terça-feira, julho 30, 2013

Moção de confiança ou moção de censura

O que Cavaco pretende com a moção de confiança que forçou o governo a apresentar é uma fantochada política, tenta passar a mensagem de que o que sucedeu foi mais do que um upgrade do governo para eliminar alguns dos seus bugs, mas sim uma nova versão do governos com novas funcionalidades e um novo manual de instruções.
 
Tenta-se desta forma adquirir uma legitimidade que não se tem, o governo deixou de governar para o país para governar para um parlamento que não passa de um “animal” de estimação. Desta forme tenta-se iludir a ilegitimidade de um governo que mentiu premeditadamente para obter os votos de eleitores que hoje estão arrependidos.
 
Mas, Cavaco aposta tudo no seu governo e sabe que o fracasso de Passos Coelho é o seu próprio fracasso e se um dia tiver de der posse a um novo governo do PS só lhe resta demitir-se, manter-se em funções destruirá o pouco que resta da sua dignidade política. Cavaco não quer apenas assegurar a sobrevivência do seu governo, tem dois anos para o ajudar a destruir o PS.
 
Até qui Cavaco tem sabido manipular Seguro, chegando ao ponto de o pressionar através da comunicação social, como fez quando denunciou supostas manobras para boicotar a sua manhosa salvação nacional. Toda a gente sabe que o parlamento vota no que Passos mandar, muitos dos seus deputados até concordariam em dar uns açoites à mãe se isso lhes fosse exigido.
 

A dúvida não está em saber se Passos tem apoio parlamentar, mas sim em saber se Seguro sobreviver. Esta moção é mais uma tentativa de homicídio político do líder do PS. De um lado Cavaco montou um Passos dialogante e com soluções, do outro estará aquele que Cavaco espera se mostre um banana que não está à altura da situação, é esta a mensagem que a direita pretende fazer passar no debate da moção de confiança, esta moção é na verdade uma moção de censura a Seguro.
blog comments powered by Disqus