domingo, julho 07, 2013

Semanada

Em vez do congresso do CDS neste domingo, o país assistiu a uma espécie de semana nacional dos palhaços e das palhaçadas nacionais, até se poderia dizer que esta semana teve o alto patrocínio do Cavaco Silva e que este senhor deu um precioso contributo para o enriquecimento desta arte circense. A tal direita responsável, a grande maioria envolvendo governo e presidente, decidiu brincar com o país porque uns rapazolas não se sentem contentes com a sua parte do saque.

É uma velha mania da direita fazer figuras tristes nas tomadas de posse e, em regra, estas cenas envolvem Cavaco ou Paulo Portas. O primeiro parece estar a ficar mais resistente ao calor desde que se mudou para a Quinta da Coelha e já não desmaia nas posses, mensmo quando dá posse a uma ministra de um governo que acabou de dar entrada nos cuidados intensivos. Portas continua a escolher estes momentos para dar um ar da sua graça, primeiro foi a cena do ministro do mar, agora meteu ainda mais água e berrou que ou lhe davam a economia para o seu governo do táxi ou mandava o país para o galheiro. Ao que parece ficou com tudo o que queria e mais uma mão cheia de figos, mas o país vai na mesma para o galheiro.

Mas o surrealismo não se fica por aqui, quem ouve os dirigentes políticos da direita falando de responsabilidade, principalmente por parte dos líderes dos partidos da oposição, arriscamo-nos a pensar que a crise foi criada pelo comportamento irresponsável de um deles, só falta mesmo dizerem “deixem-nos trabalhar”, como fazia em tempos Cavaco Silva. Nem deve ser difícil de imaginar a dona Maria a rezar pelos corredores do palácio para a santinha da Cova da Iria livre o país desse Sócrates, a culpa é dele, desde que voltou mais a narrativa que o país deixou de ter sossego.

Parece que Paulo Portas vai ter mesmo de apresentar os TPC da reforma do Estado de que se tinha esquecido e agora vai coordenar os negócios deixados pelo sôr Álvaro. Depois de ter andado a lançar o Magalhães é a vez de se atirar aos pastéis de nata, anda anda e ainda caba em Belém, vendendo pastelinhos ao balcão da pastelaria. Quanto ao resto não terá muito para fazer, coordena uma área do governo que não existe e se pensava que depois de vender os submarinos ia vender as ás águas e teríamos submarinos de água doce, enganou-se, quem vai negociar o chorudo negócio é um fiel de Passos Coelho, que é como quem diz, ficou a chuchar no dedo o que em alguém dado a chuchar nem é nada mau.
blog comments powered by Disqus