sábado, junho 17, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do Dia

   
Manuel dos Santos, deputado que envergonha Portugal

Não sei bem quem é este Manuel dos Santos, mas como está enriquecendo no Parlamento Europeu isso quer dizer que deve ter sido muito amigo do Seguro. Mas se dantes não sabia da existência desta personagem, agora fiquei a saber que o senhor deputado é um idiota que devia ser dispensado e devolvido à sua presidência. É uma vergonha para qualquer partido com valores democráticos ter nas suas fileiras gente deste nível.

«Em Maio, todos os deputados aprovaram um voto de saudação à iniciativa de candidatar a cidade de Lisboa a receber a Agência Europeia do Medicamento. Entre os votos por unanimidade estava a deputada do PS Luísa Salgueiro, eleita pelo distrito do Porto. Esta sexta-feira, a parlamentar foi insultada na rede social Twitter pelo eurodeputado socialista Manuel dos Santos.

O socialista, também ele do Porto, acusa a deputada de votar com os "centralistas". Até aqui eram apenas críticas entre deputados do mesmo partido, contudo, nos tweets, Manuel dos Santos chama a deputada de "cigana" e vai mais longe nos comentários racistas dizendo que é cigana "não só pelo aspecto", mas porque "paga os favores que recebe com votos alinhados com os centralistas".» [Público]

PS: Já depois de preparar este comentário a propósito deste "gajo" veio a público que António Costa defendeu que o racista deve ser expulso. Além de racista é um sacana que nem os colegas de partido respeita, em de uma mentalidade bacoca. Esperemos que o idiota tenha a coragem de se demitir e que também seja condenado no Parlamento Europeu por racismo e convidado a integrar o grupo da extrema direita.

Além disso as declarações de Manuel dos Santos constituem um crime público pelo que o Ministério Público deve abrir um inquérito e constituir o deputado arguido num processo pelo crime de racismo; leia-se o artigo 240.º, alínea 2b) do Código penal:

"CAPÍTULO II
Dos crimes contra a humanidade

Artigo 240.º
(Discriminação racial)

1- Quem:
a) Fundar ou constituir organização ou desenvolver actividades de propaganda organizada que incitem à discriminação, ao ódio ou à violência raciais ou religiosas, ou que a encoragem; ou 
b) Participar na organização ou nas actividades referidas na alínea anterior ou lhes prestar assistência, incluindo o seu financiamento; é punido com pena de prisão de 1 a 8 anos.

2- Quem, em reunião pública, por escrito destinado a divulgação ou através de qualquer meio de comunicação social:
a) Provocar actos de violência contra pessoa ou grupo de pessoas por causa da sua raça, cor ou origem étnica ou nacional ou religião; ou
b) Difamar ou injuriar pessoa ou grupo de pessoas por causa da sua raça, cor ou origem étnica ou nacional ou religião, nomeadamente através da negação de crimes de guerra ou contra a paz e a humanidade;

com a intenção de incitar à discriminação racial ou religiosa ou de a encorajar, é punido com pena de prisão de 6 meses a 5 anos."

«O secretário-geral do PS, António Costa, criticou esta sexta-feira o eurodeputado socialista Manuel dos Santos, afirmando que se tornou "uma vergonha para o PS", e defendeu a sua expulsão do partido por "preconceitos racistas".

“Há muito que Manuel dos Santos desonra o seu passado. Hoje tornou-se uma vergonha para o PS. Espero que a Comissão Nacional de Jurisdição rapidamente nos liberte da companhia de quem partilha preconceitos racistas”, afirmou, numa declaração à agência Lusa.» [Expresso]

O eurodeputado racista bem pode usar o twitter para inventar fantasmas a combater, o que escreveu é claro, trata-se de racismo puro e duro.

 Mário Ronaldo Centeno

Quando se disse que o ministro alemão tinha chamado Ronaldo a Centeno alguma direita sugeriu que a notícia era falsa, da mesma forma que sugeriram que a hipótese de Centeno vir a presidir ao Eurogrupo era uma falsa notícia plantada pelo PS na comunicação social. Parece que o ministro alemão das Finanças admira mesmo Mário Centeno.

 De que serve ser um país rico

De nada serve ser um dos países mais ricos e poderosos do mundo se no centro da sua capital os seus cidadãos morrem intoxicados e queimados num incêndio que lembra alguns desastres ocorridos em países ditos pobres. Agora que a Inglaterra se quer ver livre das regras europeias, aproximando-se do aliado americano, é caso para pensar que mais regras facilitadoras serão adoptadas.

É incrível que um prédio com centenas de moradores e vinte andares  esteja revestido de material combustível, transformando um incêndio num apartamento numa imensa labareda, em poucos minutos. No centro de Londres morreu gente como se a capital do Reino Unido ainda estivesse nos tempos da Revolução Industrial.

Há duas semanas soube-se que em tempo de terrorismo a atual primeira-ministra tinha despedido mais de 20.000 polícias, agora percebeu-se que na capital londrina há prédios de 20 andares sem as menores condições para combater um incêndio.

 O inferno do Passos Coelho

Passos Coelho anunciou a vinda do diabo e desde então que está no inferno, como se estivesse a ser assado dentro de um forno. Nunca escondeu que previa o pior e quase denunciou o desejo que tal sucedesse, esperava chegar ao poder com a mesma receita que já tinha usado e com a vantagem de um segundo resgate lhe permitir regressar à política de terror.

Mas teve azar, o diabo não veio e cada dia há mais uma boa notícia, todas as suas previsões falham e cada vez que é confrontado com uma boa notícia para o país reage de forma que revela desorientação. Desta vez chegou ao ridículo de ser o primeiro partido a festejar a saída do procedimento do défice excessivo, quando ainda recentemente apoiava os argumentos das agências de notação para manter o a notação em lixo.

Passos está a pagar caro pela sua incompetência e oportunismo e por cada boa notícia as sondagens apontam para uma descida nas sondagens, ainda hoje deu mais um trambolhão no barómetro da Aximage, o que mais se aproximou dos resultados das últimas eleições legislativas. Está cada vez mais distante dos 30% e perigosamente a aproximar-se dos 20%, enquanto o CDS tende a caber dentro de um táxi, senão mesmo de uma carroça.


      
 Ai Passos, Passos
   
«Os números da Aximage são arrasadores para o PSD e para o conjunto da direita em Portugal. As intenções de voto no PSD e no CDS estão nos níveis mais baixos de sempre. Em Junho, o PSD fica pelos 24,6%, enquanto o CDS desce para 4,6%.

Salvo as devidas distâncias entre sondagens e eleições, vale a pena comparar estas intenções de voto com o histórico dos resultados das legislativas. A conclusão é que as intenções de voto no PSD estão nos piores níveis de sempre, só verificados há 40 anos atrás, e num contexto muito diferente do actual: estávamos em 1976, ainda sob o calor da revolução, quando o PSD recebeu 24% dos votos, nas mesmas eleições em que o CDS obteve aquela que é ainda hoje a sua maior votação de sempre, de quase 16% – hoje as sondagens dão-lhe apenas 4,6%.

O segundo pior resultado do PSD aconteceu nas eleições legislativas de 2005, na ressaca do mal sucedido Governo de Santana Lopes, em que José Sócrates conseguiu a primeira maioria absoluta do PS: os social-democratas não chegaram a 29% dos votos.» [Jornal de Negócios]
   
Parecer:

A direita arrisca-se a pagar caro as aventuras do experimentalismo económico de Passos Coelho.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «aguarde-se pelas próximas eleições.»
  
 Espertalhão
   
«O PSD acusa o PS de estar a “mandar às malvas” uma das propostas que o partido do Governo apresentou no âmbito da comissão para o reforço da transparência segundo a qual, no entender dos social-democratas, a nomeação de Diogo Lacerda Machado para a administração da TAP seria inviável.

Em causa está a proposta de alteração do PS à lei das incompatibilidades e impedimentos dos titulares de cargos políticos e altos cargos públicos segundo a qual “os representantes do Estado ou consultores a título individual nomeados pelo Governo em processos de privatização ou de concessão de activos públicos” ficam impedidos de “exercer funções nas entidades adquirentes ou concessionárias nos três anos posteriores à data da alienação ou concessão de activos em que tenham tido intervenção”.

Para Luís Marques Guedes, coordenador do PSD na Comissão da Transparência, não há dúvidas de que esta formulação se encaixa na situação de Lacerda Machado. “A TAP teve um processo de privatização que o actual governo reabriu para renegociar e readquirir uma parte. E quem esteve activamente no processo em nome do Estado foi Lacerda Machado”, afirmou ao PÚBLICO.» [Público]
   
Parecer:

Marques Guedes sabe muito bem que está a ser pouco honesto neste argumento.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

blog comments powered by Disqus