terça-feira, junho 06, 2017

Umas no cravo e outras na ferradura



 Jumento do Dia

   
Assunção Cristas,líder mal preparada

Vale a pena acompanhar os temas preferidos de Assunção Cristas, daí resulta uma evidência, são muitos poucos os temas abordados por Assunção Cristas, em regra ala de agricultura porque aprendeu umas coisas quando era ministra, ou de bombas de gasolina porque tem quem lhe dê explicações em casa. Mesmo assim nota-se alguma fragilidade na abordagem dos temas, roçando algumas vezes a falta de solidariedade. Falta de preparação pessoal ou não lhe prepara os dossiers e intervenções? Digamos que se o tema fosse bola dir-se-ia que lhe falta uma "estrutura" e que assim não vai conseguir ganhar títulos e num clube como CDS é pouco provável que se habitue a eles.

«"É muito importante que o Ministério ponha cá fora um pacote de medidas que já vêm atrasadas, que estavam pré-preparadas, porque já há muito tempo que existe um grupo de trabalho em permanência para monitorizar as situações de seca", afirmou Assunção Cristas.

Numa visita a uma feira do setor alimentar, em Lisboa, a líder centrista disse não entender "a ausência do ministro da Agricultura", argumentando que as queixas se sucedem por parte do setor e têm impacto, por exemplo, nas sementeiras que poderão não se fazer por escassez de água.

"Há medidas estudadas do passado", insistiu a ex-ministra da Agricultura, apontando para a isenção da taxa de recursos hídricos, isenções de contribuições à segurança social, apoios ao investimento, entre outras.

A presidente do CDS-PP, que foi ministra da Agricultura no anterior Governo, afirmou que "em 2011, na sequência da seca grande desse inverno e primavera, foram aplicados só do Orçamento do Estado 45 milhões de euros de medidas de apoios aos agricultores".» [Lusa]

 É o que dão os jantares de lombo assado



Ou Passos começa a beber água nos jantares do lombo assado, ou terá de explicar porque motivo os interesses do PSD diferem dos do país.

 Caso EDP

Cheira-me que um dia destes vai aparecer mais um processo, desta vez dirigido a alguém do governo ou próximo do governo. A nossa "justiça" normalmente é muito equilibrada...

      
 Angola dá lições de direitos humanos a Portugal
   
«O ministro da Justiça angolano admite reequacionar a cooperação judiciária com Portugal, mostrando-se "estupefacto" por o Ministério Público português ter avançando para a fase Instrução no processo envolvendo o vice-presidente Manuel Vicente, sem esperar pela resposta de Angola.

"Eu fico estupefacto e até incrédulo, na medida em que são situações que demonstram um certo desrespeito pelas nossas autoridades judiciárias, e em especial pelo Tribunal Constitucional da República de Angola", afirmou esta segunda-feira o ministro angolano da Justiça e Direitos Humanos, Rui Mangueira, questionado pela Lusa à margem de um evento oficial em Luanda.

A Lusa noticiou a 19 de maio que o Ministério Público (MP) já enviou para o Tribunal de Instrução Criminal o caso "Operação Fizz", apesar de o vice-presidente angolano Manuel Vicente não ter sido ainda notificado da acusação, indicaram então fontes ligadas ao processo.

"Esta situação, obviamente ao ser verdade, por aquilo que nos foi dado a conhecer, é uma questão que assume uma gravidade muito grande e vai-nos levar, certamente, a fazermos uma avaliação e uma apreciação de todo o trabalho que deve ser feito nos termos deste acordo" de cooperação judiciária entre os dois países, afirmou Rui Mangueira.» [Expresso]
   
Parecer:

Começo a recear que tal possa suceder, tantos são os atropelos a que tenho assistido.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Lamente-se.»
  
 Pobre Theresa
   
«A primeira-ministra do Reino Unido Theresa May está a ser criticada por ter feito cortes na despesa com as forças de segurança britânicas quando era ministra do Interior, que diminuíram em 20 mil o número de agentes da polícia. O líder do partido trabalhista Jeremy Corbyn pediu esta segunda-feira a demissão de May.

May nega as acusações de que a polícia britânica não tem recursos suficientes para lidar com as presentes ameaças e garantiu que os orçamentos para unidades e políticas antiterrorismo foram sempre protegidos.» [DN]
   
Parecer:

A pior coisa que lhe podia suceder eram atentados depois de ter despedido tantos polícias.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Aguarde-se pelas eleições.»

 Bansky oferece arte a quem votar contra Theresa May
   
«Banksy, o (des)conhecido e polémico artista de rua britânico, lançou um género de campanha política: criou uma impressão de edição limitada de uma obra da sua autoria que promete enviar a todos os que votem (e lhe enviem uma foto do boletim de voto) contra o partido conservador nas eleições do Reino Unido.» [Público]
   
Parecer:

Uma ideia arrojada pois vai ter de lamber muitos selos...
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

blog comments powered by Disqus