referida empresa, assim como Rosário, que só integrou a equipa técnica durante o Euro 2016 (França). A empresa de Santos é que define o montante a atribuir a cada um. Caso diferente é o do adjunto Ilídio Vale, que integra os quadros da FPF e é pago diretamente pelo organismo.» []
   
Parecer:

Estamos perante um esquema óbvio de evasão fiscal.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»
  
blog comments powered by Disqus