quarta-feira, julho 10, 2013

Umas no cravo e outras na ferradura


 
   Foto Jumento
 
 photo Parque-Mayer_zps02c21f2f.jpg
   
Flores do Parque Mayer, Lisboa
    
 Uma praia na Messejana para Paulo Portas.

Por aquilo que se viu no primeiro dia da nova ministra das Finanças pode-se concluir que a coisa promete e ninguém se admire que esta modesta gestora financeira de empresas públicas acabe por destruir o pouco que restou da credibilidade do Gaspar. Aquele ar de menina será uma ajuda preciosa no eurogrupo e disfarça uma grande capacidade de envenenamento.

Depois de nomeada a ministra desapareceu para voltar a aparece na reunião do eurogrupo e bastaram algumas horas para que Cavaco Silva e Paulo Portas tenha ficado ma na fotografia. Cavaco ficou a falar sozinho com todo o eurogrupo ter ficado a manifestar tranquilidade e apoio à remodelação do governo, o mesmo Cavaco que defendia noutros tempos o primado dos mercados parece que só vai fazer de conta que toma uma decisão quando os mercados tiverem regressado ao normal sem se preocuparem com o papel do presidente.

Se Cavaco ficou a falar sozinho o Paulo Portas deverá ter ficado a espumar, mal a Maria Luís abriu a boca e o super ministro que se tinha demitido irrevogavelmente por causa dela começou logo com ar de afogado. A ministra deixou claro aquilo que era óbvio, quem vai ao eurogrupo é ele e é no eurogrupo que se fazem as negociações com a troika e não apenas com a UE como alguns disseram nestes dias, para que não subsistissem dúvidas a ministra das Finanças até se fez fotografar ao lado da Lagarde. Alguém imagina a Maria Luís a dirigir-se aos seus colegas dizendo que estava ali só para tirar notas pois as relações e negociações são para se fazerem apenas com o Portas?

Começa a ser evidente que o Portas foi tão guloso que acabou por levar um título pomposo mas vazio de coerência e com competências que não conseguirá desempenhar pois nem está nos cargos onde elas são efectivamente assumidas, nem tem equipa de técnicos que o apoiem. Terá sido gulodice ou Passos Coelho achou que perante tanta ambição o melhor era responder ao caderno reivindicativo de Portas dizendo-lhe "tudo bem Paulo, dou-te isso tudo e ainda te ofereço a famosa praia alentejana na Messejana!":

 O divórcio adiado
 
Este recasamento entre Paulo Portas e Passos Coelho faz lembrar aqueles casais que para fugirem ao divórcio fazem mais um filho convencidos de que este trará uma nova fase de amor. Para evitar que Portas saísse de casa Passos Coelho deu-lhe tudo o que queria, engravidou-o de poderes e competências. Resta ver se Portas opta por abortar ou se, fiel às suas crendices, opta por levar a gravidez até ao fim o que, aliás, vai dar na mesma, o resultado desta falsa paixão será sempre um aborto.
 
 A encenação

A encenação ridícula e ridicularizada pelo eurogrupo tem por único objectivo dar a Cavaco ares de que é Presidente da República e a ele se deve a superação da crise. A verdade é que nos últimos dias a única actividade presidencial digna de relevo foi a ida à missa do novo patriarca de Lisboa. Ao menos sempre levou um beijinho da dona Maria, coisa que ninguém lhe vai dar depois desta crise a não ser, talvez, o Paulo Portas. Mas um beijo de Paulo Portas é mais um castigo do que outra coisa.
   
   
 A fruta madura de que falava Passos Coelho
   
«De acordo com as intenções manifestadas pelas empresas no Inquérito de Conjuntura ao Investimento de abril de 2013 do INE – hoje divulgado – a deterioração das perspetivas de venda seguida da incerteza sobre a rentabilidade dos investimentos foram os principais fatores limitativos do investimento empresarial em 2012 e 2013.

Entre 2012 e 2013, aumentou a percentagem de empresas que refere o nível da taxa de juro, a utilização insuficiente da capacidade produtiva e outros fatores como principais fatores limitativos do investimento, refere ainda o documento.» [Notícias ao Minuto]
   
Parecer:

Crescimento em 2013 dizia o Gaspar e confirmava o Cavaco.
   
Despacho do Director-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
blog comments powered by Disqus